sábado, 18 de julho de 2020

Cura para gatos com PIF é barrada por laboratório que teme perder concorrência contra covid-19



O gatinho da foto, batizado de Criança, teve PIF (Peritonite Infecciosa Felina) e quase ficou tetraplégico. Na foto acima ele está com a roupinha que usou na formatura da “Escola da Vida”, feita por sua tutora que comemorou uma vitória “suada” contra a doença. O remédio usado por Criança, durante 84 dias de tratamento, consumiu 25 mil reais conseguidos por meio de vakinha e campanhas no facebook.

“Hoje Criança anda, brinca, pula e até corre, não com a velocidade dos outros gatos que temos em casa, mas consegue correr e subir nas coisas”, conta Bianca Vasconcelos Purificação de Santana, de SP. Criança foi encontrado pelo marido de Bianca abandonado dentro de um balde com um pano. Era só um bebê com os olhinhos ainda fechados. Bianca o alimentou com mamadeira e percebeu a doença quando o gatinho chegou aos oito meses de idade.

                                          Gatinho Criança quando foi resgatado

Ela foi informada sobre o remédio, mas teve que importar da China. “Com 40 dias de  medicação injetável ele teve muitas feridinhas na pele e aí mudamos para as cápsulas que são ainda mais caras. Tem os remédios similares, mas são igualmente caros”, explica.

Bianca se refere a um remédio que falhou no combate ao ebola, mas mostrou-se eficaz contra o coronavírus que causa a PIF (e que não é transmissível aos humanos e nem aos cães). Mas o que seria o fim do sofrimento dos gatos com PIF tem hoje outro destino: o mesmo componente está sendo usado em testes contra a covid-19.

O laboratório Gilead Science, especializado no desenvolvimento de antivirais, se recusa a liberar a patente para uso em animais temendo perder a “corrida” para a cura da covid-19. Isso porque efeitos colaterais em gatos podem desmotivar os investidores para pesquisas com o uso do mesmo fármaco na cura da covid-19.

Pelo menos é o que diz a matéria  da Folha “Antiviral que falhou contra o ebola cura gatos com coronavírus da PIF”, que pode ser acessada AQUI. Lá  há uma explicação mais detalhada sobre a postura nada solidária da empresa.

Triste não? Como as pessoas envolvidas numa missão tão importante como a de salvar vidas podem estar negando a salvação de milhares delas? Toda vida importa.

Não podiam liberar o remédio para os gatos, obviamente a um preço acessível e, ao mesmo tempo, continuar os testes com covid-19?

Gatinho Criança quando estava completamente debilitado. Sua vida foi salva com um remédio caríssimo, mas que demonstrou curar a temida PIF

A matéria da Folha diz também que nas redes sociais há grupos fechados com milhares de  tutores e veterinários tentando facilitar o acesso ao medicamento.

E cita uma pesquisa publicada no ano passado no “Journal of Feline Medicine and Surgery”, onde 31 gatos com PIF foram tratados por 12 semanas com o fármaco da Gilead Science. Dos 31 animais, 25 deles ficaram saudáveis 18 meses após o final das aplicações e, até hoje, passados três anos do final do tratamento, eles permanecem assintomáticos.

No passado, segundo a Folha, a Gilead também não quis liberar o remédio para uso em gatos temendo que efeitos colaterais impedissem investimentos para a cura do Ebola. Adiantou? Não! O fármaco foi reprovado no combate à doença humana.

Agora parece que a cena se repete. Milhões de gatos poderiam ser salvos. Milhões de tutores poderiam respirar mais aliviados. Milhões de veterinários teriam uma opção de cura em mãos. Mas a Gilead parece querer que os investidores olhem para esse remédio como algo milagroso contra a covid-19. Inclusive, para quem quiser saber mais sobre o assunto, o site da empresa já fala dos tais testes contra covid-19. Acesse AQUI

Atenção

A empresa tem um escritório em SP, então tutores, ONGs e veterinários que queiram solicitar mais informações ou mesmo criar campanhas pela liberação da cura da PIF, talvez consigam algum retorno pelo fone 3036-9988 ou pelo email sac@gilead.com 

Fátima ChuEcco
Jornalista/Escritora

4 comentários:

  1. Meu Deus! Que ideia mais egoísta! Vidas devem ser salvas... O mesmo Deus que criou os humanos, criou os animais! Todos merecem viver!

    ResponderExcluir
  2. Isso tem nome e sobrenome:Ganância e Egoismo. Deus na sua infinita bondade deu sabedoria aos homens que, infelizmente, usam apenas para si mesmo.
    Creio que Deus vai "mexer os pauzinhos" e vai dar um jeito de ser liberado para os animais.

    ResponderExcluir
  3. Absurdo, e vergonhoso. Um remédio em seu princípio deveria salvar vidas ou no mínimo controlar doenças, Não importando se vidas humana, mas de qualquer ser vivo. Sempre me perguntei se já não havia algum medicamento pra está e outras doenças, a questão que fica é, isso é inadmissível com humanos e com animais também.

    ResponderExcluir
  4. O Ozônio vai ganhar essa corrida contra o Covid19 e esses gananciosos ficarão de mãos vazias. Eis a verdadeira face do ser "humano" - mesquinho, egoísta, pérfido e vil. Por isso sempre evito me tratar e aos meus gatinhos com medicamentos alopáticos, pois TODOS ELES possuem efeitos colaterais além de serem produzidos por esses crápulas.

    ResponderExcluir

DIA MUNDIAL DO GUARDA FLORESTAL. Vamos cumprimentar os heróis que protegem os gorilas

Na foto estão as gorilas Ndakazi e Ndeze - sim elas ficam de pé como pessoas - e alguns dos guardas florestais da República Democrátic...