sábado, 27 de junho de 2020

Embaixadores dos Gorilas: um projeto maravilhoso e urgente. Emocione-se com as fotos e vídeos



Esse é um convite aos seus olhos e ao seu coração! Mergulhe nas entranhas da República Democrática do Congo onde as fotos e vídeos dessa matéria revelam escolas precárias, onde falta tudo, de eletricidade a livros e computador, mas cheias de crianças com um objetivo muito nobre: a proteção dos gorilas das montanhas – espécie que “resiste” em reduzido número apenas na fronteira daquele país com Uganda e Ruanda.


Assista video  que mostra como as crianças aprendem sobre os gorilas:



Essas crianças das fotos, com seus uniformes surrados e cujo futuro pode pender para a preservação da natureza ou, no sentido inverso, para a caça e exploração dos animais selvagens, fazem parte do projeto recém-lançado “GorillaAmbassadors” ou Embaixadores dos Gorilas, conduzido por uma equipe de pessoas que têm contato direto com os gorilas das montanhas do Parque Nacional de Virunga, na República Democrática do Congo.


Eu insisto: repare nas fotos e videos. Esses jovens carecem de quase tudo para si mesmos e ainda assim podem ser a única salvação de uma espécie que tem atualmente apenas mil indivíduos em todo o planeta e que, cada vez mais, corre perigo, já que com a pandemia, o turismo está suspenso e a movimentação dos caçadores ficou facilitada. Ainda este mês, inclusive, um conhecido gorila da montanha chamado Rafiki, de 25 anos, foi morto por caçadores enquanto tentava defender sua família. Veja a matéria sobre isso acessando AQUI


O projeto "Embaixadores dos Gorilas” é voltado para a nova geração que vive em torno dos parques nacionais de Virunga e Bahia Kahuzi. Os jovens aprendem sobre os gorilas a fim de proteger a espécie e toda a vida selvagem do país. "O foco é educar a população local porque se não entenderem o valor dos gorilas matarão todos”, comenta o congolês Estimic Visiri, idealizador do projeto.


Assista vídeo que mostra a vida dos gorilas dos montanhas em liberdade:




Estimic conversou comigo pelo Facebook e explicou: “Os caçadores furtivos que estão matando os animais selvagens não tiveram a oportunidade de aprender o valor de proteger a vida selvagem, e é por isso que não queremos que essa nova geração cresça da mesma forma que a antiga. Fizemos uma parceria com as escolas das aldeias ao redor dos parques e estamos ensinando por meio da arte e vídeos tudo sobre a bondade e o valor dos gorilas”.

E aqui eu faço uma pausa para uma ressalva na fala de Estimic: “Bondade e valor dos gorilas”


Muita gente só conhece alguma coisa sobre essa espécie de gorilas por causa do filme “Na Montanha dos Gorilas” que foi um grande sucesso dos anos 80 (é um clássico até hoje) e conta a história da pesquisadora Dian Fossey interpretada por Sigourney Weaver. Dian foi morta por caçadores, mas não sem antes conseguir a proteção da espécie com quem ela conviveu bem de perto e pela qual era apaixonada.

Nos estudos de Dian e nos realizados após sua morte ficou provado que os gorilas das montanhas não são agressivos e só atacam em último caso em legítima defesa. Quando se sentem ameaçados eles primeiro urram, batem no peito e quebram galhos para afugentar o inimigo. O combate corpo a corpo é a última alternativa deles. Essa é uma das razões pelas quais foram e continuam sendo tão covardemente caçados e mortos. A reação deles diante do perigo é pacífica demais, principalmente quando se trata de caçadores armados. Os gorilas das montanhas são também vegetarianos. Saiba mais sobre os gorilas das montanhas acessando AQUI

                                  Veja vídeo sobre o Projeto Embaixadores dos Gorilas


Embaixadores dos Gorilas atinge mil jovens

Até agora o projeto conseguiu alcançar mil jovens entre 8 e 16 anos de idade em escolas e orfanatos de Virunga e Kahuzi na República Democrática do Congo. O objetivo é atingir 20 aldeias em todo o entorno dos locais onde os gorilas das montanhas vivem: “Planejamos atingir até os idosos realizando alguns projetos que os impedirão de destruir o parque e matar os gorilas”.

Entre as ações educacionais estão pintura e outras atividades artísticas, vídeos e palestras sobre gorilas, além de visitas a santuários de outros grandes primatas como chimpanzés.  


“Somos limitados porque apoiamos o programa com dinheiro que recebemos de turistas que visitam gorilas conosco”, comenta Estimic que é também diretor da empresa comunitária “Congo Tourism Gate”, atualmente parada por conta da pandemia. Vale ressaltar que as visitas monitoradas são feitas a famílias de gorilas acostumadas com a presença humana e representam um recurso importante para a própria preservação da espécie.

COMO AJUDAR

Estimic diz que até o momento o projeto ganhou o apoio de uma organização amaricana sem fins lucrativos chamada How Global, mas precisa muito de patrocinadores. Para ajudar os “Embaixadores dos Gorilas” divulgue esse projeto, repasse para empresas ou pessoas que possam contribuir financeiramente ou com doação de material escolar ou outros tipos de doação. Para mais informações ou detalhes de como ajudar mesmo à distância fale com o Estimic pelo Facebook dele acessando AQUI

E para encerrar o assunto, veja mais um vídeo de mamãe gorila da montanha com seu filhinho... um vídeo bem curtinho mas muito encantador:


Fotos e vídeos cedidos por Estimic Visiri

Fátima ChuEcco
Jornalista/Escritora

3 comentários:

  1. Maravilhoso o artigo. Gratidão por nos trazer essa informação e esse exemplo a ser apoiado e seguido!

    ResponderExcluir
  2. Boa Matéria Chuecco!
    Já conhecia esse santuário de outras matérias... mas SEMPRE é bom reforçar a importância de preservar um Santuário desses, principalmente ajudar quem cuida desses locais...
    Até 😎😷

    ResponderExcluir

ESTRANHAS MANIAS FELINAS

“Daqui não saio, daqui ninguém me tira”. A frase, que é muito popular no Brasil, se encaixa direitinho em algumas situações protago...