domingo, 31 de agosto de 2014

MÃE É MÃE EM QUALQUER ESPÉCIE - POR ISSO NÃO SE DEVE COMPRAR ANIMAIS





 
O principal argumento contra a compra de filhotes de cães e gatos é que já há muitos animais abandonados precisando de um lar, mas creio que existe outro fator ainda mais crucial que é a vida que levam essas “mãezinhas” separadas dos filhotes logo após o parto, impedidas de cuidarem deles e de exercerem o que há de mais lindo, natural e forte na natureza delas: o instinto maternal. Os filhotes são em geral mantidos em estufa e colocados perto delas apenas para mamarem. Não é permitida a interação mãe/filhote e isso é, no mínimo, angustiante.
 
 
Por isso, por mais que um criadouro esteja completamente legalizado e obedecendo as regras de acomodação, alimentação e higiene, não dá pra negar que essas “mãezinhas” levam uma triste vida, pois, elas não recebem amor, não têm um lar, uma família e não convivem com outros animais. Passam a vida, na melhor das hipóteses, em baias com algum sol, comida, água e enfrentam a agonia de verem seus filhotes sendo levados embora, ainda quando recém-nascidos, cria após cria. Dá pra dizer que esse tratamento é ético apenas porque respeita normas de alimentação, acomodação e higiene?
 
Quem tem qualquer animal sabe o quanto os bichos são extremamente emocionais. E para quem é mãe, imagine ser mantida num quarto com alimento, uma cama e aguardando a hora de perder os filhos novamente. Nem estou me referindo aos criadouros pavorosos que toda hora são denunciados. Em alguns as fêmeas são amordaçadas, amarradas e sofrem estupro por parte dos machos. Mas estou falando de criadouros “dentro da lei” porque, em geral, as pessoas desconhecem que há também muito sofrimento neles.
 
 
Vou citar um exemplo concreto só para ajudar a ilustrar a situação que vivem esses animais.

Muito tempo atrás, quando a castração ainda era pouco difundida, eu tinha uma amiga cuja mãe afogava no tanque os bebês de uma cachorra da família.  Foram várias crias com esse cenário de horror. Certa vez, desesperada, a cachorrinha escondeu os filhotes no forro da casa. Infelizmente, os bebês foram achados e mortos. Minha amiga dizia que não conseguia impedir pq a mãe agia quando ela não estava em casa. Estou usando esse exemplo, que me marcou “demais”, pra mostrar o quanto aquela cachorrinha, apesar de nunca ter amamentado uma cria, tinha o desejo “latente” de criar seus filhotes. Imaginem o desespero dela cada vez que paria e a dona da casa vinha retirar os bebês para afogá-los.
 
 
Agora é só transferir essa situação para os criadouros. Imaginem o desespero daquelas mãezinhas cada vez que elas dão cria sabendo que um humano virá arrancar os filhotes. Se elas pudessem, também esconderiam as crias. Algumas chegam a deitar sobre os bebês tentando protegê-los sem noção que podem até mesmo esmagá-los. Outras reagem com agressividade e já estão com a parte emocional tão danificada que podem até matar os filhotes. É nesse cenário de dor, de angústia e de desespero que nascem os filhotes vendidos no mercado... mesmo os vindos de criadouros que seguem as normas previstas por lei.

Vale lembrar que essas cadelinhas dão cria num grande estado de estresse, de aflição, e que isso também não é saudável para os bebês.

Essas cachorrinhas ou gatinhas são, antes de tudo, mães, com emoções e necessidades iguais das mães de qualquer outra espécie, inclusive das mães humanas. Talvez, antes de imaginar como são os bastidores dos criadouros, vc tenha comprado um ou mais bichos, mas pode deixar de fazer isso e pode esclarecer outras pessoas que querem comprar. Nenhum criadouro pode ser ético porque separar precocemente mães e filhos não é ético... porque impedir o contato entre mães e filhos não é ético... porque comercializar vidas não é ético.

É muito difícil mudar a mentalidade de um criador. Se ele assiste esse sofrimento todo e não se compadece, não conseguirá se colocar um só minuto no lugar daqueles animais aprisionados para dar cria. Mas é possível mudar a mentalidade de quem compra esclarecendo sobre os “bastidores”.

É como aconteceu com os circos. Dono de circo jamais admitiu que os animais sofriam, mas a verdade foi vindo à tona e muitos frequentadores deixaram de ir a esses espetáculos de dor. O mesmo tem acontecido com os rodeios.

Então, se vc se sente esclarecido sobre isso, passe adiante seu conhecimento da situação para que mais pessoas desistam de comprar animais... de qualquer tipo. Não podemos impedir o funcionamento dos criadouros que seguem as normas, mas podemos abrir a mente das pessoas que ainda não conseguem imaginar como é a vida das “mãezinhas”. O argumento de que “comprar um animal tira a chance de outro ser adotado” é legítimo também, mas não atinge tanto as pessoas porque também poderíamos dizer as mulheres: não tenham filhos pq há muitas crianças, no mundo todo, abandonadas e passando fome. As mulheres “querem” ter filhos com seu sangue, seu DNA... pelo menos a maioria delas. Elas pensam: lamento por essas crianças, mas não é minha obrigação adotá-las.... não sou responsável por essa situação q elas enfrentam e tenho direito de ter um filho meu.

Seguindo a mesma linha de pensamento e ação, muitas pessoas querem ter filhotes de raça, perfeitos e higienizados pq elas simplesmente pensam: não é minha culpa ter tanto cachorro nas ruas e nem é minha obrigação tirá-los de lá, além disso, tenho direito de ter um bicho de raça.

Direito tem, mas é preciso avaliar o que essa “aquisição” acarreta.

 
Por isso é tão importante, cada vez mais, trazer à luz a miserável vida que levam as “mãezinhas” dos criadouros. A pessoa pode nunca ter abandonado um animal na rua, mas ao comprar um animal não escapa da responsabilidade de estar contribuindo para o sofrimento dos animais mantidos apenas para darem cria e, como disse no início, sem um lar, sem família, sem amor, passando a vida dentro de jaulas (que muitos amenizam chamando de baias) e separados bruscamente dos filhotes...

Passe isso adiante pq se a pessoa não se sente responsável pelo abandono de animais e nem com obrigação de adotar, pelo menos vai ser informada sobre sua responsabilidade em contribuir com esse pavoroso comércio de vidas.

 

MINHAS FOTOS NO PARQUE INDEPENDÊNCIA

 

Tirei a foto acima hoje, no Parque Independência. Reparem como o passarinho forma um conjunto interessante com o poste. Ele parece triste ou pensativo. Vejam a foto abaixo, do mesmo passarinho, num outro momento, só que dessa vez peguei em segundo plano o Museu do Ipiranga. E na sequência, fotos que tirei a caminho do Parque, de uma bela borboleta e de uma planta aquática.
 
 
 
 
 
 

O PODER DA IMAGEM: ESSA FOTO JÁ FOI COMPARTILHADA 140 MIL VEZES

 
 
 
E ISSO APENAS A PARTIR DO POST ORIGINAL NA PG DO FACEBOOK DE NEIL ABRAMSON. IMAGINEM COM OS COMPARTILHAMENTOS RAMIFICADOS A PARTIR DE OUTROS MURAIS! E É DE FATO ADORÁVEL! NEIL PUBLICOU A FOTO COM O TEXTO ABAIXO QUE É EXCELENTEEE!!! VEJA EM PORTUGUÊS E INGLÊS:
 
Vi esta citação e foto. Tinha de partilhar: "Não é nosso trabalho endurecer nossos filhos para enfrentar um mundo cruel e sem coração. É nosso trabalho criar filhos que farão o mundo um pouco menos cruel e sem coração" L.R.Knost
 
Saw this quote and photo. Had to share
“It's not our job to toughen our children up to face a cruel and heartless world. It's our job to raise children who will make the world a little less cruel and heartless.”
― L.R. Knost

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

DICA DE LEITURA PARA CRIANÇAS E ADULTOS


O Livro "Famílias Animais - Saiba como os filhotes vivem e se divertem", da Publifolha, não é novo, mas é sempre atual e muito, mas muito fofo mesmo. Com belíssimas fotos, mostra como pequenos macacos, pinguins, aves, elefantes e leões, entre outros, acompanham as mães e aprendem as lições de sobrevivência. Tem ainda algumas informações básicas de como cada espécie vive em liberdade. As fotos são acompanhadas por balões onde filhotes e suas mamães comentam a situação. Um livro que pode despertar o amor pelos bichos e o respeito pela natureza. Se vc é professor, leve para a sala de aula. Se tem filhos, netos ou sobrinhos... dê de presente para eles. Se ama bichos, compre para sua coleção. Dá vontade de ficar folheando o tempo todo.

 
 
 

domingo, 24 de agosto de 2014

CONHEÇA OS MUTANTES QUE JÁ ESTÃO ENTRE NÓS!!!



O humano do futuro será mais alto, mais magro, com braços e dedos mais longos, sem pelos, pouquíssimo cabelo, boca e dentes menores e não terá os dentes do siso e nem os incisivos laterais. SÓ QUE ESSE HUMANO JÁ ESTÁ EM CONSTRUÇÃO E VIVENDO ENTRE NÓS. Sua memória não será muito boa, mas em compensação terá habilidade para antever alguns acontecimentos (por meio de sonhos ou intuição). Muitos de nós já carregam uma ou mais janelas evolutivas que podem também ser chamadas de mutação. Eu, por exemplo, não tive os dentes do siso e, segundo minha dentista, só tive dois incisivos laterais (o normal é quatro), sendo que um deles é um microdente.

Mas é bom esclarecer desde já que as mutações não tornam ninguém “melhor” como pessoa. A natureza escolhe aleatoriamente indivíduos que receberão diversas mutações para ir aprimorando ou adequando a espécie a novas situações e estilo de vida. Se numa mesma família, pais, filhos e netos começam a nascer com uma mesma mutação, aí sim podemos supor que se trata de uma continuidade evolutiva passada geneticamente e que pode estar gerando indivíduos mais bem preparados para o futuro e talvez melhores tb como pessoas.
 
É preciso esclarecer ainda que quando, por exemplo, cito “ausência dos sisos” (tb conhecidos como dentes do juízo), me refiro a pessoas que não têm esses dentes nem mesmo inclusos, ou seja, que permaneceram dentro da gengiva sem força para nascer. Se a pessoa arrancou esses dentes, também não pode dizer que não os teve. Inexistência dos sisos é o não desenvolvimento desses dentes. Nossos ancestrais tinham os dentes do siso, também chamados terceiros molares, para facilitar a mastigação. No tempo das cavernas os alimentos eram muito mais duros e difíceis de serem mastigados. Hoje em dia, com alimentos mais moles e pastosos, os sisos perderam sua função, assim como os incisivos laterais, e a tendência é que deixem de nascer daqui pra frente. Essa tendência é chamada de evolução genética.
A odontologista, Márcia Notaro, de SP, explica: “Com relação aos incisivos, é como se a natureza começasse a entender que não há necessidade de quatro dentes superiores para segurar e cortar os alimentos. Só os incisivos centrais são suficientes”. Ela diz também que, embora a ausência de todos os sisos ainda seja rara, a ausência dos incisivos superiores e a formação de microdentes ao lado de incisivos centrais já é bastante comum. E essa anomalia nos dá aquele aspecto meio “vampiresco” que todo mundo corre no dentista pra consertar. Isso porque os incisivos laterais ficam pontudinhos.
 
 
Além disso, podemos esperar que os nossos dentes fiquem menores. Ao longo da evolução do homem, tem havido uma tendência geral para dentes pequenos. Evidências mostram que nos últimos 100.000 anos, nossos dentes reduziram pela metade em tamanho. Nossos maxilares também encolheram. A tendência deve continuar, especialmente porque nossa comida é cada vez mais facilmente digerível (trecho retirado do portal Nova Ciência).
Quatro dedos em cada pé
Antes dos humanos andarem eretos, nossos dedos eram usados para a luta, assim como nossas mãos. Conforme dependemos menos da escalada e mais de ficar de pé, nossos pés têm lentamente se reduziram ao seu tamanho atual. A evolução agora caminha para livrar-nos do nosso quinto dedo do pé, o menor. Em comparação com os dedos maiores que servem para nos dar equilíbrio e andar, os pequenos não servem de nada, e podemos sobreviver muito bem sem eles. Devido a isso, e por causa dos problemas que surgem a partir de sua existência desnecessária – como serem frequentemente esmagados em sapatos - podemos esperar que os humanos se tornem uma criatura de quatro dedos (portal Nova Ciência).
 
Braços e dedos longos – sim, igualzinho o Et
Alguns pesquisadores acreditam que devido ao fato de estarmos sempre teclando e digitando em função das novas tecnologias, os nossos dedos irão se desenvolver para reduzir a necessidade de chegar mais longe e as terminações nervosas também tendem a crescer devido ao uso frequente de dispositivos eletrônicos como os iPhones, que necessitam de coordenação mão/ olho. Os pediatras dizem que já se notam os dedos mais compridos em crianças que nasceram nos últimos tempos, comparativamente aos nossos antepassados.
 
Memória fraca e pouco cabelo

Para que memorizar coisas se as podemos achar facilmente na Internet? O antropólogo Chris Stringer, do natural History Museum, em Londres, explica que o nosso cérebro encolheu ao longo dos tempos porque não memorizamos tanto como os nossos antepassados já que os computadores e a internet nos permitem pesquisar tudo em segundos. Sem o devido exercício, a memória tende a se enfraquecer. E os pelos, que nossa espécie já perdeu muito, continuarão a sumir... em todas as partes do corpo, inclusive no alto da cabeça. Fazer o quê?
 
Nem homem nem mulher
Outra tendência é que os gêneros masculino e feminino fiquem cada vez mais próximos. A tal androgenia, que David Bowie já trabalhava desde os primórdios de sua carreira, pode se tornar uma aparência natural - humanos que lembram ao mesmo tempo homens e mulheres. Híbridos dos dois sexos. Um bom exemplo disso é o vocalista Bill Kaulitz da banda Tokio Hotel.
 
 
 
 
ANTECIPANDO O FUTURO
Muitas pessoas já conseguem antever fatos de suas vidas ou da vida de pessoas próximas. Algumas conseguem antever grandes catátrofes, acidentes, fatos marcantes. Elas sonham com esses acontecimentos de forma muito nítida ou então conseguem “pressentir” algum perigo ou situação dramática com dias ou horas de antecedência... até menos minutos antes. Essas premonições não chegam a ser diárias e em grande volume, mas ocorrem com frequência. Alguns pesquisadores chamam isso de “mutação”, bem parecida com outras citadas acima, porém, em nível mental e não apenas “físico” com mudanças no corpo humano. Antever fatos, especialmente ligados a situações de perigo, seria um aprimoramento da espécie no sentido de desenvolver um sistema mais sofisticado de auto-defesa.

Texto: Fátima Chuecco fascinada com o tema de janelas evolutivas
Obs.: Para compor esse artigo usei pequenos trechos de diversas pesquisas localizadas na Internet

O MELHOR AMIGO DO GANGSTER - SÉRIE BACANA SOBRE PROTEÇÃO ANIMAL


Tem uma nova série no Animal Planet que eu chamaria de "bem sincera". Mostra um ex-mafioso, metido com drogas e violência no Brooklin (EUA), que depois de 20 anos resolveu abrir uma pet shop com a esposa e resgatar animais. Digo que a série é "sincera" pq vcs podem ver muitas situações que já viveram ou assistiram na proteção animal. O protagonista é muito autêntico... é um brutamontes que ama animais e que, se precisar, chama outros "amiguinhos" pra dar conta de alguém que maltrata bichos. Em casa ele tem maia dúzia de cães  e alguns gatos. Lotação esgotada, mas no coração de Giuliani sempre cabe mais um. Passa aos sábados as 22h.


 

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

JOÃO CACHOEIRA QUE DÁ NOME À RUA EM SP, GOSTAVA MESSSMO DE CACHOEIRA!!!


Em uma recente matéria que fiz para a revista Vila Nova Conceição & Itaim Bibi sobre o shopping a céu aberto da Rua João Cachoeira descobri que João gostava muito, mas muito mesmo, de uma cachoeira que havia na região muito tempo atrás. Ele era o responsável pela porteira de uma chácara no Itaim e quando não estava lá para atender os moradores ou visitantes, perguntavam: "Cadê o João?"... e a resposta era sempre a mesma: "João está  na cachoeira!". Então  o apelido pegou e virou nome de rua. E Itaim Bibi também não é por acaso não. O "Seu Bibi" também foi um personagem local que marcou época. A maior delícia dessa matéria foi, no entanto, conhecer a Dona Guiomar Schilaro (foto de abertura) - umas das moradoras mais antigas e extremamente simpática. Ela foi morar na Rua João Cachoeira quando ainda só havia terra e duas chácaras. Acompanhou todas as mudanças. 

                                     Guiomar e Ida Venâncio na Rua João Cachoeira em 1932

Outro conhecedor e defender do bairro é o jornalista Helcias Bernardo de Pádua, que muito contribuiu para a reportagem. Ele também viu muitas transformações na região e batalha para a preservação da história do Itaim.

 
 
 
 

 
 

CANSEI DE SER GATO VIROU UM DELICIOSO LIVRO!


 
 
"Oi! Eu sou o Chico, mas quase todo mundo me conhece pelo "Cansei de ser gato". Minha crise de identidade começou em julho de 2013, depois que descobri que a vida é curta. Ainda bem que tenho 7 e posso ser o que eu quiser! E resolvi ser algo diferente todos os dias" - assim Chico inicia seu livro, uma apanhado de imagens postagens em seu facebook  e site... e que fizeram muito sucesso. "recebo cerca de 300 comentários, sugestões pelo site e pelas redes sociais todos os dias, pelo menos 500 pedidos de casamento e 1000 mensagens de pessoas querendo me apertar", continua nas páginas da obra publicada pela Editora Novo Século.




As autoras, Amanda Nori e Stefany Guimarães, que aliás moram juntas, adotaram Chico em 2012. Ele estava cheio de pulgas, vermes e um pouco machucado. Inclusive, entrevistei a Amanda para uma matéria da revista Meu Pet onde falava sobre animais que ficaram famosos no facebook. Nas fotos Chico é travestido em diversas profissões, celebridades, situações, vira papa, fotógrafo e até sushi. Usa peruca, óculos, chapéu, fantasias... tudo muito simples e extremamente engraçado. O livro tem um formato quadradinho e capa macia que é uma delícia de apalpar. Ficou a "cara" do Chico! Busquem logo o seu nas livrarias. Minha intuição felina diz que vai esgotar!
 
 
 
 

AVES LIVRES - ASSIM QUE DEVE SER!!!

 

 

Estão abertas as inscrições para o Concurso “Arte pela Liberdade das Aves do meu País”. Podem participar crianças e jovens de todo o Brasil e tb do Exterior. Repassem pelo facebook para seus amigos, família, vizinhos, professores e tb para colegas do face que vivem no Exterior. Pássaro feliz é pássaro em liberdade. Podem ser participações coletivas ou individuais. O regulamento também pode ser visto e traduzido para vários idiomas em:  http://artmica.blogspot.com/
 
Fotos tiradas no meu quintal e mostra frequentadores assíduos
 
 

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

IMAGEM QUE VALE POR MIL PALAVRAS




ESSA BELÍSSIMA FOTO É DO FOTÓGRAFO ALEXANDRE SEVERO MORTO NO ACIDENTE AÉREO DESSA SEMANA. FAZ PARTE DO ENSAIO "À FLOR DA PELE" QUE RETRATA IRMÃOS ABINOS NASCIDOS NUMA FAMÍLIA DE NEGROS. VEJAM A NARRAÇÃO: Nasceram sem cor, numa família de pretos. Três irmãos que sobrevivem fugindo da luz, procurando alegria no escuro. O mais novo diz que é branco vira-lata. Os insultos do colégio viraram identidade. A mãe cochicha que são anjinhos. Eles têm raça sim. São filhos de mãe negra. O pai é moreno. Estiraram língua para as estatísticas e, por um defeito genético, nasceram albinos. Negros de pele branca. A chance dos três nascerem assim na mesma família era de uma em um milhão. Nasceram. Dos cinco irmãos, apenas a mais nova é filha de outro pai. Esta é a história do contrário.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

INSPIRE-SE NESSAS PESSOAS

                                            Convento de São Francisco em São Sebastião
 
O PROJETO TECENDO AS ÁGUAS, do Instituto Supereco, está completando um ano com atividades intensas no litoral norte de SP (São Sebastião e Caraguatatuba). São ações de educação ambiental, reflorestamento, saneamento básico (na cidade e no campo) e turismo sustentável. O Projeto visa envolver a comunidade nas ações ambientais fornecendo informação, suporte técnico e oficinas. Uma das metas é o plantio de 8, 5 mil árvores nativas na região. Conheça mais o Tecendo as Águas, inspire-se e participe. Acesse o site www.supereco.org.br
 
                      Implantação de fossa biodigestor em propriedade rural de Caraguatatuba
 
                                         Plantio de árvores nativas por estudantes da região

domingo, 10 de agosto de 2014

MARIPOSA LEOPARDO BOTA OVOS AZUIS


UMA MARIPOSA LEOPARDO BOTOU DEZENAS DE OVOS AZUIS DEBAIXO DA JANELA DO MEU QUARTO. NÃO A VI SE MEXER DURANTE UNS TRÊS DIAS E, DE REPENTE, SURGIRAM MINÚSCULOS OVINHOS. ELA TEM ESSE NOME PORQUE LEMBRA UM LEOPARDO BRANCO E EXISTE UMA VARIAÇÃO DELA QUE É GIGANTE. NUNCA TINHA VISTO UMA. AGORA, SE TUDO DER CERTO, VEREI DEZENAS.  AS FOTOS DO ACASALAMENTO E DOS OVOS SÃO MINHAS, AS DEMAIS SÃO DA INTERNET.

 

 
 

terça-feira, 5 de agosto de 2014

ATENÇÃO: SUAS NOTAS FISCAIS PODEM AJUDAR ONGS DE PROTEÇÃO ANIMAL

                                     Saguis Cravo e Canela que vivem da sede do Mucky 

É SIMPLES ASSIM: SEU CUPOM FISCAL AJUDA UM ANIMAL. Como sugestão, todos podem ajudar, por exemplo, ao Projeto Mucky, que há mais de 25 anos resgata, cuida e mantém saguis e bugios vítimas do tráfico, queimadas, maus-tratos e acidentes em sua sede em Itu, Interior de SP. São mais de 200 macaquinhos que precisam de alimentação, atendimento veterinário e abrigos de acordo com suas necessidades já que a maioria deles, devido as sequelas, não pode ser devolvida à natureza. EU CONHECI PESSOALMENTE o Projeto Mucky e pude conferir o trabalho sério e de pura dedicação que é feito lá. 

Recentemente, o benefício de se obter créditos de ICMS através da Nota Fiscal Paulista foi estendido a ONGs de Proteção e Defesa Animal em todo o Estado de São Paulo.Para destinar estes créditos ao Projeto Mucky é MUITO FÁCIL. Basta que nas compras do dia a dia, vocês peçam o Cupom Fiscal. Mas atenção!! Para que as notas possam ser creditadas à Instituição elas NÃO DEVEM CONTERCPF ou CNPJ do consumidor. Então na hora em que perguntarem a vocês se querem o CPF na sua nota fiscal basta dizer Não!

                                                    Bugio Momôh, foto Rosa Verderame

Para que a ONG consiga um bom percentual de créditos serão necessárias muitas notas fiscais. Vale lembrar que existem diferentes alíquotas para cada tipo de produto, por exemplo: Notas ou Cupons Fiscais de restaurantes, lanchonetes, lojas de perfumaria, comércio de vestuário, calçados e cigarros possuem as maiores alíquotas, já outros produtos como combustível, bebidas alcoólicas e refrigerantes possuem alíquota ZERO e não são aproveitadas para cadastro.

Prazo das notas:
As Notas ou Cupons podem ser cadastrados até o dia 20 do mês seguinte, ou seja, as notas de junho, por exemplo, podem ser cadastradas somente até 20 de julho, então devem ser escaneadas e enviadas para a ONG antes dessa data pelo endereço abaixo:
financeiro@projetomucky.org.br

Conheça melhor o Projeto Mucky e seus encantadores hóspedes acessando www.projetomucky.org.br 

                                                          Sagui Fofox que vive no Mucky



ESTRANHAS MANIAS FELINAS

“Daqui não saio, daqui ninguém me tira”. A frase, que é muito popular no Brasil, se encaixa direitinho em algumas situações protago...