sábado, 21 de maio de 2022

Terra de Gigantes: série dos anos 60/70 é genial e tem na Oldflix


Quem assistiu Terra dos Gigantes quando era criança ou adolescente certamente se lembra bem porque a série era simplesmente sensacional. Uma ótima ideia do cineasta Irwin Allen (já falecido) com um excelente roteiro resultaram numa série inesquecível.

 Vale lembrar que são do Irwin outras séries geniais como "Túnel do Tempo", "Perdidos no Espaço" e "Viagem ao Fundo do Mar".

Curiosamente, Terra de Gigantes não teve reprise na TV como A Feiticeira e outras da mesma época, mas atualmente pode ser vista na plataforma da OIldflix com ótima qualidade de imagens e na versão dublada ou legendada.

E gente... vale muito a pena! Já nos primeiros capítulos a gente percebe que trata-se de um trabalho muito minucioso, de muita ação... e aflição também porque torcemos o tempo todo pela tripulação da nave que caiu numa Terra de Gigantes. 

As roupas, a trilha sonora, os personagens e até o cachorrinho 🐶... Tudo tão gostoso de ver ou rever!

Aliás, que elenco bonito... as mulheres parecem bonecas. 

O ator Don Matheson, que interpretava Mark, casou-se na vida real com Deanna Lund que fazia o papel da Valerie (foto abaixo). Ambos já faleceram aos 84 e 81 anos respectivamente.


Ainda vivos estão Gary Conway (Capitão Steve Burton), Heather Young (comissária de bordo Betty) e Stefan Arngrim que fazia o garotinho Barry acompanhado por seu cãozinho Chipper.

Destaque para o episódio "Cidade Fantasma" em que os personagens vão parar numa maquete. Muito bom esse episódio!!!

Agora... querem saber o que aconteceu com o elenco depois de tantos anos? Nesses vídeos mostra:




Veja também como estão HOJE os atores da série "Túnel do Tempo". Acesse a matéria AQUI

Texto: Fátima ChuEcco, jornalista e escritora

quarta-feira, 18 de maio de 2022

Ronny e Gigi, da África do Sul, em momento artístico-intelectual

 


Aqui estão dois cachorrinhos que foram adotados juntos na África do Sul: Ronny e Gigi. Nessa imagem eles estão num momento de atividade intelectual e criação artística. Uma cena digna para ilustrar um AU-AU Book colorido e divertido só deles. Seus cachorrinhos também podem ter um fotolivro de luxo (capa dura) com uma historinha exclusiva inspirada nas melhores fotos deles. 

Conheça os modelos, preços e veja depoimento de quem já fez acessando www.miaubookecia.com

domingo, 15 de maio de 2022

Túnel do Tempo: série com 56 anos continua atual e pode ser vista na Oldflix


Começo avisando que os protagonistas da série "Túnel do Tempo" estão vivos.  Robert Colbert, que interpretava o Dr Doug, tem 90 anos e continua comparecendo aos eventos dos fãs da série exibida na TV entre 1966 e 1967. James Darren, que interpretava o cientista Tony, está com 86 anos e, depois de fazer outros filmes decidiu mergulhar na carreira de cantor lançando alguns albuns. 

Vejam as fotos do antes/depois dos atores incluindo atriz Lee Meriwether (hoje com 87 anos) que também é personagem da série:


A série trata de um sofisticado laboratório construído para transportar pessoas através do tempo - teve inspiração no filme "Passagem para o Furturo" de 1964. O Dr Doug e Tony acabam testando o mecanismo antes de sua conclusão e ficam presos em fatos ocorridos no passado. Eles também viajam para o futuro em vários episódios. 

A série é GENIAL! O roteiro é muito - mas muito bom - e bem avançado para a época em que a série foi exibida. 


Claro que as cenas são compatíveis com o nível da indústria cinematográfica da época não podendo ser comparadas aos seriados que contam com a tecnologia que temos hoje e que dão muito mais realismo a diversas situações. 

Inclusive as lutas corporais e as falas dos atores carregam em certo "ar" teatral, comum em todas as séries dos anos 60. Mas a história é boa e continua atual chegando a ser bem mais interessante e dinâmica que o enredo de vários longas metragens que abordam essa mesma temática de viagem no tempo.

A Oldflix já tem as duas temporadas de Túnel do Tempo e de outras séries criadas e dirigidas pelo GÊNIO  Irwin Allen (foto), conhecido como "O mestre do desastre" por suas produções focadas em catástrofes como "Inferno na Torre" e "O destino de Poseidon".


Irwin Allen morreu aos 75 anos e seu legado inclui séries que marcaram profundamente toda uma geração. Além de Túnel do Tempo são dele a deliciosa e inteligente "Terra dos Gigantes", "Viagem ao Fundo do Mar" e o seu maior sucesso "Perdidos no Espaço" - todas à disposição na Oldflix.

Aliás, Robert Colbert também aparece em episódio de Terra dos Gigantes. James Darren fez aparição em As Panteras muitos anos depois e seu último trabalho foi no filme "Lucky" de 2017. Irwin escolheu Darren como protagonista de uma outra série chamada "O homem do século 25" que teria início em 1968, mas que não vingou. Saiba mais sobre esse ator em www.jamesdarren.com 


Embora alguns trechos da série possam ser vistos na Internet livre, a qualidade nem se compara com a Oldflix. Na Oldflix a imagem é ótima e tem opção de assistir os episódios dublados ou legendados.

Vale comentar ainda sobre a trilha sonora que acompanha o movimentos das cenas e passos dos atores. Dá uma nostalgia! Querem matar a saudade da "musiquinha"? Então vejam a abertura da série:


Texto: Fátima ChuEcco, jornalista e escritora

domingo, 8 de maio de 2022

Cachorrinha Folgada da novelas das 7: ninguém sabe da onde veio e nem pra onde vai!


A vira-lata da novela "Quanto Mais Vida Melhor" (foto) encantou a cada capítulo pela sua naturalidade e simpatia. Tentei saber se ela é de alguém do elenco, se veio de um abrigo ou de um adestrador. Não encontrei nada! As únicas matérias sobre essa cadelinha apenas falam do papel dela na novela.

Infelizmente, no Brasil, nem sempre cachorro e gato são reconhecidos. Sequer são citados entre o elenco. Claro que não estou falando de animais torturados para participarem de novelas e filmes, mas dos que a gente sabe que agem naturalmente  nas gravações tendo seus melhores ou mais significativos momentos inseridos nas cenas que vão ao ar.

Muita gente acha que animal em filme ou novela é pura exploração. Bem... em alguns casos ainda é e temos que combater isso, mas em vários países é obrigatório que membros de entidades de defesa animal acompanhem as filmagens e, inclusive, reparem: muitos filmes com animais tem, no letreiro final,  nome verdadeiro deles e citação das entidades que fiscalizaram as cenas.

"Um Hotel Bom Cachorro" - que é maravilhoso - mostra no final cada um dos inúmeros cães que participaram do filme ao lado de seus tutores. Esse filme aborda as "Carrocinhas" que até hoje, em pleno século 21, ainda existem nos EUA. É uma crueldade o "controle animal" americano.

Por isso, cada cãozinho convocado para um filme tem a sorte de não ser morto num abrigo. Vale lembrar que nos EUA há dois tipos de abrigos que os próprios americanos denominam assim: os que matam e os que não matam.


Por isso vejo como benéfica essa tendência no mercado cinematográfico: os animais de abrigos estão cada vez mais sendo convocados para os filmes e séries estrangeiros, e sempre acabam adotados por alguém do elenco ou da produção. 

Foi o que aconteceu com a cachorrinha Shelby (nome verdadeiro) do filme "A caminho de casa" (Netflix) que, além de adotada ainda foi engajada numa campanha nas escolas para  arrecadas ração e motivar amor das crianças pelos animais. Leia a matéria AQUI


O gatinho que faz o personagem Goose no filme "Capitão Marvel" idem. Também era de abrigo e foi adotado ao final das filmagens. Veja AQUI


No encantador espanhol "Dezessete", que pode ser visto na Netflix, o cãozinho foi adotado pelo ator principal do filme. Ele gravou vídeos com o cãozinho já vivendo em sua casa e com isso derreteu o coração de milhares de fãs.

Aliás, Dezessete é um dos melhores filmes com animais que vi nos últimos tempos. Conta a história de um rapaz tentando se regenerar na companhia de um cão de abrigo. É lindo esse filme e também muito engraçado. Ah... e o cãozinho acompanhou o elenco numa premiação (foto abaixo). Leia mais AQUI


Texto: Fátima ChuEcco - jornalista, escritora, fundadora da BuscaCats - Consultoria Especializada em Gatos Perdidos e da Mi-AU Book & Cia - Editora de Fotolivros



sexta-feira, 6 de maio de 2022

Emocionante! Vitório fez juz ao nome ao ser personagem de fantásticos resgates!


Primeiro ele foi resgatado das ruas com problemas neurológicos, provavelmente causados por envenenamento. Perdeu o senso de direção. Foi colocada uma casinha para ele entre os gatos residentes do Parque Independência (SP) onde estava recebendo tratamento, mas dois dias depois... cadê o Vitório?

A médica psiquiatra Ana Lúcia Takata Pontes estava saindo de seu prédio quando avistou um gatinho andando em círculos na rua. Notou que havia algum problema com ele e que havia grande chance dele ser atropelado, então o resgatou.


Vitório ficou internado para ser hidratado e fazer diversos exames. A suspeita de problema neurológico era evidente, mas de resto o gatinho estava bem. Ana já tem dois gatos e me contatou para saber como poderia descobrir se o gatinho (até aquele momento sem nome) era de alguém do bairro do Ipiranga.

E foi nesse instante que algo incrível ocorreu. Ao enviar a postagem do gato para várias protetoras, uma delas, a Leninha, da ONG "Gatos do Ipiranga", achou que podia ser um gatinho recém-resgatado e que havia sumido do Parque. Ela foi até o hospital onde Vitório estava e bingo! Era ele mesmo!


Dá pra dizer que que Vitório ganhou na loteria ao ser resgatado duas vezes?

Ainda não. Digamos que foi sim "premiado" pelo destino, mas o grande prêmio ainda estava por vir.

É que ao Vitório só restaria retornar ao Parque já que não havia nenhum adotante para ele em vista. Mas a médica resolveu oferecer um "lar temporário".

Calma que ainda não acabou!

O comportamento de Vitório com Ana foi de gratidão total:

"Ele colocava o rosto dele no meu e literalmente me abraçava. Estava muito agradecido".


O receio da médica, no entanto, era os outros dois gatos, Spencer de 11 anos e Julieta de 7 anos, rejeitarem o "hóspede". Afinal, a gente sabe que quando gato não gosta significa que não gosta mesmo e dá "arranca rabo" na certa.


"Deixei Vitório separado dos outros gatos por quatro dias nos quais ele melhorou muito. Foi engordando e adquirindo mais equilíbrio. Mas ele não queria ficar isolado, então o soltei na casa e me surpreendi. Com Spencer ele se deu bem e com a Julieta ainda está em fase de adaptação, ou seja, ainda rola um `fuuuu` de vez em quando, mas nada grave", conta Ana.


Diante desse cenário tranquilo, sabem o que aconteceu? Vitório ganhou um lar definitivo. E agora sim dá para dizer que ele ganhou na loteria depois de dois resgates.

E tem se recuperado cada vez mais:


"Vitório faz acupuntura uma vez por semana. Não havia muita esperança dele subir nos móveis devido ao seu problema neurológico, mas ele já faz isso. Não pula alto, mas sobe em tudo e brinca. Notei também que agora ele só anda em círculos quando está um pouco preocupado ou agitado na presença de uma visita estranha, por exemplo".

Fabuloso o que o remédio chamado Amor faz.😻💑

"Sou apaixonada por ele. É muito carinhoso e me segue em todo lugar. Até tropeço nele porque ele corre atrás de mim e me atravessa. Acho que tem medo que eu vá embora. Meu marido está supergrude no Vitório também".

Vale a pena ver Vitório brincando:


EM TEMPO:

AJUDE a ONG Gatos do Ipiranga que foi quem primeiramente ajudou Vitório. Faça doação de ração, medicamentos ou em dinheiro. É um importante e sério trabalho. Conheça melhor acessando o instagram @gatosdoipiranga

O Vitório agradece!


Texto: Jornalista e Escritora Fátima ChuEcco que presta consultoria sobre gatos perdidose desenvolve fotolivros com animais e crianças.

Site www.miaubookecia.com 

Blog http://buscacats.blogspot.com 




quinta-feira, 5 de maio de 2022

Relato dramático da ONG que resgata animais na Ucrânia. Veja Vídeo dos sobreviventes.


Eles estão andando atordoados por ruas bombardeadas na cidade de Kherson, desde quando Putin invadiu a Ucrânia e começou a mirar prédios residenciais. Perderam suas famílias: elas fugiram ou morreram. A única esperança desses animais é um grupo de voluntários que arrisca a própria vida para dar-lhes alimento e, quando possível, levar para um abrigo. E cada dia é muito, mas muito incerto.

Vejam o relato na página da ONG  Shelter Kherson do Facebook https://www.facebook.com/shelterkherson/

"No momento Kherson ainda está sob ocupação russa. Agora estamos com muito medo porque não sabemos o que vem a seguir. Mas graças aos nossos animais temos forças para viver, apesar do que está acontecendo! Eles precisam muito de nós, somos a única casa deles, somos nós que recebemos todo o seu amor e, em troca, estamos prontos para mover montanhas, enquanto eles viverem!

Não importa o que aconteça, não importa o quão difícil e perigoso seja - nós nunca vamos DESISTIR!"

O grupo tem também Instragam https://www.instagram.com/shans_kherson/

Ah... o cãozinho da foto, o Mark, não é vítima da guerra. Foi resgatado há um ano e é ele que cuida dos gatos no abrigo. Muito lindo!!!

Vejam o vídeo que fiz em 3 idiomas (português, inglês e ucraniano) e ajudem compartilhando por favor!


Texto: Fátima ChuEcco, jornalista, escritora e fundadora da Editora MI-Au Book www.miaubookecia.com e da BuscaCats @buscacats

quarta-feira, 4 de maio de 2022

Evento Pet-Solidário: Desfile de cães para adoção, Tenda Kids, vacinação e muito mais dia 7 de maio!

 


Quer adotar um cachorro ou gato já vacinado, castrado e com RG Animal? Então não perca a Festa de Adoção do dia 7 de maio, próximo sábado, nas instalações do antigo Centro de Zoonoses (Santana). Haverá uma homenagem ao Dia das Mães logo cedo às 10h da manhã e às 12h um charmoso desfile dos cães que estão para adoção. Os cavalos resgatados desfilam as 14h e os cães da CGM às 15h.
Tem ainda a Tenda Kids com jogos de tabuleiro, pintura facial, escultura de balão, teatro e a Casa dos Bichos.
Mas é claro que a grande atração são os bichinhos que estarão com o coração pulsando forte na esperança de um lar. Tem de todo tamanho, idade e personalidade. CERTEZA que cabe pelo menos um deles no seu coração.



terça-feira, 3 de maio de 2022

Mais um capítulo de "Uma pata lava a outra" na busca de gatos perdidos


 A gatinha Liz, de SP, protagonizou mais uma daquelas histórias desesperadoras em que o tutor acredita que seu bichano, simplesmente, evaporou... de uma hora para outra! E é estrela também de mais um capítulo da Série "Uma pata lava a outra" que costumo contar quando, ao procurar por seu gato perdido, o tutor acaba salvando outro gatinho.

Foi no mês de março deste ano que Lenira Diaconiuc encontrava-se aflita com o sumiço de sua gatinha. Já tinha revirado seu quarteirão inteiro atrás dela sem qualquer sinal, sem nenhum pelinho sequer deixado para trás e que poderia servir de pista.

Como os gatos, diferentes dos cães, não saem andando pelo bairro - a não ser que entrem no motor de um carro - com a Liz não foi diferente. Ela estava numa casa distante apenas 300 metros da sua e na companhia de outro gato. 

A gatinha de sete meses é castrada, mas isso não a impediu de fazer amizade com um gato bem bonito das redondezas e seguí-lo.

Isso mesmo! Liz estava vivendo na casa de outro gato sem dar satisfação a ninguém. 

É bom salientar que a castração não muda personalidade e nem neutraliza a "adolescência" dos gatos. Os jovens, aventureiros e caçadores podem continuar querendo ir para a rua, por isso, só mesmo a tela de proteção nas casas podem impedir que escapem e corram riscos.

Mas como Liz foi encontrada?

Lenira havia colocado cartazes no portão de entrada da escola que fica na mesma rua de sua casa. Foi quando o pai de um aluno reconheceu a gatinha e ligou para ela.

"Ele disse que Liz chegou acompanhada do gato dele e então ele deixou-a ficar. Quando fui buscá-la, Liz estava deitada numa casinha de transporte toda sossegada. Ficou cinco dias sumida", conta a tutora.

As escolas são de fato excelentes lugares para colocar cartazes porque geralmente há muitos estudantes que moram próximos ou no bairro. Mas algumas escolas proíbem esse tipo de cartaz em suas dependências, então outro caminho é panfletar na entrada dos alunos da manhã e na saída dos alunos da tarde. Lenira destacou a palavra "Procura-se" no cartaz:


Cuidando do emocional

Quando a Lenira me procurou para uma consulta sobre gatos perdidos, fazia apenas dois dias que Liz havia sumido, mas era nítida sua angústia, ansiedade e inconformismo - uma mistura de sentimentos que a maioria dos tutores sente quando o gato "some".

E nessas horas sempre oriento os tutores a fazerem um grande esforço para manter a calma, pois, com a cabeça quente e coração saindo pela boca, ninguém pensa direito. Só que para achar um gatinho é preciso "raciocinar", se colocar no lugar do bichano e calmamente observar que rotas (em todas as direções) ele poderia ter seguido, por onde poderia ter passado ou se escondido... coisas assim.

"Nessas horas não existe coisa melhor do que uma pessoa encorajar a gente, como fez a consultora. Ela me deu muita esperança porque eu já estava desanimando. Ela me ajudou muito a manter a fé para encontrar minha gata".


Mas o que isso tem a ver com "Uma pata lava a outra"?

É que antes de achar a Liz, Lenira e o marido estiveram num lava-jato com muito material de construção onde, aliás, os gatos adoram ficar. Gato AMA cheiro de cimento, areia, tijolo... de alguma forma se sentem bem nesses locais em reforma. 

E nesse lugar, provavelmente, uma gata deu cria e um dos gatinhos estava dentro de um bloco de cimento encostado na parede. Lenira e o marido perceberam pelo miado. Não era recém-nascido, mas filhote... na verdade uma gatinha muito parecida com a Liz que, olhando na foto abaixo, até parece filha dela.

 Vejam que gracinha:


Lenira e a família resolveram ficar com a pequenina e é por isso que digo ser mais uma história da Série "Uma pata lava a outra".

Tem mais algumas no link http://buscacats.blogspot.com 

Texto: Fátima ChuEcco, jornalista, escritora e consultora sobre gatos perdidos da BuscaCats



segunda-feira, 2 de maio de 2022

Vídeo: Santuário maravilhoso criado por Brigitte Bardot nem parece desse mundo!


Tem de tudo: gatos, cachorros, patos, coelhos, ovelhas, galinhas, cavalos... a lista de animais resgatados pela Fundação Brigitte Bardot é enooooorme! Como a maioria deve saber, Brigite Bardot, atriz e símbolo sexual que sacudiu a indústria cinematográfica por muito tempo, ao se aposentar investiu tudo que tinha na defesa dos animais. 

Ela conseguiu erguer um santuário na Normandia (França) que de tão maravilhoso nem parece pertencer a esse mundo... parece mais um paraíso com os qual a maioria dos protetores de animais sequer conseguem sonhar. As instalações são lindas e funcionais. A atriz, hoje com 87 anos, ainda milita em diversas questões dentro e fora da França. 

Conheça o santuário nesse vídeo... você não vai se arrepender de ver tantos animais felizes, num ambiente seguro e convivendo em paz uns com os outros. No final do filme tem umas cenas históricas com Brigite, ainda jovem, correndo com os animais pelo gramado. E pra quem ama gatos o vídeo é algo imperdível:



Brigitte Bardot participou do MI-AU BOOK!

Essa ativista maravilhosa abrilhantou o "Mi-Au Book & Cia - Um livro pet-solidário" de minha autoria e publicado em 2010. Ela escreveu uma carta do próprio punho para o livro  e enviou algumas fotos como a que abre esta matéria.


Fátima ChuEcco

Jornalista e escritora

site www.miaubookecia.com



sexta-feira, 29 de abril de 2022

Gatinha perdida há 13 dias estava presa em casa pertinho da sua. Fica a dica!


Paola Jung, de SP, acredita que sua gatinha Misty tenha escapado por um muro atrás da casa já que não havia outra rota de fuga. O problema é que a gatinha, de 4 anos e castrada, tinha acabado de chegar de outra casa onde Paola morava e não conhecia a vizinhança. Num ambiente completamente desconhecido corria muitos riscos e, inclusive, tinha vários machucados quando foi localizada. 

Nos vídeos que Paola fez a meu pedido notei alguns pontos "suspeitos" de esconderijo ou abrigo que tinham passado despercebidos por ela. A estratégia foi trabalhar esses pontos-chaves diariamente de forma a manter Misty alimentada enquanto era procurada.

É preciso muito cuidado com casas "aparentemente" seguras. Qualquer objeto esquecido no quintal pode servir de trampolim mesmo no caso de muros altos. Misty usou uma piscina encostada no muro que dava para um terreno baldio. Ali perto havia um ferro-velho com galinhas, pintinhos e coelhinho - um grande atrativo. Mas em todo o entorno havia mais locais para Misty perambular.


Paola me procurou quando Misty já estava desaparecida há 8 dias e cometeu um erro muito comum: saiu procurando a gata pelo bairro deixando de dar atenção aos imóveis vizinhos. Misty estava presa no quintal de uma casa do outro lado da rua e da onde não poderia sair sem ajuda.

"Tenho que agradecer infinitamente porque eu já não sabia mais o que fazer. Estava gastando energia em locais longe de casa e, como a consultora disse, minha gata estava numa casa bem pertinho da minha. Provavelmente eu não teria encontrado ela sem as orientações que recebi. Acho que se as pessoas soubessem que tem uma consultoria como a que ela faz creio que os gatinhos seriam muito mais resgatados do que eles são”.

Ouçam o relato dela:


Então fica DICA: olho na segurança da casa para evitar fugas e olho na vizinhança se o bichano escapar... né Misty?!

Obs.: Em casos menos frequentes um gato pode ir parar longe de casa se entrar no motor de um carro ou se for levado embora por alguém. Mas na maioria dos casos eles ficam por perto.

Texto: Fátima ChuEcco, jornalista, escritora, fundadora e consultora da @buscacats
ZAP 11 94682-6104

quinta-feira, 28 de abril de 2022

Gatinha encontrada depois de 37 dias inspirou serviço especializado em gatos perdidos


Com o sugestivo nome de Rebecca Selvagem já era de se esperar que essa gatinha, a qualquer hora, fizesse juz a sua origem. Então, quatro anos atrás, exatamente no dia em que seria castrada, Rebecca escapou de casa estourando uma rede de plástico da porta de entrada. Estava há 12 horas de jejum e era completamente avessa ao contato humano - fatores que deixaram sua tutora em pânico.

Daquele dia em diante a busca pela gatinha foi intensa, cheia de erros e acertos, mas principalmente de muita aprendizagem. É o que conta a jornalista Fátima ChuEcco, fundadora da @BuscaCats:

"Tudo que falaram pra fazer eu fiz, desde colocar areia com xixi na frente de casa até procurá-la em colônias de gatos. Mas conforme os dias iam passando sem sinal dela, eu mesma fui criando técnicas para encontrá-la ou, ao menos, mantê-la alimentada. Por isso saía de manhã para checar alguns pontos onde ela poderia estar e, de noite, abastecia pontos de alimentação pelas calçadas".


Na época, a jornalista, como a maioria dos tutores, ainda acreditava que o gato poderia caminhar sozinho para bem longe e gastou a sola dos sapatos em andanças por todo o bairro.

"A gente é impelida a sair andando, chamando e colando cartazes, mas tudo isso é feito sem estratégia, na base do desespero e não em ações pensadas que podem dar mais resultado. Em primeiro lugar, gato não sai andando quilômetros como os cães fazem". 

Além da busca a pé, a jornalista colou mais de 100 cartazes e fez flyers para colocar nas casas.

"Nem todo mundo vê cartaz na rua e, aliás, tem gente que mal sai na rua. Então consegui atingir muito mais gente ao meu redor com os flyers nas caixas de correio. Entrei nas casas vazias e prédios em construção. A cada dia ficava mais criativa e fui combinando técnicas desde feng shui a interpretação de sonhos".

Como Rebecca é de fato "selvagem", mesmo depois de capturada - diga-se de passagem a poucos metros de sua casa com ajuda de uma gatoeira - ainda ficou uma semana vivendo dentro de um guarda-roupas antes de dar as caras.

"Tinha que colocar a caixa de areia, comida e água dentro do guarda-roupas porque ela não saía de lá de jeito nenhum. Cheguei a pensar que não era a minha gata já que gatos tigrados são muito parecidos. Mas quando ela resolveu abandonar o esconderijo e começou a subir no meu colo e escanear meu rosto com seu focinho, roçando levemente os bigodes na minha face, tive certeza que era ela porque só ela tinha esse hábito de reconhecimento!".


BuscaCats surgiu de um grupo de ajuda

Ao conseguir resgatar Rebecca que, passados 37 dias estava num buraco na parede do prédio ao lado do seu,  a jornalista começou a dar dicas no grupo GatosPerdidosEncontradosEmSP do Facebook (Acesse AQUI). 

"Quis ajudar as pessoas que estavam passando pela mesma aflição que passei. A gente dorme mal, come mal, fica doente... a vida vira de ponta cabeça. Então o grupo virou um espaço para as pessoas postarem seus gatos perdidos, gatos achados e conhecerem o que funcionou bem na busca pela minha gatinha".

Em 2020 Fátima percebeu que apenas as dicas que ela e outras pessoas postavam nas redes sociais, muitas vezes não eram suficientes para encontrar os gatos. Então criou um serviço de "busca personalizada" onde estuda o entorno da onde o gato se perdeu.

"Foi muito bom passar a ajudar dessa forma mais minuciosa e técnica porque cada gato tem uma personalidade, um histórico de vida, e as buscas precisam ser personalizadas levando tudo isso em conta. Embora espalhar cartazes e postar na rede social sejam ações importantes, procurar a pé e nos locais certos é essencial. Tem que divulgar e procurar ao mesmo tempo".


O suporte emocional é outro ponto forte do serviço:

"Senti na própria pele o que essas pessoas estão sentindo agora. Por isso procuro manter acesa a esperança delas com ferramentas que também usei nos momentos em que quase joguei a toalha".

No blog da BuscaCats (acesse AQUI) e tb no Instagram @buscacats há uma série de histórias com finais felizes e depoimentos dos tutores que podem inspirar as pessoas que estão com seus gatinhos desaparecidos.

Além do grupo no Facebook específico para SP, a jornalista criou recentemente um grupo para postagens de gatos do Brasil todo (acesse AQUI).

"É bem importante não apenas postar o gato perdido, mas também procurá-lo em postagens de gatos achados ou resgatados em vários grupos do Face. E para as pessoas que resgatam gatos também fica o apelo para que postem o bichinho em grupos de animais perdidos, mencionando o bairro, porque nem todo gato resgatado é gato abandonado - muitos se perdem e, inclusive, quando entram em motor de carro podem ir parar em outro bairro".


O diferencial da @BuscaCats

A jornalista Fátima ChuEcco sempre atuou na causa animal. Na Anda - Agência de Notícias de Direitos Animais escreveu por 11 anos. Foi colunista da Miaumagazine de Portugal e sempre fez (e continua fazendo) reportagens para ajudar os animais domésticos e selvagens. Hoje escreve em seu próprio blog que vc acessa AQUI

Por isso, o serviço batizado de @BuscaCats carrega esse DNA da jornalista que é uma amante de animais e principalmente de gatos. Com preço acessível de R$ 98,90, a consultoria, realizada pelo zap para todo o Brasil, inclui estudo de vídeos, mapeamento e técnicas desenvolvidas pela própria consultora para ampliar as chances de encontrar o gato. E ainda oferece um acompanhamento por duas semanas para o tutor ir atualizando a situação e sanando dúvidas.

Agora que você já sabe como surgiu a BuscaCats, veja o vídeo com a Musa desse serviço inédito feito com carinho por quem ama e entende de gatos:











GATINHO é estrela do filme Capitã Marvel - hoje (8 de agosto) na Globo

Recomendo esse filme porque já assisti no cinema e gostei muito. O gatinho do filme fez o maior sucesso e juro pra vocês que tinha no ci...