quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Ansiedade de separação dispara entre os animais por conta da quarentena. Saiba o que é isso e como tratar!

 


O isolamento social foi uma experiência nova e difícil para nós, humanos. Mas para muitos cães, acostumados a conviver com seus tutores apenas poucas horas por dia, o isolamento foi motivo de festa, afinal, puderam receber mais atenção, carinho, além de brincarem e se divertirem por bastante tempo com suas famílias.

No entanto, com a flexibilização da quarentena da Covid-19, em que muitas pessoas começaram a voltar para seus trabalhos fora de casa, a alegria desses cães começou a se desfazer e junto veio o medo de ficarem sozinhos cada vez que o tutor abria a porta em direção à rua. Para muitos deles ficou difícil de entender e, ainda mais de absorver, uma mudança tão brusca.

O resultado é bem visível e, aliás, também audível, porque os cães sob uma condição chamada de SAS - Síndrome de Ansiedade de Separação latem, choram e uivam horas a fio temendo terem sido abandonados.  É uma espécie de pânico que se manifesta também por meio de comportamentos destrutivos ou inadequados como arranhar portas e janelas, cavar tapetes, morder sapatos e móveis ou urinar e defecar pela casa. Veja matéria completa para saber como lidar com isso acessando AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ESTRANHAS MANIAS FELINAS

“Daqui não saio, daqui ninguém me tira”. A frase, que é muito popular no Brasil, se encaixa direitinho em algumas situações protago...