quarta-feira, 23 de junho de 2021

Cerca de 68 cães são salvos do festival de carne de cachorro deste ano


Além da crueldade a que são submetidos milhares de animais no festival de carne de cachorro em Yulin, na China, esse evento é perigoso também para a saúde das pessoas. Os cães e gatos são mantidos amontoados sem água nem comida em gaiolas enferrujadas... muitos com ossos quebrados... e muitos inclusive raptados de suas casas. 

No festival deste ano, que corre solto apesar da China não estar livre da pandemia de Convid (com vários novos surtos sendo notificados frequentemente), já houve algumas intervenções de ativistas. Pelo menos 68 cães foram salvos quando estavam a caminho do festival. Alguns esticavam as patinhas para fora das grades pedindo ajuda dos ativistas. Leia matéria na íntegra AQUI

Embora seja mais conhecido por servir carne de cachorro, o festival de Yulin também mata gatos e das maneiras mais sórdidas. Alguns anos atrás a foto do gatinho Huru rodou o mundo: ele estava se agarrando desesperadamente as grades de um matadouro, mas conseguiu ser salvo minutos antes de ser morto pelo Dr Peter J. Li,  ativista da HSI - Humane Society International. 

Leia a matéria sobre Huru em português AQUI

No Facebook do ativista Peter Li consta agora uma mensagem da pessoa que adotou Huru, com uma belíssima foto atualizada do gatinho:

"Hu aproveitando o sol na nova árvore hoje. Como sempre nesta época do ano, meus pensamentos se voltam para Yulin e os pobres cães e gatos que sofrerão tanto nas próximas semanas. Penso na família chinesa de Hu, que nunca deve ter sabido o que aconteceu com ele (ele estava usando uma coleira quando foi resgatado por Peter J. Li do cercado do matadouro). Obrigado Peter, Wendy Higgins e HSI por tudo o que você faz para ajudar as vítimas do comércio de carne de cães e gatos".

Como ajudar a HSI a salvar animais do festival:

A entidade está com uma campanha para arrecadar fundos dirigidos ao salvamentos dos animais vítimas do festival e que pode ser acessada AQUI

Tem também uma petição pedindo o fim do festival que pode ser assinada AQUI

Veja o emocionante vídeo criado pela HSI:


Jornalista Fátima ChuEcco

Site www.miaubookecia.com

terça-feira, 22 de junho de 2021

Voluntariado: uma ajuda de mão dupla


Todo mundo já escutou o ditado popular “quem trabalha de graça é relógio”. Mas a verdade é que trabalho voluntário gera respeito pelo profissional e isso geralmente abre portas no mercado de trabalho, além de um retorno pessoal impagável. Todo mundo tem uma paixão que traz desde a infância ou que adquiriu em algum momento da vida. Algo que está adormecido ou esquecido e esperando uma “oportunidade” de ser colocado em prática. Pois vale a pena investir nessa paixão, ainda que seja de forma não remunerada.

Você pode usar sua profissão ou qualquer coisa que saiba e goste de fazer para ajudar ONGs, causas sociais e/ou ambientais com as quais se identifique ou que tenham relação com suas paixões mais íntimas. Isso será mais um ingrediente para abrilhantar sua carreira e fazer os selecionadores prestarem mais atenção em sua trajetória profissional.  Você ganhará respeito dos colegas de trabalho e uma imensurável sensação de “cumprir com um belo propósito de vida”, além de possibilidades de trabalho remunerado.

Como muita gente ainda torce o nariz para o exercício voluntário, muitas vezes alegando que isso provoca desvalorização profissional e que se deve cobrar pelo menos “alguma coisa” mesmo para quem está em grandes dificuldades, resolvi destacar uma experiência em minha própria carreira para provar como o voluntariado pode dar bons frutos, inclusive, frutos inesperados.

Vale lembrar que estou falando do trabalho voluntário genuíno, cuja intenção é de fato ajudar o próximo, pois, quando se pratica voluntariado visando benefícios próprios e algum tipo de retorno a situação é diferente e, embora também possa gerar frutos, quase sempre não são frutos duradouros porque a ajuda prestada não foi “verdadeira”, não partiu do coração.

 CASE 1



Em 2007 fiquei muito afetada com a notícia do massacre de uma família inteira de gorilas-das-montanhas na República Democrática do Congo (África). Como jornalista ambientalista, o fato me abalou bastante e resolvi contribuir espalhando os motivos e consequências de tamanha crueldade, além de mostrar como ajudar as pessoas que tentavam salvar os demais gorilas daquele país.

Fiz um trabalho de assessoria de imprensa confeccionando releases sobre o ocorrido e divulgando meios de ajudar a ONG Gorillas CD. Mandei para toda a imprensa e vários veículos no Brasil acataram a pauta usando fotos que consegui com os guardas florestais que mantinham contato direto com esses gorilas. Também abri uma seção no portal ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais para falar com mais frequência dos gorilas e de sua frágil situação.

Então a ONU instituiu 2009 como o Ano Internacional do Gorila com várias ações voltadas para a preservação da espécie. Eu solicitei autorização para criar um hotsite sobre o assunto e a ONU não só atendeu minha solicitação como também destacou meu trabalho em seu boletim dando o link para o meu site. Fiquei muito contente, mas a melhor notícia viria a seguir.



Por conta desse meu esforço em contar aos brasileiros sobre o perigo da extinção dos gorilas-das-montanhas, o Projeto Mucky, uma ONG com 30 anos de estrada que resgata saguis e bugios (macacos naturais do Brasil), me convidou para coordenar uma trilogia literária em comemoração aos seus 25 anos de atuação, completados em 2010. Tive então a oportunidade de trabalhar em três livros dando ideias, inserindo material e sendo remunerada por esse trabalho já que a ONG conseguiu um patrocinador para essa ação.

 CASE 2

Cerca de um ano depois, um novo fruto. Uma entidade chamada Humaniversidade, ligada à ONU, me contratou como assessora de imprensa levando em consideração meu trabalho que já tinha sido reconhecido e divulgado pelo Pnuma/ONU. 

CASE 3

Outro fruto viria em 2014, quando novamente fui contratada por uma ONG, o Instituto Supereco, para ser assessora de imprensa do Projeto Tecendo as Águas, patrocinado pela Petrobrás e pela Chevrolet, sendo novamente remunerada e atuando em um trabalho muito agradável com várias ações no litoral norte de SP para proteger os recursos hídricos.


Nunca imaginei que ajudar os gorilas-das-montanhas resultaria nesses trabalhos remunerados. Abracei a causa de coração, cedendo meu trabalho como jornalista e os frutos foram surgindo de forma inesperada, inclusive, junto a ONGs que acabaram por enriquecer ainda mais a minha carreira.

Leia o artigo publicado na CATHO AQUI

Foto de abertura: ImaArtist/Pixabay Free

Fátima ChuEcco Jornalista e Escritora

Site www.miaubookecia.com



segunda-feira, 21 de junho de 2021

Conheça e ajude as centenas de gatos vítimas da guerra na Síria


Talvez você já tenha ouvido falar ou visto da TV o "homem-gato de Aleppo" (Alaa Aljaleel) que assim ficou conhecido por resgatar gatos em  meio as cidades bombardeadas na Síria. Mas talvez não saiba que o trabalho desse "herói" não só continua como aumenta a cada dia. E a trajetória dele foi e continua sendo dura: por diversas vezes perdeu abrigos que comandava devido a bombardeios e tb teve suas instalações roubadas perdendo tudo de mais precioso: computadores e equipamentos médicos.

Veja a história contada no site do Santuário do Ernesto ou "Ernesto`s Paradise":

O santuário de gatos Ernesto foi formado em 2015 quando Alessandra Abidin, na Itália, estendeu a mão para um homem que ela tinha visto no noticiário, que havia ficado em Aleppo devastado pela guerra para alimentar gatos abandonados.

Alaa Aljaleel era eletricista, motorista de ambulância e socorrista. Aleppo estava no meio de uma guerra civil com bombardeios diários. Muitas pessoas deixaram a cidade e seus animais de estimação.

Com a colaboração de apoiadores foi formada uma página no Facebook e um pequeno terreno foi alugado que ficou conhecido como Santuário do Ernesto, em homenagem a um querido gato. 


Alaa continuou com seu trabalho de ambulância nas zonas de guerra oferecendo aos gatos comida e tratamento básico de primeiros socorros. No auge da guerra, o abrigo alimentava cerca de 100 gatos, alguns cães e ajudava a população local. Um playground foi construído para as crianças. À medida que a guerra aumentava, o grupo continuou a doar e ajudar as crianças e residentes locais com água e alimentos.

Vejam isso que tragédia: bombardeios e assalto

Em novembro de 2016, o santuário foi bombardeado e muitos gatos mortos. As tropas lutavam nas ruas. Alaa juntou o máximo de gatos que pôde e mudou-se para o que considerou uma área mais segura. Poucos dias depois, bombas de cloro foram lançadas nesta área e quase todos os gatos foram mortos novamente.

A população de Aleppo foi forçada a deixar suas casas e evacuada à força para a fronteira. Alaa e seu gato Ernesto entre eles.


Um imóvel foi alugado com doação de dinheiro. As portas foram abertas para gatos feridos e outro playground foi aberto para as crianças. 

O santuário sempre chamou a atenção da mídia e a localização divulgada em uma matéria. Pouco depois houve o assalto. A clínica veterinária foi destruída e foram levados laptops, máquinas e remédios.

Em abril de 2019 nova mudança de local e um novo nome "Ernesto`s Paradise" com espaçoi suficiente para os mais de 170 gatos .Um terreno também foi alugado e se tornou o lar de Bibers, o cavalo, Dodo, o burro, vários cães, coelhos, galinhas, raposas e pássaros. Mas essa área também foi tomada pela guerra e outras realocações foram necessárias.


Ainda em 2019,  o "Ernesto" abriu uma clínica veterinária gratuita na cidade oferecendo também  vacinação e esterilização.

De lá para cá, Alaa já precisou desocupar de novo o santuário quando a guerra tomou conta da área. Ele se mudou e continua com seu trabalho usando terapia com animais de estimação para ajudar crianças em traumas e resgatando gatos.

"A equipe do Ernesto`s Paradise agora emprega 13 pessoas, mas permanece em uma zona de guerra e bombardeios e combates ainda acontecem, mas continuamos em nossa missão de melhorar a vida das vítimas esquecidas da guerra, os animais da Síria. Dependemos totalmente de doações", diz Alaa.

Para conhecer e apoiar esse trabalho tão único e importante  acesse o site AQUI 

O Facebook do Ernesto Paradise tem muitos videos lindos com os gatinhos e outros animais. Basta acessar AQUI ou o Instagram @TheAleppoCatMen



Atenção:

Se vc quer adotar um cãozinho ou gatinho, ou sabe de alguém que deseja adotar, acompanhe essa seção que terá sempre uma ONG ou protetor de confiança e foto de um dos bichinhos que aguarda um amoroso lar ou que pode ser apadrinhado. 

Vc tem animais que buscam adoção? Participe!

E se vc tem uma ONG, participa de uma ou é protetor independente, participe dessa seção enviando um resumo do seu trabalho, seu site, facebook e instagram, além da foto de um dos animais que está para adoção. Envie para o email fatimachuecco@uol.com.br 

Essa seção foi criada para dar mais visibilidade para aqueles que protegem animais carentes e indefesos.

Fátima ChuEcco Jornalista e Escritora

Site www.miaubookecia.com



domingo, 20 de junho de 2021

Os gatos são muito expressivos e até Darwin notou isso


"Os gatos usam muito a voz como meio de expressão e emitem, sob várias circunstâncias e emoções, pelo menos seis ou sete sons diferentes. Um dos mais curiosos é o ronronar de satisfação produzido tanto durante a inspiração quanto a expiração. O puma, a chita e a jaguatirica também ronronam"


O trecho acima é do livro "A expressão das emoções no homem e nos animais", escrito por Charles Darwin em 1872 ou quase 150 anos atrás.

Ele demonstra, pelo método de observação, desenhos, fotografias e relatos de colaboradores, que os animais têm emoções como alegria, medo, raiva e ciúme, manifestadas por meio das expressões faciais e corporais, além de sons e uma comunicação própria.  


Darwin defende que algumas de nossas expressões são herdadas de antepassados primitivos, comum tanto aos homens quanto aos outros animais. Diz ainda que muitas de nossas expressões são inatas e não aprendidas já que se repetem em pessoas das mais variadas culturas.

"Um exemplo clássico é ainda hoje o homem mostrar seus dentes caninos quando está enfurecido, da mesma forma que o fazem macacos, cães  e outros bichos, apesar de não se servir disso para brigar"

Vejam isso:

"Ações de todos os tipos, acompanhando regularmente algum estado de espírito, são de pronto reconhecidas como expressivas. Podem consistir de movimento de qualquer parte do corpo, como o abano da cauda de um cão, o encolhimento dos ombros de um homem, o eriçamento de pelos de um gato, a exsudação de suor, o estado da circulação capilar, a respiração forçada e o uso de sons vocais ou produzidos por algum instrumento. Até os insetos exprimem raiva, terror, ciúme e amor com sua estridulação".




Darwin fala da expressão canina:

"Alguns cães demonstram um estado de espírito de prazer e excitação, associado à afeição, de uma maneira bastante peculiar: mostrando os dentes, como num sorriso".


E  destaca, é claro, chimpanzés e orangotangos que, notoriamente, são os mais expressivos dentre todos os seres vivos, assim como os humanos.

"Se fazemos cócegas num chimpanzé jovem - e as axilas são particularmente sensíveis às cócegas como nas nossas crianças - um som mais nítido de carcarejo ou risada é produzido", comenta no mesmo livro.

"Macacos também tremem de medo e, às vezes, soltam suas excreções. Pude ver um macaco quase desmaiar de tanto terror quando capturado. A expressão de um macaco quando provocado ou afagado por seu tratador é quase tão expressiva quanto a dos humanos".


Darwin morreu em 1882 aos 72 anos e seu legado ainda hoje divide opiniões. Uns acham que seu longo e complexo estudo do comportamento animal tinha a intenção de provar que os animais sentem e sofrem como nós e, portanto, não poderiam ser explorados pelo homem como objetos inanimados.

Outros acreditam que os estudos de Darwin serviram para endossar os horrores que a medicina e a ciência já faziam com os animais desde aquela época sob o argumento de que, sendo muito parecidos conosco também seriam os melhores modelos para se explorar como cobaias.

Mas nesse artigo quero concentrar o foco nos expressivos gatos com uma pequena amostra do fabuloso trabalho do fotógrafo Michael Hans cuja página no facebook pode ser acessada AQUI e cujas imagens ilustram também o texto acima







Fátima ChuEcco Jornalista/Escritora apaixonada por gatos e por todos os animais...
e sempre em busca de gente sensível e talentosa
Acesse meu site www.miaubookecia.com



No Brasil é permitido destinar de 50% a 100% da herança para alguém que cuide dos animais orfãos



A Covid tem aumentado o número de animais orfãos e sabemos que o maior desejo dos tutores é deixar seus cães e gatos seguros, com pessoas que continuem cuidando deles com amor.  E isso pode ser feito até com um testamento escrito a mão... isso mesmo... um testamento do próprio punho desde que tenha assinatura de três testemunhas. Ninguém gosta de pensar nesse assunto, mas é necessário porque hoje em dia, mais do que nunca, ninguém sabe o dia de amanhã.... e, além disso, é preciso encarar testamentos com naturalidade, como um "seguro" para os filhos de quatro patas.

Segundo o Código Civil brasileiro é possível deixar de 50%  a 100% de sua herança para uma ONG ou pessoa que se comprometa a cuidar de seus animais. No caso de você ter os chamados "herdeiros necessários" que são os cônjuges, descendentes (filhos, netos e bisnetos) e ascendentes (pais, avós e bisavós), esses herdeiros, por lei, ficam com 50% e você pode destinar os outros 50% para quem quiser.

No entanto, se a pessoa não tiver "herdeiros necessários" pode destinar 100% de sua herança da maneira que quiser

Irmãos, tios e primos não são herdeiros necessários e eles só ficam com a herança se não houver um testamento destinando a mesma para outras pessoas ou entidades.


Então, por exemplo... digamos que uma senhora viúva, com casa própria, tenha cinco cachorros e dois filhos que não moram com ela e não têm nenhum interesse ou não possam cuidar dos animais caso ela morra. Os filhos obrigatoriamente ficam com 50% da propriedade, mas os outros 50% ela pode destinar a uma amiga de confiança que se comprometa a ficar com os animais.


E será que é caro fazer um testamento?

Tem pelo menos dois jeitos, um chamado "testamento público" feito em cartório e de custo elevado (entre R$ 1.600 e R$ 2 mil) e outro chamado "testamento particular", de custo zero, que pode ser escrito com o próprio punho da pessoa e não precisa de advogado nem de cartório. Nos dois casos é obrigatória a assinatura de três testemunhas que não sejam beneficiadas pelo testamento.

A vantagem do testamento público, para quem tem condições de fazer, é a segurança de estar registrado num cartório.  No testamento particular, o documento precisa ser muito bem guardado por alguém de confiança que o apresente no momento certo à Justiça. 

Esse testamento particular pode ser alterado sempre que for necessário. Basta redigir de novo e colher assinatura de três testemunhas.

Os dois testamentos têm o mesmo valor jurídico e herdeiros necessários podem contestar nos dois casos.

Acontece que poucas pessoas têm conhecimento desse direito e é, muitas vezes, por conta disso, que vemos cães e gatos sendo abandonados à própria sorte nas ruas quando seus tutores morrem.

A herança não pode ser deixada de forma "direta" para os animais porque no Brasil eles não são reconhecidos como "sujeitos de direitos", mas é perfeitamente possível, como explicado acima, destinar de 50% a 100% da herança (dependendo da existência ou não de herdeiros necessários) para uma ONG ou pessoa próxima que se encarregará de assumir os animais.


“Cuidarei enquanto puder” 

Esse é o pensamento de muita gente que tem animais de estimação: "Cuidarei enquanto puder". Porém, dessa forma, esses tutores se comprometem apenas com o presente e não com o futuro de seus amados companheiros. É preciso ter em mente que, não importa a idade, qualquer pessoa pode morrer antes de seus cães e gatos.

Nem sempre a família tem interesse ou mesmo condições de assumir os animais do falecido e, aliás, nem tem obrigação, ainda mais quando são muitos os “orfãos de quatro patas". 

Quantas vezes não vemos protetores desesperados nas redes sociais buscando lar emergencial para animais cujo tutor morreu e que serão despejados do imóvel?

Muitos desses tutores talvez tivessem um imóvel, uma poupança, um carro ou qualquer outro bem que pudesse ser destinado a alguma ONG ou protetor de animais, mas por puro desconhecimento, não faz um testamento e seus bens ficam integralmente para a família ou para o governo, pois, na ausência de parentes quem leva a herança é a União.

Freddie Mercury, da banda Queen, destinou boa parte de sua herança a sua amiga Mary Austin em testamento e, principalmente, a mansão onde ficavam seus gatos. Outras celebridades pelo mundo afora também já manifestaram publicamente seus desejos de deixarem os animais de estimação com uma farta conta bancária. 

A lei varia pelo mundo. Na Alemanha, por exemplo, é possível deixar 100% de uma herança para os animais de estimação. Já em Portugal apenas 1/3 da herança.

Saiba como fazer

Para facilitar e incentivar os testamentos que beneficiem animais, abaixo seguem alguns links que explicam direitinho tudo sobre esse assunto e, inclusive, o link da onde tem o modelo de um testamento particular para fazer sem erros, de acordo com a lei.

Vale lembrar que além do testamento é importante deixar uma carta com orientações sobre os animais: idade, comportamento, ração que comem, doenças crônicas e medicamentos que tomam, além do contato do veterinário que acompanha algum deles. Essas orientações podem ser fixadas na porta da geladeira, por exemplo, a fim de serem sempre atualizadas e ficarem visíveis para parentes e amigos.

Modelo de testamento particular, simples e de custo zero. Acesse AQUI

"Nem todo herdeiro é necessário". Essa matéria da Folha explica direitinho a diferença entre herdeiros que obrigatoriamente recebem 50% dos bens  e os demais herdeiros que podem ser excluídos da herança. A matéria dá até um BOM EXEMPLO de pessoa que tenha cães e deseja deixar parte de sua herança para uma ONG. Acesse AQUI

"Testamento evita brigas depois de sua morte. Veja como fazer e quanto custa". Nessa matéria do UOL você tem detalhes sobre três tipos de testamentos: público e particular, que já abordei no artigo, e o fechado, que é mais raro. Acesse AQUI

Créditos

Foto de abertura: Barbara Jackson/Pixabay Free, Foto varios animais: Gerard G./Pixabay Free, Foto moça com cão: Zigmars Berzins/Pixabay Free, Foto close cão: Public Image/Pixabay Free e Foto de tutor com gato: Pexels/Pixabay Free

Texto e pesquisa de Fátima ChuEcco jornalista escritora www.miaubookecia.com










sábado, 19 de junho de 2021

Quando a foto encanta e a história, por detrás da imagem, mais ainda!


Esse trio de cadelinhas conseguiu protagonizar com perfeição essa imagem. Parecem até rir! Neguinha e Lila (a fox) têm 14 anos e Kyara (à direita) apenas quatro. Todas vivem com Maria Inês Martos na pequena cidade de Pirajuí, no Interior de SP.

Achei interessante postar essa "alegre" foto das "filhas" de Maria Inês para mostrar como uma imagem pode contribuir bastante na divulgação, por exemplo, de adoções. Não é o caso desse trio, muito bem amparado e amado, mas as fotos têm um efeito imediato sobre nossas emoções e, consequentemente, atitudes.

E, muitas vezes, as fotos escondem uma história ainda mais bonita que a que vemos à primeira vista. No caso dessas cachorrinhas existe uma história de fidelidade e proteção:

"Minha mãe, que vai completar 86 anos em março, por duas vezes caiu e estava sozinha em casa. Ela não podia se levantar e foram minhas cachorrinhas que latiram tanto, que acabaram chamando a atenção da minha cunhada que é nossa vizinha", conta a tutora.

A Kyara foi jogada na rua de Maria Inês quando ainda era uma filhotinha. Neguinha e Lila também foram adotadas quando bebezinhas.

Neguinha é uma ainda guerreira noutro sentido:

"Ela tem displasia porque o pai era pastor belga e a mãe Cocker. Em maio descobrimos a diabetes e o tumor no fígado. Toma insulina duas vezes no dia e medicamentos para o fígado", diz Maria Inês.

A simpática foto das três cadelinhas foi feita numa pet shop logo após o banho. Então fica aqui a dica: caprichem nas fotos, explorem o olhar doce, curioso ou alegre dos bichinhos principalmente em postagens que visem adoção.

Fátima ChuEcco jornalista escritora www.miaubookecia.com



quinta-feira, 17 de junho de 2021

Dezessete: Cachorro que trabalha no filme era de abrigo e foi adotado por ator principal


O filme "Dezessete", em cartaz no Netflix, é muito gostoso de ver. A temática envolvendo um delinquente juvenil inclui também a história de um cachorro que, tanto no filme quanto na vida real, vivia num abrigo da Espanha, onde se passa o filme. E olha que legal: dentro e fora do filme o ator principal, Biel Montoro, se apaixonou pelo cão batizado Oveja (ovelha em português) adotando-o logo após as gravações.

O diretor Daniel Sánchez Arévalo não queria cães treinados para atuarem em "Dezessete" e por isso visitou abrigos. "Quando encontrei Oveja, foi amor à primeira vista e o mesmo aconteceu com Curro, o cão de três patas" - disse o diretor em entrevistas a sites estrangeiros. Sim... o filme conta com a participação de um vira-lata de três patas que também foi adotado. O diretor disse também que os cães não obedeceram a comandos ou se submeteram a ordens. Eles foram autênticos, filmados em suas reações naturais.

Veja o trailer legendado:



A adoção dos cães participantes do filme foi um acordo firmado entre o diretor e o abrigo espanhol. Achei essa iniciativa genial.  Talvez, sem o filme, esses animais passassem a vida toda em abrigos. Por isso, a gente tem que pensar bem quando critica filmes com animais de verdade. É possível trabalhar com cães e gatos de abrigos utilizando cenas naturais dos animais, sem qualquer tipo de abuso e, além do mais, nessas filmagens sempre tem pessoas do abrigo acompanhando tudo!

Em "Dezessete" até mesmo um cãozinho com leishmaniose ganhou a chance de ter um a família e um tratamento médico. Ele aparece num ferro velho dentro de um carro. Oveja virou astro da noite pro dia. Acompanhou a comitiva do filme em festivais, festas e é supermimado na casa de Biel. 

O ator até gravou um vídeo mostrando a nova vida de Oveja. Veja abaixo:

E, voltando ao filme, eu só tenho mais uma coisa a dizer: assistam! Tem drama e comédia... emoção... e "nota dez" para a avó de Hector (jovem interpretado por Biel). A vovozinha acamada acompanhada o neto pra cima e pra baixo e adivinhem quem passa a cuidar dela? O cãozinho de três patas! Não é uma graça?!

Na internet rolou até uma busca intensa pra saber a tradução da única palavra dita pela vovozinha durante o filme todo: tarapara. O que será isso??? O diretor diz que inventou a palavra para expressar tudo o que a vovozinha sentia. Esse é um daqueles filmes de humor inocente, cheio de mensagens positivas e que dá gosto de ver, ainda mais sabendo que o elenco canino foi todo adotado.  


Fátima ChuEcco jornalista/escritora www.miaubookecia.com





Uma joia mais preciosa que a outra.. e todas para adoção!!!


 A Daura Carvalho, protetora da Toca dos Peludos (SP), tem caprichado nas fotos de seus resgatados e, assim, a beleza peculiar de cada um deles fica ainda mais evidente. É o caso da cadelinha MALU, de 1 aninho, na foto acima, que tem a beleza inusitada de uma mutante de olhos ímpares: um castanho e outro "neve". Uma bela e rara mutação.

Mas reparando na foto de outros animais cuidados pela Daura, a gente percebe um outro tipo de beleza traduzida na calmaria do olhar deles. São joias... uma mais preciosa que a outra, prontas para encantarem lares. No facebook da Daura, que pode ser acessado AQUI tem muitas outras fotos de animais lindos!!! E caso não possa adotar no momento, compartilhe ou ajude de outras formas porque toda ajuda é sempre bem-vinda!

 Agora, prepare olhos para mais belezuras:







Rosa e Gata que tb é uma Flor: imagem curtida por quase 40 mil pessoas


Gosta de gatos e pode ajudar alguns de alguma forma? Então conheça o Ademir Orfanato de Gatos onde essa gatinha cega em forma de flor está instalada. A foto dela foi muito apreciada tendo até o momento quase 40 mil curtidas e muitos compartilhamentos. O facebook do Orfanato pode ser acessado AQUI e tem muitas outras fotos dos gatinhos resgatados e vídeos que mostram bem as instalações localizadas em Aparecida de Goiás (GO). São mais de 120 gatinhos mantidos com ajuda de colaboradores. Tem tb https://www.instagram.com/ademir_orfanato_de_gatos/

quarta-feira, 16 de junho de 2021

Vídeo: Santuário maravilhoso criado por Brigitte Bardot nem parece desse mundo!


Tem de tudo: gatos, cachorros, patos, coelhos, ovelhas, galinhas, cavalos... a lista de animais resgatados pela Fundação Brigitte Bardot é enooooorme! Como a maioria deve saber, Brigite Bardot, atriz e símbolo sexual que sacudiu a indústria cinematográfica por muito tempo, ao se aposentar investiu tudo que tinha na defesa dos animais. 

Ela conseguiu erguer um santuário na Normandia (França) que de tão maravilhoso nem parece pertencer a esse mundo... parece mais um paraíso com os qual a maioria dos protetores de animais sequer conseguem sonhar. As instalações são lindas e funcionais. A atriz, hoje com 87 anos, ainda milita em diversas questões dentro e fora da França. 

Conheça o santuário nesse vídeo... você não vai se arrepender de ver tantos animais felizes, num ambiente seguro e convivendo em paz uns com os outros. No final do filme tem umas cenas históricas com Brigite, ainda jovem, correndo com os animais pelo gramado. E pra quem ama gatos o vídeo é algo imperdível:



Brigitte Bardot participou do MI-AU BOOK!

Essa ativista maravilhosa abrilhantou o "Mi-Au Book & Cia - Um livro pet-solidário" de minha autoria e publicado em 2010. Ela escreveu uma carta do próprio punho para o livro  e enviou algumas fotos como a que abre esta matéria.


Fátima ChuEcco

Jornalista e escritora

site www.miaubookecia.com



Telepatia pode ter ajudado Salomão a voltar para casa: patinhas em carne viva, mas voltou!


A história do gatinho Salomão é um grande exemplo de força de vontade. Ele vive num condomínio em Brasília e, recentemente, quando sua tutora Ana viajou, ele desapareceu. Depois de quatro angustiantes dias voltou com as patinhas em carne viva. Conheça essa incrível história de força e coragem, certamente nutrida pela comunicação telepática entre Salomão e sua tutora:

A casa de Ana é cercada por muros bem altos, então ficou difícil imaginar por onde Salomão teria escapado, mas a verdade é que os gatos conseguem identificar rotas de fuga que a gente nem imagina.

Ana estava ausente e não podia ela mesma sair em busca de Salomão, no entanto, pôde contar com a ajuda de vizinhos, porteiros e amigas: "Todos foram muito gentis e se empenharam para achá-lo. Só apareceu gente iluminada!".

Mas por onde será que andava Salomão?

Ana me contatou para uma consultoria personalizada na véspera de seu retorno para Brasília. Pelo perfil de Salomão identifiquei que ele, provavelmente, estaria nos imóveis vizinhos. Pedi que avisasse uma amiga para colocar areia com xixi da outra gata da casa na frente e fundos do imóvel.

Atenção: areia suja só se coloca ao redor da casa e nunca espalhada pelo quarteirão. A areia serve para ajudar o gato a voltar para casa seguindo o odor e se a areia é espalhada por todo canto isso atrapalha ao invés de ajudar.

Como os gatos são muito telepatas, também pedi à Ana que pensasse bastante no Salomão naquela noite porque, certamente, ele também sentiria que ela já estaria voltando para casa e tentaria fazer o mesmo, caso tivesse condições para isso. 

Orientei ainda que Ana pegasse uma foto do Salomão e escrevesse na imagem "Volta Salomão Volta", como uma forma de contato vibracional. E que na manhã seguinte sondasse cuidadosamente as casas vizinhas onde ele poderia ter ficado preso acidentalmente ou acuado devido à presença de cachorros.

Mas nem precisou...

Naquela madrugada, já de volta ao lar, Ana acordou com Salomão arranhando sua janela em desespero.  Ele tinha as patas em carne viva, provavelmente por ter escalado algum muro ou escavado algum lugar onde ficou preso.


Impressionante a força de vontade desse gatinho que juntou toda a sua energia para voltar para casa no momento em que certamente sentiu que sua tutora amada estava de volta.

"Fiz tudo que a consultora orientou fazer. Minha amiga colocou areia com xixi no meu muro. Ao chegar em casa à 1 da manhã, dei uma volta no quarteirão chamando pelo nome dele. Antes de dormir colei um post it na minha foto dele preferida com os dizeres "Volta Salomão". Dormi abraçada nessa foto e pensando nele", conta.

Por volta das 5 e meia da manhã Ana acordou com Salomão arranhando sua janela:

"Escutei o barulho e era ele. Estava com todas as patinhas em carne viva. Levei Salomão na veterinária e, apesar dos ferimentos nas patas e de ter perdido duas unhas, ele está bem. Nada tira de mim que foi o empenho da consultora em me fazer mentalizar um contato com ele que o trouxe de volta. Foi essa energia que deu toda a força de vontade que ele precisava, que alimentou aquela última esperança vital pra ele voltar pra casa. Eu mentalizei demais e tenho certeza que a gente se comunicou", explica.


Ana desconfia que Salomão estava numa casa vizinha que tinha cachorros bravos e passou quatro dias acuado, escondido em algum canto. Mas quando "sentiu" que sua tutora estava voltando, encheu-se de coragem e, para fugir da casa, pode ter escalado muros ou escavado alguma superfície áspera.

Agora Ana vai limitar a área externa da residência criando uma espécie de pátio seguro para os gatos, afinal, nem ela e muito menos Salomão querem passar por isso de novo.

Perdeu ou achou um gato?

Publique nos grupos de animais perdidos um post do bichano com o máximo de informações: local onde se perdeu ou foi achado (cidade, bairro e estado), características físicas e comportamentais. Administro o grupo do facebook Gatos Perdidos e Encontrados em SP que tem essa finalidade. Acesse o grupo AQUI

No album de fotos desse grupo tem várias dicas para encontrar gatos perdidos e uma série de matérias com quem conseguiu reencontrar o bichano que servem de inspiração. Para quem achou um gatinho que parece estar perdido, tem o grupo Acho que Vi um Gatinho Perdido que pode ser acessado AQUI

E para quem deseja uma Consultoria Personalizada, levando em conta a personalidade do gato e o perfil da vizinhança para traçar uma estratégia de busca mais assertiva nas redondezas, eu presto esse serviço por whats app  11 94682-6104 para qualquer lugar do Brasil. 



Fátima ChuEcco - Jornalista/Escritora

Site www.miaubookecia.com 



Cerca de 68 cães são salvos do festival de carne de cachorro deste ano

Além da crueldade a que são submetidos milhares de animais no festival de carne de cachorro em Yulin, na China, esse evento é perigoso també...