quarta-feira, 1 de dezembro de 2021

Trabalho apaixonante feito com a boca do artista Clênio Marcio Ventura


Vejam as cores... a expressão desses gatinhos... não são lindos? Ao visitar o site da Associação dos Pintores coma a Boca e os Pés me deparei com essas obras (acrílica e óleo) do artista Clênio Marcio Ventura, de Brasília. Ele ficou paraplégico depois de um trágico acidente quando tinha 19 anos de idade. Desde então aprendeu a pintar com a boca. E, ao que tudo indica, deve ser um admirador dos nossos amados felinos.


No site da associação www.apbp.com.br tem muitas outras obras lindíssimas. E destaco algumas de animais, como essa de um meigo passarinho pintado com os pés do artista José Marcos dos Santos, de São José dos  Campos (SP). Ele teve um problema no nascimento e com 8 anos de idade aprendeu a fazer várias tarefas com os pés, inclusive pintar.

Apaixonante também essa galinha de angola com seus bebês pintada com a boca do artista Alexsandro Panetto do Espírito Santo. Toda a graça de uma mãe com seus pimpolhos repousa nessa simpática obra.


Fátima ChuEcco - Jornalista e Escritora

Instagram @miaubookecia

Autora do clássico "Mi-Au Book - Um livro pet-solidário" que reuniu cães e gatos do Brasil e exterior e teve em sua segunda edição a participação de Brigite Bardot. Jornalista ambientalista, de cultura e turismo, especializada em animais de estimação. Presta consultoria sobre gatos perdidos e desenvolve fotolivros literários com crianças e animais.  Seu cãozinho ou gatinho também pode ter um fotolivro MI-AU Book todinho inspirado nele. Saiba mais no site www.miaubookecia.com 

Lindos Cartões de Natal pintados com a boca e os pés. Você precisa ver!

Se você gostou desse simpático Papai Noel vale a pena saber quem o fez. Foi pintado com a boca de Bárbara Correa da Silva, uma jovem de Duque de Caxias (RJ) que teve os movimentos dos membros inferiores e superiores prejudicados devido a uma doença. Aos 9 anos de idade Bárbara já pintava com a boca e hoje, aos 24,  faz parte da APBP - Associação dos Pintores com a Boca e os Pés, localizada em SP.

Todos os anos os artistas confeccionam cartões e adornos de presentes para o Natal e os vendem como forma de continuar o trabalho proposto pela associação. A entidade, que só no Brasil reúne 55 artistas plásticos, ressalta que "não é uma instituição de caridade e não se qualifica para a assistência caritativa" . Para  seu fundador, Erich Stegmann, a palavra “caridade” era tão abominável como a palavra “pena”.

A APBP começou em 1956 quando Erich, que pintava com a boca, reuniu um pequeno grupo de artistas com deficiência física de 8 países europeus com o objetivo que ganhassem o seu próprio sustento por meio de seus trabalhos artísticos. O grupo cresceu e hoje tem aproximadamente 800 artistas em 75 países ao redor do mundo.

Artista Mariusz Maczka

Juntando suas habilidades criativas com uma visão de negócios, Stegmann fundou a Associação como uma organização corporativa que reproduz os trabalhos dos seus artistas principalmente na forma de cartões, calendários e outros produtos.

No Brasil, muitos dos membros dão palestras e demonstrações de pintura para escolas, empresas e outros grupos interessados, mostrando o trabalho feito pela Associação e as possibilidades disponíveis para as pessoas com deficiência. 

                                                      Artista Rosaleen Moryarty

ACESSE:

No site www.apbp.com.br é possível ver muitas outras obras e também um breve descritivo de cada artista.


 
Fátima ChuEcco - Jornalista e Escritora

Instagram @miaubookecia

Autora do clássico "Mi-Au Book - Um livro pet-solidário" que reuniu cães e gatos do Brasil e exterior e teve em sua segunda edição a participação de Brigite Bardot. Jornalista ambientalista, de cultura e turismo, especializada em animais de estimação. Presta consultoria sobre gatos perdidos e desenvolve fotolivros literários com crianças e animais.  Seu cãozinho ou gatinho também pode ter um fotolivro MI-AU Book todinho inspirado nele. Saiba mais no site www.miaubookecia.com 

.

 

Pity reencontra parceiro depois de ficar dias perdida. Aprenda com esse exemplo!




Essa é uma dica valiosa, mas que infelizmente muita gente que perde um gatinho despreza: não basta espalhar cartazes nas ruas e posts nas redes sociais... tem que saber procurar pelo gato a pé e em todos os lugares possíveis e imagináveis. São duas providências essenciais que devem ser feitas juntas: cartazes/posts e busca "minuciosa" a pé e de "DIA" para enxergar locais onde o gato possa ter ficado preso ou estar escondido.

Como consultora sobre gatos perdidos, atendi o Jeff que havia perdido sua gatinha Pity. Jeff estava fazendo tudo do jeito errado: procurando longe de casa e de noite. Estava muito abalado porque tinha uma relação realmente próxima com sua gatinha e, como ela nunca tinha fugido antes, sabia dos inúmeros perigos que ela poderia enfrentar.

Imediatamente fiz o Jeff desistir de ficar rondando por outras ruas e focar seu próprio quarteirão. Isso incluía observar casas com muro alto, casas vazias, prédios em construção, terrenos baldios, chaminés de churrasqueiras, bueiros e vários outros pontos que detectei examinando fotos e vídeos que ele me enviou.



Também motivei Jeff a reforçar uma conexão com a gatinha pensando bastante nela antes de dormir. Os gatos nos enviam sinais de onde e como estão pelos sonhos... ou então dão um empurrãozinho na nossa intuição nos fazendo perceber algumas coisas sutis que nos levem até eles.

E foi assim que Pity voltou para Jeff. No dia seguinte da consulta comigo, depois de já ter feito algumas ações que pedi a ele, seu amigo começou a ser provocado pelo outro gatinho da casa, o Blue, como que querendo chamar a atenção dele para alguma coisa.. e daí ele ouviu uns miados. Era Pity numa casa atrás e diante de um muro que ela não conseguia pular.

Vejam o relato dele que é inspirador:


Texto: Fátima ChuEcco - Jornalista e Escritora 

Instagram @miaubookecia

Autora do clássico "Mi-Au Book - Um livro pet-solidário" que reuniu cães e gatos do Brasil e exterior e teve em sua segunda edição a participação de Brigite Bardot. Jornalista ambientalista, de cultura e turismo, especializada em animais de estimação. Presta consultoria sobre gatos perdidos e desenvolve fotolivros literários com crianças e animais.  Seu cãozinho ou gatinho também pode ter um fotolivro MI-AU Book todinho inspirado nele. Saiba mais no site www.miaubookecia.com 





quarta-feira, 17 de novembro de 2021

No Brasil é permitido destinar de 50% a 100% da herança para alguém que cuide dos animais orfãos



A Covid tem aumentado o número de animais orfãos e sabemos que o maior desejo dos tutores é deixar seus cães e gatos seguros, com pessoas que continuem cuidando deles com amor.  E isso pode ser feito até com um testamento escrito a mão... isso mesmo... um testamento do próprio punho desde que tenha assinatura de três testemunhas. Ninguém gosta de pensar nesse assunto, mas é necessário porque hoje em dia, mais do que nunca, ninguém sabe o dia de amanhã.... e, além disso, é preciso encarar testamentos com naturalidade, como um "seguro" para os filhos de quatro patas.

Segundo o Código Civil brasileiro é possível deixar de 50%  a 100% de sua herança para uma ONG ou pessoa que se comprometa a cuidar de seus animais. No caso de você ter os chamados "herdeiros necessários" que são os cônjuges, descendentes (filhos, netos e bisnetos) e ascendentes (pais, avós e bisavós), esses herdeiros, por lei, ficam com 50% e você pode destinar os outros 50% para quem quiser.

No entanto, se a pessoa não tiver "herdeiros necessários" pode destinar 100% de sua herança da maneira que quiser

Irmãos, tios e primos não são herdeiros necessários e eles só ficam com a herança se não houver um testamento destinando a mesma para outras pessoas ou entidades.


Então, por exemplo... digamos que uma senhora viúva, com casa própria, tenha cinco cachorros e dois filhos que não moram com ela e não têm nenhum interesse ou não possam cuidar dos animais caso ela morra. Os filhos obrigatoriamente ficam com 50% da propriedade, mas os outros 50% ela pode destinar a uma amiga de confiança que se comprometa a ficar com os animais.


E será que é caro fazer um testamento?

Tem pelo menos dois jeitos, um chamado "testamento público" feito em cartório e de custo elevado (entre R$ 1.600 e R$ 2 mil) e outro chamado "testamento particular", de custo zero, que pode ser escrito com o próprio punho da pessoa e não precisa de advogado nem de cartório. Nos dois casos é obrigatória a assinatura de três testemunhas que não sejam beneficiadas pelo testamento.

A vantagem do testamento público, para quem tem condições de fazer, é a segurança de estar registrado num cartório.  No testamento particular, o documento precisa ser muito bem guardado por alguém de confiança que o apresente no momento certo à Justiça. 

Esse testamento particular pode ser alterado sempre que for necessário. Basta redigir de novo e colher assinatura de três testemunhas.

Os dois testamentos têm o mesmo valor jurídico e herdeiros necessários podem contestar nos dois casos.

Acontece que poucas pessoas têm conhecimento desse direito e é, muitas vezes, por conta disso, que vemos cães e gatos sendo abandonados à própria sorte nas ruas quando seus tutores morrem.

A herança não pode ser deixada de forma "direta" para os animais porque no Brasil eles não são reconhecidos como "sujeitos de direitos", mas é perfeitamente possível, como explicado acima, destinar de 50% a 100% da herança (dependendo da existência ou não de herdeiros necessários) para uma ONG ou pessoa próxima que se encarregará de assumir os animais.


“Cuidarei enquanto puder” 

Esse é o pensamento de muita gente que tem animais de estimação: "Cuidarei enquanto puder". Porém, dessa forma, esses tutores se comprometem apenas com o presente e não com o futuro de seus amados companheiros. É preciso ter em mente que, não importa a idade, qualquer pessoa pode morrer antes de seus cães e gatos.

Nem sempre a família tem interesse ou mesmo condições de assumir os animais do falecido e, aliás, nem tem obrigação, ainda mais quando são muitos os “orfãos de quatro patas". 

Quantas vezes não vemos protetores desesperados nas redes sociais buscando lar emergencial para animais cujo tutor morreu e que serão despejados do imóvel?

Muitos desses tutores talvez tivessem um imóvel, uma poupança, um carro ou qualquer outro bem que pudesse ser destinado a alguma ONG ou protetor de animais, mas por puro desconhecimento, não faz um testamento e seus bens ficam integralmente para a família ou para o governo, pois, na ausência de parentes quem leva a herança é a União.

Freddie Mercury, da banda Queen, destinou boa parte de sua herança a sua amiga Mary Austin em testamento e, principalmente, a mansão onde ficavam seus gatos. Outras celebridades pelo mundo afora também já manifestaram publicamente seus desejos de deixarem os animais de estimação com uma farta conta bancária. 

A lei varia pelo mundo. Na Alemanha, por exemplo, é possível deixar 100% de uma herança para os animais de estimação. Já em Portugal apenas 1/3 da herança.

Saiba como fazer

Para facilitar e incentivar os testamentos que beneficiem animais, abaixo seguem alguns links que explicam direitinho tudo sobre esse assunto e, inclusive, o link da onde tem o modelo de um testamento particular para fazer sem erros, de acordo com a lei.

Vale lembrar que além do testamento é importante deixar uma carta com orientações sobre os animais: idade, comportamento, ração que comem, doenças crônicas e medicamentos que tomam, além do contato do veterinário que acompanha algum deles. Essas orientações podem ser fixadas na porta da geladeira, por exemplo, a fim de serem sempre atualizadas e ficarem visíveis para parentes e amigos.

Modelo de testamento particular, simples e de custo zero. Acesse AQUI

"Nem todo herdeiro é necessário". Essa matéria da Folha explica direitinho a diferença entre herdeiros que obrigatoriamente recebem 50% dos bens  e os demais herdeiros que podem ser excluídos da herança. A matéria dá até um BOM EXEMPLO de pessoa que tenha cães e deseja deixar parte de sua herança para uma ONG. Acesse AQUI

"Testamento evita brigas depois de sua morte. Veja como fazer e quanto custa". Nessa matéria do UOL você tem detalhes sobre três tipos de testamentos: público e particular, que já abordei no artigo, e o fechado, que é mais raro. Acesse AQUI

Créditos

Foto de abertura: Barbara Jackson/Pixabay Free, Foto varios animais: Gerard G./Pixabay Free, Foto moça com cão: Zigmars Berzins/Pixabay Free, Foto close cão: Public Image/Pixabay Free e Foto de tutor com gato: Pexels/Pixabay Free

Texto e pesquisa de Fátima ChuEcco jornalista escritora www.miaubookecia.com










terça-feira, 16 de novembro de 2021

Uma série empolgante que fala de viagens no tempo de uma forma muito convincente


Imagine-se lá no futuro, vivendo no planeta Terra completamente deteriorado por ação da humanidade. Mas imagine também que uma das poucas coisas a sobreviver foi a Inteligência Artificial  que consegue fazer as consciências do futuro retornarem ao passado. Como? Ocupando corpos de pessoas exatamente no instante em que elas estão deixando a vida.

 A ideia da série "Travelers", da Netflix, é sensacional. A viagem do tempo, nesse caso, ocorre de forma totalmente diferente da que já vimos em outros filmes: quem viaja não é o corpo material, mas a consciência, cuja missão é interferir em fatos do passado a fim de evitar o caos no qual se encontra o futuro da humanidade terráquea.

Assim, equipes do futuro são devidamente treinadas para atuarem em novos corpos, chamados de "hospedeiros", e assumirem a vida das pessoas mortas sem, contudo, perderem a noção de quem são e nem do que foram fazer no passado.

Os hospedeiros são como uma espécie de armadura corpórea para as consciências do futuro desenvolverem seu trabalho de salvação do mundo.

Se você gostou do enredo até aí, tem mais:  

Os "viajantes" são veganos e há falhas na seleção de hospedeiros porque eles são escolhidos com base em dados das redes sociais que, como sabemos, nem sempre revelam a verdade em perfis como do Facebook e Instagram. E assim os "viajantes" do futuro podem ir parar em corpos de gente doente, de viciados, enfim... em "invólucros" não muito adequados para sua tão importante e arriscada missão.

E há outros detalhes interessantes criados por Brad Wright, responsável pela série. Por exemplo:

Um dos hospedeiros mais jovens pode abrigar uma antiga consciência (que para alguns representa o espírito), que já viveu muito e sabe coisas demais, quase a história toda da humanidade na Terra.

E tem ainda a questão dos protocolos dos quais se destacam: não matar e não salvar ninguém do passado - respeitando o tempo de vida de cada um. Só que isso fica pra lá de difícil!

No total são três temporadas filmadas entre 2016 e 2018. Inmfelizmente a Netflix não quis investir numa quarta, mas o final da terceira temporada consegue colocar uma espécie de ponto final na história. 

A semelhança com a doutrina espírita

Para quem não sabe, o Evangelho segundo o Espiritismo (de Allan Kardec), fala de mundos superiores onde vivem espíritos mais evoluídos (muitos deles com passagens anteriores pela Terra). Esses espíritos, dotados de maior conhecimento e valores morais, podem eventualmente encarnar em mundos inferiores a fim de ajudar na evolução de seus habitantes.

"Nos mundos que atingiram um grau superior de evolução. a vida material e moral é totalmente diferente da que encontramos na Terra. O corpo não possui a mesma materialidade que encontramos na Terra... e possui uma leveza muito grande, o que torna a locomoção rápida e fácil. Em vez de se arrastarem pelo solo, deslizam sobre a superfície ou planam na atmosfera, somente usando o esforço da vontade" - trecho do evangelho espírita. 

Mais alguns trechos da seção que fala de mundos superiores e inferiores:

"Nos mundos superiores todos os sentimentos elevados da espécie humana se encontram aumentados e purificados... ninguém sofre a falta do necessário e o mal não existe. A vida, sem as preocupações e angústias da Terra,  é proporcionalmente muito mais longa"

O Evangelho explica que alguns espíritos que viveram em mundos mais evoluídos, por vezes, precisam de lá sair porque cometeram falhas e acabaram prejudicando os bons espíritos... causando um desequilíbrio. Então eles fazem uma espécie de "resgate" na Terra (ou planetas compatíveis com a Terra em termos de evolução):

"Esses espíritos, exilados por algum tempo, continuam sua evolução em orbes mais atrasadas. Eles recebem como missão acelerar o progresso dos espíritos menos evoluídos, pois trazem consigo a inteligência mais desenvolvida e a semente dos conhecimentos adquiridos nos mundos em que viveram".

Deu para sentir uma semelhança entre o entre o enredo de "Travelers" e o Envagelho segundo o Espiritismo?

Ambos falam de viagens espirituais ou via consciência com a missão de ajudar a humanidade mais "atrasada" que está mergulhada na violência e destruição de si mesma e do planeta. Esses viajantes, mesmo que queiram, não têm o poder da vida: não podem impedir que algumas pessoas morram quando chega a hora delas.

Tanto na série quanto no Evangelho, as consciências ou os espíritos "viajam" para outros mundos a fim de propagar a paz. A diferença é que as consciências do filme saem do futuro rumo ao passado em seu próprio mundo, que no caso é a Terra.  

Já no Evangelho diz que os espíritos de mundos mais evoluídos "viajam" para mundos inferiores no tempo atual (que pode ser a Terra mas tb outros planetas nas mesmas condições). 

Portanto, no filme a viagem é no tempo e os viajantes ocupam corpos adultos com suas consciências vindas do futuro. No Evangelho a viagem é no espaço e os espíritos começam sua jornada do zero reencarnando em bebês.


Fátima ChuEcco - jornalista e escritora

Site www.miaubookecia.com


segunda-feira, 15 de novembro de 2021

Gatinho de três patas é encontrado depois de 11 dias perdido. Sonhos estimularam a busca!



Bartho tinha amputado uma patinha cirurgicamente há poucos dias quando se perdeu em SP. Ele já andava bem, mas é claro que tinha bem mais limitações que um gato de quatro patas. A fuga desmantelou o coração de Amanda Moreira Barbosa, uma estudante de veterinária que já tinha salvado Bartho de uma situação de extremo risco de vida.

Com um dos pezinhos totalmente comido por bicheira, ele foi levado a um hospital veterinário onde Amanda fazia estágio, mas a pessoa que o levou não era a tutora e apenas tinha encontrado Bartho nesse lamentável estado na rua.  O hospital não aceitou tratar Bartho gratuitamente e a mulher foi embora com o gato. 

Sensibilizada com o estado crítico do bichinho, Amanda correu atrás da mulher e pediu pra ficar com o gato. Então ela o levou num hospital de preço mais acessível onde foi necessário amputar uma perninha.

"Ele era mansinho então devia estar perdido. Depois de operado ficou na minha casa  tranquilo, até que minha outra gata, que estava temporariamente internada para tratamento, voltou. Acredito que isso deve ter desestabilizado o Bartho e então ele fugiu sem que percebêssemos. Nem sei como, pois, ele estava num quarto fechado para concluir sua recuperação", conta.


Animais perdidos se comunicam pelos SONHOS

Quando a Amanda me procurou em busca de uma consultoria para encontrar seu gatinho,  uma coisa que me chamou a atenção foi o sonho que ela teve e onde reencontrava Bartho num matagal. Ele estava bem, atendia ao chamado dela e saía de dentro do mato.

Vários animais perdidos conseguem se comunicar com seus tutores pelos sonhos dando dicas de onde ou como estão. Por isso é bem importante prestar atenção nos sonhos e tentar lembrar dos detalhes.

Perto da casa de Amanda havia um terreno com mato alto, mas ela não o encontrou lá. 

Depois de uns dias ela sonhou de novo. Dessa vez Bartho saía todo sujo e fedido de um esgoto, mas tb ia ao seu encontro dela e os dois seguiam juntos para casa. Mais uma vez o sonho indicava reencontro.

Pedi à Amanda que se agarrasse a esses sinais e continuasse espalhando cartazes, principalmente nos mercados e comércios que estão podendo abrir, e seguisse procurando-o em toda a vizinhança, dando certa atenção para locais que tivessem mato e outros gatos (um gato perdido por vezes vai parar em colônias de gatos atraído pelo cheiro).

O REENCONTRO



Onze dias depois uns garotos ligaram para Amanda. Eles tinham encontrado Bartho e estavam brincando com ele na rua. Viram o fone dela num dos cartazes  preso a um poste e próximo a um mercado. Quando tentaram pegá-lo ele correu pra debaixo de carros, mas ficaram seguindo e vigiando Batho até Amanda chegar no local. Ufa!

"Ele estava duas ruas pra baixo, onde eu nem imaginei que pudesse estar. Nem tinha passado por lá, porque é uma descida enorme pra chegar lá. É relativamente longe da minha casa, uns 350 metros. Por isso não acho que ele foi sozinho. Não imagino ele indo pra lá. Talvez, por ser mansinho, alguém o tenha levado e depois ele escapou da pessoa ou do lugar para onde o levaram", conta.

A dedução de Amanda provavelmente está correta porque, em geral, os gatos quando fogem se escondem nas casas vizinhas ou no quarteirão de suas casas (leia várias matérias nesse blog sobre gatos encontrados bem perto de casa). Mas se tratando de um gatinho manso e com três patinhas, alguém pode ter ficado com dó de ver Bartho na rua e o levou para algum ponto que julgou mais seguro... talvez a pracinha com mato alto perto da onde ele foi encontrado pelos garotos.

Inclusive, os meninos disseram que já tinham visto o gato andando por ali. Então é bem provável que ele chegou até aquele local com a ajuda de alguém, mas como não sabia onde estava e nem como voltar pra casa, foi ficando ali.

E onde o SONHO encaixa nisso?

"Tinha uma pracinha com bastante mato, apenas não sei onde ele ficou escondido nesse tempo. Só sei que estava faminto. Comeu dois potes inteiros de comida de uma vez só", relata.

Ingredientes dos sonhos de Amanda: matagal e reencontro.

Ações essenciais para encontrar gatos perdidos

A primeira é básica: procurar, procurar e procurar, principalmente na vizinhança e de imediato, ou seja, assim que notar o sumiço. Falar com cada vizinho sem pular nenhum. Então, a  segunda coisa é espalhar cartazes e divulgar nas redes sociais. Amanda fez tudo direitinho!

Vejam o cartaz:


Otimizando as buscas

A Consultoria Personalizada por whats, que é a que presto, é outra aliada numa busca assertiva. Com base na personalidade do gato, circunstância em que fugiu e perfil físico e comportamental da vizinhança, ajudo o tutor a traçar uma busca mais estratégica.

Além disso, várias dicas gerais (e bem eficientes) de como encontrar gatos perdidos se encontram abertas ao público no grupo do facebook Gatos Perdidos e Encontrados em SP que pode ser acessado AQUI 

Mantenha seu gatinho seguro

Por mais que pareça ruim manter um gatinho em casa sem acesso à rua, pense nos perigos desses passeios: atropelamento, veneno, maus-tratos, perseguição por cães e doenças, algumas sem cura. Procure oferecer espaços para que ele observe a rua, mas sem sair de casa. Coloque rede de proteção em janelas e portas - algumas inclusive são removíveis e podem ser usadas em portas de entrada e janelas basculantes. Tem tb como telar quintais e varandas.

Fátima ChuEcco Jornalista e Escritora - Administradora do grupo Gatos Perdidos e Encontrados em SP, autora do fotolivro "Encontrando Rebecca Selvagem- Uma busca intensa e cheia de fé" e fundadora da Editora Virtual "MI-AU Book & Cia" que pode ser acessada AQUI


Conte a história de seu gatinho num fotolivro literário lindo lindo!!!!Veja exemplos no site www.miaubookecia.com e entre em contato pelo email jornalistafatima@uol.com.br









domingo, 14 de novembro de 2021

DICA sobre gatos perdidos: Tuffinho se perdeu e foi achado bem perto de casa


A primeira coisa a fazer quando se perde um gato é vasculhar a vizinhança, cada casa, sem pular nenhuma. Se Letícia Gabriela, de Guaianases (SP), não tivesse agido assim, talvez estivesse até hoje sem seu amado "Tuffinho", esse gatinho da foto de apenas 7 meses de idade. Vejam o relato:

"Meu gatinho sumiu e ficou 3 noites fora. Estava desesperada. Espalhei cartazes em vários comércios e postes. Postei nos grupos do Facebook, no status, meus amigos compartilharam, enfim... Eu sem saber mais o que fazer, decidi bater de porta em porta na rua onde eu moro, e na rua de trás da minha casa. Foi aí que encontrei meu gato. Ele estava sendo cuidado por outra família que ainda não tinha visto os cartazes. Estava praticamente na casa atrás da minha".

Gostaria de destacar a frase: "Estava praticamente na casa atrás da minha".

"Então, muitas vezes o bichinho de vocês está mais perto do que imaginam. Desejo a todos que encontrem seus amiguinhos". concluiu a tutora. 

Fiz questão de postar essa história com final feliz justamente porque vai de encontro ao que insisto que os tutores de gatos perdidos façam: "Procurem, procurem e procurem, principalmente nos arredores da casa".

Quando um gato escapa de casa, de uma clínica ou de outro lugar qualquer, a primeira coisa que ele faz é buscar refúgio no primeiro lugar que ele avista e esse lugar geralmente é a casa do vizinho do lado, dos fundos ou algum canto ali por perto... bem perto. 


Os gatos não são como os cães que, uma vez que escapam, disparam pelas ruas explorando a liberdade e vão parar até em outros bairros... às vezes até mesmo em outras cidades. Claro que me refiro aos cães sociáveis porque os medrosos também tendem a se esconder na vizinhança.

Mas os gatos, em algumas ocasiões, também podem parar muito longe de casa. É quando, no susto, se escondem dentro do motor de carros e são levados pra outro lugar ou quando alguém os resgata de algum acidente ou de algum lugar onde estavam presos e levam pra uma clínica ou mesmo pra casa.

Em ambos os casos, duas ações são primordiais: procurar na vizinhança o mais rápido possível e divulgar o sumiço via cartazes na região e posts nas redes sociais. Uma ação complementa a outra e as duas precisam ser feitas. 

Experiência própria



Quando minha gatinha (do mato) Rebecca Selvagem fugiu de casa eu a procurei insistentemente por 37 dias. Foi bem desgastante bater em cada porta, como aliás a Letícia fez. Eu pedi que imobiliárias me abrissem as casas que estavam fechadas à venda ou pra alugar... eu falei com todos os comércios da vizinhança e espalhei cerca de 100 cartazes, além de fazer folders para entregar nas casas. 

Mas valeu cada minuto dessa busca porque pude reaver a Rebecca. Estava um "palito", sem voz pra miar, mas viva! Eu conto essa história sob o meu ponto de vista e o dela no fotolivro "Encontrando Rebecca Selvagem - Um busca intensa e cheia de fé" disponível no site da Editora MI-AU Book & Cia. Acesse AQUI

Fátima ChuEcco Jornalista e Escritora  - Administradora do grupo do facebook Gatos Perdidos e Encontrados em SP que pode ser acessando AQUI












sexta-feira, 12 de novembro de 2021

Gatinho atropelado sobreviveu. Perdido? Abandonado? Só sabemos que precisa de um lar urgente!


Não é pedido de dinheiro, mas de um lar. A veterinária Mônica Riboldi, de SP, que atendeu esse lindo gatinho numa emergência e continua tratando dele, gravou um vídeo contando a crueldade que fizeram com ele e pedindo que alguém o adote. Isso porque as despesas veterinárias foram assumidas por uma pessoa que o resgatou, mas que não pode ficar com ele.

Vejam o vídeo para entender o caso e ver mais cenas dessa fofurice acessando AQUI

Conato para adotar:  Facebook da veterinária AQUI

quinta-feira, 11 de novembro de 2021

CONHEÇA O TARÔ DOS CÃES E GATOS NA FEIRA PET-SOLIDÁRIA DO MUSEU DO IPIRANGA

 


O Tarô é um riquíssimo instrumento de autoconhecimento. Agora imagine saber quem de verdade é você nas cartas do Tarô dos Cães e Gatos! Que carta embala sua Alma, que carta rege a energia do seu nome e qual carta representa sua missão?  Tudo isso você fica sabendo com a ajuda da numerologia de Pitágoras que, aliás, foi um grande defensor de animais de sua época.

Na Feira Pet-Solidária do Museu do Ipiranga, dias 14 e 15  de novembro, você pode conhecer esses belíssimos tarôs italianos e encomendar sua numerologia para descobrir quais são suas cartas pessoais.

 E encomendar também uma linda camiseta ou caneca das suas cartas. 

Veja os modelos de estampas disponíveis:




A Feira Pet-Solidária reúne barraquinhas com produtos e artesanato de ONGs de proteção animal. Artigos exclusivos! Veja quem estará lá acessando AQUI





FEIRA PET-SOLIDÁRIA NO MUSEU DO IPIRANGA TEM ARTIGOS EXCLUSIVOS

 


quarta-feira, 10 de novembro de 2021

Instituto Melhor Amigo participa da Feira Pet-Solidária do Museu do Ipiranga dias 14 e 15/11

A Feira Pet-Solidária do Museu do Ipiranga, que acontece neste domingo (14) e dia 15 (feriado), reúne barraquinhas de produtos e artesanato de diversas ONGs de proteção animal. É uma oportunidade de comprar lindos e exclusivos artigos e ainda ajudar animais carentes. A feira acontece na Rua Patriotas esquina com a Rua Bom Pastor, pertinho do Sesc Ipiranga, das 9h às 17h.

Entre as entidades presentes no evento estará o Instituto Melhor Amigo que divulga os cães e gatos que estão disponíveis para adoção na COSAP - Coordenadoria de Saúde e Proteção ao Animal Doméstico. A ONG também auxilia em projetos para o bem-estar dos animais.

Na foto de abertura estão alguns dos bichinhos que anseiam por um lar. Eles não estarão na feira presencialmente, mas um breve histórico, escrito pelos voluntários, segue abaixo:

Coff (cão caramelo)


É daqueles cães que adoram passear, tomar sol, deitar e rolar na grama. É um cachorro que gosta de carinho moderado, sem agarramentos, gosta de brincar e tem muita energia. Coff tem um probleminha: quando ele vê um carro quer sair como louco atrás do pneu, então nos passeios ele requer cuidado para não fugir e um condutor que tenha força para segurá-lo. Coff é um cachorrinho que muitas pessoas não notam e os motivos são sempre os mesmos: ele tem esse olhar tristonho de quem está procurando um algo a mais, ou seja, uma família; na verdade ele quer um lugar no coração de alguém. Coff está à procura de um lar para finalmente ser feliz! Tem aproximadamente 9 anos e entrou no CCZ em 2012. Recomendado para crianças acima de 10 anos e que respeitem o espaço do animal. Porte médio, castrado, vacinado, vermifugado, chipado e com RGA (Registro Geral Animal)

Obs.: Os tutores que adotam cães ou gatos idosinhos na COSAP precisam fazer mais visitas ao veterinário então, para cães acima de 8 anos, o tutor recebe o cartão Cuida Bem Idoso que dá acesso a atendimento prioritário vitalício nos Hospitais Veterinários Públicos da cidade de São Paulo.

Chica (cachorra preta)



É uma cachorrinha alegre com muita energia, gosta de brincar, de dar e receber carinho. Gosta de passear e com tanta energia é preciso empenho do seu novo tutor. Chica é uma cadelinha curiosa e esperta, então é necessária muita atenção com as rotas de fuga. Chica está procurando uma família amorosa e responsável e que também tenha muita energia. Castrada, vacinada, vermifugada, chipada e com RGA (Registro Geral Animal), nascimento estimado em junho de 2020.

Ana (gata frajola)



É super fofa, dócil, gosta de carinho e brincar com a varinha. Ela tem essa carinha redonda irresistível, sem contar essas manchinhas pretas no nariz e no queixo. É um pouco tímida, talvez por isso ainda não tenha sido notada e vai precisar de um tempo para te conhecer. A dica é usar sachês, que ela ama, para ajudar na conquista de seu coraçãozinho, além de paciência e amor. Adoção apenas para casas e apartamentos telados e sem qualquer rota de fuga e para adotantes que não liberem voltinhas na rua. Fêmea, sem raça definida, idade aproximada 4 anos. Está no CCZ há 5 anos! Castrada, vacinada, vermifugada, com microchip de identificação e com RGA (Registro Geral Animal).

Kika (gata tricolor)



É uma gatinha meiguinha, adora carinho e um colinho. Kika acabou de ser mãe de três lindas gatinhas. Foi uma mãe incrível e muito amorosa. Kika é uma escaminha que já passou por muita coisa e agora precisa de um lar amoroso e muito responsável. SRD com nascimento estimado em junho de 2017. Castrada, vacinada, vermifugada, chipada e com RGA (Registro Geral Animal). Adoção apenas para casas e apartamentos telados e sem qualquer rota de fuga e para adotantes que não liberem voltinhas na rua. 

AJUDE comprando os produtos do Instituto Melhor Amigo

Na Feira Pet-Solidária o Instituto Melhor Amigo estará vendendo camisetas e calendário ilustrado com outros animais recolhidos pelo CCZ: cavalos, burrinhos e porcos. Veja:




QUER SABER QUEM MAIS ESTARÁ NA FEIRA PET-SOLIDÁRIA E O QUE VAI ENCONTRAR POR LÁ ?

Acesse a matéria completa com muitas fotos AQUI




Trabalho apaixonante feito com a boca do artista Clênio Marcio Ventura

Vejam as cores... a expressão desses gatinhos... não são lindos? Ao visitar o site da Associação dos Pintores coma a Boca e os Pés me depare...