terça-feira, 31 de outubro de 2023

Série Império dos Chimpanzés prova que chimpanzés são praticamente pessoas. Imperdível!


Imagine duas tribos numa remota parte do planeta disputando a mesma floresta com estratégias de guerra o que inclui "patrulha" de fronteiras e ataques "surpresa". Imagine que essas tribos têm guerreiros e também guerreiras... que possuem líderes há anos no poder e jovens que quando chegam na puberdade dizem adeus a sua comunidade porque precisam formar família em outras tribos, afinal, relacionamento com parentes poderia originar problemas de saúde nos bebês.

Imagine ainda cenas de raiva, solidariedade, carinho mútuo, companheirismo e até traição. 

Ok. Agora imagine que tudo isso acima não se refere a tribos de humanos, mas de chimpanzés  numa região chamada Ngogo na Uganda (África) e que fazem da série "Chimp Empire" ou Império dos Chimpanzés da Netflix um dos melhores documentários da atualidade.




Dirigida por James Reed, o mesmo de "Professor Polvo" (que foi um sucesso!), vale muito a pena assistir cada um dos quatro capítulos.

E atenção: é tudo REAL! Cada uma das situações aconteceu nos últimos anos diante de dezenas de câmeras instaladas no reduto dos chimpanzés. Claro que com centenas de horas de filmagem há necessidade de se editar o material e narrar os acontecimentos em sua ordem cronológica, mas todas as brigas, amizades e guerras são reais e muito, muito parecidas com o que os humanos fazem.

Reparem nas expressões faciais tão nítidas, tão humanas. Existe toda uma complexa comunicação sonora... conversas em voz baixa ou discussões aos berros.

Reparem nos gestos, nos olhares e nas atitudes "pensadas" para se conseguir o que deseja seja comida, sexo, proteção, aliados ou poder.


Algumas das cenas que mais chamam a atenção são as "patrulhas". O líder convoca seus guerreiros e eles partem em fila indiana para vigiar e defender seu território.  Pegue uma cena de filmes da Era Viking e compare: é simplesmente igual! Os chimpanzés se embrenham na floresta, em silêncio, com os olhos atentos, camuflados e esperam o momento certo de agir.

E as cenas de ternura entre mães e filhos são impagáveis!


Tem chimpanzé que deixa o grupo só para cuidar de outro que fora banido, que está doente ou ferido.

Nessa série você poderá ver de perto todo um sistema social e político que nada tem a ver com instinto e sim com vida em grupo altamente complexa.

Por isso que eu sempre disse e continuo dizendo que macacos são pessoas, especialmente os grandes primatas como chimpanzés, gorilas e orangotangos. 

Veja o trailer:



Fotos Divulgação

Texto: Fátima Chu🌎Ecco, jornalista e escritora, consultora da @BuscaCats  😻e fundadora da Editora www.miaubookecia.com 🐶🐱

Espetáculo levanta com muito bom humor questões ligadas aos hormônios femininos


Da TPM à menopausa, a comédia "As Mulheres, os Hormônios e Eu", do Núcleo Urbanos de Teatro, tem muito o que falar e, especialmente, fazer rir.

Com estreia no dia 11 de novembro na SP Escola de Teatro, a peça acompanha o drama do Dr. Sigmar, interpretado por Walmir Pavam - um ginecologista divorciado e introvertido - que procura ajuda da Dra. Elaine, uma psicoterapeuta de métodos pouco convencionais, interpretada por Rosa Rosah.

Dr Sigmar dedicou toda sua vida à medicina. Ele é mestre em diagnósticos e nas questões fisiológicas do corpo feminino, mas tem um grande problema que pode acabar com sua carreira: é acometido subitamente por crises de pânico quando precisa olhar para o órgão feminino. Enquanto tenta lidar com sua neurose, Dr. Sigmar precisa enfrentar no consultório mulheres de diferentes perfis.


A peça, escrita por Nanna de Castro, tem direção de Lilian Domingos.

“Mulheres têm uma relação muito mais intensa com os hormônios do que os homens. E todo mundo que se relaciona com elas acaba vivendo essa montanha-russa hormonal junto. Queremos enfiar o dedo sem dó nesta caixa-preta pra desmistificar de vez alguns assuntos-tabu como a menopausa. Afinal, todo mundo vai lidar com ela, seja no próprio corpo, seja no corpo da esposa, mãe, amiga, parceira de trabalho, certo? Daí fomos conversar com os ginecologistas pra entender a visão científica desta aventura hormonal do feminino e acabamos descobrindo histórias inimagináveis e impagáveis que levamos ao teatro”, revela a diretora Lilian Domingos.

Nanna de Castro é escritora, roteirista de cinema, TV e autora teatral, além de psicóloga. No cinema, ganhou o Kikito de melhor roteiro em Gramado, além dos prêmios de melhor roteiro na Jornada Internacional de Cinema da Bahia e no Festival de Curtas de Santos. Seu primeiro longa, “O Novelo”, venceu como melhor Filme pelo Júri Popular no Festival de Cinema de Gramado 2021 e melhor roteiro no Festival de Cinema Brasileiro de Los Angeles em 2022. Tem prêmios como autora teatral e peças montadas em várias cidades brasileiras e em Portugal.  

Ficha Técnica

Dramaturgia: Nanna de Castro 

Elenco: Walmir Pavam e Rosa Rosah 

Direção e Cenografia: Lilian Domingos 

Desenho e operação de som, trilha musical e design: Ivan Silva 

Figurino: Rosane Muniz 

Iluminação: Carol Autran 

Assistência de Direção: Maurício Sasí 

Assistência de Produção: Beatriz Merino 

Contrarregra: André Rosah 

Produção Executiva: Marcio Yatsuda 

Assessoria de imprensa: Pombo Correio


Serviço
As Mulheres, os Hormônios e Eu, com Núcleo Urbanos de Teatro
Temporada: 11 de novembro a 3 de dezembro, aos sábados, às 20h, e aos domingos, às 19h
SP Escola de Teatro – Praça Roosevelt, 210, Centro, São Paulo
Ingressos: R$50 (inteira) e R$25 (meia-entrada)
Vendas online pela plataforma Sympla
Classificação: 14 anos
Duração: 75 minutos 
Capacidade: 70 lugares 

Exposição GATOS e Mulheres apresenta obras de Vicky Dolabella


Quem conhece a artista plástica Vicky Von Dorff Dolabella sabe que sua inspiração é absolutamente felina. Quem não conhece, mas AMA Gatos e ARTE vai se surpreender com a exposição "Gatos e Mulheres" que abre neste 1º de Novembro e vai até o final do mês na "Sagrado Boulangerie" - uma tentadora padaria francesa na Rua João Cachoeira, 1458, no coração da Vila Olímpia, em SP.

Inclusive, no próximo sábado, dia 4, a artista estará presente na exposição junto de suas obras recheadas de miados e bigodes. É um lindo trabalho que já atravessa décadas de uma trajetória traçada dentro e fora do Brasil. Vale a pena conferir.

Quer conhecer mais do trabalho da Vicky? Acesse a matéria sobre sua trajetória como pintora "pet-solidária" acessando AQUI

E para você que é gateira roxa, que tal uma bela tela da Vicky na sua casa? Eu tenho a felicidade de ter uma. 

Abaixo um spoiler para as gateiras de plantão:




Texto: Fátima ChuEcco, jornalista e escritora



Vídeo para Halloween com gatinha homenageando as bruxas boazinhas


Nesse gracioso vídeo a gatinha Ághata Borralheira homenageia as bruxas "do bem" e conta porque elas foram perseguidas... porque os gatos também foram odiados... e como tudo terminou. Uma graça de "filminho" para compartilhar no Halloween!


E uma foto feita nos estilo Disney Pixar:


No fotolivro "Ághata Borralheira e Amigos Tocando Corações", a gatinha dá algumas receitas com abóbora, como essa:




Texto: Fátima ChuEcco - Jornalista e Escritora 

Instagram @miaubookecia

Autora do clássico "Mi-Au Book - Um livro pet-solidário" que reuniu cães e gatos do Brasil e exterior e teve em sua segunda edição a participação de Brigite Bardot. Jornalista ambientalista, de cultura e turismo, especializada em animais de estimação. Presta consultoria sobre gatos perdidos e desenvolve fotolivros literários com crianças e animais.  Seu cãozinho ou gatinho também pode ter um fotolivro MI-AU Book todinho inspirado nele. Saiba mais no site www.miaubookecia.com 











Final do Outubro Rosa pede informação mais atualizada e reflexões diversas




Entramos no finalzinho do Outubro Rosa, e da campanha nacional de prevenção ao câncer de mama, cujo principal objetivo é alertar sobre a importância dos exames anuais... sem dúvida essenciais para todas as mulheres e não apenas para aquelas que possuem parentes que tiveram a doença.

Durante muitas décadas, difundiu-se bastante o perigo de ter familiares (especialmente avó, mãe e tias) com a doença. Praticamente condenou-se as mulheres com histórico familiar a também ficarem doentes um dia.  Isso prejudicou a detecção de tumores em primeiro estágio nas pessoas que não possuíam parentes com a doença. 

 A forma hereditária é responsável apenas por 10% de todos os casos 

Além do mais, como saber se a doença de um familiar próximo era hereditária?  A doença pode ser causada por vários outros fatores: poluição, contato ou inalação de substâncias tóxicas (que é bem comum em diversos tipos de fábricas), contato com agrotóxicos, fumo, alimentação inadequada, fatores hormonais (especialmente pós menopausa) e degeneração natural do organismo (quando o problema aparece em idade avançada), entre outras razões. 

Como o alerta sempre foi em cima de mulheres supostamente mais sujeitas à doença, as demais se sentem mais imunes e tardam a fazer exames de rotina.  Resultado: 90% dos casos são de mulheres sem histórico familiar.

Por conta disso, os médicos estão revendo os protocolos de prevenção e procurando ajustar a necessidade dos exames preventivos para mulheres mais jovens.



Tratamentos modernos

As formas de lidar com a doença e os métodos de cura evoluíram e continuam evoluindo. Então é preciso ter em mente que  a mulher que teve a doença e  hoje faz tratamento para que ela não retorne encontrará um cenário muito melhor que o enfrentado por suas parentes no passado.
É importante não olhar para trás e sim abraçar o que existe nos dias atuais.

Mas vale refletir sobre a necessidade de se investir em pesquisas que poupem cobaias e se aprofundem, por exemplo, em testes in vitro com células humanas. Os animais ajudaram cedendo suas vidas involuntariamente, mas será que outros tratamentos não se mostrarão ainda mais eficientes sem o sofrimento de cobaias? Cabe a reflexão.



Outra coisa a ponderar diz respeito ao "julgamento" das pacientes.  Convém ter cuidado e inclusive "caridade" antes de afirmar que a doença é fruto de vidas passadas ou de sentimentos negativos como mágoa ou raiva. Claro que as emoções podem desequilibrar nosso campo físico, mas não é só isso e, além do mais, ninguém sabe  do passado dos outros e nem deve motivar sentimento de culpa nas pessoas que já estão fragilizadas devido a situação que enfrentam. 

Algumas doenças, e não somente essa, segundo o Espiritismo, podem surgir como uma "prova" para ser superada ampliando a consciência, fazendo a pessoa refletir sobre suas ações e se melhorar espiritualmente. Aliás, as provas existem para que as pessoas passem de ano. Se fosse para serem reprovadas não haveria necessidade de provas.

Se Deus é misericordioso, ele não pode ser um juiz a proferir sentenças de dor e morte - sugere o Evangelho Segundo o Espiritismo. Então talvez deva-se pensar nessas possíveis provas como chance de adotar novas condutas e mais... entender que tais provas surgem na vida de todas as pessoas, sejam elas de boa ou má índole.

Talvez a gente já venha pra essa vida com uma bagaem, mas também trazemos uma malinha vazia para encher com novas atitudes e experiências. A cada reencarnação acrescentamos fatos novos em nosso “currículo espiritual” e o desenvolvimento de uma doença nem sempre tem ligação como nosso passado. Pode estar ligado a emoções e experiências dessa vida. Pode ter uma relação única e direta com o presente e com o meio ambiente.  E deve ser visto como outra doença qualquer. Na verdade pode até mudar a vida da pessoa para melhor dependendo do proveito que ela tirar dessa experiência.

O campo espiritual aponta que o importante é ter FÉ para aceitar, suportar e, principalmente, estudar a si mesmo  para  passar na prova como qualquer outro estudante da escola da vida.




Generosidade não é talismã contra doenças 
- mas pode ajudar a superá-las

Pessoas muito boas e solidárias também podem desenvolver a doença. E, do ponto de vista espiritual, se essas pessoas são muito boas nessa vida é porque não foram tão ruins assim na anterior. Ninguém morre vilão e renasce mocinho. Há um processo evolutivo nos melhorando a cada vida bem devagar. A mudança não é imediata. Portanto, se essas pessoas já trouxeram um bom caráter é porque na vida anterior já estavam numa situação evolutiva melhor e, partindo dessa premissa, não teriam que enfrentar doenças graves.

Só que, como dito acima, todos estão sujeitos aos vários fatores físicos, emocionais, biológicos, do meio ambiente e espirituais que podem gerar diversos males à saúde.

As pessoas frias, egoístas e perversas não sofrem pelos outros. O coração gelado delas não joga substâncias de tristeza no sangue. Então  hipoteticamente, elas estariam livres, pelo menos, do gatilho emocional que pode afetar a saúde. 

Já as pessoas que absorvem muito a dor do outro, que se preocupam bastante com o próximo, talvez estejam mais sujeitas a concentrar esse sentimento no organismo que, por sua vez, poderia danificar as células. No entanto, essas mesmas pessoas talvez tenham um remédio natural chamado AMOR  cujo poder curativo ajude a superar algum problema de saúde que surge pelo caminho.


A CIÊNCIA mostra que qualquer pessoa pode ter um câncer assintomático e portanto nem saber da existência da doença

Certa vez vi um documentário que mostrava análise da saúde de pessoas que morreram bem idosas e, supostamente, da tal "morte natural". 

A maioria tinha vários tumores malignos que nunca foram descobertos pq apresentavam sintomas suaves ou eram assintomáticas. Os óbitos atestavam uma variedade de outras causas, menos câncer pq a doença nunca tinha sido detectada naquelas pessoas. Portanto, a degeneração celular e a mutação celular parece um caminho natural do organismo em idade avançada. Até mesmo por isso foi chamada por muito tempo de "doença do idoso".

Então vale repetir: talvez seja melhor não ficar tentando descobrir os diversos motivos que podem ter originado uma doença ou se culpar por isso. Deve-se sim ver a situação como uma oportunidade de reforma íntima a fim de se melhorar como pessoa e ter FÉ e Gratidão e Amor, abraçando os recursos que chegam às mãos.

A receita contra qualquer doença é encarar com naturalidade e colocar fé nos recursos escolhidos para a cura. Do mesmo jeito que chegam, doenças diversas podem ir embora... mas é preciso acionar o botãozinho da fé que trazemos em nossa essência divina.

sexta-feira, 27 de outubro de 2023

Essa sou Eu segundo a Disney Pixar. Querem experimentar? Vejam como no artigo


Para ter sua imagem ou de seus bichinhos no formato de desenho é preciso acessar o site da Bing Image Creator. Tem que ter uma conta na Microsoft ou fazer uma conta gratuita. O site tem versão em português  e um espaço logo no alto da página para que você descreva o que deseja criar. É melhor, no entanto, escrever em inglês. Tentei em português e os resultados demoravam muito a surgir e alguns nem sequer se concretizavam. Então detalhe bem o desenho que você deseja citando cor de cabelo, olhos, roupa, idade (para as versões não serem jovens demais) etc e coloque no Tradutor do Google. Depois cole a tradução no devido local do site da Bing. O site vai produzir 4 imagens. 

Exemplo de descrição para receber versão da disney pixar: Criar poster ou imagem no estilo Disney Pixar de mulher adulta com cabelos castanhos na altura dos ombros, olhos castanhos, vestindo terno azul e sentada na frente do computador, com gata tigrada adulta de olhos verdes sentada na mesa do computador ( atenção: faça tradução no google)

Essas são minhas versões:












quinta-feira, 26 de outubro de 2023

Inteligência Artificial recria Ághata Borralheira


A febre do momento é o site que transforma nossas palavras em imagens feitas pela Inteligência Artificial. Eu experimentei e recriei minha gatinha Ághata Borralheira. Faltou só o queixo branco e os olhos verdes pra ficar idêntica. Quer experimentar? Acesse o site Bing Image Creator e digite no espaço de busca o que voce quer criar. Eu, por exemplo, escrevi: gatinha preta peluda com patinhas brancas e peito branco entre abóboras. O resultado foi a imagem acima. Abaixo a Ághata verdadeira em 2 fotos e em seguida a imagem de AI:






segunda-feira, 16 de outubro de 2023

Gatinho vira atração principal durante apresentação de orquestra


Quer alegrar seu dia? Então assista esse vídeo em que gatinho invade apresentação de orquestra em Istambul, na Turquia. É adorável!


Tem esse mais completo do mesmo concerto:





Dia Internacional do Gato Feral - 16 de Outubro



A Rebecca Selvagem (foto) é a típica gatinha feral, que nunca se adaptou à convivência humana com exceção da minha. Com apenas um mês de idade ela vivia dentro de motores de carros. Eu a resgatei e acolhi dentro de casa mas, passados 10 anos, ela continua fugindo de gente estranha.

Até hoje não deixa nem mesmo eu pegá-la no colo. Dorme comigo, mas segurá-la com as mãos... NUNCA! Curiosamente, apesar de ter crescido num lar amoroso e com outras gatas mansas, Rebecca não perdeu sua índole selvagem. Ainda tem esconderijos dentro de casa que nem imagino onde sejam. E suas orelhas vivem na posição "desconfiada".


Quando está comendo não aceita que eu fique olhando para ela. Se eu fizer isso ela larga a comida e vai para o esconderijo. Dois deles eu conheço: dentro do sofá e dentro do guarda-roupas, mas os demais são realmente secretos. Ela inspirou a BuscaCats serviço especializado na busca de gatos perdidos porque escapou de casa muitos anos atrás e ficou 37 dias perdida. Na incessante busca diária por ela foi que aprendi muita coisa que hoje ajuda outras pessoas a acharem seus gatinhos perdidos.

Mas Rebecca, embora excêntrica, não é fria. Ela cheira meu nariz e o toca com as patinhas. Ela fica longos minutos me olhando bem nos olhos e solta um miadinho bem típico dela que eu interpreto como "me aceita como sou". Eu amo muito essa Selvagem.


Texto e fotos: Fátima ChuEcco jornalista e escritora, consultora da @buscacats


sexta-feira, 13 de outubro de 2023

Os animais são também vistos como vítimas das guerras. Uma pequena mas importante luz!


As guerras se tornaram "bem" piores, mais fatais, com armas mais letais e de longo alcance. Isso é fato. O grau de atrocidade não diminuiu dos primórdios da humanidade pra cá.... infelizmente. Civis ainda são alvo de massacres, torturas, sequestros e sequer poupam bebês, crianças e gente indefesa. 

Mas tem alguns avanços, felizmente. Um deles é que, com um mundo inteiramente conectado, pessoas de qualquer parte do planeta podem se unir e se mobilizar para ajudar as vítimas de países em guerra. A solidariedade ganhou muito com o advento da internet.

Foto matéria do UOL cujo link segue no texto

A outra coisa relativamente nova e muito boa é que os animais, sejam domésticos ou que estão em zoológicos, passaram também a ser vistos como vítimas da guerra e incluídos nos resgates como, por exemplo, tem acontecido com o transporte aéreo de cães e gatos de famílias brasileiras que estavam em Israel.

Aliás, a tutora de uma cachorrinha que voltou para o Brasil num dos aviões da FAB, disse que foi justamente a cadelinha que tranquilizou as crianças durante o vôo. Nesse mesmo avião estavam ainda três gatos. Veja matéria do UOL acessando AQUI e AQUI

Nas redes sociais têm circulado vídeos de moradores da Faixa de Gaza salvando animais de escombros. Veja matéria da BBC (foto de abertura) acessando AQUI 

Foto de matéria do UOL cujo link é citado neste artigo

Vi uma reportagem com um rapaz que se encontra em Israel, próximo da região em guerra, e que não pretende deixar o país, inclusive, por causa de seus animais. Ele disse que, além da esposa e filhos, a família também conta com vários animais, o que dificultaria a retirada de todos em segurança. Então eles preferem ficar na zona de perigo.

Forte isso, não? 

Isso acontece muito, mas muito mesmo na Ucrânia, como aliás já publiquei nesse blog anteriormente. Inclusive muitos soldados estão cuidando de animais nas regiões em guerra.

Tem muita gente na Ucrânia arriscando a própria vida para salvar cães e gatos que foram abandonados, que estão feridos, famintos ou que tiveram suas famílias mortas. Pelo instagram é possível entrar em contato com esses grupos de resgate na Ucrânia, conforme matérias que podem ser vistas acessando AQUI e AQUI


No começa da guerra na Ucrânia também vimos muita gente carregando seus cães e gatos na fuga para abrigos subterrâneos e para outros países.

PENSE:

MAS... Por que ainda existe guerra por questões politicas, religiosas e econômicas?

Soma-se a essa outra pergunta: por que tanto empenho do homem na sofisticação do armamento de guerra?

Estando num estágio evolutivo mais avançado que todas as demais espécies do planeta (pelo menos do ponto de vista intelectual) , não seria natural estarmos livres de guerras? Afinal, evolução não combina com destruição em massa.

Pelo menos para mim é difícil acreditar num planeta tão bonito, que tem tudo para ser perfeito, mas que é dominado por uma espécie (a humana) capaz de tantas coisas horríveis. A Terra é tão maravilhosa que tem água, comida e espaço para todo mundo... para todas as criaturas sejam humanas ou não.

Então as guerras parecem apontar que a evolução intelectual não tem qualquer ligação com a evolução "social, moral, espiritual" etc. Pode-se ir para Marte ao mesmo tempo em que inocentes são massacrados na Terra.

Foto Pixabay free

Quem se sente de outro planeta levanta a mão!

Eu me lembro que quando era criança já me preocupava em estar num mundo como a Terra. Bem... eu estava com 8 ou 9 anos e tinha acabado de ler "O Pequeno Príncipe". Talvez influenciada pelo livro, que narra os questionamentos de um menino perante coisas simples da vida, eu me sentava todo fim de tarde no quintal do prédio na esperança de uma nave espacial vir me resgatar.

Como eu, talvez alguns de vcs já tenham tido essa sensação de não pertencer a esse lugar que parece tão primitivo em alguns aspectos. Eu praticamente nada sabia da vida ainda... não tinha enfrentado guerra nem terremoto... era apenas uma menininha moradora de SP, mas que achava ter sido deixada "aqui" por algum engano e que acalentava a esperança de voltar para um  mundo mais evoluído onde todos pudessem conviver em paz... todas as espécies.

Achava que sentada no quintal no fim do dia, quando mais ninguém por ali circulava, ficaria mais "visível" às naves de resgate vindas da minha verdadeira Terra... num outro  planeta.

O resgate não veio. Então escolhi ser jornalista para ajudar em algumas questões desse tempo e, em especial, em assuntos ligados aos animais. Por isso escrevo sobre eles e me preocupo com a situação deles desde novinha.

E de lá para cá vejo cada vez mais pessoas com essa mesma conduta... gente de todas as idades se dedicando a criar um mundo melhor para todos.

Foto Pixabay free

Infelizmente, parece que a guerra tem um poder que se renova em todas as partes do globo terrestre.  E nem mesmos conselhos internacionais que deveriam repelir qualquer tipo de guerra conseguem deter essa violência que atravessa milênios.

As razões para se fazer guerra, curiosamente, são praticamente as mesmas para não detê-las quando elas explodem: razões politicas e especialmente econômicas.

Parece que os terráqueos, a cada dois degraus que sobem no avanço tecnológico descem três no campo afetivo/coletivo. 

O lado bom disso tudo é que tem cada vez mais gente solidária neste mundo e cada vez mais crianças melhores nascendo para povoar a Terra.

Texto: Fátima ChuEcco, jornalista e escritora

domingo, 8 de outubro de 2023

As cores curam? Seria uma terapia futurística essa que já temos nos dias de hoje?

 


Algumas vezes sonho com procedimentos médicos que nunca vi em nosso tempo. A cromoterapia é bem antiga e muitas vezes se beneficiam dela, mas recentemente sonhei com um tipo de cromoterapia que atravessa o corpo como um laser.

Já viram em filmes de ficção científica uns bastões com cores que servem para curar e cicatrizar feridas entre outras coisas? Pois eu sonhei com finos bastões que podiam introduzir cores dentro do corpo do paciente chegando até o orgão que necessita de tratamento.

O feixe de luz, fino, mas vibrante, atravessa a pele, os tecidos, ossos, veias, nervos... ele vai direto para onde precisa atingir. Sem cortes. Indolor.

Os bastões de cromoterapia já temos nos dias de hoje, mas o que meu sonho mostrava era literalmente a luz colorida saindo do bastão e caminhando dentro do corpo.

Noutra ocasião sonhei com uma Estação de Cura. As pessoas subiam uma pequena escada até grandes e pesados portões que davam acesso a um salão inundado de água cristalina. Dentro desse local, que era como uma piscina, também havia degraus onde as pessoas se fixavam para banhar os pés até o tornozelo.

Havia um horário de funcionamento porque em determinado ponto do dia aquela água subia. Então os portões se fechavam e só abriam no outro dia quando a água descia.

Tudo tão limpo, silencioso, calmo... 

Achei tão bacana que quis compartilhar.

Fátima ChuEcco, jornalista e escritora

Série da Netflix mostra como o Amor atravessa universos paralelos


Se vc se interessa por filmes que tratam da teoria dos universos paralelos, a série da Netflix "E se eu não tivesse te conhecido" vai lhe entreter, intrigar e acima de tudo EMOCIONAR. Inclusive destaquei a fala de uma personagem que me tocou muito:

"O Amor é a única Força que Move, Atravessa e Unifica os Universos".

São 10 capítulos... não tem segunda temporada. E o final é muito bonito!

É sobre um homem que perde a mulher e dois filhos num acidente de carro e acaba conhecendo uma cientista que lhe oferece um dispositivo para visitar suas "vidas paralelas". A intenção é que ele possa fazer algo em outros universos que impeça o acidente.

A Dra Everest (cientista) diz que que "Há um universo para cada decisão que tomamos"... assim, estamos nesses universos com as mesmas pessoas, mas em situações diferentes. Muita coisa é praticamente igual, mas nossas ações vão tornando uma vida diferente da outra.

Albert Einstein dizia que a “diferença entre passadopresente e futuro é apenas uma persistente ilusão". Em sua visão tudo ocorre ao mesmo tempo.

É um tema muito complexo e polêmico. Há quem acredite ser possível viagens até esses outros universos. Há quem diga que já fazemos essas viagens enquanto dormimos, afinal, sonhamos estar convivendo com entes queridos que já morreram e com lugares que conhecemos, mas em outras circunstâncias.

E há quem ache tudo isso uma loucura!

Nesses filmes em que se consegue chegar a universos paralelos é comum a presença de outra teoria: a de que o simples bater das asas de uma borboleta pode modificar algo do outro lado do mundo. Então, cada coisinha que a gente muda numa vida paralela altera tudo ao nosso redor naquela dimensão.

São infinitas as possibilidades. Pense: e se vc não tivesse se casado? E se tivesse se casado com outra pessoa? E se vc tivesse feito outra universidade? E se vc tivesse se mudado para outro país?

Cada atitude leva a inúmeros desfechos. É sobre isso essa série  que muito recomendo.

Texto: Fátima ChuEcco, jornalista e escritora




quinta-feira, 5 de outubro de 2023

Novidade: Avental Fashion Estampa Cat/Dog Dupla Face


Que tal colocar a mesa para um almoço ou jantar em família ou entre amigos preservando sua roupa e ainda se mantendo elegante? É essa a proposta do Avental Fashion Cat/Dog Dupla Face

Estampa cachorrinhos vira-latas

De um lado tecido com graciosas estampas de gatinhos ou cachorrinhos e adereços para que você continue bem vestida enquanto coloca pratos e utensílios na mesa. Algumas estampas, como a da foto acima, são do designer de tecidos Afonso Franco

Estampa de gatinhos filhotes em abóbora que é a cor da Prosperidade

O outro lado, plastificado (liso ou estampado), também delicadamente decorado nas bordas e bolsinho, é para o caso de vc ter que, de repente, lavar uma "loucinha". 

Estampa Cachorrinhos de Afonso Franco

Além disso, é um avental "decorativo", que pode ficar pendurado na cozinha enquanto não estiver em uso. Fica um charme!


Não tem peça repetida. É um diferente do outro!

Veja alguns modelos acessando o blog AQUI e peça mais informações pelo zap 11 94682-6104

Veja também as caixinhas de Gatinhas customizadas. São revestidas com tecidos e lindamente decoradas. Restam só 4 unidades!









Entrevista Internacional: Conheça J`accuse, o cãopanheiro de Lupin (Série Netflix)

Quem acompanha a série "Lupin" da Netflix já deve ter se encantado com o cachorrinho adotado pelo personagem Assane Diop, interpr...