domingo, 14 de janeiro de 2018

ESTRANGEIRA (O) NO PRÓPRIO PLANETA



Selecionei três vídeos com cenas que são o retrato de uma humanidade escravagista e doente. E isso é só uma pequena parcela do que os humanos fazem com as demais espécies na Terra. Quem se choca e sofre com essas cenas se sente estrangeiro aqui... como se não pertencesse a essa época ou planeta. É uma sensação latente de deslocamento no tempo e espaço.

Para começar, vamos pensar sobre o seguinte:
Uma pessoa mentalmente saudável conseguiria matar dezenas de animais por dia, centenas por mês e milhares por ano? Todos diriam que não. Apenas um psicopata seria capaz de matar tantos animais assim, sem se importar com a angústia e dor física deles.

Mas e se a pessoa matar essa quantidade de animais, igualmente não se importando com o sofrimento deles, dentro de uma indústria de carne legalizada ou matadouros de cães e gatos? Ela seria psicopata também?

                                       O gatinho branco da foto, chamado Huru, foi resgatado e ficou famoso

Agora ficou mais difícil de responder porque, embora a matança dos animais represente a sobrevivência dela e de sua família, que tipo de personalidade ela precisa ter para exercer essa atividade extremamente cruel para com animais indefesos?

O que define um serial killer, como o próprio nome diz, é a matança em série, com pequenos ou grandes intervalos entre uma morte e outra, mas ele também pode matar em massa, quando provoca a morte de muitas pessoas ao mesmo tempo, por exemplo, entrando numa escola e atirando nos alunos. 

Em geral, o ato é motivado por prazer em ver o sofrimento alheio, principalmente se há rituais de tortura, mas também pode ser uma fixação qualquer em cima de algum tipo específico de pessoa. Mas um elemento presente em qualquer tipo de psicopata é a frieza e o completo desprezo pela dor do outro, ou seja, falta de empatia. 


Os animais possuem e expressam seus sentimentos e emoções. Isso já está mais do que provado e qualquer um pode observar. O sujeito que mata diariamente vacas, porcos, galinhas etc... também é dotado de um alto grau de frieza, caso contrário, faria qualquer outra coisa, menos isso. Pediria esmola mas não mataria. Comeria lixo mas não mataria.

Não estou aqui discutindo a responsabilidade que tem o consumidor nessa matança “autorizada”. Quero apenas motivar a reflexão sobre o ato de matar tratado como uma coisa normal, sendo que não é nada natural. A conduta de dar choques, açoitar e matar animais com as próprias mãos é típico de uma personalidade psicótica. 

Mesmo quando se trata de sobrevivência numa floresta ou deserto, o homem mentalmente saudável não mata um animal por prazer ou o tortura antes de comer. Então fica a sugestão de reflexão. Qual a diferença entre o psicopata que mata e tortura animais dentro de quatro paredes e daqueles que fazem a mesma coisa dentro de uma profissão legalizada?

TRÊS DENTRE MILHÕES DE VIDEOS QUE CHOCARIAM CIVILIZAÇÕES MAIS ADIANTADAS QUE OS HUMANOS CASO ELAS VISITASSEM O NOSSO PLANETA: choque em porcos, matança de gatos, açoite em cavalo. Não recomendado para quem é muito sensível.

Gatos sofrendo nas gaiolas e implorando ajuda antes de serem mortos

https://www.facebook.com/FightDogMeat/videos/1696831263671790/?hc_ref=ARS6qtgp-OkphYn20j4CJ5Hz71JwltTuk9muvvqv0EmChiu0tUFr_gB4bz9FSLZ-bjE&pnref=story 

Porcos tomando choque, entre outras coisas

https://www.facebook.com/natanaelcoelho39/posts/2219559681403631?pnref=story 

Cavalo sendo açoitado

https://www.facebook.com/Fatosquechocam/videos/319737711846400/?hc_ref=ARQVr7N6jWnf6bcmtVoI9jnzA7zKKJo4GlRedXHB7lhYNwLX4luh-w3TWG8kBfMY4CA&pnref=story 

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Somos todos UM


PINTURAS ADORÁVEIS


Peguei na Internet. Se alguém souber o autor me diga, pois, gostaria de citar o nome.

                                                          Artista Charles Wysocki, USA (1928 - 2002)

Você odeia as segundas-feiras? Essa assassina também!


Você odeia as segundas-feiras? Brenda Spencer também e por isso ela matou duas pessoas e feriu outras oito numa segunda-feira de 1979 quando tinha apenas 16 anos. Da janela de sua casa Brenda atirou contra o pátio de uma escola. Diretor e zelador foram atingidos e morreram no local tentando proteger as crianças.
Brenda foi julgada como adulta e pegou prisão perpétua. Nunca se arrependeu. Aliás, na ocasião do crime ela disse a um repórter que “foi como atirar em patos num lago” – veja matéria com depoimentos dela em http://pasdemasque.blogspot.com.br/2013/04/brenda-spencer-i-dont-like-mondays.html ´

Ela também disse que odiava as segundas-feiras e que atirar nas crianças foi “divertido”, uma forma de interromper o tédio da segunda-feira que, para ela, era um dia insuportável. Brenda ganhou a arma do pai de aniversário e conseguiu deter a polícia por longas sete horas na porta de sua casa antes de se entregar.


Solitária, presa e sem família, Brenda fará 55 anos em abril. Vale ressaltar que Brenda não foge à regra do padrão de psicopatas. Além dos patos, nos quais ela também costumava atirar, houve relatos de que ela procurava gatos nas redondezas da sua casa para torturá-los. Em quase 100% dos casos, os psicopatas começam matando animais.
A história de Brenda inspirou a música “I don`t like mondays” que fez sucesso com uma banda típica dos Anos 80. 
Veja o clip 

Você pode não ser um psicopata, mas talvez sofra de um mal muito comum: a Síndrome da Segunda-Feira que começa no finzinho do domingo dando um friozinho na barriga. Conheça os sintomas acessando http://www.dicasprofissionais.com.br/sindrome-da-segunda-feira/

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Areia usada e pelo de gato repelem ratos de maneira eficaz e sem derramamento de sangue


                             
Muita gente adora cachorro e gato, mas tem PAVOR DE RATOS e não se importa em matá-los das formas mais terríveis possíveis, com venenos e ratoeiras que, aliás, às vezes prendem uma das patas causando enorme dor e desespero por horas. Especialmente nessa época do ano, de calor, os ratos urbanos circulam mais pelas residências, especialmente sótãos, galpões e porões, e as empresas dedetizadoras lucram muito com um método que, além de perigoso para outros animais e pessoas, resolve o problema apenas temporariamente.
Há muitas maneiras simples de se evitar ratos sem causar consequência dolorosa para eles. Em geral, casas com gatos não possuem ratos de rua. Só o cheiro dos gatos já repele ratos, desde que eles tenham por onde escapar. Mas se os ratos estiverem em local fora da casa, em um anexo no quintal ou compartimento onde os gatos não entram, basta colocar a areia com xixi do gato e aguardar alguns dias. Quem não tem gato pode pedir para um amigo ou vizinho a areia usada. Bichinhos de pelúcia que tenham tido bastante contato com os gatos e estejam cheios de pelos dos felinos também ajudam.
A  areia de gato usada deve ser trocada, de preferência, todos os dias (quanto mais a urina estiver recente melhor). Entre cinco e sete dias os ratos devem desaparecer supondo que há gatos residentes. É necessário que exista uma rota de fuga, ou seja, janela ou algum tipo de abertura que dê acesso à rua. E, uma vez percebendo que os ratos se foram, é preciso vedar essa mesma abertura para que não retornem.
Outro repelente natural é o óleo essencial de hortelã-pimenta geralmente vendido em casas de produtos naturais. Algumas gotas devem ser colocadas em pontos estratégicos do lugar onde há ratos e algodão embebido com o óleo deve ser deixado em diversos cantos. O cheiro desse óleo é bastante irritante para as narinas dos ratos e eles deixarão o local rapidamente. A hortelã-pimenta plantada em vaso é outra opção e é bom ter ao redor da casa.
O perigo de matar ratos
Os ratos de esgoto são mamíferos muito inteligentes e não costumam ser agressivos com humanos, pelo contrário, ao mínimo ruído se apavoram e fogem. O problema é que a urina deles transmite leptospirose e outras doenças, e as pulgas  transmitem enfermidades graves. Por isso, quando um rato é morto dentro de uma casa há o risco das pulgas saltarem para os animais domésticos e pessoas.
Além disso, conforme o CCZ orienta, é proibido o uso de veneno de ratos onde há circulação de outros animais (como cães, gatos e pássaros) e pessoas porque eles são extremamente tóxicos.
Usar chumbinho é crime!
Alerta para o “famoso” chumbinho: é proibido vender, comprar e usar. Proibido! Outro veneno proibido é o composto 1080 ou Monofluoracetato de sódio, mas infelizmente comercializado e usado por muita gente. Em animais domésticos e no ser humano esse veneno age no sistema nervoso central, sistema respiratório e no coração levando a convulsões e morte em apenas 30 minutos. Tão mortal quanto o chumbinho.
Caso um cachorro ou gato seja envenenado, o tutor deve pedir um laudo veterinário e registrar um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia. É crime de maus-tratos contra animais (ainda que a suposta intenção tenha sido matar ratos) e crime de comercialização e/ou uso de raticidas proibidos.
E como salvar um animal que tenha ingerido chumbinho?
O socorro deve ser muito rápido, em no máximo 30 minutos após a ingestão do veneno. O melhor é ir direto para um veterinário que tenha atendimento emergencial. Outra medida é usar carvão ativado para retardar um pouco o efeito do veneno enquanto se vai ao veterinário. Esse carvão é vendido em cápsulas em farmácias e deve ser dado com o animal consciente até 30 minutos depois da ingestão do veneno. Não se deve dar leite e nem provocar o vômito porque as substâncias cáusticas do raticida causam queimaduras químicas nas vias aéreas e esôfago. 
Uma excelente matéria sobre salvamento de animais envenenados pode ser lida no link http://greenme.com.br/morar/gato-e-cachorro/393-saiba-como-proceder-em-caso-de-envenenamento-de-caes-e-gatos 
E quanto aquelas caixas pretas usadas por dedetizadoras? São seguras?
Esse método empregado por dedetizadoras é autorizado, mas não é eficiente e muito menos seguro se outros animais tiverem acesso as caixas com veneno, geralmente, um pó cor de rosa. As empresas alegam que o veneno é amargo e que, por isso, cães e gatos, no máximo, dão uma lambida e depois largam. O problema é que uma lambida pode ser fatal para um filhote ou mesmo para um animal adulto mais sensível. Para os passarinhos certamente uma única bicada pode ser fatal.
Por isso as dedetizadoras só podem colocar essas caixas em locais onde não circulam animais que não são alvo do veneno. Isso é lei! Devem ser colocadas em locais fechados como porões e sótãos por exemplo. Infelizmente, o que se vê são essas caixas espalhadas ao ar livre, em garagens abertas, estacionamentos e pátios de supermercados. Como elas possuem uma abertura por onde presume-se que o rato entra para comer, quando chove, a água também entra por esse orifício e espalha o veneno contaminando tudo ao redor.
Rato aprende a evitar a caixa preta
Mas esse não é o único problema. Os ratos vivem em grupos muito bem articulados. Há uma líder (geralmente fêmea) e vários, digamos “soldados”. Na presença de uma caixa lotada de um possível alimento (que na verdade é o veneno), quem consome primeiro é um soldado (geralmente um rato mais idoso). Se ele morre ou não retorna para o ninho, mais nenhum rato consome aquele produto e o grupo se afasta do local. Mas é por uns meses. Daí a ineficiência desse tipo de ataque. Se o lugar continuar apetitoso para os ratos com lixo e entulho, depois de uns tempos eles voltam e a líder já terá em sua memória que as caixas pretas devem ser evitadas.
Europa não acabou com a peste bubônica envenenando ratos ou espalhando ratoeiras
Então, segundo o CCZ, biólogos e pesquisadores, a maneira mais simples, econômica e eficiente de evitar ratos é não acumulando lixo e entulho, vedando aberturas por onde eles possam entrar e se alojar e, no caso de uma invasão de ratos, usar estratégias e repelentes naturais. Foi assim que a Europa conseguiu acabar com a peste bubônica. Não foi envenenando ratos ou espalhando ratoeiras. Foi espalhando gatos na cidade. Em pouco tempo os ratos fugiram para os esgotos ou outros abrigos levando as pulgas, causadoras da peste, com eles. O método de controle natural é também o mais ético, sem causar sofrimento a um animal que é apenas mais um “fruto” das grandes cidades.
Fontes: essa matéria foi escrita com base em orientação cedida pelo CCZ de SP e pesquisa sobre métodos de controle natural de ratos 

FOTO principal de Diane Ozdamar que fez várias fotografias meigas para ajudar a tirar a imagem negativa que se tem dos ratos

domingo, 7 de janeiro de 2018

DICAS VALIOSAS PARA CAIXA DE AREIA DE GATO FUNCIONAR MUITO BEM


Vários gatos fazem coco e xixi fora da caixa de areia por um motivo bem simples: sujeira. O gato é higiênico demais para sentar numa areia suja, daí, quando começa a fazer fora da caixinha algumas tutoras reclamam, batem no gato e até o abandonam. Vejam como deve ser uma caixa de areia e, por favor, repassem para as gateiras de primeira viagem ou para aquelas pessoas que não pensam duas vezes antes de dar um pontapé no bichano e jogá-lo na rua.

1  1) Caixa de areia tem que ser compatível com o tamanho do gato de modo que ele possa se mexer nela e ter espaço para cobrir com areia o coco e xixi
2   2) Tenha número de caixas de areia de acordo com número de gatos. Claro que se forem muitos, não dá para lotar a casa de caixas, mas se são 3 a cinco gatos na casa, tenha pelo menos três caixas
3   3)  Misture um pouco de farinha de mandioca na areia porque ajuda a tirar o cheiro e tb na absorção do xixi. E não precisa comprar areia cara. Tem pacotes de 4 kg que custam R$ 4,50. Basta usar com sabedoria e higiene
4   4)  Forre a caixa com duas a 4 folhas de jornal pq ajuda bastante na absorção do xixi e gera economia de areia. Troque o jornal todos os dias
5    5)   Não precisa colocar o saco inteiro de 4 kg na caixa. Use por volta de 1 kg misturado com a farinha de mandioca. Todo dia recolha xixi e coco com pazinha e acrescente um pouco de areia nova para recompor a caixa
6     6)Nunca deixe a caixa de areia próxima da comida ou água do gato. Quem é que gosta de fazer suas refeições no banheiro? A cama dele tb não pode ser colocada ao lado da areia

7) ATENÇÃO: XIXI FORA DA CAIXINHA PODE SER PROBLEMA DE SAÚDE. Um gato doente tende a fazer suas necessidades fora da caixa justamente para chamar a atenção para sua doença. Não menospreza essa atitude dele. É a forma que os gatos têm para pedir socorro para algum desconforto. Se está tudo bem com a caixa de areia então leve-o ao veterinário para checar a saúde.

8) MEDO E ESTRESSE LEVAM OS GATOS A URINAREM FORA DA CAIXINHA. Um gato repreendido duramente e muitas vezes por fazer xixi em local errado pode ficar tão traumatizado que não conseguirá mais acertar o local onde deve fazer suas necessidades. Ele ficará confuso, sem entender a atitude agressiva dos tutores e num processo de medo de apanhar, começará a fazer xixi ou coco em qualquer lugar ou lugares escondidos. Ciúmes de um animal novo na casa também pode gerar um comportamento assim. Em ambos os caso é preciso redobrar o carinho com o gatinho fazendo-o se sentir amado e especialmente seguro.

9) LAVE APENAS COM ÁGUA E SABÃO -nada de lavar as caixas com desinfetante, cândida, etc... o olfato dos gatos é muito sensível. Uns podem até não ligar, mas tem gato que rejeita caixa de areia com cheiro de desinfetante

10) SEM PERFUME - no seu banheiro pode ser muito agradável odor de rosas, jasmim, lavanda etc, mas o gato gosta de sentir o cheiro dele mesmo em seu banheiro. Não coloque perfume e desodorantes na caixa de areia

Foto: Emília - A Pequena Notável, que é personagem do livro "Ághata Borralheira & Amigos - Tocando Corações", à venda para todo o Brasil e Exterior pelo facebook https://www.facebook.com/aghataborralheirabook/ 

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

COMECE O ANO FOCANDO BOAS VIBRAÇÕES PARA VC E SEU BICHINHO


O texto abaixo ensina como vc pode meditar buscando equilíbrio físico e emocional para vc e seu bichinho. As orientações são do veterinário holístico Ricardo Gaé que, aliás, ministra diversos cursos nesse campo de conhecimento incluindo reiki e florais. Ele disponibiliza gratuitamente um ebook sobre "Os Chakras dos Animais". Acesse seu site www.reikiveterinario.com.br 


ESTRANHAS MANIAS FELINAS

“Daqui não saio, daqui ninguém me tira”. A frase, que é muito popular no Brasil, se encaixa direitinho em algumas situações protago...