segunda-feira, 30 de maio de 2022

Veja videos que provam que gatos apreciam TV. Seu gato também gosta de ver TV?



Na foto está minha gatinha Dianna assistindo a um desenho. Mas percebi também que ela ficou realmente interessada num outro desenho do canal DOGTV em que uma abelhinha zumbia alto enquanto passeava de flor em flor. Então filmei e ela ficou entretida um tempão, conforme se pode ver no video abaixo postado na página dela e da Rebecca Selvagem no Facebook. 

Para ver acesse AQUI

Por conta desse interesse em ver desenhos, Dianna foi inclusive uma das personagens de matéria publicada em jornal de Minas Gerais.



O gatinho Thor também adora assistir TV... mas ele prefere documentários com peixinhos. Na foto abaixo ele assiste ao vídeo "Oceano Relaxante". Helen, sua tutora, conta que ele ficou 20 minutos firme vendo o vídeo até adormecer.

                                  Thor vendo "Oceano Relaxante" no laptop

Dianna gosta de desenho.
Reparem como ela presta muita atenção!



O DOGTV, canal para cachorros, foi desenvolvido ao longo de três anos com o objetivo de relaxar e entreter os cachorros que ficam sozinhos em casa ou que, além das dezenas de brinquedos espalhados pela casa, precisam de "algo mais". Com base em estudos o conteúdo investe em cores, temas e escalas visuais e sonoras atraentes para os cães. A sonoridade foi criada a partir de timbres, frequências e volumes agradáveis para os animais e os elementos visuais respeitam as características da visão canina.

"Música instrumental, balbucio de bebês, risadas infantis, paisagens naturais e outros cães em momentos de alegria e calma são algumas das sequências e temáticas componentes da programação. O canal conta até mesmo com uma equipe de compositores e instrumentistas, que criam as trilhas sonoras da programação de acordo com os princípios estudados", declara a assessoria de imprensa da emissora.

Diz também que a função da DOGTV é amenizar medo, ansiedade e evitar comportamentos destrutivos. 

                                                   Foto Divulgação DOGTV

Pesquisa

A Universidade Tufts, de Massachusetts, realizou um estudo comparativo entre canais de TV convencionais e a DOGTV, com base nas reações e preferências dos cães. A pesquisa foi conduzida em 38 apartamentos de Los Angeles e Nova York, com cães deixados sozinhos por seis horas e expostos a diferentes programas. Os resultados mostram que os cães assistiram à DOGTV mais do que qualquer outro canal, e que os programas de relaxamento da DOGTV foram eficientes para 70% da amostra.

A programação da DOGTV é recomendada pela The Humane Society of the United States e usa métodos aprovados pela American Veterinary Medical Association e pela American Society for the Prevention of Cruelty to Animals.

Ok... esperamos que os cães possam saborear muito essa experiência... mas e os gatos? Não seria interessante introduzir uma programação voltada para os gatos já que eles passam, em geral, a vida toda dentro de casa?



Fátima ChuEcco
Jornalista/Escritora


domingo, 29 de maio de 2022

Gato perdido foi encontrado 107 dias depois e estava a apenas alguns metros de casa

Tem duas coisas importantes para tirar dessa incrível história de reencontro: a primeira é que não se deve perder a esperança de achar um gatinho perdido e a segunda é que ele pode estar muito, mas muito perto de casa... até mesmo na casa ao lado ou nos fundos da sua.

A Luciana Atti, de SP, fez de tudo e mais um pouco para encontrar seu gatinho Gandalf que escapou de casa em fevereiro deste ano. Quem frequenta os grupos de animais perdidos do Facebook certamente se deparou com o post dele porque Luciana postou sem parar nesses meses todos. 

Também fez o trivial: cartazes, sondagem na vizinhança e foi até outros bairros conferir se o gato achado era o Gandalf. A busca só terminou depois de longos três meses e meio, na verdade, exatos 107 dias em que a tutora não desistiu de procurar.

E sabem onde Gandalf estava? 


Vivendo em quintais das casas da rua detrás, no mesmo quarteirão, a poucos metros de distância. Uma rua onde, aliás, Luciana também fazia ronda com frequência. 

Vejam que relato interessante:

"Fui guiada pela intuição. Era fim de tarde e estava em casa quando algo me disse para descer naquela rua e dar uma olhada. Então ao chegar lá comecei a ouvir uns miados e na mesma hora identifiquei que eram do meu gato. Fui olhando as casas e, de repente, vi Gandalf no quintal de uma delas. Estava na escada de um corredor".

Pausa: acham que que foi fácil? Pois anotem isso: um gatinho perdido na rua pode não atender/responder ao tutor, principalmente quando já se passaram muitos dias. Os gatos criam uma certa desconfiança que está intimamente ligada à autodefesa. 

"Comecei a chamá-lo, mas ele descia 3 degraus e em seguida subia um. Tive que ter paciência e respeitar o tempo dele até que devagar começou a vir na minha direção. Então me permitiu fazer carinho e finalmente consegui pegá-lo. Foi uma emoção que não tem preço", conta a tutora.

Klaus Porlan, Luciana Atti e Gandalf

Luciana deduziu que Gandalf, nesse tempo todo, se alimentava graças à oferta de ração colocada nos arredores por vizinhos que amam gatos. E como tem gatos vivendo soltos na vizinhança deve ter ficado difícil para alguém perceber que Gandalf andava próximo deles.

"Embora a gente coloque muitos cartazes e fale com os vizinhos, não podemos desistir de procurar. No início temos esperança, depois surgem episódios de desânimo. Por isso é fundamental ter perseverança e fé, além de contar com pessoas altruístas. Muita gente se sensibilizou com minha busca e me ajudou".

Procure pertinho de casa

Como consultora sobre gatos perdidos vejo muito as pessoas perderem a esperança de encontrar o gatinho no decorrer dos dias. Claro que muita coisa de ruim pode acontecer a um gato na rua e essas hipóteses também precisam ser checadas junto a lixeiros, varredores de rua e vizinhos.

Mas se o seu gatinho não sofreu nenhuma fatalidade, a chance dele estar nos arredores da sua casa é muito, mas muito grande. Isso porque, bem diferente dos cães, que são andarilhos por natureza e podem percorrer de 3 a 10 km  por dia, os gatos não saem andando pelo bairro. 

Uma vez perdidos, os gatos buscam abrigo ou esconderijo o mais perto possível de suas casas. A sensação de segurança é muito importante para o gato e por isso eles evitam se expor demais em busca de alimento ou de algum lugar para ficar.

Podem se distanciar até uns 500 ou 600 metros... em alguns casos até uns 800 metros, mas isso andando um pouquinho por dia até acharem um porto seguro. Mas a grande maioria das pessoas me relata que encontrou o gato em casas da vizinhança mais próxima. Foi o caso da gatinha Irene (foto), encontrada na casa que fazia fundos com a sua. Leia AQUI



Mas um gato não pode ir parar longe?

Pode, mas não andando. Um gato pode parar em outro bairro e até cidade se entrar no motor de um carro ou se for levado embora por alguém. 

Mas se você não sabe se uma dessas coisas aconteceu com ele o jeito é procurar... e manter viva a esperança porque os gatos sentem nossa intenção de encontrá-los e uma hora ou outra, se estiverem por perto, irão enviar um sinal que, aliás, pode surgir por meio de uma intuição, como foi o caso da Luciana literalmente "guiada" na direção do Gandalf depois de 107 dias.

                                            Casa telada, muro alto... como um gato escapa?

No caso do Gandalf, Luciana acredita que foi por uma árvore de seu quintal. Os muros são altos mas a árvore serviu de "trampolim" para uma aventura perigosa. Ouço muito as pessoas ficarem indignadas com as "fugas" de seus gatos de casas que, aparentemente, seriam "antifuga". 

Mas acreditem: quando eles querem sair calculam cada cantinho que possa dar acesso à rua e isso também vale para gatos castrados. O instinto explorador está no DNA dos felinos e a castração não modifica a personalidade deles.

À propósito, conheçam a história da gatinha Liz (foto) que, mesmo castrada, saiu de casa e seguiu um "gatão do pedaço", também castrado, até a casa dele. E por lá ficou até ser encontrada por sua tutora dias depois. Acesse essa curiosa história AQUI.


Então o jeito é pensar em soluções que realmente impeçam escapadas. Há redes próprias para quintais, sacadas e varandas. E nas garagens e portões da frente também se deve pensar em formas de não deixar nenhum "buraco" porque os gatos "pensam" em tudo.

Texto: Fátima ChuEcco, jornalista, escritora e fundadora da @buscacats - consultoria especializada em gatos perdidos



quarta-feira, 25 de maio de 2022

Feira de Adoção de Cães e Gatos no Museu do Ipiranga dia 29 de maio


No próximo domingo, dia 29 de maio, no Museu do Ipiranga terá um evento de adoção organizado pela OAB e o Projeto Pacotinho de Amor em parceria com a subprefeitura Ipiranga. Cães e gatos resgatados estarão esperando seus futuros tutores e o Movinho Clinica Móvel do grupo Vet Popular estará presente com uma veterinária orientando sobre  manejo de filhotes, vacinas e vermífugos. 

Conheça alguns "pacotinhos de amor" acessando o instagram do projeto AQUI

Data: 29/05/22

Das 10h às 15h

Rua dos Patriotas na frente do Museu do Ipiranga

segunda-feira, 23 de maio de 2022

Os gatos são muito expressivos e até Darwin notou isso


"Os gatos usam muito a voz como meio de expressão e emitem, sob várias circunstâncias e emoções, pelo menos seis ou sete sons diferentes. Um dos mais curiosos é o ronronar de satisfação produzido tanto durante a inspiração quanto a expiração. O puma, a chita e a jaguatirica também ronronam"


O trecho acima é do livro "A expressão das emoções no homem e nos animais", escrito por Charles Darwin em 1872 ou quase 150 anos atrás.

Ele demonstra, pelo método de observação, desenhos, fotografias e relatos de colaboradores, que os animais têm emoções como alegria, medo, raiva e ciúme, manifestadas por meio das expressões faciais e corporais, além de sons e uma comunicação própria.  


Darwin defende que algumas de nossas expressões são herdadas de antepassados primitivos, comum tanto aos homens quanto aos outros animais. Diz ainda que muitas de nossas expressões são inatas e não aprendidas já que se repetem em pessoas das mais variadas culturas.

"Um exemplo clássico é ainda hoje o homem mostrar seus dentes caninos quando está enfurecido, da mesma forma que o fazem macacos, cães  e outros bichos, apesar de não se servir disso para brigar"

Vejam isso:

"Ações de todos os tipos, acompanhando regularmente algum estado de espírito, são de pronto reconhecidas como expressivas. Podem consistir de movimento de qualquer parte do corpo, como o abano da cauda de um cão, o encolhimento dos ombros de um homem, o eriçamento de pelos de um gato, a exsudação de suor, o estado da circulação capilar, a respiração forçada e o uso de sons vocais ou produzidos por algum instrumento. Até os insetos exprimem raiva, terror, ciúme e amor com sua estridulação".




Darwin fala da expressão canina:

"Alguns cães demonstram um estado de espírito de prazer e excitação, associado à afeição, de uma maneira bastante peculiar: mostrando os dentes, como num sorriso".


E  destaca, é claro, chimpanzés e orangotangos que, notoriamente, são os mais expressivos dentre todos os seres vivos, assim como os humanos.

"Se fazemos cócegas num chimpanzé jovem - e as axilas são particularmente sensíveis às cócegas como nas nossas crianças - um som mais nítido de carcarejo ou risada é produzido", comenta no mesmo livro.

"Macacos também tremem de medo e, às vezes, soltam suas excreções. Pude ver um macaco quase desmaiar de tanto terror quando capturado. A expressão de um macaco quando provocado ou afagado por seu tratador é quase tão expressiva quanto a dos humanos".


Darwin morreu em 1882 aos 72 anos e seu legado ainda hoje divide opiniões. Uns acham que seu longo e complexo estudo do comportamento animal tinha a intenção de provar que os animais sentem e sofrem como nós e, portanto, não poderiam ser explorados pelo homem como objetos inanimados.

Outros acreditam que os estudos de Darwin serviram para endossar os horrores que a medicina e a ciência já faziam com os animais desde aquela época sob o argumento de que, sendo muito parecidos conosco também seriam os melhores modelos para se explorar como cobaias.

Mas nesse artigo quero concentrar o foco nos expressivos gatos com uma pequena amostra do fabuloso trabalho do fotógrafo Michael Hans cuja página no facebook pode ser acessada AQUI e cujas imagens ilustram também o texto acima







Fátima ChuEcco Jornalista/Escritora apaixonada por gatos e por todos os animais...
e sempre em busca de gente sensível e talentosa
Acesse meu site www.miaubookecia.com



sábado, 21 de maio de 2022

Terra de Gigantes: série dos anos 60/70 é genial e tem na Oldflix


Quem assistiu Terra dos Gigantes quando era criança ou adolescente certamente se lembra bem porque a série era simplesmente sensacional. Uma ótima ideia do cineasta Irwin Allen (já falecido) com um excelente roteiro resultaram numa série inesquecível.

 Vale lembrar que são do Irwin outras séries geniais como "Túnel do Tempo", "Perdidos no Espaço" e "Viagem ao Fundo do Mar".

Curiosamente, Terra de Gigantes não teve reprise na TV como A Feiticeira e outras da mesma época, mas atualmente pode ser vista na plataforma da OIldflix com ótima qualidade de imagens e na versão dublada ou legendada.

E gente... vale muito a pena! Já nos primeiros capítulos a gente percebe que trata-se de um trabalho muito minucioso, de muita ação... e aflição também porque torcemos o tempo todo pela tripulação da nave que caiu numa Terra de Gigantes. 

As roupas, a trilha sonora, os personagens e até o cachorrinho 🐶... Tudo tão gostoso de ver ou rever!

Aliás, que elenco bonito... as mulheres parecem bonecas. 

O ator Don Matheson, que interpretava Mark, casou-se na vida real com Deanna Lund que fazia o papel da Valerie (foto abaixo). Ambos já faleceram aos 84 e 81 anos respectivamente.


Ainda vivos estão Gary Conway (Capitão Steve Burton), Heather Young (comissária de bordo Betty) e Stefan Arngrim que fazia o garotinho Barry acompanhado por seu cãozinho Chipper.

Destaque para o episódio "Cidade Fantasma" em que os personagens vão parar numa maquete. Muito bom esse episódio!!!

Agora... querem saber o que aconteceu com o elenco depois de tantos anos? Nesses vídeos mostra:




Veja também como estão HOJE os atores da série "Túnel do Tempo". Acesse a matéria AQUI

Texto: Fátima ChuEcco, jornalista e escritora

quarta-feira, 18 de maio de 2022

Ronny e Gigi, da África do Sul, em momento artístico-intelectual

 


Aqui estão dois cachorrinhos que foram adotados juntos na África do Sul: Ronny e Gigi. Nessa imagem eles estão num momento de atividade intelectual e criação artística. Uma cena digna para ilustrar um AU-AU Book colorido e divertido só deles. Seus cachorrinhos também podem ter um fotolivro de luxo (capa dura) com uma historinha exclusiva inspirada nas melhores fotos deles. 

Conheça os modelos, preços e veja depoimento de quem já fez acessando www.miaubookecia.com

domingo, 15 de maio de 2022

Túnel do Tempo: série com 56 anos continua atual e pode ser vista na Oldflix


Começo avisando que os protagonistas da série "Túnel do Tempo" estão vivos.  Robert Colbert, que interpretava o Dr Doug, tem 90 anos e continua comparecendo aos eventos dos fãs da série exibida na TV entre 1966 e 1967. James Darren, que interpretava o cientista Tony, está com 86 anos e, depois de fazer outros filmes decidiu mergulhar na carreira de cantor lançando alguns albuns. 

Vejam as fotos do antes/depois dos atores incluindo atriz Lee Meriwether (hoje com 87 anos) que também é personagem da série:


A série trata de um sofisticado laboratório construído para transportar pessoas através do tempo - teve inspiração no filme "Passagem para o Furturo" de 1964. O Dr Doug e Tony acabam testando o mecanismo antes de sua conclusão e ficam presos em fatos ocorridos no passado. Eles também viajam para o futuro em vários episódios. 

A série é GENIAL! O roteiro é muito - mas muito bom - e bem avançado para a época em que a série foi exibida. 


Claro que as cenas são compatíveis com o nível da indústria cinematográfica da época não podendo ser comparadas aos seriados que contam com a tecnologia que temos hoje e que dão muito mais realismo a diversas situações. 

Inclusive as lutas corporais e as falas dos atores carregam em certo "ar" teatral, comum em todas as séries dos anos 60. Mas a história é boa e continua atual chegando a ser bem mais interessante e dinâmica que o enredo de vários longas metragens que abordam essa mesma temática de viagem no tempo.

A Oldflix já tem as duas temporadas de Túnel do Tempo e de outras séries criadas e dirigidas pelo GÊNIO  Irwin Allen (foto), conhecido como "O mestre do desastre" por suas produções focadas em catástrofes como "Inferno na Torre" e "O destino de Poseidon".


Irwin Allen morreu aos 75 anos e seu legado inclui séries que marcaram profundamente toda uma geração. Além de Túnel do Tempo são dele a deliciosa e inteligente "Terra dos Gigantes", "Viagem ao Fundo do Mar" e o seu maior sucesso "Perdidos no Espaço" - todas à disposição na Oldflix.

Aliás, Robert Colbert também aparece em episódio de Terra dos Gigantes. James Darren fez aparição em As Panteras muitos anos depois e seu último trabalho foi no filme "Lucky" de 2017. Irwin escolheu Darren como protagonista de uma outra série chamada "O homem do século 25" que teria início em 1968, mas que não vingou. Saiba mais sobre esse ator em www.jamesdarren.com 


Embora alguns trechos da série possam ser vistos na Internet livre, a qualidade nem se compara com a Oldflix. Na Oldflix a imagem é ótima e tem opção de assistir os episódios dublados ou legendados.

Vale comentar ainda sobre a trilha sonora que acompanha o movimentos das cenas e passos dos atores. Dá uma nostalgia! Querem matar a saudade da "musiquinha"? Então vejam a abertura da série:


Texto: Fátima ChuEcco, jornalista e escritora

domingo, 8 de maio de 2022

Cachorrinha Folgada da novelas das 7: ninguém sabe da onde veio e nem pra onde vai!


A vira-lata da novela "Quanto Mais Vida Melhor" (foto) encantou a cada capítulo pela sua naturalidade e simpatia. Tentei saber se ela é de alguém do elenco, se veio de um abrigo ou de um adestrador. Não encontrei nada! As únicas matérias sobre essa cadelinha apenas falam do papel dela na novela.

Infelizmente, no Brasil, nem sempre cachorro e gato são reconhecidos. Sequer são citados entre o elenco. Claro que não estou falando de animais torturados para participarem de novelas e filmes, mas dos que a gente sabe que agem naturalmente  nas gravações tendo seus melhores ou mais significativos momentos inseridos nas cenas que vão ao ar.

Muita gente acha que animal em filme ou novela é pura exploração. Bem... em alguns casos ainda é e temos que combater isso, mas em vários países é obrigatório que membros de entidades de defesa animal acompanhem as filmagens e, inclusive, reparem: muitos filmes com animais tem, no letreiro final,  nome verdadeiro deles e citação das entidades que fiscalizaram as cenas.

"Um Hotel Bom Cachorro" - que é maravilhoso - mostra no final cada um dos inúmeros cães que participaram do filme ao lado de seus tutores. Esse filme aborda as "Carrocinhas" que até hoje, em pleno século 21, ainda existem nos EUA. É uma crueldade o "controle animal" americano.

Por isso, cada cãozinho convocado para um filme tem a sorte de não ser morto num abrigo. Vale lembrar que nos EUA há dois tipos de abrigos que os próprios americanos denominam assim: os que matam e os que não matam.


Por isso vejo como benéfica essa tendência no mercado cinematográfico: os animais de abrigos estão cada vez mais sendo convocados para os filmes e séries estrangeiros, e sempre acabam adotados por alguém do elenco ou da produção. 

Foi o que aconteceu com a cachorrinha Shelby (nome verdadeiro) do filme "A caminho de casa" (Netflix) que, além de adotada ainda foi engajada numa campanha nas escolas para  arrecadas ração e motivar amor das crianças pelos animais. Leia a matéria AQUI


O gatinho que faz o personagem Goose no filme "Capitão Marvel" idem. Também era de abrigo e foi adotado ao final das filmagens. Veja AQUI


No encantador espanhol "Dezessete", que pode ser visto na Netflix, o cãozinho foi adotado pelo ator principal do filme. Ele gravou vídeos com o cãozinho já vivendo em sua casa e com isso derreteu o coração de milhares de fãs.

Aliás, Dezessete é um dos melhores filmes com animais que vi nos últimos tempos. Conta a história de um rapaz tentando se regenerar na companhia de um cão de abrigo. É lindo esse filme e também muito engraçado. Ah... e o cãozinho acompanhou o elenco numa premiação (foto abaixo). Leia mais AQUI


Texto: Fátima ChuEcco - jornalista, escritora, fundadora da BuscaCats - Consultoria Especializada em Gatos Perdidos e da Mi-AU Book & Cia - Editora de Fotolivros



sexta-feira, 6 de maio de 2022

Emocionante! Vitório fez juz ao nome ao ser personagem de fantásticos resgates!


Primeiro ele foi resgatado das ruas com problemas neurológicos, provavelmente causados por envenenamento. Perdeu o senso de direção. Foi colocada uma casinha para ele entre os gatos residentes do Parque Independência (SP) onde estava recebendo tratamento, mas dois dias depois... cadê o Vitório?

A médica psiquiatra Ana Lúcia Takata Pontes estava saindo de seu prédio quando avistou um gatinho andando em círculos na rua. Notou que havia algum problema com ele e que havia grande chance dele ser atropelado, então o resgatou.


Vitório ficou internado para ser hidratado e fazer diversos exames. A suspeita de problema neurológico era evidente, mas de resto o gatinho estava bem. Ana já tem dois gatos e me contatou para saber como poderia descobrir se o gatinho (até aquele momento sem nome) era de alguém do bairro do Ipiranga.

E foi nesse instante que algo incrível ocorreu. Ao enviar a postagem do gato para várias protetoras, uma delas, a Leninha, da ONG "Gatos do Ipiranga", achou que podia ser um gatinho recém-resgatado e que havia sumido do Parque. Ela foi até o hospital onde Vitório estava e bingo! Era ele mesmo!


Dá pra dizer que que Vitório ganhou na loteria ao ser resgatado duas vezes?

Ainda não. Digamos que foi sim "premiado" pelo destino, mas o grande prêmio ainda estava por vir.

É que ao Vitório só restaria retornar ao Parque já que não havia nenhum adotante para ele em vista. Mas a médica resolveu oferecer um "lar temporário".

Calma que ainda não acabou!

O comportamento de Vitório com Ana foi de gratidão total:

"Ele colocava o rosto dele no meu e literalmente me abraçava. Estava muito agradecido".


O receio da médica, no entanto, era os outros dois gatos, Spencer de 11 anos e Julieta de 7 anos, rejeitarem o "hóspede". Afinal, a gente sabe que quando gato não gosta significa que não gosta mesmo e dá "arranca rabo" na certa.


"Deixei Vitório separado dos outros gatos por quatro dias nos quais ele melhorou muito. Foi engordando e adquirindo mais equilíbrio. Mas ele não queria ficar isolado, então o soltei na casa e me surpreendi. Com Spencer ele se deu bem e com a Julieta ainda está em fase de adaptação, ou seja, ainda rola um `fuuuu` de vez em quando, mas nada grave", conta Ana.


Diante desse cenário tranquilo, sabem o que aconteceu? Vitório ganhou um lar definitivo. E agora sim dá para dizer que ele ganhou na loteria depois de dois resgates.

E tem se recuperado cada vez mais:


"Vitório faz acupuntura uma vez por semana. Não havia muita esperança dele subir nos móveis devido ao seu problema neurológico, mas ele já faz isso. Não pula alto, mas sobe em tudo e brinca. Notei também que agora ele só anda em círculos quando está um pouco preocupado ou agitado na presença de uma visita estranha, por exemplo".

Fabuloso o que o remédio chamado Amor faz.😻💑

"Sou apaixonada por ele. É muito carinhoso e me segue em todo lugar. Até tropeço nele porque ele corre atrás de mim e me atravessa. Acho que tem medo que eu vá embora. Meu marido está supergrude no Vitório também".

Vale a pena ver Vitório brincando:


EM TEMPO:

AJUDE a ONG Gatos do Ipiranga que foi quem primeiramente ajudou Vitório. Faça doação de ração, medicamentos ou em dinheiro. É um importante e sério trabalho. Conheça melhor acessando o instagram @gatosdoipiranga

O Vitório agradece!


Texto: Jornalista e Escritora Fátima ChuEcco que presta consultoria sobre gatos perdidose desenvolve fotolivros com animais e crianças.

Site www.miaubookecia.com 

Blog http://buscacats.blogspot.com 




quinta-feira, 5 de maio de 2022

Relato dramático da ONG que resgata animais na Ucrânia. Veja Vídeo dos sobreviventes.


Eles estão andando atordoados por ruas bombardeadas na cidade de Kherson, desde quando Putin invadiu a Ucrânia e começou a mirar prédios residenciais. Perderam suas famílias: elas fugiram ou morreram. A única esperança desses animais é um grupo de voluntários que arrisca a própria vida para dar-lhes alimento e, quando possível, levar para um abrigo. E cada dia é muito, mas muito incerto.

Vejam o relato na página da ONG  Shelter Kherson do Facebook https://www.facebook.com/shelterkherson/

"No momento Kherson ainda está sob ocupação russa. Agora estamos com muito medo porque não sabemos o que vem a seguir. Mas graças aos nossos animais temos forças para viver, apesar do que está acontecendo! Eles precisam muito de nós, somos a única casa deles, somos nós que recebemos todo o seu amor e, em troca, estamos prontos para mover montanhas, enquanto eles viverem!

Não importa o que aconteça, não importa o quão difícil e perigoso seja - nós nunca vamos DESISTIR!"

O grupo tem também Instragam https://www.instagram.com/shans_kherson/

Ah... o cãozinho da foto, o Mark, não é vítima da guerra. Foi resgatado há um ano e é ele que cuida dos gatos no abrigo. Muito lindo!!!

Vejam o vídeo que fiz em 3 idiomas (português, inglês e ucraniano) e ajudem compartilhando por favor!


Texto: Fátima ChuEcco, jornalista, escritora e fundadora da Editora MI-Au Book www.miaubookecia.com e da BuscaCats @buscacats

quarta-feira, 4 de maio de 2022

Evento Pet-Solidário: Desfile de cães para adoção, Tenda Kids, vacinação e muito mais dia 7 de maio!

 


Quer adotar um cachorro ou gato já vacinado, castrado e com RG Animal? Então não perca a Festa de Adoção do dia 7 de maio, próximo sábado, nas instalações do antigo Centro de Zoonoses (Santana). Haverá uma homenagem ao Dia das Mães logo cedo às 10h da manhã e às 12h um charmoso desfile dos cães que estão para adoção. Os cavalos resgatados desfilam as 14h e os cães da CGM às 15h.
Tem ainda a Tenda Kids com jogos de tabuleiro, pintura facial, escultura de balão, teatro e a Casa dos Bichos.
Mas é claro que a grande atração são os bichinhos que estarão com o coração pulsando forte na esperança de um lar. Tem de todo tamanho, idade e personalidade. CERTEZA que cabe pelo menos um deles no seu coração.



terça-feira, 3 de maio de 2022

Mais um capítulo de "Uma pata lava a outra" na busca de gatos perdidos


 A gatinha Liz, de SP, protagonizou mais uma daquelas histórias desesperadoras em que o tutor acredita que seu bichano, simplesmente, evaporou... de uma hora para outra! E é estrela também de mais um capítulo da Série "Uma pata lava a outra" que costumo contar quando, ao procurar por seu gato perdido, o tutor acaba salvando outro gatinho.

Foi no mês de março deste ano que Lenira Diaconiuc encontrava-se aflita com o sumiço de sua gatinha. Já tinha revirado seu quarteirão inteiro atrás dela sem qualquer sinal, sem nenhum pelinho sequer deixado para trás e que poderia servir de pista.

Como os gatos, diferentes dos cães, não saem andando pelo bairro - a não ser que entrem no motor de um carro - com a Liz não foi diferente. Ela estava numa casa distante apenas 300 metros da sua e na companhia de outro gato. 

A gatinha de sete meses é castrada, mas isso não a impediu de fazer amizade com um gato bem bonito das redondezas e seguí-lo.

Isso mesmo! Liz estava vivendo na casa de outro gato sem dar satisfação a ninguém. 

É bom salientar que a castração não muda personalidade e nem neutraliza a "adolescência" dos gatos. Os jovens, aventureiros e caçadores podem continuar querendo ir para a rua, por isso, só mesmo a tela de proteção nas casas podem impedir que escapem e corram riscos.

Mas como Liz foi encontrada?

Lenira havia colocado cartazes no portão de entrada da escola que fica na mesma rua de sua casa. Foi quando o pai de um aluno reconheceu a gatinha e ligou para ela.

"Ele disse que Liz chegou acompanhada do gato dele e então ele deixou-a ficar. Quando fui buscá-la, Liz estava deitada numa casinha de transporte toda sossegada. Ficou cinco dias sumida", conta a tutora.

As escolas são de fato excelentes lugares para colocar cartazes porque geralmente há muitos estudantes que moram próximos ou no bairro. Mas algumas escolas proíbem esse tipo de cartaz em suas dependências, então outro caminho é panfletar na entrada dos alunos da manhã e na saída dos alunos da tarde. Lenira destacou a palavra "Procura-se" no cartaz:


Cuidando do emocional

Quando a Lenira me procurou para uma consulta sobre gatos perdidos, fazia apenas dois dias que Liz havia sumido, mas era nítida sua angústia, ansiedade e inconformismo - uma mistura de sentimentos que a maioria dos tutores sente quando o gato "some".

E nessas horas sempre oriento os tutores a fazerem um grande esforço para manter a calma, pois, com a cabeça quente e coração saindo pela boca, ninguém pensa direito. Só que para achar um gatinho é preciso "raciocinar", se colocar no lugar do bichano e calmamente observar que rotas (em todas as direções) ele poderia ter seguido, por onde poderia ter passado ou se escondido... coisas assim.

"Nessas horas não existe coisa melhor do que uma pessoa encorajar a gente, como fez a consultora. Ela me deu muita esperança porque eu já estava desanimando. Ela me ajudou muito a manter a fé para encontrar minha gata".


Mas o que isso tem a ver com "Uma pata lava a outra"?

É que antes de achar a Liz, Lenira e o marido estiveram num lava-jato com muito material de construção onde, aliás, os gatos adoram ficar. Gato AMA cheiro de cimento, areia, tijolo... de alguma forma se sentem bem nesses locais em reforma. 

E nesse lugar, provavelmente, uma gata deu cria e um dos gatinhos estava dentro de um bloco de cimento encostado na parede. Lenira e o marido perceberam pelo miado. Não era recém-nascido, mas filhote... na verdade uma gatinha muito parecida com a Liz que, olhando na foto abaixo, até parece filha dela.

 Vejam que gracinha:


Lenira e a família resolveram ficar com a pequenina e é por isso que digo ser mais uma história da Série "Uma pata lava a outra".

Tem mais algumas no link http://buscacats.blogspot.com 

Texto: Fátima ChuEcco, jornalista, escritora e consultora sobre gatos perdidos da BuscaCats



Seberg é um dos melhores lançamentos da Netflix!

Bom filme baseado em história real é  "Seberg"  sobre a vida e ativismo da atriz  Jean Seberg , interpretada maravilhosamente por ...