quarta-feira, 23 de junho de 2021

Cerca de 68 cães são salvos do festival de carne de cachorro deste ano


Além da crueldade a que são submetidos milhares de animais no festival de carne de cachorro em Yulin, na China, esse evento é perigoso também para a saúde das pessoas. Os cães e gatos são mantidos amontoados sem água nem comida em gaiolas enferrujadas... muitos com ossos quebrados... e muitos inclusive raptados de suas casas. 

No festival deste ano, que corre solto apesar da China não estar livre da pandemia de Convid (com vários novos surtos sendo notificados frequentemente), já houve algumas intervenções de ativistas. Pelo menos 68 cães foram salvos quando estavam a caminho do festival. Alguns esticavam as patinhas para fora das grades pedindo ajuda dos ativistas. Leia matéria na íntegra AQUI

Embora seja mais conhecido por servir carne de cachorro, o festival de Yulin também mata gatos e das maneiras mais sórdidas. Alguns anos atrás a foto do gatinho Huru rodou o mundo: ele estava se agarrando desesperadamente as grades de um matadouro, mas conseguiu ser salvo minutos antes de ser morto pelo Dr Peter J. Li,  ativista da HSI - Humane Society International. 

Leia a matéria sobre Huru em português AQUI

No Facebook do ativista Peter Li consta agora uma mensagem da pessoa que adotou Huru, com uma belíssima foto atualizada do gatinho:

"Hu aproveitando o sol na nova árvore hoje. Como sempre nesta época do ano, meus pensamentos se voltam para Yulin e os pobres cães e gatos que sofrerão tanto nas próximas semanas. Penso na família chinesa de Hu, que nunca deve ter sabido o que aconteceu com ele (ele estava usando uma coleira quando foi resgatado por Peter J. Li do cercado do matadouro). Obrigado Peter, Wendy Higgins e HSI por tudo o que você faz para ajudar as vítimas do comércio de carne de cães e gatos".

Como ajudar a HSI a salvar animais do festival:

A entidade está com uma campanha para arrecadar fundos dirigidos ao salvamentos dos animais vítimas do festival e que pode ser acessada AQUI

Tem também uma petição pedindo o fim do festival que pode ser assinada AQUI

Veja o emocionante vídeo criado pela HSI:


Jornalista Fátima ChuEcco

Site www.miaubookecia.com

terça-feira, 22 de junho de 2021

Voluntariado: uma ajuda de mão dupla


Todo mundo já escutou o ditado popular “quem trabalha de graça é relógio”. Mas a verdade é que trabalho voluntário gera respeito pelo profissional e isso geralmente abre portas no mercado de trabalho, além de um retorno pessoal impagável. Todo mundo tem uma paixão que traz desde a infância ou que adquiriu em algum momento da vida. Algo que está adormecido ou esquecido e esperando uma “oportunidade” de ser colocado em prática. Pois vale a pena investir nessa paixão, ainda que seja de forma não remunerada.

Você pode usar sua profissão ou qualquer coisa que saiba e goste de fazer para ajudar ONGs, causas sociais e/ou ambientais com as quais se identifique ou que tenham relação com suas paixões mais íntimas. Isso será mais um ingrediente para abrilhantar sua carreira e fazer os selecionadores prestarem mais atenção em sua trajetória profissional.  Você ganhará respeito dos colegas de trabalho e uma imensurável sensação de “cumprir com um belo propósito de vida”, além de possibilidades de trabalho remunerado.

Como muita gente ainda torce o nariz para o exercício voluntário, muitas vezes alegando que isso provoca desvalorização profissional e que se deve cobrar pelo menos “alguma coisa” mesmo para quem está em grandes dificuldades, resolvi destacar uma experiência em minha própria carreira para provar como o voluntariado pode dar bons frutos, inclusive, frutos inesperados.

Vale lembrar que estou falando do trabalho voluntário genuíno, cuja intenção é de fato ajudar o próximo, pois, quando se pratica voluntariado visando benefícios próprios e algum tipo de retorno a situação é diferente e, embora também possa gerar frutos, quase sempre não são frutos duradouros porque a ajuda prestada não foi “verdadeira”, não partiu do coração.

 CASE 1



Em 2007 fiquei muito afetada com a notícia do massacre de uma família inteira de gorilas-das-montanhas na República Democrática do Congo (África). Como jornalista ambientalista, o fato me abalou bastante e resolvi contribuir espalhando os motivos e consequências de tamanha crueldade, além de mostrar como ajudar as pessoas que tentavam salvar os demais gorilas daquele país.

Fiz um trabalho de assessoria de imprensa confeccionando releases sobre o ocorrido e divulgando meios de ajudar a ONG Gorillas CD. Mandei para toda a imprensa e vários veículos no Brasil acataram a pauta usando fotos que consegui com os guardas florestais que mantinham contato direto com esses gorilas. Também abri uma seção no portal ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais para falar com mais frequência dos gorilas e de sua frágil situação.

Então a ONU instituiu 2009 como o Ano Internacional do Gorila com várias ações voltadas para a preservação da espécie. Eu solicitei autorização para criar um hotsite sobre o assunto e a ONU não só atendeu minha solicitação como também destacou meu trabalho em seu boletim dando o link para o meu site. Fiquei muito contente, mas a melhor notícia viria a seguir.



Por conta desse meu esforço em contar aos brasileiros sobre o perigo da extinção dos gorilas-das-montanhas, o Projeto Mucky, uma ONG com 30 anos de estrada que resgata saguis e bugios (macacos naturais do Brasil), me convidou para coordenar uma trilogia literária em comemoração aos seus 25 anos de atuação, completados em 2010. Tive então a oportunidade de trabalhar em três livros dando ideias, inserindo material e sendo remunerada por esse trabalho já que a ONG conseguiu um patrocinador para essa ação.

 CASE 2

Cerca de um ano depois, um novo fruto. Uma entidade chamada Humaniversidade, ligada à ONU, me contratou como assessora de imprensa levando em consideração meu trabalho que já tinha sido reconhecido e divulgado pelo Pnuma/ONU. 

CASE 3

Outro fruto viria em 2014, quando novamente fui contratada por uma ONG, o Instituto Supereco, para ser assessora de imprensa do Projeto Tecendo as Águas, patrocinado pela Petrobrás e pela Chevrolet, sendo novamente remunerada e atuando em um trabalho muito agradável com várias ações no litoral norte de SP para proteger os recursos hídricos.


Nunca imaginei que ajudar os gorilas-das-montanhas resultaria nesses trabalhos remunerados. Abracei a causa de coração, cedendo meu trabalho como jornalista e os frutos foram surgindo de forma inesperada, inclusive, junto a ONGs que acabaram por enriquecer ainda mais a minha carreira.

Leia o artigo publicado na CATHO AQUI

Foto de abertura: ImaArtist/Pixabay Free

Fátima ChuEcco Jornalista e Escritora

Site www.miaubookecia.com



sábado, 19 de junho de 2021

Quando a foto encanta e a história, por detrás da imagem, mais ainda!


Esse trio de cadelinhas conseguiu protagonizar com perfeição essa imagem. Parecem até rir! Neguinha e Lila (a fox) têm 14 anos e Kyara (à direita) apenas quatro. Todas vivem com Maria Inês Martos na pequena cidade de Pirajuí, no Interior de SP.

Achei interessante postar essa "alegre" foto das "filhas" de Maria Inês para mostrar como uma imagem pode contribuir bastante na divulgação, por exemplo, de adoções. Não é o caso desse trio, muito bem amparado e amado, mas as fotos têm um efeito imediato sobre nossas emoções e, consequentemente, atitudes.

E, muitas vezes, as fotos escondem uma história ainda mais bonita que a que vemos à primeira vista. No caso dessas cachorrinhas existe uma história de fidelidade e proteção:

"Minha mãe, que vai completar 86 anos em março, por duas vezes caiu e estava sozinha em casa. Ela não podia se levantar e foram minhas cachorrinhas que latiram tanto, que acabaram chamando a atenção da minha cunhada que é nossa vizinha", conta a tutora.

A Kyara foi jogada na rua de Maria Inês quando ainda era uma filhotinha. Neguinha e Lila também foram adotadas quando bebezinhas.

Neguinha é uma ainda guerreira noutro sentido:

"Ela tem displasia porque o pai era pastor belga e a mãe Cocker. Em maio descobrimos a diabetes e o tumor no fígado. Toma insulina duas vezes no dia e medicamentos para o fígado", diz Maria Inês.

A simpática foto das três cadelinhas foi feita numa pet shop logo após o banho. Então fica aqui a dica: caprichem nas fotos, explorem o olhar doce, curioso ou alegre dos bichinhos principalmente em postagens que visem adoção.

Fátima ChuEcco jornalista escritora www.miaubookecia.com



quinta-feira, 17 de junho de 2021

Dezessete: Cachorro que trabalha no filme era de abrigo e foi adotado por ator principal


O filme "Dezessete", em cartaz no Netflix, é muito gostoso de ver. A temática envolvendo um delinquente juvenil inclui também a história de um cachorro que, tanto no filme quanto na vida real, vivia num abrigo da Espanha, onde se passa o filme. E olha que legal: dentro e fora do filme o ator principal, Biel Montoro, se apaixonou pelo cão batizado Oveja (ovelha em português) adotando-o logo após as gravações.

O diretor Daniel Sánchez Arévalo não queria cães treinados para atuarem em "Dezessete" e por isso visitou abrigos. "Quando encontrei Oveja, foi amor à primeira vista e o mesmo aconteceu com Curro, o cão de três patas" - disse o diretor em entrevistas a sites estrangeiros. Sim... o filme conta com a participação de um vira-lata de três patas que também foi adotado. O diretor disse também que os cães não obedeceram a comandos ou se submeteram a ordens. Eles foram autênticos, filmados em suas reações naturais.

Veja o trailer legendado:



A adoção dos cães participantes do filme foi um acordo firmado entre o diretor e o abrigo espanhol. Achei essa iniciativa genial.  Talvez, sem o filme, esses animais passassem a vida toda em abrigos. Por isso, a gente tem que pensar bem quando critica filmes com animais de verdade. É possível trabalhar com cães e gatos de abrigos utilizando cenas naturais dos animais, sem qualquer tipo de abuso e, além do mais, nessas filmagens sempre tem pessoas do abrigo acompanhando tudo!

Em "Dezessete" até mesmo um cãozinho com leishmaniose ganhou a chance de ter um a família e um tratamento médico. Ele aparece num ferro velho dentro de um carro. Oveja virou astro da noite pro dia. Acompanhou a comitiva do filme em festivais, festas e é supermimado na casa de Biel. 

O ator até gravou um vídeo mostrando a nova vida de Oveja. Veja abaixo:

E, voltando ao filme, eu só tenho mais uma coisa a dizer: assistam! Tem drama e comédia... emoção... e "nota dez" para a avó de Hector (jovem interpretado por Biel). A vovozinha acamada acompanhada o neto pra cima e pra baixo e adivinhem quem passa a cuidar dela? O cãozinho de três patas! Não é uma graça?!

Na internet rolou até uma busca intensa pra saber a tradução da única palavra dita pela vovozinha durante o filme todo: tarapara. O que será isso??? O diretor diz que inventou a palavra para expressar tudo o que a vovozinha sentia. Esse é um daqueles filmes de humor inocente, cheio de mensagens positivas e que dá gosto de ver, ainda mais sabendo que o elenco canino foi todo adotado.  


Fátima ChuEcco jornalista/escritora www.miaubookecia.com





Uma joia mais preciosa que a outra.. e todas para adoção!!!


 A Daura Carvalho, protetora da Toca dos Peludos (SP), tem caprichado nas fotos de seus resgatados e, assim, a beleza peculiar de cada um deles fica ainda mais evidente. É o caso da cadelinha MALU, de 1 aninho, na foto acima, que tem a beleza inusitada de uma mutante de olhos ímpares: um castanho e outro "neve". Uma bela e rara mutação.

Mas reparando na foto de outros animais cuidados pela Daura, a gente percebe um outro tipo de beleza traduzida na calmaria do olhar deles. São joias... uma mais preciosa que a outra, prontas para encantarem lares. No facebook da Daura, que pode ser acessado AQUI tem muitas outras fotos de animais lindos!!! E caso não possa adotar no momento, compartilhe ou ajude de outras formas porque toda ajuda é sempre bem-vinda!

 Agora, prepare olhos para mais belezuras:







Rosa e Gata que tb é uma Flor: imagem curtida por quase 40 mil pessoas


Gosta de gatos e pode ajudar alguns de alguma forma? Então conheça o Ademir Orfanato de Gatos onde essa gatinha cega em forma de flor está instalada. A foto dela foi muito apreciada tendo até o momento quase 40 mil curtidas e muitos compartilhamentos. O facebook do Orfanato pode ser acessado AQUI e tem muitas outras fotos dos gatinhos resgatados e vídeos que mostram bem as instalações localizadas em Aparecida de Goiás (GO). São mais de 120 gatinhos mantidos com ajuda de colaboradores. Tem tb https://www.instagram.com/ademir_orfanato_de_gatos/

quarta-feira, 16 de junho de 2021

Telepatia pode ter ajudado Salomão a voltar para casa: patinhas em carne viva, mas voltou!


A história do gatinho Salomão é um grande exemplo de força de vontade. Ele vive num condomínio em Brasília e, recentemente, quando sua tutora Ana viajou, ele desapareceu. Depois de quatro angustiantes dias voltou com as patinhas em carne viva. Conheça essa incrível história de força e coragem, certamente nutrida pela comunicação telepática entre Salomão e sua tutora:

A casa de Ana é cercada por muros bem altos, então ficou difícil imaginar por onde Salomão teria escapado, mas a verdade é que os gatos conseguem identificar rotas de fuga que a gente nem imagina.

Ana estava ausente e não podia ela mesma sair em busca de Salomão, no entanto, pôde contar com a ajuda de vizinhos, porteiros e amigas: "Todos foram muito gentis e se empenharam para achá-lo. Só apareceu gente iluminada!".

Mas por onde será que andava Salomão?

Ana me contatou para uma consultoria personalizada na véspera de seu retorno para Brasília. Pelo perfil de Salomão identifiquei que ele, provavelmente, estaria nos imóveis vizinhos. Pedi que avisasse uma amiga para colocar areia com xixi da outra gata da casa na frente e fundos do imóvel.

Atenção: areia suja só se coloca ao redor da casa e nunca espalhada pelo quarteirão. A areia serve para ajudar o gato a voltar para casa seguindo o odor e se a areia é espalhada por todo canto isso atrapalha ao invés de ajudar.

Como os gatos são muito telepatas, também pedi à Ana que pensasse bastante no Salomão naquela noite porque, certamente, ele também sentiria que ela já estaria voltando para casa e tentaria fazer o mesmo, caso tivesse condições para isso. 

Orientei ainda que Ana pegasse uma foto do Salomão e escrevesse na imagem "Volta Salomão Volta", como uma forma de contato vibracional. E que na manhã seguinte sondasse cuidadosamente as casas vizinhas onde ele poderia ter ficado preso acidentalmente ou acuado devido à presença de cachorros.

Mas nem precisou...

Naquela madrugada, já de volta ao lar, Ana acordou com Salomão arranhando sua janela em desespero.  Ele tinha as patas em carne viva, provavelmente por ter escalado algum muro ou escavado algum lugar onde ficou preso.


Impressionante a força de vontade desse gatinho que juntou toda a sua energia para voltar para casa no momento em que certamente sentiu que sua tutora amada estava de volta.

"Fiz tudo que a consultora orientou fazer. Minha amiga colocou areia com xixi no meu muro. Ao chegar em casa à 1 da manhã, dei uma volta no quarteirão chamando pelo nome dele. Antes de dormir colei um post it na minha foto dele preferida com os dizeres "Volta Salomão". Dormi abraçada nessa foto e pensando nele", conta.

Por volta das 5 e meia da manhã Ana acordou com Salomão arranhando sua janela:

"Escutei o barulho e era ele. Estava com todas as patinhas em carne viva. Levei Salomão na veterinária e, apesar dos ferimentos nas patas e de ter perdido duas unhas, ele está bem. Nada tira de mim que foi o empenho da consultora em me fazer mentalizar um contato com ele que o trouxe de volta. Foi essa energia que deu toda a força de vontade que ele precisava, que alimentou aquela última esperança vital pra ele voltar pra casa. Eu mentalizei demais e tenho certeza que a gente se comunicou", explica.


Ana desconfia que Salomão estava numa casa vizinha que tinha cachorros bravos e passou quatro dias acuado, escondido em algum canto. Mas quando "sentiu" que sua tutora estava voltando, encheu-se de coragem e, para fugir da casa, pode ter escalado muros ou escavado alguma superfície áspera.

Agora Ana vai limitar a área externa da residência criando uma espécie de pátio seguro para os gatos, afinal, nem ela e muito menos Salomão querem passar por isso de novo.

Perdeu ou achou um gato?

Publique nos grupos de animais perdidos um post do bichano com o máximo de informações: local onde se perdeu ou foi achado (cidade, bairro e estado), características físicas e comportamentais. Administro o grupo do facebook Gatos Perdidos e Encontrados em SP que tem essa finalidade. Acesse o grupo AQUI

No album de fotos desse grupo tem várias dicas para encontrar gatos perdidos e uma série de matérias com quem conseguiu reencontrar o bichano que servem de inspiração. Para quem achou um gatinho que parece estar perdido, tem o grupo Acho que Vi um Gatinho Perdido que pode ser acessado AQUI

E para quem deseja uma Consultoria Personalizada, levando em conta a personalidade do gato e o perfil da vizinhança para traçar uma estratégia de busca mais assertiva nas redondezas, eu presto esse serviço por whats app  11 94682-6104 para qualquer lugar do Brasil. 



Fátima ChuEcco - Jornalista/Escritora

Site www.miaubookecia.com 



domingo, 13 de junho de 2021

É extraordinária a série "Sweet Tooth" da Netflix, com crianças híbridas


A primeira temporada de "Sweet Tooth" tem só oito capítulos que valem cada minuto assistido. O roteiro é muito contemporâneo porque se baseia numa pandemia como a que vivemos agora, com a população humana sendo dizimada por um vírus que ninguém sabe da onde veio e muito menos como controlar. Mas a doença não afeta os animais e, em meio ao caos que toma conta do planeta, surgem "elas": as crianças híbridas, meio humanas, meio animais.

Bem... pra começo de conversa, os bebês são encantadores... mas a série é focada na história de um deles, o Gus ou "menino-cervo", interpretado pelo talentoso Christian Convery. O roteiro foi escrito por Jim Mickle e é baseado numa das histórias em quadrinhos de Jeff Lemire com produção "Nota 10" de Robert e Susan Downey.


Como os híbridos surgem nas maternidades ao mesmo tempo em que o letal vírus se espalha, acabaram sendo apontados como os causadores da doença. Por isso são perseguidos, mortos ou transformados em cobaia. E já aviso: isso não é Spoiler!!! Esses dados são mostrados logo no início da série.

Mas Gus consegue se refugiar com o pai numa floresta e é nesse ponto que a história realmente começa.

Tudo é muito bem costurado, incluindo os demais personagens, com lindas e emocionantes cenas. Por isso VALE A PENA!!! Eu gostei tanto que vi  oito capítulos (a primeira temporada inteira) em apenas dois dias.

Outro destaque é o ator Nonso Anozie (acima) que interpreta "Tommy". Ele é show!!! E a dupla que se forma com Tommy e Gus é espetacular.

Veja o trailer:


Existem humanos híbridos?

Embora a série esteja fincada numa ficção, podemos dizer que "pero no mucho".  Humanos híbridos já existem há muito tempo. No século 19 e início do 20 eles eram a atração principal dos populares "Circos dos Horrores" nos EUA e Europa. 

Lionel tinha aparência de Leão e trabalhava em circo

Vários deles eram portadores de uma doença rara chamada hipertricose que conferia a aparência de lobo por fazer crescer pelos em excesso no corpo e, especialmente, no rosto. Veja alguns exemplos na matéria acessando AQUI

Bebê com hipertricose exibido em circo de NY

Em especial, Julia Pastrana, ficou bastante famosa como a "mulher-macaco" (foto abaixo). Ela chegou a ter um filho com seu empresário. A criança também nasceu com a doença mas morreu logo. Veja a matéria AQUI


Os circos pararam de explorar os portadores da "síndrome do homem-lobo" (como ficou conhecida), mas ainda há muito preconceito. Jesus Aceves e sua família no México ficaram conhecioos por terem a doença passada de geração a geração. Pelo menos 30 membros da família sofrem de hipertricose. 


Num documentário gravado em 2015, eles contam como é a vida deles. Vale a pena ver:


Outra história que ficou famosa foi de Supatra, a "menina-lobo" da Tailândia. 



Veja o video sobre a menina-lobo:


Oliver: o macaco-homem?

O exemplo inverso, isto é, de macaco meio homem, também já existiu e virou atração. Oliver foi um chimpanzé capturado quando muito jovem e que demonstrou, logo cedo, um comportamento diferente de outros primatas. Além de andar ereto com extrema facilidade, aprendeu a fazer muitas coisas até então feitas apenas por humanos e, infelizmente, isso incluía alguns vícios como fumar e beber bebida alcoolica. 


Muitos consideravam Oliver um verdadeiro "elo perdido"... um representante único da transição do macaco para o homem, embora os exames da época não tenham comprovado que se tratava de um híbrido.  Ele morreu em 2012 aos 55 anos. Veja o documentário:


Existem animais híbridos na natureza e fora dela

Na natureza acontece com frequência o surgimento de animais híbridos devido ao cruzamento de animais diferentes, porém da mesma espécie (como o porco e o javali que resultaram no javaporco). Mas os híbridos também começam a aparecer como fruto de experiências científicas. 

Um laboratório na China, em parceria com cientistas espanhóis, garante que já conseguiu um híbrido de humano com chimpanzé. Também garante que não deixaram, até o momento, os fetos nascerem. Será?!

Esse experimento tem implicações éticas das mais severas, pois, o intuito é gerar "criaturas" para serem usadas em transplante de orgãos. Leia mais sobre isso AQUI e AQUI

E assistam "Sweet Tooth"... porque é muito, mas muito bom!!!!

Fátima ChuEcco

Jornalista e Escritora 

Site www.miaubookecia.com






sábado, 12 de junho de 2021

Filmes mostram semelhanças entre Lázaro e os psicopatas Ted Bundy e Charles Sobhray


Para quem está acompanhando a caçada implacável a Lázaro Barbosa que, ao que tudo indica, trata-se de um psicopata que utiliza sua facilidade e prazer de matar para também roubar, e que tem aterrorizado pequenas cidades de Goiás, pelo menos um filme e uma série da Netflix baseados em fatos reais podem interessar. As semelhanças entre outros psicopatas e Lázaro são bastante evidentes.

No filme "Ted Bundy: A irresistível face do mal", o personagem, interpretado maravilhosamente por Zac Efron, é nada mesmo que um dos psicopatas mais crueis de todos os tempos, autor do assassinato de inúmeras jovens das formas mais grotescas, inclusive decapitando algumas, mas que, no entanto, era carinhoso coma esposa e a filha e muito educado e gentil com os vizinhos. Ted (foto de abertura) foi morto da cadeira elétrica em 1989.

Nas reportagens sobre Lázaro esse traço de "dupla personalidade" também fica visível. Tanto a mãe quanto a esposa de Lázaro relataram seu, digamos, "lado bom" como filho, marido e pai de duas crianças. Isso é comum em serial killers, pelo menos nos que se casam, mas não porque são de fato capazes de amar. Manter um lar tranquilo onde se possa relaxar é só mais uma estratégia de sobrevivência, afinal, os serial killers estão constantemente sob pressão ao serem perseguidos pela polícia e investigadores. Eles necessitam de um "ninho" onde reine o sossego.

Veja o trailer:


Na série "O Paraíso e a Serpente", o psicopata "real" é Charles  Sobhraj, que nos anos 70 matou dezenas de jovens hippies envenenando-os e botando fogo nos corpos deles. A semelhança com Lázaro é que Charles não só matava como também roubava as vítimas, ou seja, ele transformou seu prazer de matar numa fonte de renda. Essa característica não é rara. Alguns psicopatas viram bandidos. Charles, assim como Lázaro, também escapou algumas vezes da prisão mas hoje, aos 77 anos, cumpre prisão perpétua.

Essa série da Netflix é excelente porque retrata o período dos crimes com exatidão inclusive nos figurinos. A narrativa navega pelo passado e presente do assassino dando ritmo e muita emoção a cada capítulo. E o mais interessante é que, no final, são mostradas as pessoas que conviveram com Charles e até que foram vítimas dele. A gente fica sabendo como elas estão hoje. É uma das melhores séries que já vi! Perfeita em roteiro, produção... tudo!

Veja trailer:


O que esperar da história de Lázaro?

Mais ou menos o que acontece com a maioria dos serial killers, ou seja, que se entreguem à polícia, caso não sejam mortos antes disso. Em geral, psicopatas não desejam morrer, então se puderem adiar um fim trágico certamente farão isso. Existe um desprezo pela vida dos outros, mas não pela deles próprios. É por isso, inclusive, que muitos são narcisistas, cuidam muito bem da aparência e se utilizam desse recurso para capturar mais vítimas.

Lázaro caçador: isso explica prazer em matar?

Numa série de reportagens que escrevi para o portal Anda - Agência de Notícias de Direitos Animais chamada "Matador de Animais: Assim começa a carreira de um psicopata", que pode ser lida AQUI, também exploro a natureza de quem mata animais por diversão, em outras palavras, em que caça como "esporte".  Para uma pessoa de mente saudável é difícil entender como pode ser prazeroso abater um animal indefeso e, muitas vezes, assistir seus últimos suspiros. 

Para começo de conversa, não tem nada de corajoso matar um animal com uma arma de fogo, mas na cabeça de um caçador, de forma inversa, esse ato parece algo glorioso. Claro que não estou falando de caçar para sobreviver como alguns povos que vivem na selva fazem. A questão aqui é matar por prazer.

Lázaro é mateiro e caça desde pequeno talvez como subsistência da então sua família. Ele tem facilidade em matar, mas também, desde cedo, talvez tivesse também prazer e é aí que mora o perigo porque quem se diverte matando animais indefesos pode migrar para vítimas humanas.  A grande maioria dos psicopatas começa matando animais na infância e na adolescência. Isso é fato!

Em 2020, Lázaro invadiu uma casa no município de Santo Antônio do Descoberto (Goiás) onde aterrorizou toda a família, deu golpes de machado em idosos e matou o cachorro da casa com um facão.  

O diagnóstico de Lázaro já está traçado. Precisa dizer mais alguma coisa?

Mas o que fazer com psicopatas autores de crimes crueis?

Os psiquiatras são unânimes em dizer que psicopatas não têm cura. Eles não podem viver em sociedade porque representam um perigo. Portanto, embora muita gente aprecie a ideia de que devem ser tratados como presos comuns com sentenças aplicadas a criminosos comuns, essa não é a maneira mais efetiva de se evitar o mal.

Com bom comportamento eles têm direito as "saidinhas" em datas comemorativas e também reduzem a pena para 10, 12 anos. E tornam a cometer os mesmos crimes quando deixam a cadeia.

Hospitais psiquiátricos também não servem para esses casos porque, primeiro, não adianta nada já que esse desvio grave de personalidade não tem cura e, segundo, porque sendo dotados de talento estratégico, fica fácil fugirem de locais sem segurança máxima.

Em alguns países aplica-se pena de prisão perpétua e, no Brasil, alguns casos mais perversos, fizeram e procuram fazer o assassino cumprir a penalidade máxima de 30 anos. Isso quer dizer que, no Brasil, um serial killer pode deixar a cadeia quando já estiver idoso, mas será que isso impede que ele cometa mais crimes?

Fátima ChuEcco Jornalista e Escritora

Autora de "Matadores de Animais: Assim começa a carreira de um psicopata" da coletânia "Somos Todos Animais"

sexta-feira, 11 de junho de 2021

Homeopatia ajuda bastante em problemas comportamentais

Chiquinha passou 11 anos antissocial e foram muitas tentativas de tratamento para ajudá-la a relaxar um pouco e desfrutar melhor sua vida, mas nada funcionou. Até que, recentemente, um remédio homeopático mudou totalmente a postura medrosa da gatinha. O efeito da medicação se constatou depois de apenas uma semana de administração e Chiquinha passou a comer e dormir junto dos demais gatos. 

“Desde bebê era apavorada. Não ficava em contato nem com os outros gatos da casa, morria de medo deles. Vivia sempre no alto dos arranhadores ou andando pelos cantos. Só brincava no horário que os outros estavam dormindo. Vivia sempre em alerta, não conseguia relaxar nunca. Mas no momento que acertamos a medicação homeopática ela passou a conviver com seus irmãos”, conta a veterinária Viviane Reis da Clínica Integrativa Pet, de SP.

Leia a matéria completa AQUI

Fátima ChuEcco - Jornalista e Escritora  - Site www.miaubookecia.com



terça-feira, 8 de junho de 2021

Simpatia para dar e vender! Esse é o candidato à adoção de hoje!

Essa ONG tem história e uma bonita trajetória. A sede do Clube dos Vira-Latas funciona em uma chácara doada pela protetora já falecida Cida Lellis, em Ribeirão Pires (SP), onde atualmente abriga mais de 500 animais. É um trabalho sério, complexo e criativo que pode ser acompanhado pelo site da ONG AQUI, no facebbok AQUI ou pelo Instagram @ClubedosViraLatas 

Essa semana a ONG investiu num post para incentivar a adoção de animais idosos, como esse simpático cãozinho da foto que parece sorrir. O post é acompanhado por esse belo e emocionante texto:

"Meu rosto é prata mas tenho um coração de ouro. Posso não ter mais condições de brincar como você gostaria, sou velhinho, ando ofegante e dolorido, mas ainda assim farei o possível para te ver feliz"

E o texto continua sugerindo uma reflexão:

Não discrimine um peludinho idoso, eles merecem amor e respeito como qualquer outro.
"Quando a velhice chegar, aceita-a, ama-a. Ela é abundante em prazeres se souberes amá-la. Os anos que vão gradualmente declinando estão entre os mais doces da vida, mesmo quando tenhas alcançado o limite extremo dos anos, estes ainda reservam prazeres." Sêneca
O texto de Sêneca pode ser aplicado tranquilamente a um peludinho. Quando o seu melhor amigo envelhecer, não o abandone, você nem imagina o quanto ele pode lhe dar nesta fase da vida!
No nosso abrigo temos muitos idosos que já tiveram uma casa, mas foram abandonados. Outros jamais tiveram essa chance. Se você é livre de preconceitos, adote um peludinho idoso, envie um e-mail para adocao@clubedosviralatas.org.br e agende
uma visita.

Atenção:

Se vc quer adotar um cãozinho ou gatinho, ou sabe de alguém que deseja adotar, acompanhe essa seção que terá sempre uma ONG ou protetor de confiança e foto de um dos bichinhos que aguarda um amoroso lar ou que pode ser apadrinhado. 

Vc tem animais que buscam adoção? Participe!

E se vc tem uma ONG, participa de uma ou é protetor independente, participe dessa seção enviando um resumo do seu trabalho, seu site, facebook e instagram, além da foto de um dos animais que está para adoção. Envie para o email fatimachuecco@uol.com.br 

Essa seção foi criada para dar mais visibilidade para aqueles que protegem animais carentes e indefesos.

Fátima ChuEcco Jornalista e Escritora

Site www.miaubookecia.com





COMER COM OS OLHOS, COM O NARIZ, OUVIDOS, MÃOS E... COM A BOCA




Pouca gente sabe que o paladar é o sentido que mais interage e até depende dos demais. O prazer de comer alguma coisa tem muito a ver com o cheiro, visual, textura e até barulho da comida. É daí que vem a expressão "comer com os olhos" porque, literalmente, a visão antecipa o sabor... e daí outra expressão: "Comida que dá água na boca". Que tal aquele belo doce colorido, com uma cereja gorda e suculenta protagonizando a guloseima? Muita gente come um doce desses com os olhos antes mesmo de levá-lo à boca.

A boca é apenas porta de entrada, mas antes do alimento chegar nela, passa pelo nosso olfato, visão e tato. E, uma vez na boca, ainda tem mais um sentido envolvido: a audição. Já repararam como o barulhinho crocante de uma bolacha salgada, de um biscoito ou de uma batata chips influencia no sabor? O cheiro, claro, é também determinante num alimento. Muitas vezes ele nos alcança antes de vermos a refeição. Se for do nosso agrado dá quase para sentir o gostinho antecipado de uma determinada comida. Se for um cheiro desagradável, de imediato rejeitamos o alimento... o que nos assegura, muitas vezes,  de comer muita coisa estragada. 

E como o tato influencia no paladar? Fácil! Basta lembrar daquelas bisnaguinhas que muita gente adora amassar (bem amassado) antes de comer, geralmente, no café-da-manhã. Outros adoram a sensação de amassar miolo de pão. Sabe aqueles queijos em formato de palito? Aquilo é um “mimo” para o paladar porque as pessoas interagem prazerosamente com a comida desfiando o queijo antes de comê-lo. Comer com as mãos também aguça o sabor. É por isso que os pedaços de pizzas ficam muito mais saborosos sem auxílio de garfo e faca.

 
Paladar e memória

Há muitos exemplos de como a visão, o olfato, a audição e o tato interferem no sabor. Mas tem mais um elemento de atuação bem sutil sobre o paladar: nossas lembranças. Já ouviram falar em viciados em leite ninho? Bom... fui uma dessas pessoas que comia (de fato comia o pó puro) de uma lata em dois dias. Resultado: dolorosos e complicados estados de prisão de ventre. O leite ninho consumido puro vira pedra dentro do organismo. Dá pra imaginar o estrago? Esse vício pode ter como causa uma necessidade de voltar aos primeiros anos de infância, principalmente, se a criança foi amamentada com leite em pó. Minha mãe dizia que eu tinha rejeição ao leite materno, então devo ter tomado bem mais leite industrializado do que o natural.

Alimentos que nos remetem a um período feliz de nossas vidas podem ter uma atração especial, um sabor mágico. Brigadeiro pode ser um bom exemplo disso. Por que será que essas bolinhas de chocolate fazem tanto sucesso e tem gente que come brigadeiro até gritar de dor de estômago? A comida com gosto de passado pode ser ainda um prato que era feito com muito capricho pela mãe ou avó já falecidas... um prato que, quando consumido, dá uma sensação nostálgica de proteção e conforto. Lembranças, boas ou más, certamente afetam o sabor dos alimentos. Algumas podem nos afastar de determinadas comidas para sempre. Por exemplo: o desfecho de um relacionamento amoroso enquanto os dois comiam uma lasanha. Pronto! Risca-se a lasanha do cardápio e, muitas vezes, só o cheiro dela já dá desconforto.

Obs.:
Essa minha reflexão sobre o paladar surgiu a partir de uma participação no grupo do Centro de Estudos da Consciência(CEC) em São Paulo cuja página no Facebook pode ser acessada AQUI.  Nessa ocasião, após falarmos sobre os aspectos que envolvem o paladar, comemos de olhos fechados algumas frutas e verduras, que também é uma experiência bastante interessante: a gente se dá conta da textura, ruído e do cheiro dos alimentos de forma muito mais intensa no escuro. 

Fátima ChuEcco Jornalista e Escritora



O MUNDO NAS DUAS VIAS DA AV PAULISTA

MINHA MATÉRIA NA REVISTA JARDINS LIFE STYLE



Essa minha matéria foi escrita bem antes da pandemia... e que saudade da Paulista assim, né? Então segue esse flashback pra vcs reverem as "figuras" mais inusitadas de SP:

Quem frequenta a Avenida Paulista aos domingos vai reconhecer essas "figuras". Algumas antigas e outras entrando para o cenário multicultural agora. De tudo um pouco... e algo mais... e mais um mix de coisas e pessoas... a Paulista é assim!








Seberg é um dos melhores lançamentos da Netflix!

Bom filme baseado em história real é  "Seberg"  sobre a vida e ativismo da atriz  Jean Seberg , interpretada maravilhosamente por ...