quarta-feira, 16 de novembro de 2022

Palestra "A Magia dos Gatos e o Tarô dos Gatos" - Anote na agenda dia 10/Dezembro


De Bruxa e Fada toda Gateira tem um pouco e, na minha opinião, a única diferença entre as duas é que uma realiza desejos com a Varinha de Condão e a outra com receitas no Caldeirão. Rimou!

Então anotem na agenda e não percam esse megaevento nos dias 10 e 11 de dezembro: a 12ª Edição da Mystic Fair - maior feira mística e esotérica do Brasil, na SP Expo (Rodovia dos Imigrantes Km 1,5). Transporte gratuito no metrô Jabaquara (Rua dos Jatobás, 70). Excelente oportunidade, inclusive, para escolher presentes de Natal.

Além das centenas de expositores, a programação de palestras e vivências está incrível, transbordando de temas que nós, bruxas e fadas gateiras, adoramos!

Vou estar dia 10, sábado, às 13h, ministrando a palestra "A Magia dos Gatos e o Tarô dos Gatos".


Quem conhece meu trabalho já sabe também da minha louca paixão pelos pequenos felinos, mas para quem não conhece, aqui vai um resumo:

Como jornalista acabei me especializando em assuntos sobre gatos. Trabalhei na Revista Meu Pet e na Miaumagazine de Portugal. Sou autora do clássico "Mi-Au Book - Um livro pet-solidário" que em sua segunda edição contou com a participação de Brigitte Bardot e do livro "Ághata Borralheira tocando corações" sobre uma gatinha preta que reuniu bichinhos de vários países. Participei de outras obras como "Somos Todos Animais", "Direitos dos Animais e Deveres dos Homens" e "Animais: Amigos Importantes". Desenvolvo fotolivros literários inspirados em gatos.

Trabalho com numerologia de Pitágoras (que já em sua época defendia os animais) associada a dois belíssimos Tarôs dos Gatos perfazendo um estudo da alma e missão de vida muito mais rico de elementos. E é com metodologia baseada no comportamento felino, análise de sonhos e intuição que criei um serviço exclusivo para encontrar gatos perdidos, a @buscacats.

Na palestra na Mystic Fair estarei abordando  o animal mais associado à magia e à cura, além de apresentar as belas cartas dos Tarô dos Gatos e seus significados. 

E ainda no sábado, dia 10, tem muito tema sensacional na feira. Espia só:

Benzimento para pets, Conheça seu Animal de Poder, Magia das Plantas, Magia do fogo, Yoga do Riso, Arquitetura Energética e Ritual para Abertura de Caminhos Financeiros. 

Tem também apresentação de Dança Cigana, Dança do Ventre, Flamenco e show musical do grupo "Respeita as Bruxas da Quebrada"

No Domingo, dia 11, serão abordados temas como Aromaterapia, Harmonização Energética de Imóveis e Técnicas de Limpeza Energética e Espiritual.

E muito mais! Veja a programação completa acessando AQUI 

Então não esquece: dias 10 e 11 de dezembro!

Acesse o site do evento www.mysticfair.com.br

Texto: Fátima ChuEcco, jornalista, escritora 

Fotos: Fátima ChuEcco

Pintura na abertura do texto: Karina Polycarpo

quarta-feira, 2 de novembro de 2022

Atenção: Ajude os animais da Ucrânia, mas cuidado com perfis falsos

 


Bombardeios em Kherson, na Ucrânia, levam ao desespero e morte centenas de pessoas e animais, mas mesmo assim tem gente se aproveitando desse sofrimento e criando perfis falsos nas redes sociais para angariar dinheiro. Por conta disso, um grupo de ucranianos que está tentando salvar centenas de animais acabou tendo sua conta do PayPal bloqueada e eles estão sem ter o que oferecer aos cães e gatos. Vejam abaixo o apelo publicado hoje (2 de novembro) e ajudem da maneira que puderem, inclusive compartilhando. Para acessar o facebook do grupo clique AQUI  ou https://www.facebook.com/shelterkherson  e ATENÇÃO: o twitter @sheltershans é FAKE!

Oleshki, Kherson.

Deveríamos pedir comida para nossos animais de estimação, mas recebemos uma carta informando que o PayPal fechou nossa conta permanentemente e bloqueou todo o nosso dinheiro que estava na conta. Era tudo o que tínhamos.

Só poderemos ter acesso ao dinheiro em 180 dias. Os animais conseguem esperar seis meses para comer?

Não temos dinheiro agora, os animais não têm nada para comer. Nós nos encontramos em uma emergência.

A todas as cartas explicando que a conta é de uma instituição de caridade e pedidos para ajudar pelo menos a sacar dinheiro porque os animais não morrerem sem comida, o PayPal respondeu que sua decisão não pode ser alterada e parou de nos responder. Não sabemos o que fazer. Se alguém conhece um telefone de suporte na Ucrânia ou sabe como podemos desbloquear a conta, por favor escreva para nós.

Honestamente, estamos em pânico agora. Nossos animais morrerão sem comida, não há nada para comprar para nós!

O PayPal pode ter sido bloqueado porque havia muitas páginas em nosso nome coletando dinheiro de forma fraudulenta. Mas os animais agora ficaram sem um centavo e sem um grama de ração!

Para comprar ração agora por um tempo precisamos ganhar algum dinheiro! Tivemos que criar uma nova carteira do PayPal, caso contrário, simplesmente não sobreviveríamos!

Por favor, ajude-nos a salvar os animais e comprar comida!!!

📌5168742730428681 Rybchenko A. R.

📌 NOVO PayPal oleshkishelter@gmail.com 

Contact: chancekhersonorg@gmail.com  


domingo, 9 de outubro de 2022

Nestor é encontrado depois de se perder 2 vezes seguidas e ficar 58 dias sumido


Quem perde um gato fica com os cabelos em pé, não é mesmo? Agora imagine perder o mesmo gato duas vezes seguidas num curtíssimo espaço de tempo. Foi exatamente o que aconteceu com o Nestor (foto). Ele se perdeu de casa no bairro de Artur Alvim (SP) e, no mesmo dia, foi resgatado por uma pessoa que o levou para a Vila Campanella mas, infelizmente, o deixou escapar novamente. 

Então Nestor, por duas vezes sem eira nem beira, começou a frequentar uma casa onde já morava outro gatinho:

"Fazia quatro dias que eu havia distribuído as cartinhas da BuscaCats nas casas da Vila Campanella. Então um rapaz me ligou dizendo que Nestor estava se abrigando no forro do telhado da casa da irmã dele e indo no quintal buscar comida do outro gato", conta a tutora Gislei Barbosa.

Nestor começou a confiar na desconhecida que lhe dava comida e se deixou apanhar. Então, após uns dias, a dona da casa resolveu doar Nestor para sua mãe idosa que morava num outro bairro.

Quantas viagens, hein Nestor?!


Assim, após quase dois meses desaparecido e sem qualquer pista de seu paradeiro, essa história tinha tudo para não terminar do jeito que a tutora Gislei gostaria, mas...

"Eu já havia colado cartazes, contratado carro de som, falado com muita gente, mas a cartinha de sensibilização da BuscaCats foi um fator decisivo para Nestor ser devolvido. Foi fundamental para um final feliz, pois, o rapaz me procurou assim que leu a cartinha".

Curiosamente Gislei havia sonhado que Nestor estava com alguém de cabelos grisalhos. Seria a senhora que ganhou Nestor de presente dos filhos? Talvez. Alguns tutores sonham exatamente com o que acontece com seus gatos perdidos.

Dessa incrível história do Nestor, que atravessou três bairros em 58 dias e mesmo assim foi reencontrado, a gente tira algumas lições.

🐱Em primeiro lugar... tem que procurar bem, mas bem perto mesmo da onde o gato se perdeu porque ele pode estar preso ou vivendo na vizinhança ou ainda ter sido resgatado por algum vizinho que às vezes nem sabe que o gato está perdido.

😸Em segundo lugar... eu sempre digo para as pessoas que buscam minha consultoria sobre gatos perdidos: procurem em forros das casas, casas vazias e locais onde vivem outros gatos. A tendência de um gato perdido é buscar abrigo bem perto de casa e seguir na direção do cheiro de outros gatos.

😻Em terceiro lugar... tem que ter esperança e perseverança... como a Gislei teve. Alguns gatos são encontrados em poucos dias, mas outros depois de semanas e até meses.

Claro que existem muitos perigos nas ruas e nem todos gatinhos podem ser encontrados, mas se o gato estiver "vivo" e nas proximidades, a chance de revê-lo é grande se o tutor não desistir de procurar. 

E tem que procurar por perto porque um gato só vai parar longe quando entra no motor de um carro ou é levado por alguém como, aliás, aconteceu com o Nestor. Os gatos tendem a ficar no próprio quarteirão da onde fogem ou nos quarteirões ao redor.

Vaja mais orientações no blog da @buscacats acessando AQUI

Texto: Fátima ChuEcco, jornalista e fundadora da @BuscaCats e da editora @miaubookecia






Lucy é encontrada no Dia dos Animais, depois de 16 dias desaparecida



O Dia dos Animais (e de São Francisco), comemorado em 4 de Outubro, teve um significado ainda mais especial para Hellen Cristina Inácio, tutora da Lucy (foto). É que nesse dia ela reencontrou sua gatinha que já estava sumida há 16 dias em SP. Embora Lucy não costumasse zanzar pelo quarteirão, um dia ela resolveu se aventurar saindo pela janela da cozinha.

Para piorar a situação, Hellen e o marido estavam viajando e seus gatos ficaram aos cuidados de uma vizinha que imediatamente fez de tudo para achar a gatinha. Acontece que procurar por um gato não é nada simples nem fácil. Tem que ser perseverante e explorar minuciosamente a vizinhança dia após dia sem perder a esperança.

Atenção: não tem que sair pelo bairro em locais distantes de casa e muito menos procurar de carro. Na grande maioria dos casos, o gato que se perde fica nas proximidades, normalmente no mesmo quarteirão ou na rua detrás, acessos laterais da casa, enfim, muito perto. 

Um gato só vai parar longe se entra no motor de um carro ou se alguém o leva embora.  Então tem que focar os locais mais próximos onde ele possa ter buscado abrigo ou ter ficado acidentalmente preso. Isso é vital.

A Hellen procurou minha consultoria para gatos perdidos quando Lucy já estava sumida há uma semana e, pelos vídeos que me enviou das redondezas, logo vi que havia muito lugar para a gatinha se esconder: vilas, condomínios, estacionamento de mercados, fábrica abandonada, várias casinhas com jardim (e outros gatos) e um galpão, bem nas costas da sua casa, que logo de início me chamou a atenção.

Foi justamente no galpão o resgate da gatinha, pois, ela andava indo lá em busca de comida e o proprietário do imóvel avisou Hellen. Anotem: galpões, estacionamentos, oficinas mecânicas, borracharias, imóveis em obra ou vazios... tudo isso faz parte da extensa lista de locais que os gatos procuram quando se perdem.


Além disso, Hellen seguiu outra orientação: criou pontos de alimentação fixos para manter a gatinha alimentanda e por perto. Contou com a ajuda de alguns vizinhos para essa importante ação que, muitas vezes, salva a vida de um gatinho perdido.


A paixão da Hellen por Lucy é tão grande que ficou difícil escolher uma foto, então ela mandou várias e eu adorei a fotogenia dessa felina. Então mais um pouco de imagens pra voces que amam gatos.


 Nessa história cabe ainda um alerta: Lucy é uma gatinha rajada - pelagem muito comum dos gatos no Brasil. Por isso é importante ter cuidado ao examinar gatos rajados durante uma busca do animal perdido. Muitas vezes, devido ao trauma vivido na rua, um gato não interage com o tutor quando localizado. Pode ficar arredio ou indiferente, então é necessário observar seu comportamento e comparar com os hábitos do gatinho perdido.

Acompanhei um caso assim que, por um triz, quase que um gato rajado não volta pra casa. Sua tutora ficou em dúvida se era mesmo seu gato dada a indiferença inicial do bichano. Mas vejam como ela descobriu que se tratava do Mike acessando a matéria AQUI

Alerta 2: Cuidado ao oferecer recompensa por gatos rajados e pretos. Não aconselho. Por terem pelagem comum, pessoas de má índole podem raptar gatos de mesma pelagem para ganharem recompensa. Leia mais sobre isso AQUI

Texto: Fátima ChuEcco, jornalista e fundadora da @buscacats e da editora @miaubookecia



terça-feira, 4 de outubro de 2022

DOZE MANEIRAS DE HUMANIZAR OS BICHOS. E POR QUE NÃO?


Sempre vejo pessoas criticando cães e gatos que eventualmente usam roupinhas alegando que isso é "humanizar" o animal. Mas qual o problema? Desde que as roupas sejam confortáveis, não atrapalhem os movimentos e o animal não demonstre que deseja se livrar delas... qual o problema? Animais domésticos são humanizados a partir do momento que passam a viver junto de humanos. 

Vejam doze principais maneiras que humanizam os bichos ainda que eles nunca venham a usar roupinhas.

Um: eles ganham um teto fixo ao abrigo da chuva e do frio - o que não teriam se estivessem vivendo livres. Dois: eles tomam banho com xampu e condicionador - sendo que na natureza tomariam, quando muito, banho de chuva. Três: passam a comer em pratinhos e a beber água em tigelas. Quatro: ganham cama  macia ou passam a dormir na cama de seus tutores. Cinco: são levados ao veterinário (equivalente de médico pra gente) quando ficam doentes. Seis: ganham brinquedos, bolas e bichinhos de pelúcia. Sete: passeiam em locais escolhidos por seus tutores - o equivalente a levar os filhos humanos num parque. Oito: comem comida industrializada, dura, com aromatizantes e conservantes. Nove: assim como as pessoas cortam os cabelos, muitos cães e gatos também têm o pelo tosado pelos seus tutores. Dez: passam a entender a linguagem humana reagindo a diversas palavras dirigidas a eles. Onze: usam sapatinhos para não queimar as patinhas no chão quente (o que é ótimo pra eles). Doze: ganham nomes humanos.



Depois de tudo isso, dá pra dizer que "apenas" colocar roupinha é humanizar bicho? 
E à propósito... qual o problema de humanizar? Há um incontestável lado bom nisso. 

Quanto mais próximos da convivência humana, mais livres os animais ficam do consumo humano, ou seja, na maior parte dos países, os animais que se tornaram domésticos deixaram de ser "comidos" - com exceção de alguns países asiáticos onde, muitas vezes, se come o mesmo cachorro e gato criado junto da família humana. Milhares de anos atrás, por exemplo, tivessem os porcos se unido aos homens das cavernas, talvez hoje teríamos porquinhos como animais de estimação e cães no açougue.

A "humanização" de algumas espécies têm garantido sua sobrevivência longe de matadouros. A convivência próxima criou empatia, laços e desejo de proteção. Por algum motivo, cães e gatos tiveram essa chance de adentrar na casa dos humanos e, obviamente, foram inseridos em atividades e comportamentos humanizados. Caso nós vivêssemos com eles no habitat deles também passaríamos a nos comportar como eles. Aliás, há alguns casos verídicos desse tipo, de crianças crescidas com animais selvagens que passaram a agir como eles.

Essa crítica em cima da humanização de bichos me parece um tanto equivocada já que só o fato de inserí-los em nossas casas já é em sim um tremendo ato de humanização. Algumas pessoas protestam dizendo: "Eles não nasceram de roupa!". Bem..... e nós também não.

Texto: Fátima ChuEcco jornalista e escritora



quinta-feira, 22 de setembro de 2022

Mike viveu uma aventura e tanto nos três meses em que ficou desaparecido


Essa é uma história bem útil para tutores e protetores de gato porque, em primeiro lugar, mostra que gatos encontrados na rua, mesmo em péssimo estado, nem sempre estão abandonados. Por isso é bem importante divulgá-los em grupos de bairros e de animais perdidos do Facebook e do Instagram para ver se estão sendo procurados.

Em segundo lugar, o caso do Mike (gatinho da foto) acende um alerta para tutores de gatos rajados (tigrados). Já é bastante angustiante perder um gato de qualquer cor de pelagem, dados os perigos que sabemos que eles enfrentam nas ruas, mas quando se trata de um gato rajado, que é bem comum em SP, a situação se complica porque fica difícil reconhecê-lo por fotos e até mesmo por vídeos. 

Com o Mike aconteceu isso: a tutora Silvia Grota ficou bastante em dúvida se era mesmo o seu gato que tinha sido resgatado e castrado por uma protetora, e depois levado para um lar temporário. "Num primeiro momento achei muito parecido com o Mike, incluindo o temperamento, mas a pelagem e o rostinho estavam um pouco diferentes. Então tive receio de ficar com um gato que podia ser de outra pessoa", conta.


Ao conversar comigo, instruí Silvia a focar no comportamento do bichinho, pois, sabemos que cada gato tem algumas atitudes únicas, que só eles  fazem. 

"Ele sempre gostou de dormir no chão, especialmente em tapetes e em cima de chinelos e sapatos. Então notei que o gatinho que me entregaram, logo que chegou em casa, procurou exatamente o mesmo tapetinho pra deitar e também um par de chinelos. Além disso, ele gostava de beber água num copo que eu deixo debaixo da samambaia e ele foi beber nesse copo também".

No entanto, teve mais um sinal bem emocionante: o gatinho, sem mais nem menos, subiu no colo do marido da Silvia e deitou no peito dele. Pronto! Depois disso não tinha mais dúvida: era mesmo ele!


Uma aventura incrível

Começamos o texto pelo final da história, mas a aventura "perigosa" de Mike teve início no dia 5 de janeiro durante um campeonato de futebol e estouro de muitas bombas. Ele se assustou e fugiu por uma janela do banheiro. No dia 18 de março, funcionários do Supermercado Assaí da Cohab I, de Arthur Alvim (2 km distante da Silvia), avisaram uma protetora local da presença de um gato no estacionamento, mas ela não conseguiu pegá-lo.

No entanto, uns dias depois, segundo a protetora de nome Flávia, o mesmo gato apareceu no prédio dela gritando muito. Ela teve a impressão que ele sabia que ali poderia conseguir ajuda. Flávia o recolheu e o levou ao veterinário, pois, estava gripado e com sarna. Depois de tratado também foi castrado. E, por fim, transferido a um lar temporário oferecido pela Priscila, amiga da Flávia.

Calma que a história não termina aqui e tem mais acontecimentos incríveis!

Priscila mora a apenas 500 metros da Silvia.  Ela anunciou Mike, que a essa altura era chamado de "Flavinho" (por causa da Flávia que o resgatou), num grupo do Facebook destinado a moradores da Cidade Patriarca. Então a Rosângela, ao ver o post, avisou a Silvia sobre um gato muito parecido com o Mike (também postado nesse mesmo grupo). Reparem:

Depois de ir parar 2km longe de casa, o gatinho estava agora apenas 500 metros distante da tutora. Arrepiou?

Aqui vale lembrar que, certamente, Mike não foi andando da Cidade Patriarca até Arthur Alvim. Em geral, quando gatos fogem de casa eles se escondem na vizinhança, no mesmo quarteirão de casa e, algumas vezes, dependendo do que passaram, ficam a um ou dois quarteirões próximos. Por isso é tão importante, assim que notar que o gato fugiu, procurar intensamente na vizinhança.

Mas algumas vezes eles se escondem em motores de carros fugindo de cães ou de crianças/pessoas que tentam pegá-los por algum motivo. E dessa forma acabam parando em outro bairro porque descem assim que o carro estaciona. Alguns podem ficar bem feridos nessa "viagem", mas outros conseguem sair ilesos e então, sem saber voltar para casa, procuram se virar nos arredores.

Gatos mudam de cor SIM!!!

Anotem essa dica: gato muda de cor SIM! Isso acontece por motivo de doença, desnutrição, anemia, problemas hepáticos e exposição excessiva ao sol. E quando um gato emagrece muito na rua e a pele despenca, suas listras e manchas também podem dar a impressão de estarem diferentes.

Assim, uma pelagem originalmente marrom ou cinza escura pode clarear ou ficar com tons dourados. Tons pretos podem ficar amarronzados. Pelagem branca pode amarelar. Eu mesma tive uma gata preta  de patinhas brancas que, por razão de um linfoma acompanhado por períodos de anemia, foi ficando "ruiva". Primeiramente, a pelagem preta foi ficando marrom e depois alaranjada. Tem até um "filminho" dessa minha gatinha chamada Ághata Borralheira falando disso:


Então, que o caso do Mike sirva de exemplo e também de inspiração. Quem perdeu um gato rajado não deve descartar a hipótese de ter reencontrado seu bichano apenas se baseando em sua aparência. A vida na rua é dura, maltrata, deixa os animais abatidos e diferentes. 

O ideal é observar o comportamento deles para captar  hábitos e manias que só eles tinham. Mas mesmo para isso é necessário dar um tempo. Nem sempre eles se revelam imediatamente. Traumatizados e por vezes doentes, talvez não manifestem nenhum sinal "conhecido" do tutor nos primeiros dias de volta para casa. 

Quando capturei com gatoeira uma gatinha rajada que achei que fosse a minha Rebecca Selvagem, sumida há 37 dias, também fiquei em dúvida. Ela, que já era arisca, estava 10 vezes mais brava e se debatia na gaiola como uma fera. Deixei-a no meu quarto uma semana, separada de minhas outras gatas, para que ficasse mais tranquila. Mas mesmo depois desse período, ainda ficou mais uns dias vivendo dentro do guarda-roupas.

Eu achava que era a Rebecca, mas não tinha certeza. Estava pele e osso. A pelagem parecia mais escura e os olhos menores. Então, quando finalmente começou a se aproximar, numa noite em que eu estava deitada no sofá, ela subiu em cima de mim, esticou vagarosamente um bracinho até tocar meu rosto e cheirou meu nariz como sempre fazia. Era ela!!!

Escrevi um fotolivro sobre essa minha "saga" de mais de um mês (foto) e que está à venda no site www.miaubookecia.com:


Procurando Gatos Perdidos

Administro o grupo do Facebook "Gatos Perdidos e Encontrados no Brasil" que tem muitas dicas para os tutores procurarem seus amados gatinhos e também vários relatos de quem conseguiu achar o gato. 

Além disso, também presto consultoria personalizada pelo whats app:






Fátima ChuEcco - Jornalista e Escritora





quarta-feira, 21 de setembro de 2022

Dolittle vale ver principalmente pelo Gorila


Já não é mais criança mas AMA filmes com animais falantes? Então não perca "Dolittle", estreia da Netflix, que é uma graça! Mas quem rouba as cenas é um adorável gorila que tem  medo de gente e dá deliciosas gargalhadas. Uma simpatia. Merecia um filme só dele.

Além de Robert Downey interpretando o Dr Dolittle, tem também Antonio Banderas no papel de um vilão. Os animais são todos computadorizados e a história, embora bem infantil, é gostosinha de ver. Combina bem com um saco de pipoca doce, daquelas vermelhas!

Diferente dos demais enredos de "Dr Dolittle", nesse caso o veterinário está isolado do resto do mundo numa mansão com os animais que salvou. Mas um chamado da "realeza" o obriga a sair da toca com sua trupe eclética e animada. 

Vejam o trailer:


Texto: Fátima ChuEcco - jornalista e escritora






AMA Gatos? Mergulhe em 3 filmes sensacionais sobre eles!


Pra começo de conversa uma estreia na Netflix: "Por dentro da mente de um gato". Esse documentário entrevista especialistas em comportamento felino e traz cenas das mais adoráveis para as gateiras de deliciarem. E só pra contar um pouquinho: uma pesquisadora fez uma experiência oferecendo aos gatos petiscos, brinquedos ou colo. A maioria dos felinos preferiu colo!

Vejam o trailer:


Ainda na Netflix tem uma série chamada "Cat People" sensacional! Mostra a vida de autênticos gateiros em vários países e situações diversas.

Vejam o trailer:


E tem ainda o maravilhoso "Kedi" ou "Gatos" (como é chamado em alguns lugares) - um filme que acompanha a vida de 7 gatos que vivem livremente pelas ruas de Istambul. Só o trailer é de "babar". É um dos melhores filmes que já vi sobre gatos. Incrível do começo ao fim!

Vejam o trailer:



Fátima ChuEcco - Jornalista/Escritora, fundadora da @buscacats  e da @miaubookecia, mas acima de tudo uma gateira!


terça-feira, 20 de setembro de 2022

No Brasil é permitido destinar de 50% a 100% da herança para alguém que cuide dos animais orfãos



A Covid tem aumentado o número de animais orfãos e sabemos que o maior desejo dos tutores é deixar seus cães e gatos seguros, com pessoas que continuem cuidando deles com amor.  E isso pode ser feito até com um testamento escrito a mão... isso mesmo... um testamento do próprio punho desde que tenha assinatura de três testemunhas. Ninguém gosta de pensar nesse assunto, mas é necessário porque hoje em dia, mais do que nunca, ninguém sabe o dia de amanhã.... e, além disso, é preciso encarar testamentos com naturalidade, como um "seguro" para os filhos de quatro patas.

Segundo o Código Civil brasileiro é possível deixar de 50%  a 100% de sua herança para uma ONG ou pessoa que se comprometa a cuidar de seus animais. No caso de você ter os chamados "herdeiros necessários" que são os cônjuges, descendentes (filhos, netos e bisnetos) e ascendentes (pais, avós e bisavós), esses herdeiros, por lei, ficam com 50% e você pode destinar os outros 50% para quem quiser.

No entanto, se a pessoa não tiver "herdeiros necessários" pode destinar 100% de sua herança da maneira que quiser

Irmãos, tios e primos não são herdeiros necessários e eles só ficam com a herança se não houver um testamento destinando a mesma para outras pessoas ou entidades.


Então, por exemplo... digamos que uma senhora viúva, com casa própria, tenha cinco cachorros e dois filhos que não moram com ela e não têm nenhum interesse ou não possam cuidar dos animais caso ela morra. Os filhos obrigatoriamente ficam com 50% da propriedade, mas os outros 50% ela pode destinar a uma amiga de confiança que se comprometa a ficar com os animais.


E será que é caro fazer um testamento?

Tem pelo menos dois jeitos, um chamado "testamento público" feito em cartório e de custo elevado (entre R$ 1.600 e R$ 2 mil) e outro chamado "testamento particular", de custo zero, que pode ser escrito com o próprio punho da pessoa e não precisa de advogado nem de cartório. Nos dois casos é obrigatória a assinatura de três testemunhas que não sejam beneficiadas pelo testamento.

A vantagem do testamento público, para quem tem condições de fazer, é a segurança de estar registrado num cartório.  No testamento particular, o documento precisa ser muito bem guardado por alguém de confiança que o apresente no momento certo à Justiça. 

Esse testamento particular pode ser alterado sempre que for necessário. Basta redigir de novo e colher assinatura de três testemunhas.

Os dois testamentos têm o mesmo valor jurídico e herdeiros necessários podem contestar nos dois casos.

Acontece que poucas pessoas têm conhecimento desse direito e é, muitas vezes, por conta disso, que vemos cães e gatos sendo abandonados à própria sorte nas ruas quando seus tutores morrem.

A herança não pode ser deixada de forma "direta" para os animais porque no Brasil eles não são reconhecidos como "sujeitos de direitos", mas é perfeitamente possível, como explicado acima, destinar de 50% a 100% da herança (dependendo da existência ou não de herdeiros necessários) para uma ONG ou pessoa próxima que se encarregará de assumir os animais.


“Cuidarei enquanto puder” 

Esse é o pensamento de muita gente que tem animais de estimação: "Cuidarei enquanto puder". Porém, dessa forma, esses tutores se comprometem apenas com o presente e não com o futuro de seus amados companheiros. É preciso ter em mente que, não importa a idade, qualquer pessoa pode morrer antes de seus cães e gatos.

Nem sempre a família tem interesse ou mesmo condições de assumir os animais do falecido e, aliás, nem tem obrigação, ainda mais quando são muitos os “orfãos de quatro patas". 

Quantas vezes não vemos protetores desesperados nas redes sociais buscando lar emergencial para animais cujo tutor morreu e que serão despejados do imóvel?

Muitos desses tutores talvez tivessem um imóvel, uma poupança, um carro ou qualquer outro bem que pudesse ser destinado a alguma ONG ou protetor de animais, mas por puro desconhecimento, não faz um testamento e seus bens ficam integralmente para a família ou para o governo, pois, na ausência de parentes quem leva a herança é a União.

Freddie Mercury, da banda Queen, destinou boa parte de sua herança a sua amiga Mary Austin em testamento e, principalmente, a mansão onde ficavam seus gatos. Outras celebridades pelo mundo afora também já manifestaram publicamente seus desejos de deixarem os animais de estimação com uma farta conta bancária. 

A lei varia pelo mundo. Na Alemanha, por exemplo, é possível deixar 100% de uma herança para os animais de estimação. Já em Portugal apenas 1/3 da herança.

Saiba como fazer

Para facilitar e incentivar os testamentos que beneficiem animais, abaixo seguem alguns links que explicam direitinho tudo sobre esse assunto e, inclusive, o link da onde tem o modelo de um testamento particular para fazer sem erros, de acordo com a lei.

Vale lembrar que além do testamento é importante deixar uma carta com orientações sobre os animais: idade, comportamento, ração que comem, doenças crônicas e medicamentos que tomam, além do contato do veterinário que acompanha algum deles. Essas orientações podem ser fixadas na porta da geladeira, por exemplo, a fim de serem sempre atualizadas e ficarem visíveis para parentes e amigos.

Modelo de testamento particular, simples e de custo zero. Acesse AQUI

"Nem todo herdeiro é necessário". Essa matéria da Folha explica direitinho a diferença entre herdeiros que obrigatoriamente recebem 50% dos bens  e os demais herdeiros que podem ser excluídos da herança. A matéria dá até um BOM EXEMPLO de pessoa que tenha cães e deseja deixar parte de sua herança para uma ONG. Acesse AQUI

"Testamento evita brigas depois de sua morte. Veja como fazer e quanto custa". Nessa matéria do UOL você tem detalhes sobre três tipos de testamentos: público e particular, que já abordei no artigo, e o fechado, que é mais raro. Acesse AQUI

Créditos

Foto de abertura: Barbara Jackson/Pixabay Free, Foto varios animais: Gerard G./Pixabay Free, Foto moça com cão: Zigmars Berzins/Pixabay Free, Foto close cão: Public Image/Pixabay Free e Foto de tutor com gato: Pexels/Pixabay Free

Texto e pesquisa de Fátima ChuEcco jornalista escritora www.miaubookecia.com










segunda-feira, 19 de setembro de 2022

Vídeo: Santuário maravilhoso criado por Brigitte Bardot nem parece desse mundo!


Tem de tudo: gatos, cachorros, patos, coelhos, ovelhas, galinhas, cavalos... a lista de animais resgatados pela Fundação Brigitte Bardot é enooooorme! Como a maioria deve saber, Brigite Bardot, atriz e símbolo sexual que sacudiu a indústria cinematográfica por muito tempo, ao se aposentar investiu tudo que tinha na defesa dos animais. 

Ela conseguiu erguer um santuário na Normandia (França) que de tão maravilhoso nem parece pertencer a esse mundo... parece mais um paraíso com os qual a maioria dos protetores de animais sequer conseguem sonhar. As instalações são lindas e funcionais. A atriz, hoje com 87 anos, ainda milita em diversas questões dentro e fora da França. 

Conheça o santuário nesse vídeo... você não vai se arrepender de ver tantos animais felizes, num ambiente seguro e convivendo em paz uns com os outros. No final do filme tem umas cenas históricas com Brigite, ainda jovem, correndo com os animais pelo gramado. E pra quem ama gatos o vídeo é algo imperdível:



Brigitte Bardot participou do MI-AU BOOK!

Essa ativista maravilhosa abrilhantou o "Mi-Au Book & Cia - Um livro pet-solidário" de minha autoria e publicado em 2010. Ela escreveu uma carta do próprio punho para o livro  e enviou algumas fotos como a que abre esta matéria.


Fátima ChuEcco

Jornalista e escritora

site www.miaubookecia.com



domingo, 18 de setembro de 2022

Quando a foto encanta e a história, por detrás da imagem, mais ainda!


Esse trio de cadelinhas conseguiu protagonizar com perfeição essa imagem. Parecem até rir! Neguinha e Lila (a fox) têm 14 anos e Kyara (à direita) apenas quatro. Todas vivem com Maria Inês Martos na pequena cidade de Pirajuí, no Interior de SP.

Achei interessante postar essa "alegre" foto das "filhas" de Maria Inês para mostrar como uma imagem pode contribuir bastante na divulgação, por exemplo, de adoções. Não é o caso desse trio, muito bem amparado e amado, mas as fotos têm um efeito imediato sobre nossas emoções e, consequentemente, atitudes.

E, muitas vezes, as fotos escondem uma história ainda mais bonita que a que vemos à primeira vista. No caso dessas cachorrinhas existe uma história de fidelidade e proteção:

"Minha mãe, que vai completar 86 anos em março, por duas vezes caiu e estava sozinha em casa. Ela não podia se levantar e foram minhas cachorrinhas que latiram tanto, que acabaram chamando a atenção da minha cunhada que é nossa vizinha", conta a tutora.

A Kyara foi jogada na rua de Maria Inês quando ainda era uma filhotinha. Neguinha e Lila também foram adotadas quando bebezinhas.

Neguinha é uma ainda guerreira noutro sentido:

"Ela tem displasia porque o pai era pastor belga e a mãe Cocker. Em maio descobrimos a diabetes e o tumor no fígado. Toma insulina duas vezes no dia e medicamentos para o fígado", diz Maria Inês.

A simpática foto das três cadelinhas foi feita numa pet shop logo após o banho. Então fica aqui a dica: caprichem nas fotos, explorem o olhar doce, curioso ou alegre dos bichinhos principalmente em postagens que visem adoção.

Fátima ChuEcco jornalista escritora www.miaubookecia.com



Palestra "A Magia dos Gatos e o Tarô dos Gatos" - Anote na agenda dia 10/Dezembro

De Bruxa e Fada toda Gateira tem um pouco e, na minha opinião, a única diferença entre as duas é que uma realiza desejos com a Varinha de ...