terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Areia usada e pelo de gato repelem ratos de maneira eficaz e sem derramamento de sangue


                             
Muita gente adora cachorro e gato, mas tem PAVOR DE RATOS e não se importa em matá-los das formas mais terríveis possíveis, com venenos e ratoeiras que, aliás, às vezes prendem uma das patas causando enorme dor e desespero por horas. Especialmente nessa época do ano, de calor, os ratos urbanos circulam mais pelas residências, especialmente sótãos, galpões e porões, e as empresas dedetizadoras lucram muito com um método que, além de perigoso para outros animais e pessoas, resolve o problema apenas temporariamente.
Há muitas maneiras simples de se evitar ratos sem causar consequência dolorosa para eles. Em geral, casas com gatos não possuem ratos de rua. Só o cheiro dos gatos já repele ratos, desde que eles tenham por onde escapar. Mas se os ratos estiverem em local fora da casa, em um anexo no quintal ou compartimento onde os gatos não entram, basta colocar a areia com xixi do gato e aguardar alguns dias. Quem não tem gato pode pedir para um amigo ou vizinho a areia usada. Bichinhos de pelúcia que tenham tido bastante contato com os gatos e estejam cheios de pelos dos felinos também ajudam.
A  areia de gato usada deve ser trocada, de preferência, todos os dias (quanto mais a urina estiver recente melhor). Entre cinco e sete dias os ratos devem desaparecer supondo que há gatos residentes. É necessário que exista uma rota de fuga, ou seja, janela ou algum tipo de abertura que dê acesso à rua. E, uma vez percebendo que os ratos se foram, é preciso vedar essa mesma abertura para que não retornem.
Outro repelente natural é o óleo essencial de hortelã-pimenta geralmente vendido em casas de produtos naturais. Algumas gotas devem ser colocadas em pontos estratégicos do lugar onde há ratos e algodão embebido com o óleo deve ser deixado em diversos cantos. O cheiro desse óleo é bastante irritante para as narinas dos ratos e eles deixarão o local rapidamente. A hortelã-pimenta plantada em vaso é outra opção e é bom ter ao redor da casa.
O perigo de matar ratos
Os ratos de esgoto são mamíferos muito inteligentes e não costumam ser agressivos com humanos, pelo contrário, ao mínimo ruído se apavoram e fogem. O problema é que a urina deles transmite leptospirose e outras doenças, e as pulgas  transmitem enfermidades graves. Por isso, quando um rato é morto dentro de uma casa há o risco das pulgas saltarem para os animais domésticos e pessoas.
Além disso, conforme o CCZ orienta, é proibido o uso de veneno de ratos onde há circulação de outros animais (como cães, gatos e pássaros) e pessoas porque eles são extremamente tóxicos.
Usar chumbinho é crime!
Alerta para o “famoso” chumbinho: é proibido vender, comprar e usar. Proibido! Outro veneno proibido é o composto 1080 ou Monofluoracetato de sódio, mas infelizmente comercializado e usado por muita gente. Em animais domésticos e no ser humano esse veneno age no sistema nervoso central, sistema respiratório e no coração levando a convulsões e morte em apenas 30 minutos. Tão mortal quanto o chumbinho.
Caso um cachorro ou gato seja envenenado, o tutor deve pedir um laudo veterinário e registrar um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia. É crime de maus-tratos contra animais (ainda que a suposta intenção tenha sido matar ratos) e crime de comercialização e/ou uso de raticidas proibidos.
E como salvar um animal que tenha ingerido chumbinho?
O socorro deve ser muito rápido, em no máximo 30 minutos após a ingestão do veneno. O melhor é ir direto para um veterinário que tenha atendimento emergencial. Outra medida é usar carvão ativado para retardar um pouco o efeito do veneno enquanto se vai ao veterinário. Esse carvão é vendido em cápsulas em farmácias e deve ser dado com o animal consciente até 30 minutos depois da ingestão do veneno. Não se deve dar leite e nem provocar o vômito porque as substâncias cáusticas do raticida causam queimaduras químicas nas vias aéreas e esôfago. 
Uma excelente matéria sobre salvamento de animais envenenados pode ser lida no link http://greenme.com.br/morar/gato-e-cachorro/393-saiba-como-proceder-em-caso-de-envenenamento-de-caes-e-gatos 
E quanto aquelas caixas pretas usadas por dedetizadoras? São seguras?
Esse método empregado por dedetizadoras é autorizado, mas não é eficiente e muito menos seguro se outros animais tiverem acesso as caixas com veneno, geralmente, um pó cor de rosa. As empresas alegam que o veneno é amargo e que, por isso, cães e gatos, no máximo, dão uma lambida e depois largam. O problema é que uma lambida pode ser fatal para um filhote ou mesmo para um animal adulto mais sensível. Para os passarinhos certamente uma única bicada pode ser fatal.
Por isso as dedetizadoras só podem colocar essas caixas em locais onde não circulam animais que não são alvo do veneno. Isso é lei! Devem ser colocadas em locais fechados como porões e sótãos por exemplo. Infelizmente, o que se vê são essas caixas espalhadas ao ar livre, em garagens abertas, estacionamentos e pátios de supermercados. Como elas possuem uma abertura por onde presume-se que o rato entra para comer, quando chove, a água também entra por esse orifício e espalha o veneno contaminando tudo ao redor.
Rato aprende a evitar a caixa preta
Mas esse não é o único problema. Os ratos vivem em grupos muito bem articulados. Há uma líder (geralmente fêmea) e vários, digamos “soldados”. Na presença de uma caixa lotada de um possível alimento (que na verdade é o veneno), quem consome primeiro é um soldado (geralmente um rato mais idoso). Se ele morre ou não retorna para o ninho, mais nenhum rato consome aquele produto e o grupo se afasta do local. Mas é por uns meses. Daí a ineficiência desse tipo de ataque. Se o lugar continuar apetitoso para os ratos com lixo e entulho, depois de uns tempos eles voltam e a líder já terá em sua memória que as caixas pretas devem ser evitadas.
Europa não acabou com a peste bubônica envenenando ratos ou espalhando ratoeiras
Então, segundo o CCZ, biólogos e pesquisadores, a maneira mais simples, econômica e eficiente de evitar ratos é não acumulando lixo e entulho, vedando aberturas por onde eles possam entrar e se alojar e, no caso de uma invasão de ratos, usar estratégias e repelentes naturais. Foi assim que a Europa conseguiu acabar com a peste bubônica. Não foi envenenando ratos ou espalhando ratoeiras. Foi espalhando gatos na cidade. Em pouco tempo os ratos fugiram para os esgotos ou outros abrigos levando as pulgas, causadoras da peste, com eles. O método de controle natural é também o mais ético, sem causar sofrimento a um animal que é apenas mais um “fruto” das grandes cidades.
Fontes: essa matéria foi escrita com base em orientação cedida pelo CCZ de SP e pesquisa sobre métodos de controle natural de ratos 

FOTO principal de Diane Ozdamar que fez várias fotografias meigas para ajudar a tirar a imagem negativa que se tem dos ratos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ESTRANHAS MANIAS FELINAS

“Daqui não saio, daqui ninguém me tira”. A frase, que é muito popular no Brasil, se encaixa direitinho em algumas situações protago...