quinta-feira, 30 de abril de 2020

Vídeo imperdível: Orangotangos orfãos aprendem a evitar cobras





Na Escola de Orangotangos da Indonésia, Orangutan Jungle School, os pequenos orfãos vivem aprendendo importantes lições para sobreviverem na selva quando chegar a hora de deixarem a "creche".  A escola é dirigida pela Fundação Borneo Orangutan Survival (BOS) que, ao todo, abriga 440 orangotangos bebês, jovens e adultos em diversos centros de acolhimento. 

O vídeo mostra alguns orfãos se deparando com uma serpente (de mentira) dentro da escola. As expressões são absolutamente humanas e demonstram medo, curiosidade e até certa coragem de enfrentar a "intrusa". A experiência visa ensinar os orangotangos a evitarem as cobras. Segundo a instituição, "nos primatas, o reconhecimento de cobras é instintivo, mas o medo de cobras precisa ser aprendido". E como os orfãos não possuem seus pais por perto, os funcionários da BOS tentam ensinar mais essa importante lição.

Veja o vídeo  que, aliás, é imperdível:



Outro vídeo sensacional da Escola de Orangotangos é de Cinta lavando as mãos  e que vem a calhar nesses tempos da covid-19. Embora muita gente ainda não tenha aprendido ou acatado essa lição, a orangotango Cinta já sabe direitinho como cuidar da sua saúde.

No vídeo ela aparece lavando as mãos num pequeno riacho com bastante cuidado e em exatos 20 segundos – que é o tempo recomendado pelos infectologistas. 

Veja o vídeo:




E, aliás, por causa da covid-19, as dificuldades começam a aparecer. 
“Ainda não sabemos se esse vírus pode se espalhar na população de orangotangos em nossos centros, mas como eles compartilham 97% do nosso DNA e são suscetíveis ao resfriado comum, é uma possibilidade muito real e assustadora”, explicou a instituição, que disse ainda que está difícil obter medicamentos, desinfetante, sabão, máscaras, luvas e outras coisas vitais para controlar a transmissão de doenças. Além disso, os alimentos necessários aos orangotangos estão cada vez mais caros.
Por isso foi criado um fundo de emergência para ajudar a manter os orangotangos. Para ajudar clique AQUI.
“Faremos o possível para oferecer o melhor atendimento a esses queridos orangotangos bebê e apoiá-los durante todo o longo processo de reabilitação. Felizmente, todos eles terão a chance de provar a verdadeira liberdade na natureza algum dia” - é o recado final da BOS.
Fátima ChuEcco - Jornalista/Escritora

quarta-feira, 29 de abril de 2020

Veja Vídeo da Campanha Internacional "TIRE AS PANDEMIAS DO CARDÁPIO" que reúne Jane Goodall, Peter Singer e Bill Gates



A organização internacional Million Dollar Vegan acaba de lançar a campanha “Tire as pandemias do cardápio” com conhecidos e respeitados personagens da ciência, medicina, proteção animal e celebridades em geral como Bill Gates, o filósofo e professor de Bioética Peter Singer e a primatologista Jane Goodall. O vídeo, que conta com depoimentos bem consistentes de especialistas, mostra a relação da ingestão de carne com o surgimento de doenças cada vez mais graves e incontroláveis. No Brasil a campanha recebe apoio de ativistas da causa animal como Luisa Mell e da Associação Brasileira de Médicos Vegetarianos (ABMV).

O video com legendas em português pode ser visto AQUI

Ou no original Abaixo:


Quero ressaltar a participação do Dr Neal Barnard, presidente do Comitê de Médicos para uma Medicina Responsável. Para o Dr. Barnard, “tirar os animais do nosso prato ajudaria bastante a evitar pandemias futuras, ao mesmo tempo em que melhoraria nossa saúde e nosso meio ambiente”. Em 2018 fiz duas matérias sobre o Comitê sendo uma de entrevista com um dos médicos que dirige a instituição. Veja  AQUI  e AQUI

Destaco também a participação do Dr Peter Li, professor associado de Política do Leste Asiático na campanha. Foi ele quem salvou o gatinho Huru de um matadouro em Yulin na China junto com uma equipe da HSI – Humane Society International
A foto de Huru pendurado nas grades do matadouro rodou o mundo na época e eu fiz uma matéria sobre o destino dele depois do resgate.

Uma história incrível que pode ser lida AQUI

Veja o ANTES e o DEPOIS do gatinho HURU:



Entenda porque médicos e cientistas afirmam que o consumo de carne leva a pandemias como as que enfrentamos agora:

Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos 75% das doenças infecciosas emergentes são provenientes de animais. “As pandemias de gripe continuarão se insistirmos em amontoar animais para nosso consumo”, afirma o Dr. Kraselnik, apoiador da Million Dollar Vegan.


A Million Dollar Vegan acredita que “nunca houve momento mais importante do que o atual para uma reavaliação do relacionamento das pessoas com os animais, bem como para adotar uma dieta à base de vegetais e aderir à campanha global #tireaspandemiasdocardapio”.

Para Naomi Hallum, diretora da Million Dollar Vegan, a Covid-19 é um duro lembrete de que toda a vida no planeta está conectada. “Portanto, se desejamos preservar nossas próprias vidas, devemos nos esforçar para preservar a vida de todos. Se continuarmos a ameaçar os animais selvagens, dizimando seus hábitats, capturando-os e aprisionando-os em mercados – e se continuarmos criando animais em fazendas insalubres, transportando-os por longas distâncias –, não haverá como evitar uma nova pandemia no futuro”.


A médica pediatra e nutróloga Dra. Fernanda de Luca, presidente da ABMV, também afirma que “uma alimentação baseada em legumes, verduras e frutas contém todos os nutrientes necessários para um ótimo funcionamento do nosso sistema imunológico, e um sistema imunológico competente é capaz de combater qualquer infecção, inclusive a infecção pelo coronavírus”.

Pandemias e sua ligação com consumo de animais:

Segundo a Million Dollar Vegan, "a longa história de exploração de animais em busca de carne, leite, ovos e peles significa também uma longa história de doenças graves e mortes generalizadas de pessoas".

“Acredita-se que a tuberculose tenha sido adquirida com a domesticação de cabras; a coqueluche, de porcos domesticados; a febre tifoide, das galinhas; a hanseníase, de búfalos; e o vírus do resfriado, de vacas ou cavalos”

E mais:

“A pandemia de gripe de 1918, que matou de 50 a 100 milhões de pessoas, veio de aves. Em 2003, o vírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) pode ter tido origem em mercado de animais vivos. Em 2009, veio a gripe suína (H1N1) com origem possivelmente nos porcos e  que infectou cerca de 60,8 milhões de pessoas. Em 2012, a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers), surgiu diretamente da exploração industrial de camelos no Oriente Médio. Em 2013, a gripe aviária (H7N9) emergiu de aves domésticas”

Participe e apoie repassando o vídeo e usando as hashtags                                                                    #tireaspandemiasdocardapio #Takepandemicsoffthemenu 

Foto de abertura Susanne Jutzeler/Pixabay

Fátima ChuEcco
Jornalista/Escritora





segunda-feira, 27 de abril de 2020

Doze guardas que defendem os gorilas-das-montanhas são mortos na República Democrática do Congo

O atentado ocorrido na sexta-feira (24/04) matou 17 pessoas mostrando que realmente parece não ter fim as guerrilhas no único lugar onde vivem essas magníficas criaturas vegetarianas


                       
Quando comecei a acompanhar a vulnerável vida dos gorilas-das-montanhas em 2007 havia pouco mais de 600 indivíduos dessa espécie em todo o planeta e, para piorar, uma família inteira de gorilas tinha sido assassinada por caçadores chamando a atenção da mídia internacional. Passados 22 anos, os gorilas aumentaram em número... não muito... mas subiram para cerca de 1.050 indivíduos que vivem apenas num lugar: nas Montanhas de Virunga que se estendem entre as fronteiras de Ruanda, Uganda e República Democrática do Congo. 

Mil gorilas-das-montanhas ainda é muito pouco, mas é uma grande vitória o nascimento de bebês como os da foto numa região extremamente violenta, lotada de milícias armadas e cheia de caçadores e traficantes de animais. E essa vitória só tem sido possível graças aos guardas florestais. Desde que o Parque Nacional de Virunga foi criado, em 1925, 175 guardas perderam suas vidas defendendo os gorilas. São esses mesmos guardas que conhecem e até convivem com várias famílias de gorilas-das-montanhas. Muitas das fotos mais lindas dessa espécie de gorila são tiradas pelos "anônimos" fotógrafos da selva, que carregam uma espingarda no braço e um celular no bolso.

Lamentavelmente, a vida desses homens e mulheres a serviço da instituição Virunga Org está sempre por um fio, bem como a dos gorilas. Alguns anos atrás eu escrevi sobre um ataque perto da creche dos gorilas orfãos. Os bebês, funcionários e administradores da creche correram para trás de trincheiras e se abraçaram. Eu vi algumas fotos do conflito e até hoje me emociono. 

O ataque de sexta é mais um balde de água gelada num castelo de areia construído com muito suor e sangue por esses corajosos guardas florestais. No facebook da instituição que administra o parque um post diz:


O Parque Nacional Virunga gostaria de expressar a nossa mais sincera gratidão pela onda de amor e positividade que as pessoas nos mostraram durante este tempo despedaçoso. Nós, juntamente com as famílias dos guardas e da comunidade local, somos encorajados pelas mensagens de simpatia e apoio. Vários de vocês perguntaram sobre o que podem fazer. Estamos a recolher doações para ajudar com os funerais, bem como para ajudar as famílias devastadas. Também é necessário apoio geral para manter a tocha da esperança  ardendo para os corajosos guardas e funcionários que continuam com o trabalho crítico de proteger a vida selvagem do parque e comunidades. A doação pode ser feita  no site www.virunga.org/donate 

Então... se puderem, ajudem! Foto extraída do Facebook Virunga.Org

Fátima ChuEcco
Jornalista/Escritora

sexta-feira, 24 de abril de 2020

Clipe da canção "Home" mostra tutores e seus animais nas janelas de SP


Video mostra cenas de uma São Paulo cumprindo o isolamento que, infelizmente, cai a cada dia colocando em risco não somente pessoas idosas ou com doenças pré-existentes, mas também pessoas de todas as idades que atuam nos serviços essenciais (mercados, farmácias, cemitérios etc) e todo o corpo médico. Vários tutores são vistos com seus animais nas janelas. 
O isolamento em SP está completando um mês hoje (24/04) com muita gente nas ruas e pouca gente usando máscaras que, aliás, são essenciais para conter a contaminação.  Isso porque ainda tem muita gente que desacredita que os hospitais estão lotados e que já começa a faltar leito para pessoas que precisam ser atendidas por outros problemas. Pessoas que zombam da letalidade da covid-19.
Todos têm o direito de "ir e vir", mas nosso direito termina onde começa o direito do outro de viver. E o isolamento e uso de máscaras é uma proteção essencial para a própria economia, pois, mais pessoas contaminadas e mortas significa menos gente para produzir e comprar. A economia só sobrevive com gente viva e saudável.
Veja o video

O vídeo da banda  "The Client Said No" foi criado para a canção “Home” inspirada em briefing da ONU (Organização das Nações Unidas), que incentiva criações artísticas que divulguem as mensagens de distanciamento social. O trabalho uniu artistas e publicitários de agências como Wieden+Kennedy, Africa, Live e VML.
Com o conceito final de Felipe Ribeiro (W+K), arte de Felipe Cury (Africa) e montagem de Dimitri Lucho (Polvo Content), o clipe foi captado por quatro drones, guiados de dentro de seus carros – respeitando a quarentena – pelo produtor e músico Lucas Mayer, o diretor de arte Paulo Focca, o fotografo Diego Rinaldi e o diretor de cena Jorge Brivilati, mostrando cenas de várias paisagens vazias da cidade de São Paulo e de pessoas em suas janelas. 
“A ideia do clipe é chamar atenção para pequenos retratos da vida atual em cada uma das janelas, numa linguagem muito mais documental que de ficção. A cidade em preto e branco, em contraste com as árvores e cenas coloridas, trazem essa semiótica”, destaca Lucas Mayer, sócio da DaHouse e um dos músicos da The Client Said No. “Pilotamos os drones de dentro de nossos carros, respeitando a quarentena, para mostrar um pouco da rotina dos nossos personagens em suas casas. O Hertz, por exemplo, está realmente tocando em seu violino o que aparece na música. Foi muito legal fazer esse sincronismo!”, complementa.
A The Client Said No é formada por Artur Roman nos vocais, Lucas Mayer na guitarra, Wonder Bettin no baixo, Silvinho Erné nos teclados e Victor Le Guy na bateria. “Home” tem participação especial de Thom K nos vocais.
 Fátima ChuEcco
Jornalista/Escritora

domingo, 19 de abril de 2020

O filme Contágio devia ser assistido pelo mundo inteiro! É retrato da realidade atual mas com final feliz!



Podia muito bem se chamar “Presságio” o filme “Contágio” que, embora seja de 2011, voltou a ser visto agora. O trailer no you tube tem mais de 1 milhão de visualizações e em poucas cenas já impressiona pela semelhança com a pandemia da covid-19. É tudo tão igual ao que estamos vivendo agora que parece mais uma premonição do que um filme de suspense. E tomara que seja mesmo porque no filme, depois de muito caos, uma vacina “autoaplicável” é descoberta – desculpem o spoiler mas eu precisava contar para motivá-los a assistir.

E o final é ES-PE-TA-CU-LAR!!!! Mostra exatamente como o vírus se originou a partir de um morcego. São cenas imperdíveis! Fiquei impressionada com tanta semelhança a respeito do que se pensa da covid-19.



A história tem uma carga grande de medicina. Pudera! Infectologistas foram consultados pelos roteiristas para se criar o vírus retratado no filme e tudo que se poderia fazer na área médica para contê-lo. Inclusive são mostrados testes com “Ribavirin” que eu tive curiosidade de ver se existe e como atua. Na bula da Anvisa diz que “Ribavirin é indicado para o tratamento da infecção crônica pelo vírus da hepatite C e que pode ser melhor descrito como virustático, evitando a formação de novos vírus. A inibição da replicação do vírus permite que uma resposta imunológica se desenvolva naturalmente para o combate da infecção viral”.

Além dos testes com Ribavirin, no filme há também um personagem que jura ter encontrado uma cura por meio do fitoterápico “Forsythia”. Trata-se de um arbusto cuja fruta seca é usada para remédios especialmente na China. É usado contra doenças das vias aéreas, inchaço, febre e outras condições. Mas não há pesquisas científicas para apoiar seu uso. Leia mais AQUI




O fechamento de lojas, estradas, o contágio via mucosas em alta velocidade, a distribuição de refeição nas ruas... tudo muito igual aos dias de hoje, mas com a esperança de uma vacina que é outra excelente sacada do filme. É fabricada em embalagens individuais autoaplicáveis evitando aglomerações. Deve ser pingada nas narinas e inalada. 

Excelente filme que antecipou quase 100% de tudo que está acontecendo no mundo agora. Pode ser encontrado na Internet e por esses dias tem sido exibido na HBO.

Recomendo a leitura dos artigos abaixo que reúnem mais informações do filme, inclusive, detalhes de como foi construído junto a especialistas da área médica. São excelentes textos com vários detalhes que vale a pena conferir. E veja também o trailer logo abaixo.

Artigo de Rafael Battaglia/ Superinteressante - Leia AQUI

Artigo de Luiz Gustavo Vilela/ Gazeta do Povo - Leia AQUI

Artigo de Rui Maciel/ Canal Tech  - Leia AQUI 

Trailer "Contágio"





Fátima ChuEcco
Jornalista/Escritora

quinta-feira, 16 de abril de 2020

AÇÃO PET-SOLIDÁRIA DOA 40 TONELADAS DE RAÇÃO PARA AMENIZAR FALTA DE RECURSOS DURANTE PANDEMIA

                                                         Foto Blog Zee.Dog

A pandemia da covid-19 tem sido desastrosa também para os animais que vivem nas ruas ou acolhidos por ONGs. Nesse cenário de incertezas e medo muita gente deixou de contribuir com protetores de animais e, além disso, muitos cães e gatos também foram abandonados. Nas redes sociais não faltam relatos trágicos de pessoas que estão sem ter como alimentar animais resgatados, cães comunitários e gatos de colônias.  Mas se há algo que podemos apontar como positivo numa pandemia é a solidariedade.

A Zee.Dog apostou nesse sentimento e conseguiu uma ação bastante inusitada porque reuniu quatro grandes marcas do mercado pet (Purina, BRF, Hill`s e Royal Canin) para a doação de 40 toneladas de ração a 14 ONGs espalhadas pelo país. A doação corresponde a 200 mil refeições para cães e gatos.

"Para a maioria das ONGs, a vida pré-pandemia já era muito dura. Nós da Zee.Dog, sabemos das dificuldades e falta de apoio que ONG’s e protetores enfrentam na luta animal. Desde o início da Zee, usamos nossa visibilidade para apoiar essas pessoas que estão na linha de frente desse cenário tão importante que é a causa animal. Depois que a pandemia começou, muitas das doações para ONGs foram suspensas. A situação que já era difícil, piorou ainda mais. Sabendo disso, fomos atrás de fazer algo que nunca foi feito antes. Mesmo nessa fase de distanciamento, nós decidimos nos unir", comenta Thadeu Diz, diretor criativo da Zee Dog. 


As ONG’s que vão receber as doações são: Amigos de São Francisco,  Associação Amigos de Nova Odessa, Associação Bicho de Pé, Cão Viver, GARRA, Clube dos Vira Latas, Amor em Patas, Cão Sem Dono,  APAD,  Iluminar, Gipama, Laticão, Adote GAVAA e S.O.S Animal. Veja o vídeo que mostra cenas de animais nas ONGs e depoimento dos participantes da ação pet-solidária:




Fátima ChuEcco
Jornalista/Escritora

OITO MOTIVOS PARA ADERIR AO ISOLAMENTO CASO VOCÊ AINDA TENHA DÚVIDAS


                                              Foto Fernando Zhiminaicela/Pixabay

Peço que se façam as perguntas abaixo, em silêncio... intimamente.

      1) Um dos principais argumentos contra o isolamento é que as pessoas precisam trabalhar ou morrerão de fome, especialmente a classe mais pobre e que depende da renda do que vende na rua, por exemplo.

Imagine essa pessoa carente, que obviamente se movimenta de ônibus, trem e metrô onde a contaminação pelo covid-19 é grande, ficando doente. Ela vai parar num hospital público que já está com os leitos lotados ou quase esgotados. Isso porque, diferente da H1N1, muita gente que contrai covid-19 precisa ser internada independente da idade. Essa pessoa pode morrer por falta de leitos, médicos e tratamento adequado. E o dinheiro que ela ganhou contrariando o isolamento só vai servir para pagar o caixão e o enterro.

Não se pode deixar essas pessoas passarem fome... nisso todos concordam... mas é o governo que tem que suprir essas pessoas. Quando isso não acontece ou ocorre de forma insuficiente, são as entidades e pessoas de bom coração que ajudam. 

Não seria melhor você ocupar seu tempo ajudando essas pessoas ao invés de pregar o fim do isolamento?

                                                        Foto Engin Aky
2) Agora faça o exercício de pensar em outros tipos de pacientes, ou seja, os que têm outras doenças, acidentados, enfartados, pessoas que precisem de atendimento urgente por qualquer outra razão que não seja o covid-19.

Pois bem... essas pessoas (que podem ser seus familiares, vizinhos, amigos e até você mesmo) teriam que ser atendidas nos mesmos hospitais que estão abarrotados com casos de covid-19. Digo “teriam” porque é bem provável que não consigam ser atendidas. Muitas pessoas podem morrer não do corona, mas da crise do sistema de saúde. 

Então, não seria melhor você ficar em casa o máximo que puder e usar máscara sempre que sair evitando contaminar outras pessoas que podem ter esse triste destino?


      3) O isolamento para conter pandemias não foi algo criado pelo Doria, pelo Mandetta e nem mesmo pela OMS – Organização Mundial de Saúde. O isolamento não é coisa de comunista ou esquerdista, de gente que apoia um governo específico ou qualquer político.  O isolamento é uma medida médico-científica e a única arma contra o coronavírus no momento. Única comprovada.

Agora não é hora de gastar energia atacando políticos que defendem isolamento. Não estamos em tempo de “urnas” eleitorais, mas estamos crescendo rapidamente em urnas funerárias. 

Então, não seria melhor você deixar para extravasar sua revolta com governadores, prefeitos e quaisquer outros políticos nas eleições?


4    4) Repense se você não está bloqueando sua mente com mitos sobre a pandemia. Os dados divulgados por toda a mídia são os mesmos porque estão sendo fornecidos pelos sistemas de saúde de todo o mundo. Como dito acima, o covid-19 tem um contágio muito mais rápido que a H1N1 e leva muita gente, de todas as idades (e não só idosos) à internação. Não é uma invenção internacional, mas a realidade. E mesmo tendo muitos mais casos de cura do que de mortos... ainda assim... a gente tem que se concentrar em salvar vidas porque tem muita gente morrendo.

Hoje, 16 de abril de 2020, ficamos sabendo de uma moça de apenas 17 anos internada com covid-19 junto com a mãe. Depois de 20 dias ela sucumbiu sem ter qualquer doença pré-existente. A mãe, mais velha, conseguiu ter alta. 

Você consegue se colocar no lugar dessa mãe e de tantas outras que nesse momento e que nos próximos dias estarão chorando seus filhos mortos?

                                                         

5    5) Vejo um ataque à Rede Globo que tem feito um excelente trabalho jornalístico da pandemia e que, ao contrário do que alguns dizem, mostra sim pessoas curadas, emocionantes reencontros e ações de solidariedade. Além disso, independente de ser Globo, Record ou qualquer outra emissora, os jornalistas também estão na linha de frente da pandemia, arriscando suas vidas para nos manterem informados.

O mesmo direito que você defende de “ir e vir”, outras pessoas têm de escolher a emissora que mais lhes agrada assistir. 

Não seria melhor você respeitar os jornalistas evitando criar um clima de ódio num momento já tão complicado para todos nós? Se você defende o direito de trabalhar, por que procura atrapalhar o trabalho desses profissionais?

                                                  

6    6) Talvez seja interessante se dar a chance de mudar de ideia. Antes a orientação era não usar máscaras. Depois elas passaram a ser recomendadas. Isso confundiu muita gente. Mas agora já sabemos que 2 pessoas próximas em um lugar público usando máscaras oferecem abaixo risco de contaminação. Se apenas uma estiver de máscara o risco é alto e se as duas estiverem sem máscara é altíssimo.

Então será que não vale a pena adotar esse acessório?

7    7) Você deve estar sabendo que milhares de médicos e enfermeiros estão morrendo tentando salvar vidas. São pessoas como você... que têm família, filhos, animais domésticos, sonhos... Quanto mais os hospitais incham de contaminados, mais esses profissionais perdem a vida.

Você pode estar se sentindo muito bem e ser até assintomático, mas e quanto aos outros? Se você se preocupa tanto com as pessoas que podem ficar sem comida, por que não tem a mesma preocupação em não deixá-las doentes? Não seria melhor você não agravar essa situação ficando o máximo em casa e usando máscaras quando precisar sair?

                                                   

8    8) Por fim... pense nos animais de rua e dos abrigos. Já parou para pensar o que aconteceria com aquela protetora e seus animais se ela tiver de ser internada? Muitos protetores independentes não têm a quem recorrer se ficarem hospitalizados, muito menos se morrerem. Muitas dessas pessoas se arriscam saindo as ruas para matar a fome dos animais que vivem nas ruas. Quanto menos pessoas estiverem nas ruas, mas esses protetores poderão alimentar os animais em segurança.

Mas nem precisa ser protetor. Lá na China e em muitos países, milhares de animais foram deixados trancados em casas e apartamentos porque seus tutores foram internados e não voltaram mais... e também não tiveram a quem pedir ajuda para cuidar dos animais

Você consegue imaginar o quanto é terrível essa situação? Será que não vale a pena repensar a questão do isolamento que você tanto condena levando em consideração tudo que foi dito acima?

Para finalizar vou usar a clássica frase da saga “Star Wars”. Toda força tem um lado luminoso e outro sombrio, o que significa que você pode usar sua força para o bem ou para o mal. Escolha o lado certo da força. “E que a força esteja com você!”


Fátima ChuEcco
Jornalista/Escritora


quarta-feira, 15 de abril de 2020

NÃO CULTIVE O ÓDIO CONTRA JORNALISTAS - eles estão na linha de frente dessa pandemia



JORNALISTAS são profissionais da linha de frente dessa pandemia, arriscando a própria vida para manter a população informada sobre o que se passa nas ruas, nos hospitais e disseminar as orientações passadas pelo Ministério e Secretarias de Saúde. No entanto, vejo jornalistas sendo hostilizados por razões políticas, num desrespeito total a esses corajosos e "essenciais" profissionais. 

Escolha a emissora que você mais gosta, leia o jornal com o qual você mais se identifica, mas não hostilize nem atrapalhe as pessoas que estão trabalhando duro pra fazer as informações do mundo todo chegarem até você. Não estimule um clima de ódio num momento em que a solidariedade e o respeito fazem parte do combate ao coronavírus. 

Ninguém está inventando número de casos ou mortos. Os dados são os mesmos em todos os jornais porque são dados divulgados pelo Ministério da Saúde. Ninguém está inventando um cenário de urgência, em que isolamento se faz necessário e uso de máscaras mais ainda. 

Se você discorda de algumas medidas ou não acredita no que as TVs estão mostrando não ataque os jornalistas. Vá pessoalmente até os pronto-socorros e assista o desespero de pacientes, médicos e enfermeiros. E aproveite para canalizar sua revolta contra a mídia para o bem: ajude a recolher cestas básicas, leve comida a quem precisa, ajude os protetores de animais, faça máscaras e distribua... enfim, torne sua revolta produtiva e se fizer questão de continuar com sua vida normalmente, ao menos use máscara porque você pode ser uma pessoa assintomática e colocar em risco a vida de pessoas mais vulneráveis. 

Cientificamente está provado que duas pessoas próximas sem máscara oferecem altíssimo risco de contaminação. Só uma das pessoas usando a máscara o risco é alto, mas se as 2 pessoas estiverem de máscara o risco é baixo. 

Foto meramente ilustrativa de Neven Divkovic/Pixabay
Texto Fátima ChuEcco
Jornalista/Escritora

NESSA PANDEMIA ESCOLHA O LADO CERTO DA FORÇA



Mesmo quem não acompanhou a saga "Star Wars" sabe que a força tem uma lado LUMINOSO e outro SOMBRIO. E na pandemia da covid-19 essa "guerra" de forças está cada dia mais feroz, infelizmente. O lado luminoso faz as pessoas colaborarem umas com as outras, apoiarem o isolamento e as medidas de prevenção porque elas sabem que esse é o único caminho comprovadamente eficiente contra o novo coronavírus. Já o lado sombrio prega discórdia, ataca a ciência, a medicina e nega as notícias buscando encobrir a dura realidade em benefício próprio. O lado luminoso cria ações de solidariedade. O lado sombrio se encolhe numa nuvem de ódio e cruza os braços num momento em que todos deveriam estar se unindo. Os hospitais de SP estão quase totalmente lotados. Além dos pacientes de covid-19 há pessoas que precisam dos leitos devido a outras doenças e acidentes. Quantas pessoas não poderão morrer por falta de médicos e UTIs? Isso é REAL. Por outro lado, SURREAL é existir um grupo de pessoas que alega ser uma leviana farsa essa dor imensa de pacientes, familiares, médicos e enfermeiros. Nem overdose de ópio leva a tamanha e perigosa alucinação. ESCOLHA O LADO CERTO DA FORÇA. E "QUE A FORÇA ESTEJA COM VOCÊ".

Fátima ChuEcco
Jornalista/Escritora

Será que os vírus são de outros planetas? Há vida em MARTE e ela será trazida para cá!

                                               Wikilmages/Pixabay

Um sonho que tive em 2019 mostra, em detalhes, uma pandemia ainda pior que a da covid-19. Serão de outros planetas os vírus que enfrentamos hoje ou que ainda enfrentaremos futuramente em decorrência da exploração espacial? Penso que toda vez que lançamos algo no espaço e trazemos de volta estamos sujeitos a trazer algum vírus ou bactéria mortal.

Sonhei que uma sonda retornou de Marte e trouxe um tipo de bactéria que rapidamente se instalou nas pessoas entrando pelas vias aéreas. Invisíveis e desesperadas por sobreviver num planeta estranho, essas bactérias tentaram a sorte nas pessoas.  Algumas horas depois de serem "respiradas" elas aniquilavam todo os sistema digestivo e também o sistema nervoso.

Então o primeiro sintoma era o infectado ter um jato violento de vômito. Depois disso ficava apático... quase um zumbi. As pessoas infectadas deixavam de comer, beber, falar e apenas vagavam pelas ruas ou sentavam em algum canto até morrerem uns dois a três dias depois por falência múltipla dos orgãos.

No sonho eu pude entender exatamente do que se tratava. Na verdade, essa reação não era boa nem mesmo para os microorganismos invasores que lucrariam muito mais com um corpo onde pudessem viver por muitos anos ou até a morte natural do hospedeiro. Mais ou menos o que acontece com as bactérias que existem em nosso corpo mas não nos fazem mal. Nosso corpo é "casa" de muitos microorganismos que não são uma ameaça.

Provavelmente os microorganismos de Marte também não eram uma ameaça para a civilização de lá. Talvez convivessem bem. Mas uma vez na Terra, com outro ambiente físico, essas bactérias sofreriam as consequências de "entrar" em corpos incapazes de suportá-las por muito tempo - nós e talvez demais mamíferos ou outros animais.

                                                     Foto Hany Alashkar/Pixabay

No sonho eu vi nitidamente as pessoas com aspecto de zumbi... pálidas ou bem amareladas (por conta do ataque primário ao fígado)... elas se tornavam apenas corpos andando pra lá e pra cá... não pareciam mais ter consciência de si mesmas. Às vezes andavam em dupla talvez por alguma leve lembrança de parentesco. E sucumbiam aos final de dois ou três dias.

A diferença dos infectados do meu sonho com os zumbis dos filmes é que eles não atacavam pessoas sadias. Não buscavam sangue. Apenas definhavam. Mas num processo adaptativo talvez essas bactérias conseguissem algum tipo de manobra nos infectados fazendo-os buscar algum "alimento" para manter o corpo vivo por mais tempo... talvez sangue. Uma manobra de sobrevivência das bactérias para poder "morar" nos corpos por mais tempo. Só uma hipótese que me ocorre.

E isso tudo não é lunático... absurdo. Imagine nossos microorganismos indo para outros planetas e fazendo um ataque parecido na civilização nativa. Aquilo que para nós é normal, que não nos deixa doente, certamente poderia aniquilar rapidamente toda uma outra civilização.

Sabe aqueles lactobacilos que as pessoas adoram tomar porque faz bem ao intestino? Poderiam matar outras civilizações.

Por isso que digo que tem vida em MARTE e essa vida já veio pra cá ou em breve será trazida para a Terra com consequências inimagináveis. 

E me ocorre também que, supondo que algum tipo de vida (talvez humanóide) em Marte tenha sido extinta, pode ter sido justamente em decorrência da exploração espacial... talvez os marcianos também tenham enfrentado uma bactéria que não existia no planeta deles.  E hoje, os microorganismos que lá restaram estão famintos em busca de novos hospedeiros.

MAS ESSE SONHO SERIA POSSÍVEL?

Uma  matéria do UOL que pode ser lida acessando AQUI  fala que nos anos 70 houve uma experiência para saber se havia vida em Marte. Uma sonda depositou nutrientes no solo do chamado "Planeta Vermelho" para ver se eram consumidos. Foram! Mas numa segunda experiência não houve consumo e a NASA resolveu esquecer o assunto.

Não devia, pois, até mesmo uma vida invisível aos nossos olhos pode causar grande impacto na nossa civilização se for trazida para cá por uma sonda espacial, por exemplo. Isso porque nosso organismo pode ser destruído por micróbios, bactérias ou vidas minúsculas de outros planetas.

                                                   Wikilmages/Pixabay

Quem assistiu Guardiães da Galáxia vai entender o que estou dizendo.

Logo no início do filme o protagonista chega a um planeta onde visualmente não se detecta nada. Mas ele tem uma lanterna que uma vez acesa mostra pessoas indo e vindo, toda uma cidade habitada. Os nativos também não podem vê-lo. Mais ou menos assim: para vermos dentro do nosso corpo é preciso um Raio X. Daí podemos ver pulmão e outros orgãos. Mas a olho nu não é possível ver o que existe dentro da gente.

                                                   Foto: Alexander Antropov/Pixabay

BEM PROVAVELMENTE EXISTEM SERES EM OUTROS PLANETAS QUE NÃO PODEM SER VISTOS A OLHO NU. 

Aliás, é praticamente certo que assim seja. Somente com um aparelho especial (tipo a lanterna do Guardiães da Galáxia) talvez seja possível visualizar outras civilizações. E algumas delas podem ser minúsculas, até microscópicas para nosso campo de visão.

                                                Foto:  Stefan Keller/Pixabay

Por isso a NASA nunca deveria ter ignorado seja lá o que for que consumiu os nutrientes deixados em Marte nos anos 70. Isso sem falar que, de volta à Terra, uma sonda dessas, que teve contato com o solo de Marte, poderia facilmente trazer para cá microrganismos talvez fatais para nós, como virus ou bactérias para os quais não temos defesas naturais.

Os Zumbis são PURA ficção?


                                                   Foto: Ahmadreza heidaripoor/Pixabay


A partir do sonho narrado acima, entendi melhor porque tem tem tanto filme mostrando os zumbis como uma doença do futuro... e talvez um futuro breve. São muitos esses filmes em que a humanidade se torna toda zumbi... seriados como Walking Dead e longa-metragens como Guerra Mundial Z. Por que? Estarão os cineastas intuindo o mesmo destino aos humanos? Talvez sim... esperamos que não.


                                            Micróbios de solo - Foto Malucero/Pixabay


Fátima ChuEcco
Jornalista/Escritora








O melhor e o pior de cada um se vê nas pandemias





Nos piores momentos que a humanidade já passou, sempre foi possível ver a essência das pessoas. Enquanto alguns mergulham em atitudes egoístas, outros exercitam a compaixão. Essa pandemia tem sido uma grande vitrine para ver o coração das pessoas. Na matéria do Jornal Hoje (que pode ser acessada AQUI)  Seu Severino Brito, pintor, se emociona e até chora ao levar o pouco que tem as pessoas que estão na fila desde cedo tentando regularizar o CPF. Ele diz na reportagem: "Aqui tem café, pão, mortadela...".

A ajuda do Seu Severino vai o Seu Raimundo, mestre de obras, que também se emociona e divide a doação com outras pessoas da fila. Gente que não tem quase nada dividindo o pouco que tem. Outros exemplos tem sido mostrado pelos telejornais. Gente muito carente fazendo máscaras para distribuir nas comunidades, outras arrecadando cestas básicas, grupos doando comida e itens de higiene para moradores de rua, protetores alimentando cães e gatos sem lar... tanta coisa bacana e muito, mas muito emocionante.

A pandemia mostra o melhor e o pior das pessoas. Uns se ajudam mesmo tendo pouquíssimos recursos para isso, enquanto outros mergulham em ataques contra a mídia e autoridades que tentam mostrar a importância do isolamento, do cuidado e respeito à saúde do próximo. Esse é o pior lado da pandemia: as pessoas que além de não ajudarem quem mais precisa, ainda atrapalham semeando ódio e pregando contra as medidas de prevenção.

Todo mundo tem como ajudar. Alguns ajudam financeiramente familiares, vizinhos, amigos, instituições de caridade ou protetores de animais. Outros cedem a mão de obra no preparo de refeições ou na entrega de cestas básicas. Há quem ajude os idosos fazendo compra para eles. Tem vários estudantes e empresários desenvolvendo ventiladores e máscaras para não dependermos da China e da Coreia.

Cada pessoa tem algum meio de ajudar. Até mesmo na frente do computador, em casa, as pessoas podem colaborar divulgando meios de ajudar quem precisa ou ressaltando a importância de ficar ao máximo em casa e usar máscara ao sair. As redes sociais também são um importante meio de incentivar as pessoas a colaborarem umas com as outras.

A pandemia é claramente uma chance das pessoas evoluírem espiritualmente praticando a união e a solidariedade. Seu Severino e Seu Raimundo, mostrados no Jornal Hoje, sabem instintivamente disso.

Foto Leroy Skalstad/Pixabay

Texto Fátima ChuEcco
Jornalista/Escritora

Isolamento não é uma medida política, mas médico-científica



O que adianta liberar todo mundo para o trabalho fora de casa se boa parte dessas pessoas vai contrair o corona e ganhar dinheiro apenas para pagar o caixão? Gente morta não produz nem compra... gente morta não movimenta a economia do país. Quem gostaria de ir parar num hospital de campanha? Quem gostaria de, num leito de hospital, ter que assistir um médico decidindo a quem destinará um único respirador? Em SP os leitos de UTI já estão lotados ou quase lotados. O Hospital São Paulo está fazendo apelo público para doação de máscaras - alguma vez na vida vcs viram uma situação hospitalar assim dramática? Médicos e enfermeiros morrendo ou sendo afastados. 

E esse caos ainda pode piorar a exemplo do que temos visto em Nova York, Itália e Espanha porque SP também é um epicentro da covid-19. Você consegue se colocar no lugar dessas pessoas sendo internadas em hospitais lotados ou daquelas perdendo seus entes queridos sem sequer ter a chance de se despedir? Faça esse exercício e pense no seguinte: quanto mais a gente se isolar e usar máscara quando tiver de sair de casa, mais estaremos protegendo a nós mesmos e aos outros. Todos têm o "direito de ir e vir", mas nosso direito termina quando começa o direito do outro e o direito do outro, acima de tudo, é viver. 

Foto Engin Akyurt/Pixabay
Texto Fátima ChuEcco

terça-feira, 14 de abril de 2020

Entenda por que as máscaras são tão essenciais durante as pandemias


Durante a letal Gripe Espanhola até os cães e gatos usaram máscara. Veja por que você precisa usar!

         
                                            Foto Christo Anestev/Pixabay

Além de ficar em casa o máximo que puder, sempre use máscara ao sair. Cientificamente está provado que 2 pessoas próximas sem máscara oferecem altíssimo risco de contaminação. Quando uma delas está de máscara o risco é alto, mas quando as 2 estão de máscara o risco é baixo. Não existe risco zero, mas se todo muito usar máscara o risco será bem menor. Você se protege e protege os outros. 

Claro que outras medidas não podem ser descartadas como a lavagem frequente das mãos com sabão ou álcool gel e, principalmente, sempre retirar a máscara pelos elásticos, jogar imediatamente fora as descartáveis e colocar para lavar as de pano. E mesmo as descartáveis não se deve misturar com lixo comum. Colocar num saquinho plástico e depois no lixo do banheiro, por exemplo.

A questão da máscara é tão forte e tão urgente que conseguiu até a proeza de unir três bancos concorrentes numa mesma campanha. O Movimento #HeroisUsamMascaras conta com um belíssimo vídeo que reúne imagens gravadas pelas próprias pessoas com seus celulares. São pessoas comuns de todas as idades com uma variedade imensa de máscaras caseiras, algumas personalizadas... muito emocionante o vídeo. Veja Abaixo:


Eu tenho usado máscara para ir ao mercado ou farmácia, mas  muitas pessoas ainda não se deram conta da responsabilidade que exercem sobre a vida do outro. Em dois locais que entrei tinha pessoas espirrando e tossindo sem máscaras, incluindo clientes e funcionários. Ou seja, embora muitas pessoas façam a sua parte usando máscara, se os outros também não adotam a mesma medida, a proteção fica ameaçada.
E é uma coisa tão simples de fazer!!!

Por isso acho totalmente correto alguns países e cidades obrigarem o uso de máscara em locais públicos. Alguns obrigam o uso de luvas também. A Argentina decretou a obrigatoriedade de máscara a partir do dia 15 de abril. São Paulo é o epicentro da covid-19 no Brasil. As pessoas precisam sair as ruas com proteção. 

                                                 Foto Orna Wachman/Pixabay

Existem milhões de assintomáticos (de todas as idades) que sem máscara podem contaminar outras pessoas que, infelizmente, talvez sejam bem mais vulneráveis. Proteger a saúde coletiva é um dever de todos. 

Para entender a necessidade da máscara basta voltarmos no tempo... exatos 100 anos atrás. Na pandemia da gripe espanhola que matou 50 milhões de pessoas, até os cães e gatos usavam máscara revelando o quanto muita gente se preocupava até mesmo com seus “entes” queridos de quatro patas.


                                          Foto histórica de 1919 - Domínio público

Fotos da época registraram famílias inteiras protegendo com máscaras também seus animais domésticos. O tradicional “retrato da família” não deixou de ser feito, mas ganhou elementos novos: as máscaras, para todos os membros, incluindo cães e gatos. 

E até mesmo durante os cuidados veterinários, como se pode ver em outra foto, os animais usavam máscaras contra a temida gripe.

                                               Foto histórica de 1919 - Domínio público

VALE LEMBRAR: que nessa pandemia da covid-19 não precisamos usar máscaras nos animais, apenas higienizar as patinhas dos cães que precisam ser levados à rua para fazer suas necessidades. Isso porque, ao contrário da época da gripe espanhola, já sabemos que cães e gatos não transmitem a covid-19 segundo a Organização Mundial de Saúde e associações internacionais de veterinários.

A gripe espanhola matou um quarto da população mundial da época entre 1918 e 1919.
Embora a letal doença tenha sido batizada de “gripe espanhola”, na verdade nem se sabe onde ela começou. Alguns estudiosos dizem que foi no norte da China e transportada para a Europa por trabalhadores chineses – numa situação muito semelhante da covid-19. Outros dizem que o chamado “paciente zero” era de uma base militar britânica na França e há quem diga que a origem foi no Kansas (EUA), onde alguns dos primeiros casos foram registrados no início de 1918.

                                              Foto histórica de 1919 - Domínio público

A gripe recebeu a “nacionalidade” espanhola porque o governo da Espanha foi o mais transparente, divulgando rapidamente que a pandemia assolava o país, enquanto outras nações fizeram tudo que foi possível para omitir mortes e expansão da doença. Mas a verdade é que a gripe alcançou até pontos remotos da Terra como regiões cobertas de neve. O dado oficial é de 50 milhões de mortos, mas há fontes que citam 100 milhões.

INCRÍVEL COINCIDÊNCIA... OU NÃO SE TRATA DE COINCIDÊNCIA?

O filme "Contágio", de 2011, curiosamente mostra uma pandemia muito semelhante à covid-19 e que também teve início na China. Inclusive no filme se fala muito da questão do contágio rápido por meio das mucosas da boca e nariz.  Logo  no início do trailer (abaixo) a médica comenta sobre isso. Para quem achar interessante, o filme pode ser encontrado no youtube. Tem ótimos atores também.  Eu, particularmente, achei um retrato muito próximo da pandemia de agora mas já imaginado 10 an os atrás. Vale a pena ver ao menos o trailer:



Texto e pesquisa: Fátima ChuEcco

ESTRANHAS MANIAS FELINAS

“Daqui não saio, daqui ninguém me tira”. A frase, que é muito popular no Brasil, se encaixa direitinho em algumas situações protago...