quarta-feira, 26 de maio de 2021

Que cores os animais enxergam? E eles podem se reconhecer no espelho?

Desde que os cientistas descobriram que os cães e gatos podem distinguir algumas cores, aquele antigo conceito de mundo em preto e branco caiu por terra. Ainda existe divergência sobre todas as cores que eles podem ver, mas uma coisa já é certa: enxergam o azul e o amarelo. Segundo esses estudos, os pets não enxergam as cores com a mesma vivacidade que os humanos, mas desbotadas. A unanimidade é que os pets podem perceber muitas tonalidades de cinza. Além disso, os gatos enxergam 8 vezes melhor que nós, humanos, no escuro, e os cães 5 vezes mais.

E quanto a se reconhecerem no espelho? Ficam confusos, curiosos ou indiferentes?

Leia a minha matéria completa AQUI

Foto Pixabay Free

Fátima ChuEcco Joirnalista e Escritora

domingo, 23 de maio de 2021

Dicas de Filmes sem excesso de violência e com Final Feliz na Netflix


Prefiro não considerar esse artigo uma espécie de spoiler porque "avisar" que um filme termina bem é, na minha opinião, na verdade um "presente" para quem não deseja perder seu precioso tempo com finais que desapontam, sem pé nem cabeça ou que colocam a gente pra baixo. Mas se alguém quiser entender como spoiler, que entenda como um spoiler "do bem" para evitar decepções.

Embora tenha muita coisa boa na Netflix, tem também muito filme extremamente violento do começo ao fim, com muitas cenas difíceis de ver (eu, pelo menos, até fecho os olhos). Por isso é comum algumas pessoas começarem a ver um filme e desistir logo nos primeiros minutos devido as cenas fortes.

Pensando nas pessoas que pensam como eu, selecionei alguns filmes que podem entreter de forma mais suave e que nos causam uma certa felicidade no final. Não é filminho "água com açucar" sem história consistente, sem eira nem beira. É filme agradável de ver mesmo tendo, eventualmente, uma tensão, um conflito ou alguma coisa triste no meio do caminho.

Nesse artigo vou indicar alguns filmes com tema romântico, mas divertido da Netflix: 

"Loucura de Amor" cujo título original é "Louco por Ela" é a história de um jornalista que acaba detido numa espécie de manicômio e vai tentando mudar a vida dos internos. Veja o trailer:


Em "Amor e Monstros" o romance é adolescente e mergulhado num cenário apocalíptico. Vale muito a pena por causa do cachorro do filme, que acabou ganhando milhares de fãs - e ele é realmente um excelente ator presente em quase todas as cenas. Estão até pensando em fazer uma continuação devido ao sucesso do cachorro. Veja o trailer:


O filme "Meu Eterno Talvez" é uma delícia de romance... divertido, bem construído... com elenco praticamente todo de origem oriental, incluindo um dos atores da série Lost, o Daniel Dae Kim (lembram dele?) e uma pontinha feita pelo Keanu Reeves. Conta a história que é a história de muitos de nós quando reencontramos um amor da adolescência e começa tudo de novo. É um filme meigo, levinho e engraçado... recomendo muito! Veja o trailer: 



Em "A Escalada" a história, protagonizada por um apaixonado, é REAL. De verdade um homem resolveu escalar o Pico Everest até o ponto mais alto pra provar seu amor. Não vou contar se ele consegue ou não porque daí sim seria um baita spoiler. Mas o ator é simpático e divertido e sua empreitada é muito interessante: ele mobilizou toda uma cidade.  Aliás, a gente também fica torcendo por ele o todo todo. Muito legal. Veja o trailer que só achei em inglês, mas o filme tem versão em português na Netflix:


A comédia romântica "Um Amor, Mil Casamentos" (foto de abertura deste artigo) é outro filme muito gostoso de ver, a começar pelo figurino dos convidados do casamento. E tem aquele ator "fofo" do filme "Como eu era antes de você", o Sam Claflin. O mais legal desse filme é o formato inusitado: são vários finais... a escolher. Achei bem criativo porque, quando termina, na verdade não terminou... tem outros possíveis finais. Recomendo muito! Veja o trailer:


Fátima ChuEcco Jornalista e Escritora

Site www.miaubookecia.com




sexta-feira, 21 de maio de 2021

GORILAS FAZEM MÓVEIS, ARMAS E ATÉ CHINELO... TÃO ANIMAIS QUANTO NÓS!!!


Essa excelente matéria do The New York Times  fala dos gorilas mantidos em zoos e entrevista dois importantes pesquisadores mundiais de grandes primatas: Peter Singer e Frans de Waal. ATENÇÃO PRA ISSO: em um zoo os gorilas fizeram, com caixas de madeira, móveis como mesa e cadeiras, e também bandeja para alimentos, armas e até chinelos. Se não são pessoas, o que são? Animais irracionais certamente não são. Só não enxerga isso quem não quer.

Alguns especialistas abordam na matéria o caso do gorila morto recentemente num zoo e um deles até lamenta não estar próximo do local, pois, teria se oferecido para entrar no recinto e conseguir a devolução da criança sem violência (o que era realmente possível conseguir devido à postura do gorila).

Chimpanzés, gorilas, bonobos e orangotangos usam computador, aprendem cores, números, linguagem dos sinais etc. Os estudos comparam a inteligência deles com a de crianças com até 5 anos de idade, mas eu acho que passa disso fácil. Só não demonstram ainda mais inteligência porque não lhes é dada oportunidade. Logo estarão produzindo música com instrumentos musicais, nem que sejam os mais rústicos possíveis como os índios e tribos antigas de humanos faziam.

Existe uma grande discussão em torno do fato de serem mantidos em zoos. Não é mesmo o lugar certo e nem ético. Mas as florestas estão acabando e lá eles estão vulneráveis a caçadores, agricultores, avanço das cidades... O que vou dizer é muito polêmico, pra muita gente inviável e absolutamente fictício, mas acho que o lugar dos demais grandes primatas é entre nós, evoluindo e ganhando direitos como pessoas.
Não deixem de ler a matéria acessando o link abaixo

http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/the-new-york-times/2016/06/15/gorilas-em-cativeiro-criam-dilema-para-primatologistas.htm

domingo, 16 de maio de 2021

Os animais também sofrem com a morte e sumiço dos tutores


São vários os casos de cães e gatos deprimidos ou que adoecem após a morte de seus tutores. Para eles, a perda de um ente querido é também muito dolorosa e pode levar semanas, meses e até anos para voltarem a sua rotina normal. 
Em muitos casos eles nem têm tempo de se despedir e não entendem porque aquele tutor querido simplesmente sumiu e nunca mais voltou. É por isso que alguns cães se recusam a deixar a porta de hospitais onde os tutores foram internados ou passam a frequentar túmulos e até a morar em cemitérios onde os entes queridos foram enterrados.

 Leia a matéria completa AQUI

Foto Manuel Dario Fuentes/Pixabay Free

sexta-feira, 14 de maio de 2021

Luly conseguiu voltar para casa com a ajuda de uma policial solidária


A história da pequena Luly ilustra bem dois procedimentos bem importantes quando se perde um gatinho. Primeiro: procurar bastante e rápido na vizinhança... nas casas e imóveis vizinhos, no quarteirão de casa. Gato quando se perde fica nas redondezas e muitas vezes não volta porque está preso ou ferido... então procure "MUITO!".

Segundo procedimento importante: compartilhe a foto do gatinho em muitos grupos de animais perdidos e também grupos de bairros do Facebook, Instagram e Whats. Aliás, não se deve compartilhar foto apenas de animais perdidos, mas também dos resgatados porque muitos cães e gatos que se encontram nas ruas não foram abandonados e estão, na verdade, perdidos. 

"Minha Luly voltou pra casa, graças a Deus e ao pessoal da polícia civil metropolitana da Penha. Ela foi parar lá e uma policial abençoada a levou para casa. Alguém a machucou e ela está em tratamento. Devem ter chutado a Luly que é apenas uma bebê tão inocente. Estou feliz com a volta da minha filha em casa. Ela anda se arrastando ainda, tadinha. Está medicada e talvez precise de uma cirurgia. Espero que não", publicou Cassiano Pedro Carvalho em sua rede social.

Luly foi criada solta e, embora sempre ficasse por perto, nas casas de frente a sua, um dia não voltou. E isso acontece muito! Na rua tem o risco de um carro ou um cachorro pegar, perigo de envenenamento e também de maus-tratos como parece ter sido o caso da Luly.

De alguma forma ela foi parar no Posto Policial na mesma rua em que mora. Pode ter se refugiado lá depois da agressão que sofreu.

"Soube que como lá no Posto não pode ter animais, uma policial a levou para casa e também no veterinário. Foi uma atitude abençoada e de muito carinho o que fizeram e só tenho a agradecer a Deus e a eles. Hoje ela está melhor, mas ainda inchada e mancando um pouco devido ao chute", conta o tutor.

Nesse caso,  Luly foi identificada num grupo de animais perdidos por uma pessoa que já tinha visto o post dela publicado por seu tutor em outro grupo. Então essa pessoa avisou Cassiano da possibilidade da gatinha encontrada no Posto ser a dele.

Por isso é tão importante publicar e compartilhar animais perdidos, mas também os que são resgatados porque pode ter alguém procurando por eles. ONGs e protetores independentes devem sempre publicar seus resgatados em grupos de animais perdidos e não só em grupos para adoção.

Veja outras histórias com finais felizes no album do grupo Gatos Perdidos e Encontrados em SP do Facebook que vc pode acessar AQUI

Consultoria Personalizada para encontrar gatos perdidos




Fátima ChuEcco Jornalista e Escritora

Site www.miaubookecia.com



domingo, 9 de maio de 2021

A delícia dos sonhos lúcidos: aqueles que nos mergulham numa outra realidade


Quando cheguei ao banheiro da minha casa notei que estava alagado... bem alagado... mas com água límpida, tanto, que havia vários peixes, de diversos tamanhos nadando... e alguns eram bem coloridos. Então, de repente, a casa começou a se encher de outros bichos, mas diferentes dos que temos aqui da Terra. Eram, por exemplo, minipinguins do tamanho de passarinhos e pássaros gigantes, bem coloridos e mansos. 

Além desses, apareceram outros e disse a uma amiga, a Alessandra, que estava preocupada porque não teria como alimentar tantos animais. Ela então respondeu que se eles estavam ali é porque essa era minha missão. Respondi: Deus não me daria uma missão que eu não pudesse executar.

E saí de casa para buscar alguma ajuda com alimentos no vizinho. Pouco tempo depois voltei com pães que pretendia distribuir aos animais, mas logo que entrei na cozinha me surpreendi com duas tigelas imensas cheias de frutas cortadas em cima da mesa. Tinha muita variedade: melancia, melão e outras frutas. Fiquei aliviada e feliz!


Esse foi um de meus sonhos lúcidos. Esse tipo de sonho pode ser considerado como um mergulho numa outra realidade porque tudo que sentimos nele é muito real. Em algumas ocasiões é possível sentir cheiros, o vento batendo no rosto, a água nos molhando... é tudo extremamente real.

Os sonhos lúcidos são também assim chamados porque em alguns deles a pessoa sabe que está sonhando... tem consciência de que está dormindo e dentro de um sonho.

Podem ser deliciosos como esse que descrevi, mas também podem ser assustadores com intensas perseguições como as que vemos em filmes policiais.

Nem sempre nesses sonhos estamos nesse mundo ou nesse tempo. Podemos sonhar que estamos em outro planeta com um cenário absolutamente diferente do que conhecemos. Também podemos sonhar que estamos num tempo futuro, com novas tecnologias, outros tipos de moradia e também outras criaturas ou animais.


No meu caso é comum sonhar com animais híbridos: pássaros com pelo no lugar de penas, mamíferos com escamas e peixes com penas que se comunicam comigo por telepatia. O tamanho deles também muda: já sonhei algumas vezes com pássaros do tamanho de emas ou avestruzes que vinham comer no meu quintal.

E por vezes sonho com tecnologia da qual ainda não dispomos como um leitor de pensamentos e memórias que funciona por meio de um computador e fios conectados à cabeça de uma pessoa... só que não atingem o cérebro (físico) e sim a mente, a consciência. E mosquitos tipo o pernilongo que coletam sangue da gente para ser usado pelos alienígenas em análises clínicas sobre nossa espécie. Sonhos que dariam ótimos roteiros de cinema!

Alguns sonhos já me mostraram uma medicina suave que utiliza apenas a água. As pessoas doentes, vestidas somente com mantas brancas,  mergulham os pés num galpão todo branco também onde toca alguma música igualmente curativa. Ficam com água até perto dos joelhos numa escadaria alagada. Ao cair da noite  o galpão é fechado com uma grande porta porque a água, cristalina, sobe.... semelhante a uma ressaca na praia. No dia seguinte, quando a água abaixa, o local fica aberto ao público de novo.

Fotos: Pixabay/Free

Fátima ChuEcco Jornalista Escritora e "Sonhadora"


sábado, 8 de maio de 2021

Amor Peludo e Eterno tatuado na pele


Já tatuou nome de namorado (a) e se arrependeu? Acontece! Ou então alguma coisa que lhe parecia muito significante em alguma fase da vida e depois perdeu todo o sentido? Tb acontece! Esse vídeo, gravado alguns anos atrás, mostra exatamente esse tipo de arrependimento, mas com uma solução GENIAL!!! Vejam como várias pessoas cobriram um amor ou decepção do passado com um AMOR Peludo e Eterno! Muito BOM o vídeo... não deixem de ver!!!


O vídeo me fez lembrar de uma matéria que escrevi para a revista Meu Pet e que compartilho abaixo:






Outra forma de eternizar seu Amado Gato... ou Cachorro

Na Editora MI-AU Book & Cia eu produzo fotolivros do amor da sua vida eternizando seus melhores e mais divertidos momentos. Com capa dura e páginas coloridas de excelente qualidade gráfica, eu vou contando a trajetória de seu bichinho em poucas, mas emocionantes palavras. Veja alguns exemplos desse "mimo" no site www.miaubookecia.com 


Fátima ChuEcco Jornalista e Escritora



sexta-feira, 7 de maio de 2021

Gata ficou presa em casa vizinha onde ninguém desconfiou que ela estaria

 


O caso da gatinha Clara (foto), de SP, é típico, porém, infelizmente, ainda muita gente duvida que os gatos, quando fogem, se escondem exatamente nas casas ou imóveis vizinhos. A maior parte dos tutores sai andando pelos quarteirões e deixa de olhar atentamente na vizinhança mais próxima.

Esse erro, muitas vezes, pode ser fatal, pois, se o gato entra numa casa que tem cachorros e fica escondido por lá, dependendo das circunstâncias pode sofrer um ataque dos animais da casa. Ou então... pode entrar, mas não conseguir sair de uma casa que está vazia.

Fagner Santos, tutor da Clara, de um ano e cinco meses, enfrentou uma situação assim, pois, a gatinha ficou presa num telhado no mesmo quarteirão que o dele por sete dias:

“A casa onde ela ficou presa é bem próxima da minha, na rua debaixo, e o telhado é daqueles de brasilit feitos sobre a laje para evitar infiltrações. A Clara é bem curiosa, adora caçar baratas e lagartixas. Acredito que foi em uma dessas caçadas que acabou ficando presa. Ela sempre saia de casa pela laje na qual já bloqueamos a passagem depois do susto”.

A sensibilidade auditiva da mãe de Fagner foi crucial na busca pela pela gatinha:

“A Clara desapareceu em uma terça-feira e, no domingo pela manhã, minha mãe ouviu alguns miados cansados e distantes, vindos de uma casa aos fundos da nossa. No período da tarde, minha mãe e meu irmão foram até essa casa e conversaram com o proprietário. Segundo nosso vizinho, ele não viu a Clara em seu quintal, mas mencionou que havia um buraco em um dos telhados e os gatos faziam muita zueira durante a noite”.


Sensibilizado pela história, o vizinho chamou um pedreiro para verificar se havia algum gato preso e consertar o telhado.

“Ele não notou nenhum gato no local porque, provavelmente, a Clara estava escondida em algum cantinho do telhado, com muito medo. Num outro dia, ao serem retiradas algumas telhas, finalmente viram a Clara. Ela saiu correndo do telhado e veio direto para o portão de nossa casa. Ao chegar disparou vários miadões. Ouvir aqueles miados foi umas das melhores sensações que tive!”.

Fagner diz que o sumiço da Clara serviu de lição: “O aprendizado que tivemos com esse episódio foi de que existem muitos perigos pelas ruas, muitos deles são invisíveis! Mesmo se a vizinhança for tranquila e segura, não é bom deixar nossos bichanos muito à vontade. É sempre bom ter cautela para evitar que o pior ocorra”.

E atenção: Clara usava coleira verde com endereço e telefone do tutor. Isso quer dizer que, embora seja "excelente" um gato usar esse tipo de identificação, se ele estiver num lugar fora da visão das pessoas de nada adianta... por isso que é VITAL procurar muito, mas muito mesmo pelo bichano.



Segurança não é a mesma coisa que prisão

Ainda existe bastante resistência em manter gatos dentro de casa sem acesso à rua, mas quando se perde um gato a agonia é indescritível e somos tomamos pelo medo e pela culpa. É preciso pesar prós e contras ao se criar um gato solto.

Embora certamente ele fique muito feliz com sua liberdade sem limites, vale lembrar que ele pode ser atropelado, envenenado, ferido ou morto por cães, sofrer maus-tratos por parte de humanos, ficar doente ou preso dentro de algum lugar do qual não consegue sair sozinho – assim como a gatinha Clara ficou - e nesse caso a morte pode ser lenta e desesperadora.

Para quem deseja dar um pouco de liberdade ao ar livre aos gatos, eu publiquei uma matéria explicando sobre o uso de peitoral. Claro que, ainda assim, não se deve levar os gatos para passear em locais e praças frequentados por cães. Mas é possível passear, por exemplo, no jardim ou fundos do prédio... ou ainda em outros locais tranquilos onde os gatinhos não corram riscos. Leia sobre isso AQUI


Quanto as redes de proteção, além de evitarem fugas, também evitam acidentes. Vários gatos despencam de altos andares e, quando não morrem, podem ficar sem andar. O gato não se joga da sacada, mas pode distrair-se com um passarinho ou uma borboleta e, na tentativa de pegar o bichinho despenca.

Perdeu um gato? Saiba procurar!

Como dito desde o início, procurar de imediato na vizinhança é primordial. E isso inclui procurar em casa com cachorro, abandonada, para alugar, de gente antipática com quem vc nunca trocou uma palavra, lojas, prédios, estacionamentos, fábricas... todo e qualquer lugar onde um gato possa entrar!

Administro o grupo Gatos Perdidos e Encontrados em SP do Facebook que reúne várias dicas para encontrar gatos perdidos. Nos albuns de fotos desse grupo tem um dedicado a dicas que eu mesma já testei com sucesso e outro com vários relatos de tutores que reencontraram seus gatinhos – as chamadas “Histórias Felizes”.  Acesse o grupo AQUI

Também presto “Consultoria Personalizada” para ajudar o tutor a traçar uma estratégia de busca mais assertiva. Analiso a personalidade do gato, a situação da fuga e o perfil da vizinhança pelo whats app 11 94682-6104.






Fátima ChuEcco Jornalista e Escritora

Site www.miaubookecia.com



 

Gata passou a viver em bueiro depois que se perdeu

A história de Sabrina serve de alerta para os tutores que estão com gatinhos perdidos. Essa gatinha, de um  ano de idade, já estava há seman...