segunda-feira, 15 de novembro de 2021

Gatinho de três patas é encontrado depois de 11 dias perdido. Sonhos estimularam a busca!



Bartho tinha amputado uma patinha cirurgicamente há poucos dias quando se perdeu em SP. Ele já andava bem, mas é claro que tinha bem mais limitações que um gato de quatro patas. A fuga desmantelou o coração de Amanda Moreira Barbosa, uma estudante de veterinária que já tinha salvado Bartho de uma situação de extremo risco de vida.

Com um dos pezinhos totalmente comido por bicheira, ele foi levado a um hospital veterinário onde Amanda fazia estágio, mas a pessoa que o levou não era a tutora e apenas tinha encontrado Bartho nesse lamentável estado na rua.  O hospital não aceitou tratar Bartho gratuitamente e a mulher foi embora com o gato. 

Sensibilizada com o estado crítico do bichinho, Amanda correu atrás da mulher e pediu pra ficar com o gato. Então ela o levou num hospital de preço mais acessível onde foi necessário amputar uma perninha.

"Ele era mansinho então devia estar perdido. Depois de operado ficou na minha casa  tranquilo, até que minha outra gata, que estava temporariamente internada para tratamento, voltou. Acredito que isso deve ter desestabilizado o Bartho e então ele fugiu sem que percebêssemos. Nem sei como, pois, ele estava num quarto fechado para concluir sua recuperação", conta.


Animais perdidos se comunicam pelos SONHOS

Quando a Amanda me procurou em busca de uma consultoria para encontrar seu gatinho,  uma coisa que me chamou a atenção foi o sonho que ela teve e onde reencontrava Bartho num matagal. Ele estava bem, atendia ao chamado dela e saía de dentro do mato.

Vários animais perdidos conseguem se comunicar com seus tutores pelos sonhos dando dicas de onde ou como estão. Por isso é bem importante prestar atenção nos sonhos e tentar lembrar dos detalhes.

Perto da casa de Amanda havia um terreno com mato alto, mas ela não o encontrou lá. 

Depois de uns dias ela sonhou de novo. Dessa vez Bartho saía todo sujo e fedido de um esgoto, mas tb ia ao seu encontro dela e os dois seguiam juntos para casa. Mais uma vez o sonho indicava reencontro.

Pedi à Amanda que se agarrasse a esses sinais e continuasse espalhando cartazes, principalmente nos mercados e comércios que estão podendo abrir, e seguisse procurando-o em toda a vizinhança, dando certa atenção para locais que tivessem mato e outros gatos (um gato perdido por vezes vai parar em colônias de gatos atraído pelo cheiro).

O REENCONTRO



Onze dias depois uns garotos ligaram para Amanda. Eles tinham encontrado Bartho e estavam brincando com ele na rua. Viram o fone dela num dos cartazes  preso a um poste e próximo a um mercado. Quando tentaram pegá-lo ele correu pra debaixo de carros, mas ficaram seguindo e vigiando Batho até Amanda chegar no local. Ufa!

"Ele estava duas ruas pra baixo, onde eu nem imaginei que pudesse estar. Nem tinha passado por lá, porque é uma descida enorme pra chegar lá. É relativamente longe da minha casa, uns 350 metros. Por isso não acho que ele foi sozinho. Não imagino ele indo pra lá. Talvez, por ser mansinho, alguém o tenha levado e depois ele escapou da pessoa ou do lugar para onde o levaram", conta.

A dedução de Amanda provavelmente está correta porque, em geral, os gatos quando fogem se escondem nas casas vizinhas ou no quarteirão de suas casas (leia várias matérias nesse blog sobre gatos encontrados bem perto de casa). Mas se tratando de um gatinho manso e com três patinhas, alguém pode ter ficado com dó de ver Bartho na rua e o levou para algum ponto que julgou mais seguro... talvez a pracinha com mato alto perto da onde ele foi encontrado pelos garotos.

Inclusive, os meninos disseram que já tinham visto o gato andando por ali. Então é bem provável que ele chegou até aquele local com a ajuda de alguém, mas como não sabia onde estava e nem como voltar pra casa, foi ficando ali.

E onde o SONHO encaixa nisso?

"Tinha uma pracinha com bastante mato, apenas não sei onde ele ficou escondido nesse tempo. Só sei que estava faminto. Comeu dois potes inteiros de comida de uma vez só", relata.

Ingredientes dos sonhos de Amanda: matagal e reencontro.

Ações essenciais para encontrar gatos perdidos

A primeira é básica: procurar, procurar e procurar, principalmente na vizinhança e de imediato, ou seja, assim que notar o sumiço. Falar com cada vizinho sem pular nenhum. Então, a  segunda coisa é espalhar cartazes e divulgar nas redes sociais. Amanda fez tudo direitinho!

Vejam o cartaz:


Otimizando as buscas

A Consultoria Personalizada por whats, que é a que presto, é outra aliada numa busca assertiva. Com base na personalidade do gato, circunstância em que fugiu e perfil físico e comportamental da vizinhança, ajudo o tutor a traçar uma busca mais estratégica.

Além disso, várias dicas gerais (e bem eficientes) de como encontrar gatos perdidos se encontram abertas ao público no grupo do facebook Gatos Perdidos e Encontrados em SP que pode ser acessado AQUI 

Mantenha seu gatinho seguro

Por mais que pareça ruim manter um gatinho em casa sem acesso à rua, pense nos perigos desses passeios: atropelamento, veneno, maus-tratos, perseguição por cães e doenças, algumas sem cura. Procure oferecer espaços para que ele observe a rua, mas sem sair de casa. Coloque rede de proteção em janelas e portas - algumas inclusive são removíveis e podem ser usadas em portas de entrada e janelas basculantes. Tem tb como telar quintais e varandas.

Fátima ChuEcco Jornalista e Escritora - Administradora do grupo Gatos Perdidos e Encontrados em SP, autora do fotolivro "Encontrando Rebecca Selvagem- Uma busca intensa e cheia de fé" e fundadora da Editora Virtual "MI-AU Book & Cia" que pode ser acessada AQUI


Conte a história de seu gatinho num fotolivro literário lindo lindo!!!!Veja exemplos no site www.miaubookecia.com e entre em contato pelo email jornalistafatima@uol.com.br









Um comentário:

Trabalho apaixonante feito com a boca do artista Clênio Marcio Ventura

Vejam as cores... a expressão desses gatinhos... não são lindos? Ao visitar o site da Associação dos Pintores coma a Boca e os Pés me depare...