terça-feira, 17 de agosto de 2021

Japonesinha en-canta e "mia" em clipe sobre um gatinho perdido


Nonoka Murakata, conhecida como Nonochan, de apenas 3 anos de idade (completados em maio), tem encantado pessoas do mundo todo desde o ano passado com o clipe abaixo. Na música, a japonesinha fala sobre um gatinho perdido e, inclusive, imita os miados no refrão. É a coisa mais linda! Tornou-se minha canção diária e eu tento acompanhar os movimentos do bracinho dela enquanto também "mio" junto no refrão. Tentem! Totalmente relaxante!

O vídeo teve até agora mais de 20 milhões de visualizações e a garotinha rapidamente começou a ser contratada para propagandas e convidada para programas de TV


Em novembro de 2020, ela tornou-se a mais jovem cantora vencedora do troféu de prata da história d e um Concurso de Canções Infantis de Rimas Infantis que já teve 35 edições

Há dois meses ela lançou um album de fotos onde aparece em um ensaio com três gatinhos filhotes (foto de abertura dessa matéria)

Gatinho perdido

A letra, de forma bem inocente, reflete uma situação que, recentemente, acrescentei entre os serviços que presto que é de ajudar pessoas que estão com seus gatos desaparecidos. A meiga canção fala exatamente como um gatinho perdido se sente.

Quando vi esse clipe pela primeira vez, cantado em japonês, não tinha a tradução da música ainda, mas percebi de imediato que ela imitava um gatinho e um cachorrinho.... e me apaixonei!

Vejam a letra da música "Inu no Omawari san" ou "Cachorro Policial":

Oh, pobre gatinho vadio

Ele sabe onde fica sua casa?

Ele não sabe o endereço dela

Ele nem sabe o nome dele

Miau-miau miau-miau

Miau-miau miau-miau

Ele só está chorando e chorando

O cão policial

Ele não tem ideia do que fazer

Bow-wow bow-wow

Bow-wow bow-wow

Oh, pobre gatinho vadio

Alguém sabe onde é a casa dele?

O corvo não sabe o endereço dele

O pardal também não sabe

Miau-miau miau-miau

Miau-miau-miau

Ele só está chorando e chorando

O cão policial

Ele não tem ideia do que fazer

Bow-wow bow-wow

Bow-wow bow-wow


Fátima ChuEcco - Jornalista e Escritora 

Autora do clássico "Mi-Au Book - Um livro pet-solidário" que reuniu cães e gatos do Brasil e exterior e teve em sua segunda edição a participação de Brigite Bardot. Jornalista ambientalista, especializada em animais de estimação e, principalmente, em GATOS!
Desenvolve fotolivros literários com crianças e animais. Seu gatinho também pode ter um Mi-Au Book  todinho inspirado nele. Saiba mais no site www.miaubookecia.com  



Presta consultoria sobre gatos perdidos ajudando tutores a adotarem buscas mais estratégicas para encontrar os animais. 



quarta-feira, 4 de agosto de 2021

Saiba como Félix conseguiu ser encontrado depois de 7 dias perdido


Félix, de apenas um aninho, levava uma vida mansa em Brasília na companhia de outros sete gatos. Durante o dia podia ficar solto ao redor da casa, mas depois era recolhido. Quando seus tutores resolveram dar um pouquinho mais de liberdade a ele também à noite, Félix viu um novo imenso mundo se desdobrar na sua frente e ficou impossível não mergulhar nele. E foi assim que se perdeu: explorando a vizinhança sob a luz do luar.

Mas não foi o próprio Félix que me contou isso. Trata-se de uma dedução diante do que seus tutores, Vanessa e Marcelo Araújo, me relataram sobre a personalidade do gatinho. Aliás, Vanessa tinha na ponta da língua o raio-x do seu bichano: sociável, brincalhão, caçador, meninão, confiante e tudo que cabe na descrição de um adolescente como ele.

Gatos com esse perfil tendem a se aventurar caso tenham chance disso. E foi por isso que logo na segunda noite de liberdade Félix sumiu! Imaginem quantos barulhinhos, cheiros novos e gatos que ele não conhecia vindos com o cair da noite não o atraíram para longe de casa!

O casal imediatamente foi falando com a vizinhança, colando cartazes e divulgando seu desaparecimento no grupo de whats app do condomínio. E todas essas ações são realmente necessárias, mas é preciso ter em mente que, se o gato fica acidentalmente preso em alguma casa, galpão, forro de telhado, porão, bueiro... enfim... muitos lugares da onde não consiga sair, só os cartazes e divulgação não bastam porque simplesmente o gato não está em situação de ser visto. 

Por isso as buscas a pé por lugares onde possa estar preso são essenciais.

Felizmente, com Félix, que aparentemente não ficou preso, duas ações deram muito certo: os cartazes e a mentalização, que também chamo de conexão. 

"Ele estava no condomínio do lado do nosso! Estava no meio de um mato. Os vizinhos que haviam visto o cartaz o reconheceram enquanto faziam trilha e nos avisaram. Chegando lá nós chamamos por ele e ele respondeu. Estava faminto e comeu feito um boi. Fizemos a mentalização", conta Vanessa.

Os gatos são muito telepatas e quando se perdem tentam conectar seus tutores, principalmente por meio dos sonhos, onde dão sinais da onde estão perdidos ou do que pode ter acontecido com eles. 

Os tutores de Félix não sonharam com ele, mas Marcelo relatou que tinha uma sensação forte dele estar por perto. Além disso, um outro gato da casa, que é muito próximo do Félix, também emitia sinais de uma possível conexão com ele: miava e chamava pelo amigo insistentemente.

Minha sugestão a todo tutor que está procurando seu gato é: pense nele, peça sinais para encontrá-lo e tente lembrar detalhadamente dos sonhos.

Félix estava cerca de 500 metros longe de casa que, aliás, costuma ser a distância máxima que um gato percorre quando se perde, com exceção de casos em que entra no motor de um carro e vai parar bem longe ou, por alguma razão, é socorrido ou capturado e levado embora. 

Mas geralmente, por vontade própria, eles não andam longas distâncias como os cães. Tendem a se esconder nos imóveis vizinhos. 

Mesmo assim, tudo depende muito, mas muito mesmo, da personalidade do gato e de suas experiências particulares.  Para saber por onde anda um gatinho perdido é preciso levar em conta, inclusive, sua idade ou a fase da vida em que ele se encontra. 

Um gato maduro ou idoso dificilmente vai se arriscar numa aventura e deixar para trás cama, comida e pelo lavado. Caso escape vai se esconder bem do lado de casa. 

Já um gato jovenzinho como o Félix, que não é traumatizado ou assustado e, pelo contrário, adora fazer amizades, tende a explorar a redondeza. 

Podemos arriscar dizer que Félix saiu pra uma balada, se empolgou seguindo outros gatos da região e, quando deu por si, já não sabia mais voltar para casa.

Na hora de procurar um gato perdido muitos fatores devem ser levados em consideração para uma busca mais assertiva.

QUER MAIS DICAS? Então acompanhe a live comigo e o tutor do Félix no Instagram @marcelomca (permanece à disposição)



Conheça outras histórias de gatos perdidos com finais felizes nesse blog e acesse o Grupo  do Facebook Gatos Perdidos e Encontrados em SP que tem várias dicas e é um espaço tanto para quem procura por um gato quanto para quem achou um gatinho que aparenta estar perdido.

Consultoria personalizada para encontrar gatos perdidos



Fátima ChuEcco - Jornalista e Escritora 

Autora do clássico "Mi-Au Book - Um livro pet-solidário" que reuniu cães e gatos do Brasil e exterior e teve em sua segunda edição a participação de Brigite Bardot. Jornalista ambientalista, especializada em animais de estimação e, principalmente, em GATOS!
Desenvolve fotolivros literários com crianças e animais. Seu gatinho também pode ter um Mi-Au Book  todinho inspirado nele. Saiba mais no site www.miaubookecia.com 








terça-feira, 3 de agosto de 2021

GENTE É GENTE, BICHO É BICHO, MAS GATO É GENTE



Encontrei essa matéria na revista "Como pensam os animais" que está à venda nas bancas de revistas. A FOTO, convenhamos, SENSACIONAL!



Inclusive, estou vendendo um fotolivro capa dura de luxo, de minha autoria, chamado "Gente é Gente, Bicho é Bicho, mas Gato é Gente" reunindo um pouco da filosofia e modo de viver dos gatos... ricamente ilustrado. 

E vc pode encomendar ainda um fotolivro com fotos do seu gatinho ilustrando frases relacionadas à filosofia felina.

Interessados devem solicitar pelo whats app 11 94682-6104 Mais detalhes deste e de outros fotolivros com animais no site www.miaubookecia.com


                                                      Texto e fotos: Fátima ChuEcco


domingo, 1 de agosto de 2021

Gata passou a viver em bueiro depois que se perdeu


A história de Sabrina serve de alerta para os tutores que estão com gatinhos perdidos. Essa gatinha, de um  ano de idade, já estava há semanas sendo procurada pela tutora Débora Caetano, de SP:

"Anunciei nos grupos do Facebook de animais perdidos, no Instagram, comuniquei todos os vizinhos do bairro no qual eu tinha contato via WhatsApp, Messenger, e os que eu não tinha contato. Pedi para me ajudarem a compartilhar, como uma corrente do bem e foi quando vizinhos do bairro disseram que viram um gato parecido com ela, saindo e entrando no bueiro que fica no final da minha rua de madrugada, muito assustada".

Junto com o alívio de talvez ser a Sabrina, veio uma nova preocupação:

"Fomos até o local para ver se era verdade, e sim, era ela. No entanto, ficamos duas semana tentando resgatá-la porque ela não queria sair do bueiro... estava amedrontada. Então todo dia íamos até o bueiro, conversávamos com ela, dávamos comida e água. Também levávamos lanterna para mostrar a luz e o caminho de saída para ela. Então, para a nossa felicidade, ela finalmente resolveu sair e foi para os braços da minha mãe, pedindo carinho. Já levamos no veterinário, fez todos os exames e, graças a Deus, ela está bem e em nosso lar!".

Débora acredita que Sabrina ficou vivendo no bueiro por três semanas. Essa atitude da gatinha é fácil de entender quando olhamos para seu passado. Sabrina foi vítima de maus-tratos e Débora a resgatou muito machucada. A triste experiência reforçou em Sabrina um comportamento extremamente medroso e desconfiado que, provavelmente, fez ela buscar abrigo num bueiro e relutar em aceitar ajuda até mesmo de pessoas conhecidas.


Um grande erro dos tutores ao procurarem seus gatos é  presumirem que o animal não está "acostumado" a fazer isso ou aquilo. Assim, deixam de checar pontos onde pode estar escondido, acuado e até ferido esperando ser achado. Muitos também deixam a procurar nos locais mais próximos.

Débora não imaginou que sua gatinha estaria num bueiro da sua própria rua. Da mesma forma, muitos tutores não imaginam que seus gatos podem ter entrado numa casa com cachorros, num forro de telhado ou se escondido em alguma casa vazia ou habitada. 

Meu gatinho também se perdeu num bueiro

Quando eu era criança tive também um gato que se perdeu dentro de um bueiro. Desapareceu por duas semanas até que ouvimos um miado agudo vindo do bueiro do quintal que era bem fundo. Minha mãe imediatamente quebrou com um martelo a grade do bueiro para que ele pudesse sair. O gatinho foi escalando as paredes do bueiro com as unhas já que a sujeira e o lodo davam a ele algo em que se segurar para subir.

Estava puro osso e imundo. A gente acredita que ele entrou num bueiro da rua, talvez atrás de algum rato, e lá dentro se perdeu entre as várias ramificações. Assim, pode ter seguido por várias tubulações tentando achar uma que desse na nossa casa ou por onde ele conseguisse vir pro solo. Felizmente conseguiu, mas também poderia ter morrido até mesmo afogado se não o tivéssemos ouvido.

Por isso, bueiros são locais que devem ser checados quando os gatos se perdem por mais que pareça improvável o gato ter se enfiado num deles. Fica a dica.

Procurando Gatos Perdidos

Administro o grupo do Facebook "Gatos Perdidos e Encontrados em SP" que tem muitas dicas para os tutores procurarem seus amados gatinhos e também vários relatos de quem conseguiu achar o gato. Basta acessar o grupo AQUI e verificar nos albuns de fotos.

Além disso, também presto consultoria personalizada pelo whats app:



Texto: Fátima ChuEcco

Autora do clássico "Mi-Au Book - Um livro pet-solidário" que reuniu cães e gatos do Brasil e exterior e teve em sua segunda edição a participação de Brigite Bardot. Jornalista ambientalista, especializada em animais de estimação e, principalmente, em GATOS!
Desenvolve fotolivros literários com crianças e animais. Seu gatinho também pode ter um Mi-Au Book  todinho inspirado nele. Saiba mais no site www.miaubookecia.com 



sexta-feira, 30 de julho de 2021

Se o mercado de trabalho despreza sua bagagem, faça vc mesmo bom uso dela


Pessoas com mais de 50 sofrem os mesmos preconceitos que as com mais de 60, revela pesquisa

Você já chegou à casa dos 50 e sentiu que, por causa da idade, não foi chamado para uma entrevista de emprego que tinha "a sua cara"? Nesse caso é possível que tenha sido vítima do "Etarismo" ou preconceito pela idade ou faixa etária.  

Ao contrário do que muita gente pensa, essa triste conduta, muito forte no mercado de trabalho, já não é mais dirigida apenas as pessoas com mais de 60 ou 65 anos, mas também a quem ainda não chegou na terceira idade, conforme mostra pesquisa muito bem relatada na matéria do UOL que pode ser acessada AQUI

Na pesquisa com pessoas na faixa dos 50 ficou claro que muitas são alvo de falta de respeito, agressões e humilhações por serem consideradas "velhas", apesar de terem muita disposição e conhecimento para o trabalho e para inúmeras atividades.

Caso você esteja trabalhando fora de casa faça um exercício simples: observe seus colegas de trabalho. Quantos tem mais de 50 anos e quantos tem menos de 45?

A discriminação nem sequer é discreta. Os formulários de emprego exigem que as pessoas coloquem sua idade e em muitos anúncios de vagas pedem que os candidatos sejam "jovens" ou tenham entre 20 e 30 e poucos anos. E ainda que vc minta sua idade ela virá à tona na entrevista presencial.

Quantos profissionais com experiência e reciclagem, com um belo e consistente currículo, não param diante do espelho e se perguntam: mas por que não fui chamado se tenho todos os quesitos da vaga?

E é do espelho mesmo que vem a resposta, afinal, a imagem refletida não é de uma pessoa que a sociedade considera "apta" para o mercado de trabalho, salvo raras exceções quando a empresa valoriza profissionais maduros.


Qual a solução?

Se o mercado de trabalho não valoriza sua bagagem faça vc mesmo bom uso dela

A solução, curiosamente, não é a "entrada", mas a "saída" do mercado de trabalho para não depender de "emprego", principalmente se a pessoa ainda não pode se aposentar e precisa ter renda própria para sobreviver. 

Navegar contra a corrente é desgastante, gera baixa autoestima e esse sentimento de impotência no mercado de trabalho se junta ao tratamento preconceituoso que a pessoa também já enfrenta no seu dia a dia no lugar onde vive e nos lugares que frequenta.

Por isso que cada vez mais cresce o número de microempreendedores individuais, os chamados "MEIs". Assim, quem conhece bem um assunto pode se tornar um palestrante ou consultor independente. Quem tem algum hobby ligado à artes ou artesanato pode transformar isso em fonte de renda. Alguns aprendem novas profissões onde também podem atuar como autônomos. Quem cozinha bem passa a vender comida e  etc etc etc...

As pessoas com mais de 50 precisam se reinventar, ainda mais que as com menos idade, para criar formas de trabalhar por conta própria e, além disso, devem fortalecer seu lado espiritual  para viver de cabeça erguida perante tanto preconceito. 

E menciono tudo isso sem esbarrar na questão do "gênero" porque daria muito pano pra outra manga. Basta lembrar que homem grisalho é visto "culturalmente" como charmoso, mas a mulher que não pinta seus cabelos brancos é frequentemente vista como "desleixada" e nunca como "atraente".

Então fixando neste texto a questão da idade apenas no campo profissional a sugestão é: 

Não fique batendo a cabeça num campo de batalha onde seus talentos, conhecimentos e experiência contam menos pontos que sua idade. Não precisa desistir de buscar emprego (vai que uma hora dá certo!), mas não estacione na ideia de que vc só pode sobreviver (e vencer) sendo funcionário.

Olhe para dentro de si mesmo. Qual a luzinha bem lá no fundo do seu ser que nunca se apaga? 

Tem algo que te emociona fazer, que é sua paixão, que é seu desejo desenvolver desde sempre? Quem sabe não é chegada a hora de transformar essa luzinha num "clarão"?

Você gostaria de ser avisado sobre a 

LIVE "Ser Jornalista e Sobreviver por conta própria"?

Então notifique seu interesse pelo email fatimachueccojornalista@gmail.com


Fátima ChuEcco - Jornalista e Escritora 

Autora do clássico "Mi-Au Book - Um livro pet-solidário" que reuniu cães e gatos do Brasil e exterior e teve em sua segunda edição a participação de Brigite Bardot. Jornalista ambientalista, especializada em animais de estimação e, principalmente, em GATOS!
Desenvolve fotolivros literários com crianças e animais. Seu bichinho também pode ter um Mi-Au Book  todinho inspirado nele. Saiba mais no site www.miaubookecia.com  










domingo, 25 de julho de 2021

Assistam "O Gato que Veio do Espaço" na Disney Plus. Uma graça!!!


O gatinho desse filme  é um ótimo ator e a história é muito interessante e divertida. "O Gato que Veio do Espaço" é uma "pérola" de 1978. O filme é inspirado no livro de mesmo nome do escritor e cartunista Ted Rey. Um dos atores é Jonathan Harris, que interpretou o Dr Smith em "Perdidos no Espaço" e ele faz de novo um personagem um tanto "atrapalhado".


Uma nave pilotava por um gatinho pousa na Terra, mas ele não é uma cobaia não! Ele é de fato o piloto e vem de um mundo onde os gatos são a espécie mais evoluída. Com os humanos ele se comunica por telepatia e usa uma coleira cheia de poderes incríveis.


Embora o enredo até pareça o de um filme infantil, está mais para aquele gênero considerado "para toda a família". É leve, bonitinho, fofinho... tudo que gateira gosta. Mas tem bastante emoção também.


Dêem um desconto para algumas cenas em que a gente percebe que se trata de um boneco, como quando o gatinho está pilotando um avião. Mas 43 anos atrás não havia a tecnologia  dos filmes de hoje. De qualquer forma, o filme é bem alinhavado e é uma delícia ver o gatinho em cena.

Eu vi na DisneyPlus, mas talvez tenha em outras plataformas ou no youtube.





quarta-feira, 21 de julho de 2021

Cães de abrigos chineses sofrem com a maior chuva dos últimos mil anos


Ativistas chineses se uniram na missão de salvar centenas de cães de abrigos invadidos pela água. As enchentes, no momento, afetam não só países europeus, como também a China. O grupo parceiro da Humane Society International (HSI) na China, Fang VShine, está coordenando uma ação emergencial junto com a Capital Animal Welfare Association de Pequim para ajudar cães que lutam para se manterem vivos. Acredita-se que é a maior chuva em mil anos no período de 24 horas naquela região. Muitos desses animais, que já sofreram tanto e quase foram mortos nos festivais de carne da China, agora enfrentam mais uma prova de sobrevivência.

Veja mais fotos postadas no facebook do grupo  Fang VShine:




Fátima ChuEcco Jornalista/Escritora

Veja como vive hoje Huru, sobrevivente do festival de carne de Yulin, na China

A história de Huru é uma das mais lindas e impressionantes porque ele foi salvo pouquíssimo tempo antes de ser brutalmente morto num matadouro de Yulin (China) que mata cães e gatos para vender suas carnes. O resgate foi um dos mais tensos que ativistas chineses, unidos com a Humane Society International (HSI), enfrentaram. 

A foto de Huru agarrado as grades do matadouro rodou o mundo e motivou sua salvação junto com outro gatinho e mais dois cães. 


Mais detalhes desse momento "histórico" da causa animal você pode ler em outra matéria acessando AQUI, que tem mais fotos de Huru na data de seu resgate e, mais tarde, vivendo num lar com vários outros gatos, além de saber tb o que houve com os outros três resgatados.

O Dr Peter J. Li, especialista em Direitos dos Animais e Política Ambiental da HSI na China e que participou do resgate, postou em seu Facebook fotos atualizadas do gatinho que, depois de atravessar o inferno onde assistia outros gatos serem mortos, agora vive no Reino Unido. As fotos foram cedidas por Jane, que adotou Huru quando ela ainda vivia nos Estados Unidos e já tinha outros seis gatos.


Veja o que ele escreveu esses dias em sua rede social:

"Huru, o gato que escapou do massacre. Huru foi resgatado pela Humane Society International de um matadouro Yulin. Chegou aos Estados Unidos e foi adotado por uma família amorosa na Virgínia, que mais tarde foi para o Reino Unido. Veja a nova casa de Huru. Que menino feliz. Cada vez que vejo as novas fotos de Huru, fico muito grato aos pais de Huru, Jane Sawtell-Fearn. Huru tem um recinto especial ao ar livre para ele e seus irmãos felinos. A vida feliz de Huru apoia o argumento de que não somos capazes de ajudar todos os animais do mundo, mas se ajudarmos um, sua vida mudará 100%. Obrigado Jane Sawtell-Fearn por amar Huru. Posso ver que ele não poderia estar mais feliz"


Fotos: Facebook Peter J. Li

Texto de : Fátima ChuEcco

Autora do clássico "Mi-Au Book - Um livro pet-solidário" que reuniu cães e gatos do Brasil e exterior e teve em sua segunda edição a participação de Brigite Bardot. Jornalista ambientalista, especializada em animais de estimação e, principalmente, em GATOS!
Desenvolve fotolivros literários com crianças e animais. Seu gatinho também pode ter um Mi-Au Book  todinho inspirado nele. Saiba mais no site www.miaubookecia.com



Emergência: um gato atropelado, outro espancado e filhotes abandonados. Veja como ajudar!

Essa semana tem sido muito dura para a protetora Patricia Louana Masiero que já cuida em SP de mais de 100 gatinhos, sendo 14 deficientes físicos.  Apesar de toda dificuldade que ela tem enfrentado para cuidar de tantos bichanos, esses dias ainda socorreu, no bairro do Tucuruvi, um gato atropelado que se arrastava numa calçada, uma gatinha espancada e alguns filhotinhos.

Por isso ela apela para quem puder ajudar com qualquer quantia e, claro, ração, medicamentos... tudo que possa ajudar nessa nobre missão que ela abraçou. 

Patrícia é jornalista, mas abandonou a profissão para se dedicar ao resgate de gatos. Muitos são colocados para adoção, outros, devido as limitações de saúde ou de movimento, permanecem com ela.

A crise econômica derrubou muita doação financeira e tb adoção de animais. Patrícia precisa urgente de novos colaboradores. O PIX é 894.343.150-34



Vejam o desabafo da protetora:

"Não tem fim! A gatinha preta foi encontrada molhada, com a boca sangrando, sem andar e espancada! Também abandonaram a 15 metros da minha porta alguns filhotes. Um foi atropelado. O dono do bar deu sardinha e vieram me pedir ajuda. E daí? Deixo lá pra morrer de frio e atropelados ou recolho em casa mesmo sem condições? Uma mulher abriu a porta do carro e jogou eles, simples assim".

Sobre o gatinho amarelo:

"Foi atropelado e estava se arrastando com a coluna quebrada. Mesmo sem condições, jamais fecharia os olhos pra um anjo nesse estado! Uma mulher ainda jogou água para espantar ele mesmo vendo ele naquele estado. É provável que não possa andar mais".
Para conhecer o trabalho da Patrícia visite seu facebook acessando AQUI e o Instagram de seu projeto

quinta-feira, 15 de julho de 2021

Safira é o primeiro animal paraplégico a estampar um produto pet




Beleza é que não falta na Safira, mas seria pouco provável ela ser "modelo" de uma marca do ramo pet já que é também paraplégica. No entanto, ao vencer o concurso "Astro ProGato", de uma empresa de granulados higiênicos para gatos, Safira teve com um dos prêmios, estampar a embalagem de um novo produto biodegradável.

O passado de Safira é tão tenebroso que custa associar sua imagem atual, tão cheia de luz e energia, com a gatinha que, com apenas cinco meses de idade foi estuprada tendo também coluna e femur quebrados. Ela foi resgatada há cinco anos por Patti Louana Masiero, fundadora do Projeto Perfeitos_e_Especiais, localizado em SP. 

A recuperação de Safira - praticamente um milagre - só foi possível graças à ajuda de muitas pessoas que atenderam o apelo de Patti para o pagamento de inúmeros tratamentos e cirurgias.

Ensaio fotográfico para a ProGato

Como sequela, Safira ficou paraplégica. Por ser uma gata vistosa e muito fotogênica, Safira passou  a participar de concursos de beleza vencendo alguns. 

Ao longo dos anos foi também ganhando muitos fãs que procuram ajudar o Projeto que tem ainda outros 14 gatos  paraplégicos e 30 especiais (cegos, amputados e com outras deficiências). Ao todo são mais de 100 animais em busca de adoção.

Leonardo Jorge de Moraes, comunicador da ProGato (RS), explica que o objetivo do concurso foi obter um "gato modelo" que criasse mais empatia com o público consumidor: "Geralmente são usadas nas embalagens fotos de bancos de imagens, mas queríamos algo que pudesse aproximar mais o consumidor do produto. Fizemos um ensaio fotográfico com a Safira para escolher a foto que estampará o Granulado Higiênico BioBomPerfumado".

Ensaio Fotográfico para a ProGato

Segundo Leonardo, o produto é biodegradável e 100% a base de cereais podendo ser descartado no vaso sanitário. Mas além dessa novidade, que ele denomina de "eco-amistosa", a grande "sacada" é lançar o "primeiro" produto do segmento pet com um animal deficiente físico como "modelo" na embalagem. 

E, de fato, isso é uma iniciativa "inédita" muito importante rumo à inclusão!

Patti sabe bem como  é custoso recuperar um animal que sofreu maus-tratos que resultaram em alguma deficiência permanente ou um animal que foi abandonado justamente por ter alguma deficiência genética ou adquirida devido alguma doença, idade avançada ou acidente.


Patti com Safira. Arquivo pessoal

Depois da recuperação vem o esforço para doação desses animais a quem realmente se importe com eles. Essa nova conquista da Safira inaugura um novo olhar no setor de produtos para pets que pode motivar outras iniciativas semelhantes. Conheça melhor o Projeto acessando AQUI e https://www.instagram.com/perfeitos_e_especiais/ 

O "BioBom Perfumado" encontra-se em fase de produção e as gateiras (os) podem acompanhar esse e outros produtos da empresa pelo site www.progato.com.br e https://www.instagram.com/progato/  A ProGato doa granulados à ONG da Safira.

Fotolivro da Safira: Ajude o Projeto Perfeitos_e_Especiais

Ao mesmo tempo em que vira "modelo" de granulado higiênico para gatos, Safira estreia como protagonista do fotolivro "Perfeitos_e_Epeciais - Incríveis histórias de superação miadas por Safira e seus irmãos de coração" que vai contar um pouco da sua jornada e de alguns de seus "irmãozinhos" da ONG, numa linguagem bem-humorada  de quem sobreviveu à maldade humana com muita "garra" (literalmente falando). 

O fotolivro é todo "miado", mas não se preocupe: acompanha tradução.

Seu bichinho tb entra no fotolivro!

Com capa dura e fotos coloridas em papel de altíssima qualidade, o livro terá ainda uma novidade: quem comprar terá direito a 1 ou 2 páginas para incluir as fotos e um resuminho da vida de seu bichinho no livro. Outra ação inédita na jornada dessa gatinha!

E MAIS: Você escolhe a capa entre várias opções! Abaixo sugestões de capa e contracapa.



A obra será desenvolvida pela minha editora Mi-Au Book & Cia que, no ano passado, lançou  o fotolivro "Paçoca Gatto & Cia - Diferentes e Felizes" também sobre um gatinho paraplégico conhecido no Brasil todo.

O fotolivro da Safira encontra-se em produção, mas como será edição limitada, já está aceitando pedidos de reserva pelo whats app da Mi-Au Book & Cia 11 94682-6104. O contato não implica em pagamento de valores, apenas solicitação de reserva para que a gente possa se programar.



Fátima ChuEcco - Jornalista e Escritora 

Jornalista ambientalista, especializada em animais de estimação e, principalmente, em GATOS! Autora do clássico "Mi-Au Book - Um livro pet-solidário" que reuniu cães e gatos do Brasil e exterior, e teve em sua segunda edição a participação de Brigite Bardot.
Desenvolve fotolivros literários com crianças e animais. 





segunda-feira, 12 de julho de 2021

Coisas que vc precisa fazer caso tenha perdido seu gato


Primeira coisa: descruzar os braços. Administro um grupo bem movimento de Gatos Perdidos e Encontrados em SP e percebo que, lamentavelmente, muitas pessoas postam nas redes sociais, colam cartazes na vizinhança e depois cruzam os braços apostando que alguém vai ver e entregar o gato.

As postagens e cartazes são essenciais, mas o gato pode estar preso em algum lugar da onde só vai conseguir sair se o tutor procurar muito, falar com muita gente e pedir pra vizinhança checar em quartinhos de fundo, porões, sótãos, forro de telhado e garagens. 

Sem falar que o gato tb  pode ter ficado acidentalmente preso em algum imóvel que está vazio ou abandonado.


Outra coisa que faz algumas pessoas cruzarem os braços é a "recompensa". Acreditam que oferecendo dinheiro a vizinhança vai sair procurando o gato e então está resolvido o problema. Mas de que adianta recompensa se o gato estiver preso em algum lugar onde ninguém consegue vê-lo? 

Outro erro comum é postar foto do gato perdido sem dizer em que estado, cidade e bairro se perdeu. Para uma postagem funcionar é muito importante citar inclusive algumas ruas da região.

Nos grupos de animais para adoção, tem que procurar posts de gatos que foram resgatados e estão sendo doados. Várias pessoas socorrem gatos atropelados, feridos ou passam a alimentar gatos que apareceram de repente na rua sendo que um deles pode ser o seu!

Então não basta postar o gato perdido. Tem que olhar, e olhar muito, os posts sobre gatos que foram "encontrados", inclusive, em bairros distantes da sua casa porque pode ter acontecido do seu gatinho ter entrado no motor de um carro e parado muito longe.


Poste o sumiço do seu gato e, ao mesmo tempo, procure-o em grupos de animais para adoção ou perdidos. Dê uma boa sondada no grupo Gatos Perdidos e Encontrados em SP que administro. 
Acesse AQUI

Nesse grupo tem dois albuns de fotos com dicas para encontrar gatos perdidos. Tenho também um grupo mais recente chamado "Acho que vi um gatinho perdido" específico para quem recolheu ou tem ajudado um gato perdido. Acesse AQUI

Resumindo: faça postagens com dados completos, espalhe cartazes e procure muito na vizinhança. Para quem pode oferecer recompensa, meu conselho é investir esse dinheiro em, por exemplo, empresas que disparam alertas atingindo mais pessoas do que vc seria capaz de atingir, como a AlertPet, em cujo blog escrevo histórias com finais felizes e dicas para encontrar animais perdidos... ou invista na minha consultoria personalizada, onde faço uma análise da personalidade do gato e perfil da vizinhança para traçar um estratégia de busca mais assertiva para qualquer lugar do Brasil.


Fotos: Pixabay Free

Texto: Fátima ChuEcco

Autora do clássico "Mi-Au Book - Um livro pet-solidário" que reuniu cães e gatos do Brasil e exterior e teve em sua segunda edição a participação de Brigite Bardot. Jornalista ambientalista, especializada em animais de estimação e, principalmente, em GATOS!
Desenvolve fotolivros literários com crianças e animais. Seu gatinho também pode ter um Mi-Au Book  todinho inspirado nele. Saiba mais no site www.miaubookecia.com 



Urgente: Doe ração para 130 gatos numa situação crítica em SP

Ajude comprando pela internet ou diretamente na Canto Lindo Pet Shop avisando que é para o Projeto Perfeitos e Especiais que abriga 130 gato...