quinta-feira, 23 de junho de 2022

Seberg é um dos melhores lançamentos da Netflix!


Bom filme baseado em história real é "Seberg" sobre a vida e ativismo da atriz Jean Seberg, interpretada maravilhosamente por Kristen Stewart. Está entre os lançamentos de junho na Netflix e conta o envolvimento de Seberg com o Movimento Panteras Negras dos EUA. 

O roteiro é bom, os atores ótimos e o figurino de Seberg, mergulhado na moda do final dos anos 60, é bárbaro. Aliás, Kristen está realmente linda no look de cabelos curtos e loiros. A casa dela também é um show à parte. Além disso, o filme retrata um momento histórico bem importante contra o racismo em terras americanas. 

É um dos melhores lançamentos da Netflix nos últimos tempos e aguça nossa curiosidade para saber mais sobre uma atriz que morreu jovem em circunstâncias até hoje pouco esclarecidas. Seberg teve sua primeira aparição no cinema, aos 18 anos, no filme "Santa Joana" em que era a própria Joana D`Arc. E ficou famosa com o filme Acossado  (foto)


Veja o trailer de Seberg:


Texto: Fátima ChuEcco jornalista e escritora

domingo, 19 de junho de 2022

Gatinho vive em luxuoso hotel de Nova York e participa de campanhas inclusivas e pet-sociais




Hamlet VIII, esse gatinho da foto, vive no The Algonquin Hotel, um dos mais famosos de Nova York, nos EUA. Hamlet foi resgatado de uma colônia de gatos selvagens em Long Island é o 12º felino residente do The Algonquin. É ele quem normalmente recepciona os hóspedes.

Desde que foi adotado pela equipe do hotel, esse gatinho nem sonha em pisar na lama ou caçar para sobreviver, mas marcas do passado ainda são visíveis como o corte na orelha esquerda (marca comum em gatos de vida livre castrados).

Hoje Hamlet tem sob as patas um suntuoso piso de mármore e sofás maravilhosos para tirar uma soneca.  Mas a vida de gato "rico" não o impede de fazer um trabalho "social". Ele é o “garoto-propaganda” de inúmeros eventos em prol de abrigos de animais de NY e também participa de campanhas inclusivas como o Pride Month que é comemorado de 1 a 30 de junho nos EUA e corresponde à parada LGBT+ do Brasil.



Como é um gatinho muito querido, que recebe cartas e presentes de fãs do mundo todo, ele aparece, inclusive, na apresentação do Hotel no site, onde tem também uma página inteirinha dedicada a ele cheia de fotos, afinal, tem gente que só se hospeda no luxuoso Algonquin por causa do Hamlet. Veja AQUI



Já fiz uma matéria na Miaumagazine de Portugal sobre Hamlet recheada de maravilhosas fotos. Leia AQUI





Acompanhe Hamlet VIII pelo Instagram

Duarante a pandemia de Covid-19, a rede Marriott International, do qual o The Algonquin faz parte, fez parceria com o Colégio Americano de Médicos de Emergência, com a Associação de Enfermeiros de Emergência e a Associação Americana de Hospitais para hospedar médicos e enfermeiros da linha de frente com acomodações gratuitas..

Durante aquele período Hamlet, com todo seu encanto, alegrou um pouco a vida desses profissionais que dedicam suas vidas para salvar outras vidas.

Fotos: Rede Social "The Algonquin Cat"

Fátima ChuEcco
Jornalista/Escritora




terça-feira, 14 de junho de 2022

Belíssimo filme sobre o gorila Ivan, baseado em fato real, em cartaz na Disney


Esse é um daqueles filmes em que, ao final, muita gente agradece por ter assistido. Embora seja uma produção da Disney e isso nos leve automaticamente a pensar que se trata de um roteiro infantil e absolutamente fantasioso,  o filme "O Único Ivan" é na verdade uma crítica bem contundente ao confinamento e exploração de animais selvagens.

Por isso não espere ver um bando de animais felizes em trabalhar num circo. Os personagens demonstram tristeza e desejam a liberdade que lhes foi roubada. Eles até planejam uma fuga. 

Talvez por isso deva ser um filme importante para as crianças e adolescentes assistirem... porque mostra o lado oposto ao glamour que o picadeiro tenta passar. E como é na infância que muitos dos nossos conceitos se formam, quem sabe as novas gerações aprendam a tratar os animais com mais respeito assistindo a vida do gorila Ivan. 

Além disso, o filme tem uma menina como personagem que entende Ivan e na qual outras crianças podem se inspirar.

Angelinea Jolie é uma das produtoras e o ator Sam Rockwell interpreta com perfeição o gorila que existiu de verdade, passou 27 anos como atração de um shopping center nos EUA e morreu aos 50 num zoo onde finalmente pôde contar com área verde e outros de sua espécie (conforme retrata foto na abertura deste artigo).

Todos os animais do filme são fruto da mais avançada computação gráfica. Nota mil para todos os personagens e performances técnicas!

E uma curiosidade: são três graciosos finais. Assim como já foi padrão nos filmes da Marvel o filme continuar mais um pouco depois dos letreiros, em "Ivan" isso também acontece. 

Então preste atenção: depois dos primeiros letreiros vem mais um final. Daí novos letreiros e, de repente, um terceiro finalzinho lindo!

Outro ponto interessante do filme: no final mostra fotos e vídeos reais do Ivan junto com o resumo de sua história - um recurso raro em filmes da Disney.

Veja o trailer:


Ivan  é um espetáculo de expressões faciais

Em 2020, o ator que interpreta Ivan disse em uma entrevista:

“É um ótimo roteiro e uma ótima história. Thea Sharrock é uma diretora incrível porque ela vem do teatro. Tivemos uma conversa no início, onde falamos que era uma história profunda. Não é apenas para crianças. Não é apenas uma brincadeira. Há muita potência emocional nisso. ”

E acrescentou: “Eu amo todos aqueles filmes do Planeta dos Macacos e Livro da Selva e sou obcecado por King Kong desde que era pequeno. Sempre que vou ao zoológico, vou direto aos gorilas. Quando consegui esse emprego e fui conhecer Thea, fui ao zoológico de Londres. Portanto, gorilas têm sido um tema em toda a minha vida. Eu amo sua qualidade estóica. Eu amo que eles são solitários e há algo muito trágico sobre eles para mim. Quando esse trabalho surgiu, fiquei animado para interpretar Ivan. Ele está tendo uma chance no filme de se tornar um herói".

Leia a matéria completa (em inglês) AQUI 

Conheça a verdadeira história de Ivan

Primeiro Ivan foi arrancado da sua família na República Democrática do Congo e entregue a um casal que o criou até os cinco anos de idade junto com o filho humano.

Ivan sentava na mesa, dormia na cama com seus pais adotivos e até frequentava o balanço de um parquinho infantil, mas ao se tornar mais forte e começar a quebrar tudo na casa, como reflexo de seu desenvolvimento, foi lançado numa jaula de um centro comercial nos EUA para virar atração principal.

No shopping ofereciam a ele cigarros e hambúrgueres (lembrando que gorilas são vegetarianos por natureza). Ele também podia assistir uma TV em preto e branco.

Os gorilas são 98% parecidos com os humanos. Eles são geneticamente mais parecidos com humanos do que com chimpanzés. É por isso que Ivan, da espécie “gorila da planície”, podia pintar e desenhar com lápis de cera - aliás, a única forma que ele tinha para expressar sua tristeza.



Tudo era motivo para atrair clientes e, de fato, Ivan logo ganhou milhares de fãs que o assistiam por meio de vidros que cercavam sua jaula.

Ivan não tomava sol e jamais respirava ar puro. Numa ocasião lhe deram um tapete verde supondo que assim ele se sentiria mais próximo da selva. 

Em 1991, o National Geographic Explorer lançou o documentário "The Urban Gorilla" narrado por Glenn Close e que motivou manifestações pedindo a libertação de Ivan. 

Recomendo assistir o vídeo abaixo (The Urban Gorilla) que mostra Ivan no ambiente frio onde foi obrigado a ficar por 27 anos, abandonado pela família que o fez se sentir por algum tempo amado.


Ele terminou seus dias no Zoo Atlanta, na Geórgia, onde passou 18 anos (de 1994 a 2012) e morreu devido a um tumor no peito. Embora se tratasse de um zoo, o ambiente era imensamente melhor que o shopping porque Ivan vivia solto numa minifloresta com outros gorilas. 

Veja vídeos de Ivan no zoo:





Ivan era um "dorso prateado" que, no mundo dos gorilas, significa ser um líder natural que geralmente chefia um grupo e tem muitas fêmeas. No entanto, mesmo estando com outros de sua espécie por 18 anos, Ivan não teve filhos. 

Abaixo Ivan no Zoo onde passou seus últimos anos.


Fátima ChuEcco jornalista e escritora

Site www.miaubookecia.com




segunda-feira, 13 de junho de 2022

No Brasil é permitido destinar de 50% a 100% da herança para alguém que cuide dos animais orfãos



A Covid tem aumentado o número de animais orfãos e sabemos que o maior desejo dos tutores é deixar seus cães e gatos seguros, com pessoas que continuem cuidando deles com amor.  E isso pode ser feito até com um testamento escrito a mão... isso mesmo... um testamento do próprio punho desde que tenha assinatura de três testemunhas. Ninguém gosta de pensar nesse assunto, mas é necessário porque hoje em dia, mais do que nunca, ninguém sabe o dia de amanhã.... e, além disso, é preciso encarar testamentos com naturalidade, como um "seguro" para os filhos de quatro patas.

Segundo o Código Civil brasileiro é possível deixar de 50%  a 100% de sua herança para uma ONG ou pessoa que se comprometa a cuidar de seus animais. No caso de você ter os chamados "herdeiros necessários" que são os cônjuges, descendentes (filhos, netos e bisnetos) e ascendentes (pais, avós e bisavós), esses herdeiros, por lei, ficam com 50% e você pode destinar os outros 50% para quem quiser.

No entanto, se a pessoa não tiver "herdeiros necessários" pode destinar 100% de sua herança da maneira que quiser

Irmãos, tios e primos não são herdeiros necessários e eles só ficam com a herança se não houver um testamento destinando a mesma para outras pessoas ou entidades.


Então, por exemplo... digamos que uma senhora viúva, com casa própria, tenha cinco cachorros e dois filhos que não moram com ela e não têm nenhum interesse ou não possam cuidar dos animais caso ela morra. Os filhos obrigatoriamente ficam com 50% da propriedade, mas os outros 50% ela pode destinar a uma amiga de confiança que se comprometa a ficar com os animais.


E será que é caro fazer um testamento?

Tem pelo menos dois jeitos, um chamado "testamento público" feito em cartório e de custo elevado (entre R$ 1.600 e R$ 2 mil) e outro chamado "testamento particular", de custo zero, que pode ser escrito com o próprio punho da pessoa e não precisa de advogado nem de cartório. Nos dois casos é obrigatória a assinatura de três testemunhas que não sejam beneficiadas pelo testamento.

A vantagem do testamento público, para quem tem condições de fazer, é a segurança de estar registrado num cartório.  No testamento particular, o documento precisa ser muito bem guardado por alguém de confiança que o apresente no momento certo à Justiça. 

Esse testamento particular pode ser alterado sempre que for necessário. Basta redigir de novo e colher assinatura de três testemunhas.

Os dois testamentos têm o mesmo valor jurídico e herdeiros necessários podem contestar nos dois casos.

Acontece que poucas pessoas têm conhecimento desse direito e é, muitas vezes, por conta disso, que vemos cães e gatos sendo abandonados à própria sorte nas ruas quando seus tutores morrem.

A herança não pode ser deixada de forma "direta" para os animais porque no Brasil eles não são reconhecidos como "sujeitos de direitos", mas é perfeitamente possível, como explicado acima, destinar de 50% a 100% da herança (dependendo da existência ou não de herdeiros necessários) para uma ONG ou pessoa próxima que se encarregará de assumir os animais.


“Cuidarei enquanto puder” 

Esse é o pensamento de muita gente que tem animais de estimação: "Cuidarei enquanto puder". Porém, dessa forma, esses tutores se comprometem apenas com o presente e não com o futuro de seus amados companheiros. É preciso ter em mente que, não importa a idade, qualquer pessoa pode morrer antes de seus cães e gatos.

Nem sempre a família tem interesse ou mesmo condições de assumir os animais do falecido e, aliás, nem tem obrigação, ainda mais quando são muitos os “orfãos de quatro patas". 

Quantas vezes não vemos protetores desesperados nas redes sociais buscando lar emergencial para animais cujo tutor morreu e que serão despejados do imóvel?

Muitos desses tutores talvez tivessem um imóvel, uma poupança, um carro ou qualquer outro bem que pudesse ser destinado a alguma ONG ou protetor de animais, mas por puro desconhecimento, não faz um testamento e seus bens ficam integralmente para a família ou para o governo, pois, na ausência de parentes quem leva a herança é a União.

Freddie Mercury, da banda Queen, destinou boa parte de sua herança a sua amiga Mary Austin em testamento e, principalmente, a mansão onde ficavam seus gatos. Outras celebridades pelo mundo afora também já manifestaram publicamente seus desejos de deixarem os animais de estimação com uma farta conta bancária. 

A lei varia pelo mundo. Na Alemanha, por exemplo, é possível deixar 100% de uma herança para os animais de estimação. Já em Portugal apenas 1/3 da herança.

Saiba como fazer

Para facilitar e incentivar os testamentos que beneficiem animais, abaixo seguem alguns links que explicam direitinho tudo sobre esse assunto e, inclusive, o link da onde tem o modelo de um testamento particular para fazer sem erros, de acordo com a lei.

Vale lembrar que além do testamento é importante deixar uma carta com orientações sobre os animais: idade, comportamento, ração que comem, doenças crônicas e medicamentos que tomam, além do contato do veterinário que acompanha algum deles. Essas orientações podem ser fixadas na porta da geladeira, por exemplo, a fim de serem sempre atualizadas e ficarem visíveis para parentes e amigos.

Modelo de testamento particular, simples e de custo zero. Acesse AQUI

"Nem todo herdeiro é necessário". Essa matéria da Folha explica direitinho a diferença entre herdeiros que obrigatoriamente recebem 50% dos bens  e os demais herdeiros que podem ser excluídos da herança. A matéria dá até um BOM EXEMPLO de pessoa que tenha cães e deseja deixar parte de sua herança para uma ONG. Acesse AQUI

"Testamento evita brigas depois de sua morte. Veja como fazer e quanto custa". Nessa matéria do UOL você tem detalhes sobre três tipos de testamentos: público e particular, que já abordei no artigo, e o fechado, que é mais raro. Acesse AQUI

Créditos

Foto de abertura: Barbara Jackson/Pixabay Free, Foto varios animais: Gerard G./Pixabay Free, Foto moça com cão: Zigmars Berzins/Pixabay Free, Foto close cão: Public Image/Pixabay Free e Foto de tutor com gato: Pexels/Pixabay Free

Texto e pesquisa de Fátima ChuEcco jornalista escritora www.miaubookecia.com










domingo, 12 de junho de 2022

Dica de filmes envolventes e inteligentes da Netflix para quem AMA suspense


Anote esse nome: BADLA. Estranho? É um filme indiano de 2019 sensacional, sustentado em jogo mental e remake do não menos fantástico "Um contratempo" (espanhol de 2016), também disponível na Netflix. Dirigido por Sujoy Ghosh, o roteiro é envolvente e nos leva a acompanhar o relato de um assassinato cheio de hipóteses. Você, certamente, também tirará suas próprias conclusões no desenrolar da trama e isso, aliás, é o ponto forte do filme, como é no original espanhol.

Os atores são excelentes: Amitabh Bachchan, Taapsee Pannu, Tony Luke e Amrita Singh. E é o tipo de filme gostoso de assistir a dois ou em mais pessoas porque vira uma espécie de exercício de raciocínio lógico em que todo mundo é motivado a tirar conclusões e fazer suas apostas num determinado desfecho.

Agora vou dizer o que me levou a ver esse filme: a trilha da abertura assinada pelo artista Jassie Gill - Abum Aukaat que tem 8 milhões de seguidores (e agora eu tb). AMEI a música da abertura e que pode ser conferida nos clipes abaixo, com cenas do filme:




Texto: Fátima ChuEcco jornalista e escritora



sábado, 11 de junho de 2022

Conheça e ajude as centenas de gatos vítimas da guerra na Síria


Talvez você já tenha ouvido falar ou visto da TV o "homem-gato de Aleppo" (Alaa Aljaleel) que assim ficou conhecido por resgatar gatos em  meio as cidades bombardeadas na Síria. Mas talvez não saiba que o trabalho desse "herói" não só continua como aumenta a cada dia. E a trajetória dele foi e continua sendo dura: por diversas vezes perdeu abrigos que comandava devido a bombardeios e tb teve suas instalações roubadas perdendo tudo de mais precioso: computadores e equipamentos médicos.

Veja a história contada no site do Santuário do Ernesto ou "Ernesto`s Paradise":

O santuário de gatos Ernesto foi formado em 2015 quando Alessandra Abidin, na Itália, estendeu a mão para um homem que ela tinha visto no noticiário, que havia ficado em Aleppo devastado pela guerra para alimentar gatos abandonados.

Alaa Aljaleel era eletricista, motorista de ambulância e socorrista. Aleppo estava no meio de uma guerra civil com bombardeios diários. Muitas pessoas deixaram a cidade e seus animais de estimação.

Com a colaboração de apoiadores foi formada uma página no Facebook e um pequeno terreno foi alugado que ficou conhecido como Santuário do Ernesto, em homenagem a um querido gato. 


Alaa continuou com seu trabalho de ambulância nas zonas de guerra oferecendo aos gatos comida e tratamento básico de primeiros socorros. No auge da guerra, o abrigo alimentava cerca de 100 gatos, alguns cães e ajudava a população local. Um playground foi construído para as crianças. À medida que a guerra aumentava, o grupo continuou a doar e ajudar as crianças e residentes locais com água e alimentos.

Vejam isso que tragédia: bombardeios e assalto

Em novembro de 2016, o santuário foi bombardeado e muitos gatos mortos. As tropas lutavam nas ruas. Alaa juntou o máximo de gatos que pôde e mudou-se para o que considerou uma área mais segura. Poucos dias depois, bombas de cloro foram lançadas nesta área e quase todos os gatos foram mortos novamente.

A população de Aleppo foi forçada a deixar suas casas e evacuada à força para a fronteira. Alaa e seu gato Ernesto entre eles.


Um imóvel foi alugado com doação de dinheiro. As portas foram abertas para gatos feridos e outro playground foi aberto para as crianças. 

O santuário sempre chamou a atenção da mídia e a localização divulgada em uma matéria. Pouco depois houve o assalto. A clínica veterinária foi destruída e foram levados laptops, máquinas e remédios.

Em abril de 2019 nova mudança de local e um novo nome "Ernesto`s Paradise" com espaçoi suficiente para os mais de 170 gatos .Um terreno também foi alugado e se tornou o lar de Bibers, o cavalo, Dodo, o burro, vários cães, coelhos, galinhas, raposas e pássaros. Mas essa área também foi tomada pela guerra e outras realocações foram necessárias.


Ainda em 2019,  o "Ernesto" abriu uma clínica veterinária gratuita na cidade oferecendo também  vacinação e esterilização.

De lá para cá, Alaa já precisou desocupar de novo o santuário quando a guerra tomou conta da área. Ele se mudou e continua com seu trabalho usando terapia com animais de estimação para ajudar crianças em traumas e resgatando gatos.

"A equipe do Ernesto`s Paradise agora emprega 13 pessoas, mas permanece em uma zona de guerra e bombardeios e combates ainda acontecem, mas continuamos em nossa missão de melhorar a vida das vítimas esquecidas da guerra, os animais da Síria. Dependemos totalmente de doações", diz Alaa.

Para conhecer e apoiar esse trabalho tão único e importante  acesse o site AQUI 

O Facebook do Ernesto Paradise tem muitos videos lindos com os gatinhos e outros animais. Basta acessar AQUI ou o Instagram @TheAleppoCatMen



Fátima ChuEcco Jornalista e Escritora

Site www.miaubookecia.com



segunda-feira, 30 de maio de 2022

Veja videos que provam que gatos apreciam TV. Seu gato também gosta de ver TV?



Na foto está minha gatinha Dianna assistindo a um desenho. Mas percebi também que ela ficou realmente interessada num outro desenho do canal DOGTV em que uma abelhinha zumbia alto enquanto passeava de flor em flor. Então filmei e ela ficou entretida um tempão, conforme se pode ver no video abaixo postado na página dela e da Rebecca Selvagem no Facebook. 

Para ver acesse AQUI

Por conta desse interesse em ver desenhos, Dianna foi inclusive uma das personagens de matéria publicada em jornal de Minas Gerais.



O gatinho Thor também adora assistir TV... mas ele prefere documentários com peixinhos. Na foto abaixo ele assiste ao vídeo "Oceano Relaxante". Helen, sua tutora, conta que ele ficou 20 minutos firme vendo o vídeo até adormecer.

                                  Thor vendo "Oceano Relaxante" no laptop

Dianna gosta de desenho.
Reparem como ela presta muita atenção!



O DOGTV, canal para cachorros, foi desenvolvido ao longo de três anos com o objetivo de relaxar e entreter os cachorros que ficam sozinhos em casa ou que, além das dezenas de brinquedos espalhados pela casa, precisam de "algo mais". Com base em estudos o conteúdo investe em cores, temas e escalas visuais e sonoras atraentes para os cães. A sonoridade foi criada a partir de timbres, frequências e volumes agradáveis para os animais e os elementos visuais respeitam as características da visão canina.

"Música instrumental, balbucio de bebês, risadas infantis, paisagens naturais e outros cães em momentos de alegria e calma são algumas das sequências e temáticas componentes da programação. O canal conta até mesmo com uma equipe de compositores e instrumentistas, que criam as trilhas sonoras da programação de acordo com os princípios estudados", declara a assessoria de imprensa da emissora.

Diz também que a função da DOGTV é amenizar medo, ansiedade e evitar comportamentos destrutivos. 

                                                   Foto Divulgação DOGTV

Pesquisa

A Universidade Tufts, de Massachusetts, realizou um estudo comparativo entre canais de TV convencionais e a DOGTV, com base nas reações e preferências dos cães. A pesquisa foi conduzida em 38 apartamentos de Los Angeles e Nova York, com cães deixados sozinhos por seis horas e expostos a diferentes programas. Os resultados mostram que os cães assistiram à DOGTV mais do que qualquer outro canal, e que os programas de relaxamento da DOGTV foram eficientes para 70% da amostra.

A programação da DOGTV é recomendada pela The Humane Society of the United States e usa métodos aprovados pela American Veterinary Medical Association e pela American Society for the Prevention of Cruelty to Animals.

Ok... esperamos que os cães possam saborear muito essa experiência... mas e os gatos? Não seria interessante introduzir uma programação voltada para os gatos já que eles passam, em geral, a vida toda dentro de casa?



Fátima ChuEcco
Jornalista/Escritora


domingo, 29 de maio de 2022

Gato perdido foi encontrado 107 dias depois e estava a apenas alguns metros de casa

Tem duas coisas importantes para tirar dessa incrível história de reencontro: a primeira é que não se deve perder a esperança de achar um gatinho perdido e a segunda é que ele pode estar muito, mas muito perto de casa... até mesmo na casa ao lado ou nos fundos da sua.

A Luciana Atti, de SP, fez de tudo e mais um pouco para encontrar seu gatinho Gandalf que escapou de casa em fevereiro deste ano. Quem frequenta os grupos de animais perdidos do Facebook certamente se deparou com o post dele porque Luciana postou sem parar nesses meses todos. 

Também fez o trivial: cartazes, sondagem na vizinhança e foi até outros bairros conferir se o gato achado era o Gandalf. A busca só terminou depois de longos três meses e meio, na verdade, exatos 107 dias em que a tutora não desistiu de procurar.

E sabem onde Gandalf estava? 


Vivendo em quintais das casas da rua detrás, no mesmo quarteirão, a poucos metros de distância. Uma rua onde, aliás, Luciana também fazia ronda com frequência. 

Vejam que relato interessante:

"Fui guiada pela intuição. Era fim de tarde e estava em casa quando algo me disse para descer naquela rua e dar uma olhada. Então ao chegar lá comecei a ouvir uns miados e na mesma hora identifiquei que eram do meu gato. Fui olhando as casas e, de repente, vi Gandalf no quintal de uma delas. Estava na escada de um corredor".

Pausa: acham que que foi fácil? Pois anotem isso: um gatinho perdido na rua pode não atender/responder ao tutor, principalmente quando já se passaram muitos dias. Os gatos criam uma certa desconfiança que está intimamente ligada à autodefesa. 

"Comecei a chamá-lo, mas ele descia 3 degraus e em seguida subia um. Tive que ter paciência e respeitar o tempo dele até que devagar começou a vir na minha direção. Então me permitiu fazer carinho e finalmente consegui pegá-lo. Foi uma emoção que não tem preço", conta a tutora.

Klaus Porlan, Luciana Atti e Gandalf

Luciana deduziu que Gandalf, nesse tempo todo, se alimentava graças à oferta de ração colocada nos arredores por vizinhos que amam gatos. E como tem gatos vivendo soltos na vizinhança deve ter ficado difícil para alguém perceber que Gandalf andava próximo deles.

"Embora a gente coloque muitos cartazes e fale com os vizinhos, não podemos desistir de procurar. No início temos esperança, depois surgem episódios de desânimo. Por isso é fundamental ter perseverança e fé, além de contar com pessoas altruístas. Muita gente se sensibilizou com minha busca e me ajudou".

Procure pertinho de casa

Como consultora sobre gatos perdidos vejo muito as pessoas perderem a esperança de encontrar o gatinho no decorrer dos dias. Claro que muita coisa de ruim pode acontecer a um gato na rua e essas hipóteses também precisam ser checadas junto a lixeiros, varredores de rua e vizinhos.

Mas se o seu gatinho não sofreu nenhuma fatalidade, a chance dele estar nos arredores da sua casa é muito, mas muito grande. Isso porque, bem diferente dos cães, que são andarilhos por natureza e podem percorrer de 3 a 10 km  por dia, os gatos não saem andando pelo bairro. 

Uma vez perdidos, os gatos buscam abrigo ou esconderijo o mais perto possível de suas casas. A sensação de segurança é muito importante para o gato e por isso eles evitam se expor demais em busca de alimento ou de algum lugar para ficar.

Podem se distanciar até uns 500 ou 600 metros... em alguns casos até uns 800 metros, mas isso andando um pouquinho por dia até acharem um porto seguro. Mas a grande maioria das pessoas me relata que encontrou o gato em casas da vizinhança mais próxima. Foi o caso da gatinha Irene (foto), encontrada na casa que fazia fundos com a sua. Leia AQUI



Mas um gato não pode ir parar longe?

Pode, mas não andando. Um gato pode parar em outro bairro e até cidade se entrar no motor de um carro ou se for levado embora por alguém. 

Mas se você não sabe se uma dessas coisas aconteceu com ele o jeito é procurar... e manter viva a esperança porque os gatos sentem nossa intenção de encontrá-los e uma hora ou outra, se estiverem por perto, irão enviar um sinal que, aliás, pode surgir por meio de uma intuição, como foi o caso da Luciana literalmente "guiada" na direção do Gandalf depois de 107 dias.

                                            Casa telada, muro alto... como um gato escapa?

No caso do Gandalf, Luciana acredita que foi por uma árvore de seu quintal. Os muros são altos mas a árvore serviu de "trampolim" para uma aventura perigosa. Ouço muito as pessoas ficarem indignadas com as "fugas" de seus gatos de casas que, aparentemente, seriam "antifuga". 

Mas acreditem: quando eles querem sair calculam cada cantinho que possa dar acesso à rua e isso também vale para gatos castrados. O instinto explorador está no DNA dos felinos e a castração não modifica a personalidade deles.

À propósito, conheçam a história da gatinha Liz (foto) que, mesmo castrada, saiu de casa e seguiu um "gatão do pedaço", também castrado, até a casa dele. E por lá ficou até ser encontrada por sua tutora dias depois. Acesse essa curiosa história AQUI.


Então o jeito é pensar em soluções que realmente impeçam escapadas. Há redes próprias para quintais, sacadas e varandas. E nas garagens e portões da frente também se deve pensar em formas de não deixar nenhum "buraco" porque os gatos "pensam" em tudo.

Texto: Fátima ChuEcco, jornalista, escritora e fundadora da @buscacats - consultoria especializada em gatos perdidos



quarta-feira, 25 de maio de 2022

Feira de Adoção de Cães e Gatos no Museu do Ipiranga dia 29 de maio


No próximo domingo, dia 29 de maio, no Museu do Ipiranga terá um evento de adoção organizado pela OAB e o Projeto Pacotinho de Amor em parceria com a subprefeitura Ipiranga. Cães e gatos resgatados estarão esperando seus futuros tutores e o Movinho Clinica Móvel do grupo Vet Popular estará presente com uma veterinária orientando sobre  manejo de filhotes, vacinas e vermífugos. 

Conheça alguns "pacotinhos de amor" acessando o instagram do projeto AQUI

Data: 29/05/22

Das 10h às 15h

Rua dos Patriotas na frente do Museu do Ipiranga

segunda-feira, 23 de maio de 2022

Os gatos são muito expressivos e até Darwin notou isso


"Os gatos usam muito a voz como meio de expressão e emitem, sob várias circunstâncias e emoções, pelo menos seis ou sete sons diferentes. Um dos mais curiosos é o ronronar de satisfação produzido tanto durante a inspiração quanto a expiração. O puma, a chita e a jaguatirica também ronronam"


O trecho acima é do livro "A expressão das emoções no homem e nos animais", escrito por Charles Darwin em 1872 ou quase 150 anos atrás.

Ele demonstra, pelo método de observação, desenhos, fotografias e relatos de colaboradores, que os animais têm emoções como alegria, medo, raiva e ciúme, manifestadas por meio das expressões faciais e corporais, além de sons e uma comunicação própria.  


Darwin defende que algumas de nossas expressões são herdadas de antepassados primitivos, comum tanto aos homens quanto aos outros animais. Diz ainda que muitas de nossas expressões são inatas e não aprendidas já que se repetem em pessoas das mais variadas culturas.

"Um exemplo clássico é ainda hoje o homem mostrar seus dentes caninos quando está enfurecido, da mesma forma que o fazem macacos, cães  e outros bichos, apesar de não se servir disso para brigar"

Vejam isso:

"Ações de todos os tipos, acompanhando regularmente algum estado de espírito, são de pronto reconhecidas como expressivas. Podem consistir de movimento de qualquer parte do corpo, como o abano da cauda de um cão, o encolhimento dos ombros de um homem, o eriçamento de pelos de um gato, a exsudação de suor, o estado da circulação capilar, a respiração forçada e o uso de sons vocais ou produzidos por algum instrumento. Até os insetos exprimem raiva, terror, ciúme e amor com sua estridulação".




Darwin fala da expressão canina:

"Alguns cães demonstram um estado de espírito de prazer e excitação, associado à afeição, de uma maneira bastante peculiar: mostrando os dentes, como num sorriso".


E  destaca, é claro, chimpanzés e orangotangos que, notoriamente, são os mais expressivos dentre todos os seres vivos, assim como os humanos.

"Se fazemos cócegas num chimpanzé jovem - e as axilas são particularmente sensíveis às cócegas como nas nossas crianças - um som mais nítido de carcarejo ou risada é produzido", comenta no mesmo livro.

"Macacos também tremem de medo e, às vezes, soltam suas excreções. Pude ver um macaco quase desmaiar de tanto terror quando capturado. A expressão de um macaco quando provocado ou afagado por seu tratador é quase tão expressiva quanto a dos humanos".


Darwin morreu em 1882 aos 72 anos e seu legado ainda hoje divide opiniões. Uns acham que seu longo e complexo estudo do comportamento animal tinha a intenção de provar que os animais sentem e sofrem como nós e, portanto, não poderiam ser explorados pelo homem como objetos inanimados.

Outros acreditam que os estudos de Darwin serviram para endossar os horrores que a medicina e a ciência já faziam com os animais desde aquela época sob o argumento de que, sendo muito parecidos conosco também seriam os melhores modelos para se explorar como cobaias.

Mas nesse artigo quero concentrar o foco nos expressivos gatos com uma pequena amostra do fabuloso trabalho do fotógrafo Michael Hans cuja página no facebook pode ser acessada AQUI e cujas imagens ilustram também o texto acima







Fátima ChuEcco Jornalista/Escritora apaixonada por gatos e por todos os animais...
e sempre em busca de gente sensível e talentosa
Acesse meu site www.miaubookecia.com



sábado, 21 de maio de 2022

Terra de Gigantes: série dos anos 60/70 é genial e tem na Oldflix


Quem assistiu Terra dos Gigantes quando era criança ou adolescente certamente se lembra bem porque a série era simplesmente sensacional. Uma ótima ideia do cineasta Irwin Allen (já falecido) com um excelente roteiro resultaram numa série inesquecível.

 Vale lembrar que são do Irwin outras séries geniais como "Túnel do Tempo", "Perdidos no Espaço" e "Viagem ao Fundo do Mar".

Curiosamente, Terra de Gigantes não teve reprise na TV como A Feiticeira e outras da mesma época, mas atualmente pode ser vista na plataforma da OIldflix com ótima qualidade de imagens e na versão dublada ou legendada.

E gente... vale muito a pena! Já nos primeiros capítulos a gente percebe que trata-se de um trabalho muito minucioso, de muita ação... e aflição também porque torcemos o tempo todo pela tripulação da nave que caiu numa Terra de Gigantes. 

As roupas, a trilha sonora, os personagens e até o cachorrinho 🐶... Tudo tão gostoso de ver ou rever!

Aliás, que elenco bonito... as mulheres parecem bonecas. 

O ator Don Matheson, que interpretava Mark, casou-se na vida real com Deanna Lund que fazia o papel da Valerie (foto abaixo). Ambos já faleceram aos 84 e 81 anos respectivamente.


Ainda vivos estão Gary Conway (Capitão Steve Burton), Heather Young (comissária de bordo Betty) e Stefan Arngrim que fazia o garotinho Barry acompanhado por seu cãozinho Chipper.

Destaque para o episódio "Cidade Fantasma" em que os personagens vão parar numa maquete. Muito bom esse episódio!!!

Agora... querem saber o que aconteceu com o elenco depois de tantos anos? Nesses vídeos mostra:




Veja também como estão HOJE os atores da série "Túnel do Tempo". Acesse a matéria AQUI

Texto: Fátima ChuEcco, jornalista e escritora

Seberg é um dos melhores lançamentos da Netflix!

Bom filme baseado em história real é  "Seberg"  sobre a vida e ativismo da atriz  Jean Seberg , interpretada maravilhosamente por ...