quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Ansiedade de separação dispara entre os animais por conta da quarentena. Saiba o que é isso e como tratar!

 


O isolamento social foi uma experiência nova e difícil para nós, humanos. Mas para muitos cães, acostumados a conviver com seus tutores apenas poucas horas por dia, o isolamento foi motivo de festa, afinal, puderam receber mais atenção, carinho, além de brincarem e se divertirem por bastante tempo com suas famílias.

No entanto, com a flexibilização da quarentena da Covid-19, em que muitas pessoas começaram a voltar para seus trabalhos fora de casa, a alegria desses cães começou a se desfazer e junto veio o medo de ficarem sozinhos cada vez que o tutor abria a porta em direção à rua. Para muitos deles ficou difícil de entender e, ainda mais de absorver, uma mudança tão brusca.

O resultado é bem visível e, aliás, também audível, porque os cães sob uma condição chamada de SAS - Síndrome de Ansiedade de Separação latem, choram e uivam horas a fio temendo terem sido abandonados.  É uma espécie de pânico que se manifesta também por meio de comportamentos destrutivos ou inadequados como arranhar portas e janelas, cavar tapetes, morder sapatos e móveis ou urinar e defecar pela casa. Veja matéria completa para saber como lidar com isso acessando AQUI

segunda-feira, 5 de outubro de 2020

Quem nunca teve problema com PULGAS levanta a pata!

Se pudessem falar, cães e gatos ao serem entrevistados sobre o que mais causa incômodo a eles, com certeza responderiam sem pestanejar: as pulgas. Pudera! Essas minúsculas inimigas dos animais domésticos não causam apenas coceira, mas também podem ocasionar vários problemas difíceis de tratar e ainda mais de conviver. Um deles é a Dermatite Alérgica a Picada de Pulgas (DAPP) desencadeada por uma hipersensibilidade a algumas proteínas presentes na saliva desses parasitas.

Entre os sintomas da DAPP estão coceira intensa, vermelhidão, crostas e feridas em várias regiões do corpo (o que pode levar a infecções bacterianas), perda do pelo e manchas na pele. Os locais mais afetados por esta dermatite são a cauda, ânus, região dorsal, coxas, abdômen e pescoço.

Além disso, a coceira pode deixar os animais estressados e irritados causando outros distúrbios no organismo. É por isso que o tratamento alopático pode ser muito bem combinado com terapias complementares que irão cuidar também da parte emocional do bichinho ajudando a amenizar os sintomas da DAPP. Leia a matéria completa AQUI

Fátima ChuEcco jornalista/escritora www.miaubookecia.com 



Entrevista Internacional: Conheça J`accuse, o cãopanheiro de Lupin (Série Netflix)

Quem acompanha a série "Lupin" da Netflix já deve ter se encantado com o cachorrinho adotado pelo personagem Assane Diop, interpr...